Header
Header
Header
Header
Header

TERCEIRA IDADE: LIMITAÇÕES E CUIDADOS

outubro 25th, 2013 | Posted by Paulo Pinto in Artigos

GUIA PRÁTCO DO CUIDADOR
NÃO repreendas asperamente o ancião, mas admoesta-o como a pai; aos moços como a irmãos; 1 Timóteo 5:1

Doenças associadas à velhice, inclusive o Mal de Alzheimer, a Demência e a Osteoporose

O que é uma doença associada à velhice? – As doenças associadas à velhice devem ser distinguidas do próprio processo de envelhecimento, porque todos os seres humanos, mas nem todos os idosos, experimentam todas as doenças associadas à velhice. Exemplos das doenças associadas à velhice são: problemas cardio-vasculares, câncer, artrite, demência, catarata, osteoporose, diabetes, hipertensão e o mal de Alzheimer. (A incidência destes males aumenta, exponencialmente, com a idade, como no caso do câncer).

O envelhecimento (Senilidade) aumenta a incidência dos males a ele associados, conforme a vulnerabilidade genética ou a resistência entre as espécies e os indivíduos dentro das espécies.

Algumas das consequências do envelhecimento estão relacionadas com a visão, audição, força muscular, força óssea, imunidade e função nervosa. O Glaucoma e a catarata são problemas oculares associados ao envelhecimento, os quais podem ser tratados, a fim de restaurar a visão deficiente nas pessoas idosas. A perda da audição em geral é observada a partir dos 50 anos, quando a percepção dos sons tende a diminuir. A eficiência do sistema muscular e do sistema nervoso diminui, causando a lentidão dos reflexos e a falta de força muscular, enquanto o sistema imunológico enfraquece, tornando as pessoas idosas mais sujeitas a infecções.

O constante e rápido aumento da expectação de vida, nos países ocidentais, está associado ao aumento do número de idosos nas populações. Nestas condições, podemos esperar uma progressão epidêmica na maioria dos males crônicos, especialmente dos males cardio-vasculares, dos neuro-vegetativos e das desordens metabólicas, que são as principais causas de morte no mundo.

O aumento na expectação da vida é simultâneo ao aumento do risco das doenças associadas à velhice, ou seja, obesidade, diabetes, artério-esclerose, câncer e doenças neuro-degenerativas. Estes males significam enormes desafios, tanto para os indivíduos como para as sociedades, em termos de qualidade de vida e de encargos econômicos. Portanto, existe uma urgente necessidade de que as sociedades ligadas aos idosos se preocupem com o assunto. Em 2030, a quantidade de idosos será de milhões de pessoas com mais 65 anos, em cada uma das cinco Américas. As implicações futuras do aumento de americanos idosos, em sua crescente diversidade, incluirão exigências, sem precedente, da saúde pública, sobre os serviços em favor dos idosos e dos sistemas de saúde da nação.

Muitas doenças, a incapacidade e as mortes associadas às doenças crônicas devem ser evitadas, através de cautelosas medidas de prevenção. Medidas chaves incluem a prática de um estilo de vida saudável (exemplo, atividade física regular, alimentação saudável, sem o uso do fumo e do álcool) e a prática de exames médicos regulares, a fim de serem detectados o câncer colo-retal, o diabetes e suas complicações, e a depressão).

Os estudos têm profundas implicações na pesquisa da velhice e poderiam revolucionar propostas para a prevenção e tratamento relacionados aos males que atingem os idosos. Para que se possam tratar, efetivamente, esses males, antes de tudo é preciso haver um completo entendimento do mecanismo a eles relacionado.

http://www.disabled-world.com/health/aging/

Traduzido e adaptado por Mary Schultze, em 24/10/2013.

CONHEÇA O GUIA DO CUIDADOR DO IDOSO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

PARTILHO COM VOCÊ UM TEXTO INTERESSANTE:

QUEIJO GORGONZOLA
“Estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, só ouço isto. No táxi, no trânsito, no banco, só me chamam de senhora. E as amigas falam “estamos envelhecendo”, como quem diz “estamos apodrecendo”. Não estou achando envelhecer esse horror todo. Até agora. Mas a pressão é grande. Então, outro dia, divertidamente, fiz uma analogia.O queijo Gorgonzola é um queijo que a maioria das pessoas que eu conheço gosta. Gosta na salada, no pão, com vinho tinto, vinho branco, é um queijo delicioso, de sabor e aroma peculiares, uma invenção italiana, tem status de iguaria com seu sabor sofisticadíssimo, incomparável, vende aos quilos nos supermercados do Leblon, é caro e é podre. É um queijo contaminado por fungos, só fica bom depois que mofa. É um queijo podre de chique. Para ficar gostoso tem que estar no ponto certo da deterioração da matéria. O que me possibilita afirmar que não é pelo fato de estar envelhecendo ou apodrecendo ou mofando que devo ser desvalorizada. Saibam: vou envelhecer até o ponto certo, como o Gorgonzola. Se Deus quiser, morrerei no ponto G da deterioração da matéria. Estou me tornando uma iguaria.

Com vinho tinto, sou deliciosa. Aos 50 fui uma mulher para paladares variados, aos 70 sou uma mulher para paladares sofisticados. Não sou mais um queijo Minas Frescal, não sou mais uma Ricota, não sou um queijo amarelo qualquer para um lanche sem compromisso. Não sou para qualquer um, nem para qualquer um dou bola, agora tenho status, sou um queijo Gorgonzola.”

Clarice Niskier

MEU COMENTÁRIO:
MUITO INTERESSANTE ESSA REFLEXÃO.
COMO CLARICE NISKIER, TAMBÉM NÃO VEJO PORQUE TEMER O ENVELHECIMENTO, EMBORA ELE SEJA UMA CONSEQUÊNCIA DO PECADO (TRANSGRESSÃO DA ETERNA LEI DE DEUS, O DECÁLOGO, … I JO. 3:4).
APENAS UMA COISA FALTOU NO BELO COMENTÁRIO: A PERSPECTIVA DA VIDA ETERNA, A QUAL CULMINARÁ TODOS OS NOSSOS SONHOS, E ESSA, SÓ O DIVINO FILHO DE DEUS, JESUS, O CRISTO, YESCHUA HA MASHIA PODE CONCEDER.
“Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. 1 João 5:12
Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai. 1 João 2:23
Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. João 3:36”.
GRANDE ABRAÇO
PAULO AUGUSTO DA COSTA PINTO

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Deixe uma resposta