“EUTANÁSIA” NOS JOVENS – MENSAGEM PARA OS JOVENS

Ontem à noite a minha mãe e eu estávamos sentados na sala falando de coisas sobre a vida e do tema da eutanásia (morrer logo, sem sofrer, quando se está desenganado).
Falei:
– “Mamãe, nunca me deixe viver em estado vegetativo, dependendo de máquinas e líquidos de uma garrafa de hospital. Se me ver nesse estado, desligue logo os aparelhos que me mantém artificialmente com vida.
“PREFIRO MORRER”.
Então, minha mãe se levantou, olhou para mim com cara de admiração
E desligou:
a TV,
o DVD,
a INTERNET,
o PC,
o MP3/4,
o PLAY-STATION,
o PSP,
o WII,
o TELEFONE FIXO,
o CELULAR,
o IPOD,
o BLACKBERRY
e RETIROU DA GELADEIRA TODOS OS LEITES, REFRIGERANTES e AS CERVEJAS!!!

UMA AMIGA COMENTOU:
“MATA ELES ASSIM!!!
MAS UMA COISA É CERTA, SE ELES NÃO MORREREM, VÃO SE TORNAR HUMANOS MUITO MELHORES!”

FONTE: http://www.mundojovem.com.br/mensagens/eutanasia-nos-jovens

APOSTASIA, ENGODO E COVARDIA

O que mais se vê, nos meios “evangélicos”, nos dias de hoje, é uma odiosa mistura de apostasia, engodo e covardia da parte dos jacarés espirituais, que ostentam os títulos de pastor, bispo, profeta, apóstolo, paipóstolo, etc.
Esses homens visam três coisas: fama, riqueza e poder. Nenhum deles, e nenhum mesmo, está interessado em proclamar biblicamente o Nome Santo do Senhor Jesus Cristo. O seu deus é Mamon e nas pegadas deste, provavelmente chegarão ao inferno.
Frequento uma igreja … tradicional, cujo pastor prega o legítimo evangelho e ai dele, se não o fizesse, porque eu seria um espinho no sapato que ele calça, mesmo que fosse da marca mais cara, igual à dos calçados que os jacarés espirituais costumam usar, à custa dos dízimos e ofertas dos ignorantes bíblicos.
Eu até já havia desistido de escrever sobre assuntos apologéticos, desde a morte do papa Bento XVI, porque achei que havia perdido o interesse no assunto. (Bentinho era o meu alvo predileto). Mas, como não costumo ficar parada, comecei a pesquisar textos de suspense na Internet, para ler, traduzir e depois adaptar ao meu estilo, para enviar aos meus leitores. Até agora, consegui preparar uns 10 textos e já comecei a enviá-los aos amigos mais chegados.
Só que hoje, após receber um e-mail mostrando a iniquidade dos jacarés espirituais autoproclamados “ungidos do Senhor”, fiquei tão revoltada que estou voltando a falar desses asquerosos espécimes humanos.
Curioso é que o meu site tenha sido retirado da Internet e fico me indagando se foi o moderador que o fez, pressionado por alguma organização, e se acovardou, ou se foi simplesmente porque ele é um tremendo irresponsável e nem se dignou responder o meu e-mail, indagando o porquê da retirada do meu site do ar.
O que vejo agora é um cenário deplorável de gente se dizendo evangélica, porém não tendo (com honrosas exceções) a mínima vergonha na cara, para assumir suas responsabilidades.
Meu site saiu do ar? Tudo bem. Não é a primeira vez que isso acontece, pois um certo pastor …, amante da “verba”, já fez o mesmo, há uns dois anos.
Estou acostumada com pastores do tipo camaleão, que se disfarçam sob a folhagem, a fim de não serem vistos nem encontrados por quem os busca, a não para receber dinheiro.
Vou sobrevier sem os sites. Os irmãos que gostam de ler meus textos vão me escrever, fazer uma pasta com o meu nome e ali irão arquivando tudo que eu lhes enviar.
E que Deus me dê muito fôlego, para continuar marretando esses jacarés de quinta, cujo couro não serve sequer para me fazer um par de sapatos.
Mary Schultze, 18/02/2013.

O CONCLAVE E O PRÓXIMO PAPA. MAIS RESPOSTAS SOBRE A PROFECIA DE APOCALIPSE 17

Pr Jairo Carvalho escreveu: “Esclarecemos ao publico que continuamos crendo que, apos a renuncia de Bento XVI, o proximo REI empossado (não somente eleito) do Vaticano será a besta do Apocalipse – João Paulo II. Mas cremos pela profecia que o Vaticano não terá um novo REI de Estado tão logo. Esperamos que haja alguns anos atá que vejamos o práximo chefe de estado do Vaticano. Veja porque, no vídeo”.
Contatos: 41 9827-1415 ou 41 3625-1155. E-mail: contato@advertenciafinal.com.br.

GRUPO DA ONU PROPÕE PLANO PARA PROTEGER A TERRA DE ASTEROIDES

“Coordenação internacional seria criada para detectar asteroides potencialmente perigosos e, em caso de risco para a Terra, preparar uma missão espacial com capacidade para desviar sua trajetória
Pela primeira vez um grupo de trabalho das Nações Unidas propôs um plano de coordenação internacional para detectar asteroides potencialmente perigosos e, em caso de risco para a Terra, preparar uma missão espacial com capacidade para desviar sua trajetória.

“O risco de que um asteroide se choque contra a Terra é extremamente pequeno, mas, em função do tamanho do lugar do impacto, as consequências podem ser catastróficas”, indica um relatório entregue esta semana aos Estados-membros por parte do Escritório da ONU para o Espaço Exterior (Unoosa).

O relatório de 15 páginas ao qual a EFE teve acesso, se chama “Recomendações da Equipe de Ação sobre Objetos Próximos à Terra para uma Resposta Internacional à Ameaça de um Impacto”, e foi elaborado por um grupo de trabalho criado em 2007 em Viena.

Atualmente são conhecidos cerca de 20 mil asteroides próximos à Terra, dos quais aproximadamente 300 são potencialmente perigosos, explica o diretor do grupo de trabalho que redigiu o documento, o mexicano Sergio Camacho.

Até 2020, o analista prevê que será detectado até meio milhão de asteroides próximos a nosso planeta graças à melhora da tecnologia de localização. “São objetos que estão aí, mas não sabemos onde estão”, ressalta.

No caso do asteroide DA14, de cerca de 40 metros de diâmetro, e que passará amanhã muito perto de nosso planeta, “se impactasse em Londres, por exemplo, provavelmente destruiria toda sua região metropolitana”, destaca o analista.
“Ao contrário do que ocorre com os terremotos, os furacões e outros perigos naturais, em relação aos asteroides podemos fazer algo, sobretudo se os encontramos com muita antecipação”, sustenta.

Assim, o documento considera “prudente e necessário” estabelecer critérios e planos de ação para não perder tempo em “debates prolongados” dado que uma missão espacial para desviar um asteroide requer de muito tempo e “o disponível antes do impacto previsto pode ser pouco”.

Recomenda-se estabelecer uma rede internacional para detectar os asteroides com um rumo de colisão com a Terra o mais rápido possível, e fixar claros procedimentos de atuação. O relatório destaca que já existem os recursos financeiros para esta rede, mas que se requer de “um centro de troca de informações reconhecido internacionalmente”.

Além disso, recomenda aos Estados com organismos espaciais “criar um grupo assessor para o planejamento de missões espaciais”, que receberia o apoio da ONU em nome da comunidade internacional.

O grupo estaria encarregado de estudar fórmulas para “a defesa do planeta” com “uma capacidade de desvio eficaz”.

Por último, o relatório recomenda estabelecer um planejamento e coordenação para responder a possíveis desastres no caso de não se poder detectar um impacto de asteroide pelas atuais limitações tecnológicas.

“Talvez não se possam detectar objetos de entre 30 e 300 metros de diâmetro nem de emitir alertas de impacto” a tempo, por isso é preciso contar com planos de resposta semelhantes a outros grandes desastres naturais, adverte.

O documento não menciona nenhum projeto concreto, como a Missão Don Quixote, um plano desenvolvido por empresas espanholas e selecionado pela Agência Espacial Europeia (ESA), que propõe o envio de duas sondas, uma para impactar contra o asteroide e outra para calcular se se conseguiu desviar a trajetória.

Camacho detalha que uma possível missão dependeria do tamanho, da velocidade e da proximidade do objeto espacial. No caso de que o corpo espacial se descubra a tempo se lhe poderia acoplar um satélite artificial que variaria pouco a pouco seu rumo, enquanto outra modalidade seria que um veículo espacial impactasse contra o asteroide.

“E se não houver tempo, deveria se utilizar algum tipo de dispositivo nuclear” que explodisse cerca do asteroide para desviar ou desacelerar sua trajetória, mas sem fragmentá-lo.

Camacho considera que o custo econômico de desenvolver o plano de ação não deveria constituir um problema. “Se se comparar o prejuízo que o impacto de um asteroide em uma zona urbana pode causar com o custo de um lançamento (espacial), não é nada”, ressalta.

O documento ainda pode sofrer alterações antes de ser adotado, até o próximo dia 22, por uma subcomissão científica em Viena, e em junho, pela Comissão da ONU sobre a Utilização do Espaço Ultraterrestre com Fins Pacíficos.

Então será submetido a votação, em outubro, na Assembleia Geral das Nações Unidas, segundo detalha o especialista mexicano, que acredita que o documento não sofrerá grandes alterações”.
(Portal Terra)
Jornal da Ciência (JC E-Mail) Edição 4665 – Notícias de C&T – Serviço da SBPC

NESSA 6a, 15.02.13, ASTEROIDE QUE VAI “PASSAR RASPANDO” NA TERRA TEM POTÊNCIA DA BOMBA DE HIROSHIMA

ASTEROIDE
No R7 NOTÍCIAS lemos: “Não é ficção científica! Um asteroide vai colidir com a Terra. Pode não ser nesta próxima sexta-feira (15), mas o perigo de uma pequena montanha voadora (de 45 a 50 metros de diâmetro e cerca de 130 mil toneladas de massa) colidir com o nosso planeta é real — e comprovado por especialistas. “Tem gente que ainda acha que o risco de choque de um asteroide é uma coisa de ficção científica. Mas, isto é absolutamente real. Já aconteceu no passado”, conta o doutor em Ciências pela USP e editor-chefe da revista Scientific American Brasil, Ulisses Capozzoli”.
Conforme piauihoje.com “batizado de 2012 DA14, o objeto vai passar a uma distância de apenas 27,7 mil quilômetros da superfície terrestre, essa é a mesma distância onde orbitam os satélites de comunicação geoestacionários terrestres.
O poder destrutivo do asteroide é estimado em 2,5 megatons de TNT, ou seja, semelhante a uma bomba atômica. Caso o 2012 DA14, descoberto somente no ano passado, atingisse a Terra, poderia arrasar uma cidade como São Paulo em poucos segundos, mas, para nossa sorte, cientistas, pesquisadores e astrônomos afirmam que segundo as observações feitas ao longo dos últimos doze meses e levando em consideração seu padrão orbital, o objeto ainda não está em rota de colisão com a Terra”.
Afirmou Cristo: “E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.
Mas antes de todas estas coisas lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do meu nome.
E vos acontecerá isto para testemunho.
Proponde, pois, em vossos corações não premeditar como haveis de responder;
Porque eu vos darei boca e sabedoria a que não poderão resistir nem contradizer todos quantos se vos opuserem.
E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós.
E de todos sereis odiados por causa do meu nome.
Mas não perecerá um único cabelo da vossa cabeça”. Lucas 21:11-18.

BENTO XVI RENUNCIA. E AGORA? RESPOSTAS SOBRE APOCALIPSE 17, A PROFECIA DO ÚLTIMO PAPA


Pr. Jairo Carvalho faz importantes considerações sobre a profecia de Apocalipse 17.
Ele sabiamente comenta quanto a alguns escarnecedores da verdade: “O tom de ataque e em alguns momentos sarcástico do texto é tudo o que o autor dispõe de ferramentas para tentar derrubar a verdade sobre Apocalipse 17. Nada de estudo bíblico comparando texto com texto, e deixando a verdade exercer seu peso de evidência. Sei porque ele não usa este expediente: porque não pode. A verdade não está com ele; por isso não pode usá-la (digo usar a Bíblia explicando a si mesma) para provar seu ponto. Se preocupa em atacar os mensageiros da verdade, coisa que o diabo sempre fez ao longo de toda a história (lembra-se de Lutero, Huss, e tantos outros?). Em lugar disso, continuaremos expondo a Bíblia e deixando-a explicar-se a si mesma. … Entendo que agora é hora de nos apegarmos estritamente ao que a Bíblia diz, para que nossas palavras não caiam por terra. Deus está ao nosso lado, e nos ajudará nesta tarefa se apenas e tão somente nos escondermos em Cristo e pregarmos estritamente a Sua Palavra”.
“Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas”. Palavras de Jesus em Mateus 24:33.

BENTO XVI RENUNCIA. E AGORA? PONTIFICADO CURTO CUMPRE A PROFECIA DE APOCALIPSE 17.

A impressa anunciou que Bento XVI foi o sétimo chefe de estado do Vaticano. Seu curto pontificado, que finaliza após sete anos e dez meses, cumpre a predição de Apocalipse, capítulo 17. Falando sobre o sétimo rei do Vaticano, ela diz: “quando vier, convém que dure pouco tempo” (Apoc. 17:10).

O notícia da renúncia do papa põe muitos em estado de alerta. Isto porque Apocalipse 17:11 diz: “a besta… é… o oitavo”. Assim, muitos se questionam: “e agora?”. “Veremos a besta nos próximos dias?”. A resposta precisa pode ser encontrada pelo estudo profundo da Bíblia. Um estudo da profecia mostra que não devemos nos deixar levar por uma excitação fanática. Deus não quer que o sirvamos por medo ou motivados pela excitação, mas por amor. O verso 12 diz: “os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão o poder como reis por uma hora, juntamente com a besta”. Cremos que estes serão os dez reis da “Nova Ordem Mundial”, um sistema de governo global no qual o mundo será dividido em dez regiões político-econômicas denominadas “reinos”. Este sistema foi proposto pelo Clube de Roma na década de 70, e atualmente está em processo de formação. A união européia, seguida pelos demais blocos – Mercosul e outros, são instrumentos neste processo. Mas, política a parte, o que nos interessa no estudo da profecia é o fato de que os reis da Nova Ordem Mundial ainda não surgiram. A profecia diz que surgirão “dez reis” e eles reinarão “juntamente com a besta”. Ou seja, enquanto os dez reis não aparecerem, a besta não reinará sobre a terra. O processo de consolidação deste grande sistema de governo global, em condições normais, leva anos. Por isso, se o ritmo atual dos acontecimentos continuar o mesmo, esperaremos ainda alguns anos para ver o aparecimento da besta.

Entendendo o que nos aguarda, podemos antever algumas provas pelas quais os crentes na profecia de Apocalipse 17 passarão. Hoje, ao verem que as palavras “convém que dure pouco tempo” foram cumpridas em Bento XVI, muitos certamente serão despertados. Mas o passar de meses e anos sem que a besta apareça poderá levar muitos a lançar descrédito sobre a mensagem da profecia. E isso estará em perfeita harmonia com a forma de Deus conduzir as coisas. A história bíblica demonstra que Ele usa a demora para deixar que os homens revelem o que está em seus corações. Retratando a condição da igreja no tempo da Sua segunda vinda, Jesus falou, em parábola: “e, tardando o esposo, tosquenejaram todas e adormeceram” Mat. 25:5. E também advertiu: “porém, se aquele mau servo disser consigo: O meu senhor tarde virá… virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera e à hora em que ele não sabe, e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes” Mat. 24:48-51.

Cremos que a mesma coisa, e para o mesmo propósito, ocorrerá agora. A história das virgens que esperavam o noivo está como exemplo diante de nós. A demora no cumprimento do restante da profecia levará o povo crente a dormir. Muitos, quando despertados por um acontecimento extraordinário, fazem novos propósitos com Deus, acompanhados de confissões superficiais. Contudo, ao passarem-se os meses e as coisas se acalmarem, voltam à vida anterior, desonrando a Deus por sua má conduta. O tempo revela que eles não tinham uma ligação vital com Cristo. Enquanto isso, os crentes verdadeiros continuam buscando a Cristo e desenvolvem uma relação profunda com Ele. Esses estarão preparados para o tempo do fim. Serão como as virgens prudentes da parábola de Cristo, as quais acumularam óleo por meio do estudo diário da Bíblia e oração. Os demais, naufragarão na fé. Cairão no abismo da incredulidade.

Resumindo: esperamos que haja um tempo de tardança, demora, entre a renúncia de Bento XVI e a chegada do próximo papa. Mas temos o conselho da Bíblia: “escreve a visão… porque a visão é para tempo determinado, e até ao fim falará, e não mentirá; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará… mas o justo, pela sua fé, viverá” Habacuque 2:2-4.

Em 2008 lançamos um livro que apresenta um estudo aprofundado da profecia dos últimos papas, intitulado: “O Oitavo”. Um capítulo inteiro dele é dedicado para explicar o “tempo de tardança”, que deve ocorrer desde a saída de Bento XVI até a chegada da besta. Ele também aborda o tema da formação Nova Ordem Mundial e outros de interesse atual do crente sincero. Este livro pode ser adquirido pela loja virtual deste site.
Ou pelo telefone: 0800 634 2802; 41 3625-1155, horário comercial. Recomendamos a sua leitura para todos os que desejam entender onde estamos na história profética.

Permaneçamos na fé, pois o dia do Senhor está mais próximo do que quando no princípio cremos.

Deus abençoe a vocês,

Pr. Jairo Carvalho
http://advertenciafinal.com.br/site/?lang=Br&p=noticias&id=20

PASTOR ADVENTISTA NOS EUA SUGERE ANO DA VOLTA DE CRISTO COM BASE NO BATISMO DE CRISTO E ESCRITOS DE EGW

Recebemos de um querido irmão o link de um vídeo postado no Youtube, intitulado “Pr Jonatan Conceição – Chegou a Hora”, no qual está a mensagem de um pastor adventista em iasd brasileira em Dallas, EUA, de certa forma pregando que Cristo viria em 2027 (levando para a matemática); os irmãos perceberão isso nos exatos 39 minutos da pregação.

Como fica a declaração de Cristo em Mat. 24:36 “Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai”. Teria o divino Filho de Deus se equivocado? E mais, se existisse mesmo uma trindade no céu, por que Cristo teria esquecido de citar dois outros seres Deus como o Pai que, conforme o dogma romano, fazem parte da divindade tripla?

COMPREENDENDO O JEJUM

O jejum é a abstinência total ou parcial de alimentos por um período definido e propósito específico. Tem sido praticado pela humanidade em praticamente todas as épocas, nações, culturas e religiões. Pode ser com finalidade espiritual ou até mesmo medicinal, visto que o jejum traz tremendos benefícios físicos com a desintoxicação que produz no corpo. Mas nosso enfoque é o jejum bíblico.
Muitos cristãos hoje desconhecem o que a Bíblia diz acerca do jejum. Ou receberam um ensino distorcido ou não receberam ensinamento algum sobre este assunto.

Creio que a Igreja de hoje vive dividida entre dois extremos: aqueles que não dão valor algum ao jejum e aqueles que se excedem em suas ênfases sobre ele. Penso que Deus queira despertar-nos para a compreensão e prática deste princípio que, sem dúvida, é uma arma poderosa para o cristão.

Não há regras fixas na Bíblia sobre quando jejuar ou qual tipo de jejum praticar, isto é algo pessoal. Mas a prática do jejum, além de ser recomendação bíblica, traz consigo alguns princípios que devem ser entendidos e seguidos.

A BÍBLIA ORDENA O JEJUM?

Não. No Velho Testamento, na lei de Moisés, os judeus tinham um único dia de jejum instituído: o do Dia da Expiação (Lv.23:27), que também ficou conhecido como “o dia do jejum” (Jr.36:6) e ao qual Paulo se referiu como “o jejum” (At.27:9).

Mas em todo o Velho e Novo Testamento não há uma única ordem acerca de jejuarmos. Contudo, apesar de não haver um imperativo acerca desta prática, a Bíblia esta cheia de menções ao jejum. Fala não apenas de pessoas que jejuaram e da forma como o fizeram, mas infere que nós também jejuaríamos e nos instrui na forma correta de faze-lo.

Muitos ensinadores falharam de maneira grave ao dizer que, por não haver nenhuma ordem específica para o jejum, então não devemos jejuar. Mas quando consideramos o ensino de Jesus sobre o jejum, não há como negar que o Mestre esperava que jejuássemos :

“Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuardes, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” (Mt.6:16-18).

Embora Jesus não esteja mandando jejuar, suas palavras revelam que ele esperava de nós esta prática. Ele nos instruiu até na motivação correta que se deve ter ao jejuar. E quando disse que o Pai recompensaria a atitude correta do jejum, nos mostrou que tal prática produz resultados!

Algumas pessoas dizem que se as epístolas não dizem nada sobre jejuar é porque não é importante, e desprezam o ensino de Jesus sobre o jejum. Isto é errado! Jesus não veio ensinar os judeus a viverem bem a Velha Aliança, Ele veio instituir a Nova Aliança, e todos os seus ensinos apontavam para as práticas dos cidadãos do reino de Deus.

Quando estava para ser assunto ao céu, deu ordem aos seus apóstolos que ensinassem as pessoas a guardar TUDO o que Ele tinha ordenado (Mt.28:20), inclusive o modo correto de jejuar!

O próprio Jesus praticou o jejum, e lemos em Atos que os líderes da Igreja também o faziam. Registros históricos dos pais da igreja também revelam que o jejum continuou sendo observado como prática dos crentes muito tempo depois dos apóstolos. O jejum, portanto, deve ser parte de nossas vidas e praticado de forma equilibrada, dentro do ensino bíblico.

Embora o próprio Senhor Jesus tenha jejuado por quarenta dias e quarenta noites no deserto, e muitas vezes ficava sem comer (quer por falta de tempo ministrando ao povo – Mc.6:31, quer por passar as noites só orando sem comer – Mc.6:46), devemos reconhecer que Ele e seus discípulos não observavam o jejum dos judeus de seus dias (exceto o do dia da Expiação).

Era costume dos fariseus jejuar dois dias por semana (Lc.18:12), mas Jesus e seus discípulos não o faziam. Aliás chegaram a questionar Jesus acerca disto:

“Disseram-lhe eles: Os discípulos de João e bem assim os fariseus freqüentemente jejuam e fazem orações; os teus, entretanto, comem e bebem. Jesus, porém, lhes disse: Podeis fazer jejuar os convidados para o casamento, enquanto está com eles o noivo? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo; naqueles dias, sim, jejuarão.” (Lc.5:33-35).

O Mestre mostrou não ser contra o jejum, e disse que depois que Ele fosse “tirado” do convívio direto com os discípulos (voltando ao céu) eles haveriam de jejuar. Jesus não se referiu ao jejum somente para os dias entre sua morte e ressurreição/reaparição aos discípulos (ao mencionar os dias que eles estariam sem o noivo), e sim aos dias a partir de sua morte.

Contudo, Jesus deixou bem claro que a prática do jejum nos moldes do que havia em seus dias não era o que Deus esperava. A motivação estava errada, as pessoas jejuavam para provar sua religiosidade e espiritualidade, e Jesus ensinou a faze-lo em secreto, sem alarde.

Sabe, o jejum pode ser uma prática vazia se não for feito de maneira correta. Isto aconteceu nos dias do Velho Testamento, quando o povo começou a indagar:

“Por que jejuamos nós, e não atentas para isto? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta?” (Is.58:3a).

E a resposta de Deus foi exatamente a de que estavam jejuando de maneira errada:

“Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Eis que jejuais para contendas e para rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto.” (Is.58:3b,4).

Por outro lado, o versículo está inferindo que se observado de forma correta, Deus atentaria para isto e a voz deles seria ouvida.

O PROPÓSITO DO JEJUM

Gosto de uma afirmação de Kenneth Hagin acerca do jejum: “O jejum não muda a Deus. Ele é o mesmo antes, durante e depois de seu jejum. Mas, jejuar mudará você. Vai lhe ajudar a manter-se mais suscetível ao Espírito de Deus”. O jejum não tornará Deus mais bondoso ou misericordioso para conosco, ele está ligado diretamente a nós, à nossa necessidade de romper com as barreiras e limitações da carne. O jejum deixará nosso espírito atento pois mortifica a carne e aflige nossa alma.

Jesus deixou-nos um ensino precioso acerca disto quando falava sobre o jejum:

“Ninguém põe vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho romperá os odres; e tanto se perde o vinho como os odres. Mas põe-se vinho novo em odres novos.” (Mc.2:22).

O odre era um recipiente feito com pele de animais, que era devidamente preparada mas, com o passar do tempo envelhecia e ressecava. O vinho, era o suco extraído da uva que fermentava naturalmente dentro do odre. Portanto, quando se fazia o vinho novo, era sábio colocá-lo num recipiente de pele (o odre) que não arrebentasse na hora em que o vinho começasse a fermentar, e o melhor recipiente era o odre novo.

Com essa ilustração Jesus estava ensinado-nos que o vinho novo que Ele traria (o Espírito Santo) deveria ser colocado em odres novos, e o odre (ou recipiente do vinho) é nosso corpo. A Bíblia está dizendo com isto que o jejum tem o poder de “renovar” nosso corpo. A Escritura ensina que a carne milita contra o espírito, e a melhor maneira de receber o vinho, o Espírito, é dentro de um processo de mortificação da carne.

Creio que o propósito primário do jejum é mortificar a carne, o que nos fará mais suscetíveis ao Espí
rito Santo. Há outros benefícios que decorrerão disto, mas esta é a essência do jejum.

Alguns acham que o jejum é uma “varinha de condão” que resolve as coisas por si mesmo, mas não podemos ter o enfoque errado. Quando jejuamos, não devemos crer NO JEJUM, e sim em Deus. A resposta às orações flui melhor quando jejuamos porque através desta prática estamos liberando nosso espírito na disputada batalha contra a carne, e por isso algumas coisas acontecem.

Por exemplo, a fé é do espírito e não da carne; portanto, ao jejuar estamos removendo o entulho da carne e liberando nossa fé para se expressar.

Quando Jesus disse aos discípulos que não puderam expulsar um demônio por falta de jejum (Mt.17:21), ele não limitou o problema somente a isto mas falou sobre a falta de fé (Mt.17:19,20) como um fator decisivo no fracasso daquela tentativa de libertação.

O jejum ajuda a liberar a fé! O que nos dá vitória sobre o inimigo é o que Cristo fez na cruz e a autoridade de seu nome. O jejum em si não me faz vencer, mas libera a fé para o combate e nos fortalece, fazendo-nos mais conscientes da autoridade que nos foi delegada.

Mas apesar do propósito central do jejum ser a mortificação da carne, vemos vários exemplos bíblicos de outros motivos para tal prática:

a) No Velho Testamento encontramos diferentes propósitos para o jejum:

Consagração – O voto do nazireado envolvia a abstinência/jejum de determinados tipos de alimentos (Nm.6:3,4);

Arrependimento de pecados – Samuel e o povo jejuando em Mispa, como sinal de arrependimento de seus pecados (I Sm.7:6, Ne.9:11);

Luto – Davi jejua em expressão de dor pela morte de Saul e Jônatas, e depois pela morte de Abner. (II Sm.1:12 e 3:35);

Aflições – Davi jejua em favor da criança que nascera de Bate-Seba, que estava doente, à morte (II Sm.12:16-23); Josafá apregoou um jejum em todo Judá quando estava sob o risco de ser vencido pelos moabitas e amonitas (II Cr.20:3);

Buscando Proteção – Esdras proclamou jejum junto ao rio Ava, pedindo a proteção e benção de Deus sobre sua viagem (Ed.8:21-23); Ester pede que seu povo jejue por ela, para proteção no seu encontro com o rei (Et.4:16);

Em situações de enfermidade – Davi jejuava e orava por outros que estavam enfermos (Sl.35:13);

Intercessão – Daniel orando por Jerusalém e seu povo (Dn.9:3, 10:2,3)

b) Nos Evangelhos

Preparação para a Batalha Espiritual – Jesus mencionou que determinadas castas só sairão por meio de oração e jejum, que trazem um maior revestimento de autoridade (Mt.17:21);

Estar com o Senhor – Ana não saía do templo, orando e jejuando freqüentemente (Lc.2:37);

Preparar-se para o Ministério – Jesus só começou seu ministério depois de ter sido cheio do Espírito Santo e se preparado em jejum (prolongado) no deserto (Lc.4:1,2);

c) Em Atos dos Apóstolos vemos a Igreja praticando o jejum em diversas situações, tais como:

Ministrar ao Senhor – Os líderes da igreja em Antioquia jejuando apenas para adorar ao Senhor (At.13:2);

Enviar ministérios – Na hora de impor as mãos e enviar ministérios comissionados (At.13:3);

Estabelecer presbíteros – Além de impor as mãos com jejum sobre os enviados, o faziam também sobre os que recebiam autoridade de governo na igreja local, o que revela que o jejum era um princípio praticado nas ordenações de ministros (At.14:23).

d) Nas Epístolas só encontramos menções de Paulo de ter jejuado (II Co.6:3-5; 11:23-27).

DIFERENTES FORMAS DE JEJUM

Há diferentes formas de jejuar. As que encontramos na Bíblia são:

a) Jejum PARCIAL. Normalmente o jejum parcial é praticado em períodos maiores ou quando a pessoa não tem condições de se abster totalmente do alimento (por causa do trabalho, por exemplo). Lemos sobre esta forma de jejum no livro de Daniel:

“Naqueles dias, eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem carne, nem vinho entraram em minha boca, nem me ungi com óleo algum, até que se passaram as três semanas.” (Dn.10:2,3).

O profeta Daniel diz exatamente o quê ficou sem ingerir: carne, vinho e manjar desejável. Provavelmente se restringiu à uma dieta de frutas e legumes, não sabemos ao certo.

O fato é que se absteve de alimentos, porém não totalmente. E embora tenha escolhido o que aparentemente seja a forma menos rigorosa de jejuar, dedicou-se à ela por três semanas.

Em outras situações Daniel parece ter feito um jejum normal (Dn.9:3), o que mostra que praticava mais de uma forma de jejum. Ao fim deste período, um anjo do Senhor veio a ele e lhe trouxe uma revelação tremenda. Declarou-lhe que desde o primeiro dia de oração o profeta já fora ouvido (v.12), mas que uma batalha estava sendo travada no reino espiritual (v.13) o que ocorreria ainda no regresso daquele anjo (v.20). Aqui aprendemos também sobre o poder que o jejum tem nos momentos de guerra espiritual.

b) Jejum NORMAL. É a abstinência de alimentos mas com ingestão de água. Foi a forma que nosso Senhor adotou ao jejuar no deserto. Cresci ouvindo sobre a necessidade de se jejuar bebendo água; meu pai dizia que no relato do evangelho não há menção de Cristo ter ficado sem beber ou ter tido sede (e ele estava num deserto!):

“Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto, durante quarenta dias, sendo tentado pelo Diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome.” (Mt.4:2).

Denominamos esta forma de jejum como normal, pois entendemos ser esta a prática mais propícia nos jejuns regulares (como o de um dia).

c) Jejum TOTAL. É abstinência de tudo, inclusive de água. Na Bíblia encontramos poucas menções de ter alguém jejuado sem água, e isto dentro de um limite: no máximo três dias.

A água não é alimento, e nosso corpo depende dela a fim de que os rins funcionem normalmente e que as toxinas não se acumulem no organismo. Há dois exemplos bíblicos deste tipo de jejum, um no Velho outro no Novo Testamento:

Ester, num momento de crise em que os judeus (como povo) estavam condenados à morte por um decreto do rei, pede a seu tio Mardoqueu que jejuem por ela:

“Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci.” (Et.4:16).

Paulo, na sua conversão também usou esta forma de jejum, devido ao impacto da revelação que recebera:

“Esteve três dias sem ver, durante os quais nada comeu, nem bebeu.”(At.9:9).

Não há qualquer outra menção de um jejum total maior do que estes (a não ser o de Moisés e Elias numa condição diferente que explicaremos adiante). A medicina adverte contra um período de mais de três dias sem água, como sendo nocivo.

Devemos cuidar do corpo ao jejuar e não agredi-lo; lembre-se de que estará lutando contra sua carne (natureza e impulsos) e não contra o seu corpo.

A DURAÇÃO DO JEJUM

Quanto tempo deve durar um jejum? A Bíblia não determina regras deste gênero, portanto cada um é livre para escolher quando, como e quanto jejua.

Vemos vários e
xemplos de jejuns de duração diferente nas Escrituras:

1 dia – O jejum do Dia da Expiação
3 dias – O jejum de Ester (Et.4:16) e o de Paulo (At.9:9);
7 dias – Jejum por luto pela morte de Saul (I Sm.31:13);
14 dias – Jejum involuntário de Paulo e os que com ele estavam no navio (At.27:33);
21 dias – O jejum de Daniel em favor de Jerusalém (Dn.10:3);
40 dias – O jejum do Senhor Jesus no deserto (Lc.4:1,2);

OBS: A Bíblia fala de Moisés (Ex.34:28) e Elias (I Re.19:8) jejuando períodos de quarenta dias. Porém vale ressaltar que estavam em condições especiais, sob o sobrenatural de Deus. Moisés nem sequer bebeu água nestes 40 dias, o que humanamente é impossível. Mas ele foi envolvido pela glória divina.

O mesmo se deu com Elias, que caminhou 40 dias na força do alimento que o anjo lhe trouxe. Isto é um jejum diferente que começou com um belo “depósito”, uma comida celestial. Jesus, porém, fez um jejum normal com esta duração.

Muitas pessoas erram ao fazer votos ligados à duração do jejum… Não aconselho ninguém fazer um voto de quanto tempo vai jejuar, pois isso te deixará “preso” no caso de algo fugir ao seu controle. Siga o conselho bíblico:

Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes.

“Melhor é que não votes do que votes e não cumpras”. (Ec.5:4,5).

É importante que haja uma intenção e um alvo quanto à duração do jejum no coração, mas não transforme isto em voto. Já intentei jejuns prolongados e no meio do caminho fui forçado a interromper.

Mas também já comecei jejuns sem a intenção de prolongá-lo e, no entanto, isto acabou acontecendo mesmo sem ter feito os planos para isto.

O JEJUM PROLONGADO

Há algo especial num jejum prolongado, mas deve ser feito sob a direção de Deus (as Escrituras mostram que Jesus foi guiado pelo Espírito ao seu jejum no deserto – Lc.4:1). Conheço irmãos que tem jejuado por trinta e até quarenta dias, embora eu, pessoalmente, não tenha feito um jejum tão longo. Cada um deles confirma ter recebido de Deus uma direção para tal.

Vale ressaltar também que certos cuidados devem ser tomados. Não podemos brincar com o nosso corpo. Uma dieta para desintoxicação do organismo antes do jejum é recomendada, e também na quebra do jejum prolongado (mais de 3 dias).

Procure orientação e acompanhamento médico se o Senhor lhe dirigir a um jejum deste gênero. Há muita instrução na forma de literatura que também pode ser adquirida.

PODEMOS FALAR QUE ESTAMOS JEJUANDO ?

Algumas pessoas são extremistas quanto a discrição do jejum, enquanto outras, à semelhança dos fariseus, tocam trombeta diante de si.

Em Mateus 6:16-18, Jesus condena o exibicionismo dos fariseus querendo parecer contristados aos homens para atestar sua espiritualidade.

Ele não proibiu de se comentar sobre o jejum, senão a própria Bíblia estaria violando isto ao contar o jejum que Jesus fez… Como souberam que Cristo (que estava sozinho no deserto) fez um jejum de quarenta dias? Certamente porque Ele contou!

Não saiu alardeando perante todo mundo, mas discretamente repartiu sua experiência com os seus discípulos.

Eu, particularmente, comecei a jejuar estimulado pelo relato das experiências de outros irmãos. Depois é que comecei (aos poucos) a entender o ensino bíblico sobre o jejum. E louvo a Deus pelas pessoas que me estimularam!

Sabe, precisamos tomar cuidado com determinadas pessoas que não tem o que acrescentar à nossa edificação e somente atacam e criticam.

Lembro-me que o primeiro jejum que fiz na minha adolescência: cortei só o almoço mas tomei um refrigerante para não “sofrer” muito; fiz isto para orar por um amigo que queria ver batizado no Espírito Santo. Aquele rapaz já havia recebido tanta oração, mas nada havia acontecido ainda.

Portanto, jejuei e orei em seu favor. Hoje sei que não foi grande coisa mas, na época, foi o meu melhor. Pois bem, alguém ficou sabendo e me ridicularizou, disse que jejum de verdade era ficar o dia todo sem comer nada e bebendo no máximo um pouco de água; esta pessoa disse que eu estava perdendo meu tempo e que só fizera um “regimezinho”, pois o verdadeiro jejum não admitia nem bala açucarada na boca, quanto mais um refrigerante!… mas naquele dia meu amigo foi cheio do Espírito Santo e preferi acreditar que o jejum funcionava.

Depois ouvi outros irmãos comentarem sobre jejuar mais de um dia e “fui atrás” , e assim, aos poucos, fui aprendendo (a jejuar e sobre o jejum) aquilo que não aprendi na igreja ou na literatura cristã. Penso que de forma sábia e cuidadosa podemos estimular outros à prática do jejum, basta partilharmos nossas experiências e incentiva-los.

CONCLUINDO

Haverá períodos em que o Espírito Santo vai nos atrair mais para o jejum, e épocas em que quase não sentiremos a necessidade de faze-lo. Já passei anos sem receber nenhum impulso especial para jejuns de mais de três dias e, mesmos estes, foram poucos.

E houve épocas em que, seguidamente sentia a necessidade de faze-lo. Porém, penso que o jejum normal de um dia de duração é algo que os cristãos deveriam praticar mais, mesmo sem sentir nenhuma “urgência” espiritual para isto.

Quando meu filho Israel estava para nascer, o Senhor trouxe um profundo peso de oração e intercessão ao meu coração. Sabia que devia jejuar; era uma “urgência” dentro de mim.

Não ouvi uma voz sobrenatural, não tive nenhuma visão ou sonho a respeito, simplesmente sabia que tinha de jejuar até romper algo, e o fiz por seis dias. Ao final soube que havia alcançado uma vitória.

Na ocasião do parto, minha esposa teve uma complicação e quase perdemos nosso primeiro filho; contudo, a batalha já havia sido ganha e o poder de Deus prevaleceu. Devemos ser sensíveis e seguir os impulsos do Espírito de Deus nesta área.

Isto vale não só para começar a jejuar mas até para quebrar o jejum. Já fiz jejuns que queria prolongar mais e senti que não deveria faze-lo, pois a motivação já não era mais a mesma…

Encerro desafiando-o a praticar mais o jejum, e certamente você descobrirá que o poder desta arma que o Senhor nos deu é difícil de se medir com palavras. A experiência fortalecerá aquilo que temos dito. Que o Senhor seja contigo e te guie nesta prática!

AUTOR: Pr. Luciano Subira – Ministério Orvalho
Estudo extraído do site www.orvalho.com
TAMBÉM PUBLICADO EM http://estudos.gospelmais.com.br/compreendendo-o-jejum.html

127 ORDENS DE DEUS PARA OS CRENTES [no Novo Testamento] (Por Mike Walls, tradução de Mary Schultze)

São de um valor inigualável essas ordens constantes do Novo Testamento.
Precisamos estudar apuradamente cada ordem e seguir conforme o Espírito de Deus (em muitas versões, Espírito Santo) nos guie em toda a verdade.
Embora entendamos que o crente em Cristo é liberal em suas ofertas para a oba de Deus, QUANDO DE DEUS, para não entendermos do modo que muitas denominações entendem Gálatas 6:6, lemos em uma outra versão:”E o que é instruído na palavra reparta DE todos os seus bens com aquele que o instrui”, ao invés de repartir “OS SEUS BENS” como está em alguma versão e os líderes se aproveitam para “com respaldo bíblico” entregar tudo que tem ao líder religioso e aí estão as grandes fortunas dos pastores e apóstolo. (http://aodeusunico.com.br/?p=1523)
Quanto à ordem de número 74, é preciso estar atento ao que as autoridades exigem. Nossa obediência às mesmas vai até ao ponto de suas ordens não conflitarem com as ordens de Deus, conforme ESTÁ ESCRITO: “Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens”. Atos 5:29

Assim, vamos ao precioso texto: 127 ORDENS DE DEUS PARA OS CRENTES:
1. Abster-se de toda aparência do mal. 1 Tes. 5:22

2. Abster-se de todos os desejos carnais. 1 Pd. 2:11

3. Notar os que promovem dissensões. Rom. 16:17

4. Ter horror aos clamores vãos e profanos. 1 Tim. 6:20

5. Evitar a falsamente chamada ciência. 1 Tm. 6:20

6. Evitar as questões loucas. Tito. 3:9

7. Evitar as questões sobre a lei. Tito 3:9.

8. Reconciliar-se com o irmão. Mt. 5:24

9. Ser prudente como as serpentes. Mt. 10:16

10. Ser inofensivo como as pombas. Mt. 10:16

11. Ser agradecido. Col. 3:15

12. Ser paciente para com todos. 1 Tes. 5:14 e 2 Tm. 2:24

13. Estar pronto para responder sobre a razão da esperança que há em vós. 1 Pd. 3:15

14. Ser transformado pela renovação da mente. Rom. 12:2

15. Ser paciente na tribulação. Rom. 12:12

16. Ser como as crianças na malícia. 1 Coríntios. 14:20

17. Ser adulto no entendimento. 1 Cor. 14:20

18. Ser firme. 1 Coríntios. 15:58

19. Ser firme e constante na obra do Senhor. 1 Coríntios. 15:58

20. Ser sempre abundante na obra do Senhor. 1 Coríntios. 15:58

21. Ser unânime entre os irmãos. Rom. 12:16

22. Procurar as coisas honestas. Rom. 12:17.

23. Não deixar que o sol se ponha sobre a sua ira. Ef. 4:26

24. Ser cheio do Espírito Santo. Ef. 5:18

25. Não estar inquieto por coisa alguma. Fp. 4:6

26. Andar honestamente com os que estão de fora. 1 Tm. 4:12

27. Ser manso para com todos. 2 Tm. 2:24

28. Estar pronto para ensinar. 2 Tm. 2:24

29. Contentar-se com o que tem. Hb. 13:5

30. Ser sóbrio e vigilante. 1 Pd. 5:8

31. Não ser como os hipócritas na oração. Mt. 6:5

32. Não temer os que matam o corpo. Lucas 12:4

33. Não se conformar com este mundo. Rom. 12:2

34. Não ser menino no entendimento. 1 Coríntios. 14:20

35. Não se deixar enganar pelas más conversações. 1 Coríntios. 15:33

36. Não andar em jugo desigual com os incrédulos. 2 Coríntios. 6:14-18

37. Não se embriagar com vinho. Ef. 5:18

38. Não se cansar de fazer o bem. 2 Tessalonicenses. 3:13

39. Não ser negligente. Hb. 6:12

40. Não se deixar levar por doutrinas estranhas. Hb. 13:9

41. Acautelar-se dos falsos profetas. Mt. 7:15 e Fp. 3:2

42. Acautelar-se dos homens maus. Mt. 10:17

43. Guardar-se da avareza. Lucas 12:15

44. Guardar-se do engano [apostasia] dos homens maus. 2 Pd. 3:17

45. Não saudar os falsos mestres. 2 João 10-11

46. Educar os filhos no Senhor. Ef. 6:4

47. Lançar a ansiedade sobre o Senhor. 1 Pd. 5:7

48. Não rejeitar a confiança em Deus. Hb. 10:35

49. Sair do meio do mundo. 2 Coríntios. 6:17

50. Ter alegria quando for posto em prova. Tiago 1:2

51. Tratar os outros como espera ser tratado. Mt. 7:12

52. Desejar o leite da Palavra. 1 Pd. 2:2

53. Fazer tudo para a glória de Deus. 1 Coríntios. 10:31 e Col. 3:17,23

54. Fazer todas as coisas sem murmurações nem contendas. Fp. 2:14

55. Batalhar pela fé. Judas 3

56. Não dar lugar ao Diabo. Ef. 4:27

57. Dar sempre graças por tudo. Ef. 5:20 e Fp. 4:6

58. Persistir na leitura [da Palavra]. 1 Tm. 4:13

59. Portar-se sem escândalo. 1 Coríntios. 10:32

60. Contribuir segundo propôs no seu coração. 2 Coríntios. 9:6,7

61. Dar conforme Deus o tem feito prosperar. 1 Coríntios. 16:2

62. Dar com prontidão de vontade. 2 Coríntios. 8:12

63. Contribuir segundo propôs o seu coração. 2 Coríntios. 9:7

64. Não entristecer o Espírito Santo. Ef. 4:30

65. Crescer na graça e no conhecimento. 2 Pd. 3:18

66. Não ter comunhão com as trevas. Ef. 5:11

67. Apiedar-se de alguns. Judas 22

68. Ter uma boa consciência. 1 Pd. 3:16

69. Reter a Palavra da vida. Fp. 2:16

70. Manter o modelo das sãs palavras. 2 Tm. 1:13

71. Honrar os pais. Ef. 6:2

72. Honrar pai e mãe. Mt. 19:19

73. Honrar as viúvas. 1 Tm. 5:3

74. Honrar as autoridades. 1 Pd. 2:17

75. Deixar de lado toda inveja. 1 Pd. 2:1

76. Deixar de lado toda malícia. 1 Pd. 2:1

77. Não ajuntar tesouros na terra. Mt. 6:19

78. Fazer resplandecer a sua luz diante dos homens. Mt. 5:16

79. Renunciar a si mesmo. Mt. 16:24

80. Repartir com os necessitados. Lucas 3:11

81. Obedecer às leis civis. Rom. 13:1

82. Ninguém se engane a si mesmo. 1 Coríntios. 3:18

83. Que todos examinem a si mesmos na Ceia do Senhor. 1 Coríntios 11:28

84. Que as suas petições sejam conhecidas diante de Deus. Fp. 4:6

85. Que a sua palavra seja sempre agradável. Col. 4:6

86. Revestir-se como eleitos de Deus, santos e amados. Col. 3:12

87. Repartir os seus bens com os que lhe instruem. Gal. 6:6

88. As esposas estejam sujeitas aos seus maridos. Ef. 5:22 e Col. 3:18

89. Que os maridos amem suas esposas. Ef. 5:25

90. Que as esposas reverenciem os maridos. Ef. 5:33

91. Que sejamos todos prontos para ouvir, tardios para falar, tardios para nos irar. Tiago 1:19

92. Orar pelos aflitos. Tiago 5:13

93. Que o adorno das mulheres seja mais interior do que exterior. 1 Ped. 3:3,4

94. Não deixar que a mão esquerda saiba o [bem] que a direita está fazendo. Mt. 6:3

95. Não deixar que o pecado reine em seu corpo. Rom. 6:12

96. Não deixar que o sol se ponha sobre a sua ira. Ef. 5:26

97. Seguir as coisas que edifiquem. Rom. 14:19

98. Andar no Espírito. Gal. 5:25

99. Não provocar uns aos outros. Gal. 5:26

100. Não se cansar de fazer o bem. Gal. 6:9

101. Chegar com confiança ao trono da graça. Hb. 4:16 Hb.10:19-23

102. Não abandonar a sua congregação. Hb. 10:25

103. Exortar uns aos outros. Hb. 0:1

104. Deixar tudo que lhe embaraça [na corrida da vida cristã]. Hb. 12:1

105. Correr com paciência a carreira que lhe foi proposta. Heb. 12:1

106. Olhar para Jesus, autor e consumador da fé. Hb. 12:2

107. Oferecer sempre a Deus sacrifício de louvor. Hb. 13:15

108. Receber um ao outro, sem contendas sobre dúvidas. Rom. 14:1

109. Não por tropeço nem escândalo ao irmão. Rom. 14:13

110. Desviar-se dos que promovem dissensões e escândalos. Rom. 16:17 e Fp. 3:17

111. Orar pelos seus perseguidores. Mt. 5:44 e Lucas 6:28

112. Orar para que o Senhor envie ceifeiros. Mt. 9:38 e Lucas 10:2

113. Apresentar o seu corpo em sacrifício a Deus. Rom. 12:1

114. Revestir-se de um novo homem. Ef. 4:24 e Col. 3:10

115. Revestir-se de toda a armadura de Deus. Ef. 6:11,13

116. Não extinguir o Espírito. 1 Tes. 5:19

117. Considerar-se morto para o pecado. Rom. 6:11

118. Remir o tempo. Ef. 5:16

119. Resistir ao diabo. Tiago 4:7 e 1 Pd. 5:9

120. Encaminhar os apóstatas com mansidão. Gal. 6:1

121. Levantar os joelhos desconjuntados. Hb. 12:12

122. Procurar [estudar e obedecer para] apresentar-se a Deus aprovado. 2 Tm. 2:15

123. Não andar ansioso pelo amanhã. Mt. 6:34

124. Entender a significação da Ceia do Senhor. 1 Coríntios 11:24-26

125. Ter cuidado para não desprezar os pequeninos. Mt. 18:10

126. Ter cuidado de si mesmo e da doutrina. 1 Tm. 4:16

127. Apartar-se dos irmãos que andam desordenadamente. 2 Tes. 3:6,14

Pastor Mike Walls – Freedom Baptist Church Smithfield NC – Is. 41:10

Traduzido por Mary Schultze, jan. 2013.
www.marybiblia.com

“OUTRA BANDA SATÂNICA QUE OS GAROTOS ADORAM” (MÃES, QUE MÚSICA SEUS FILHOS OUVEM?)

Certa vez, entrei na casa de uma amiga crente e sua filha adolescente estava escutando – num volume absurdo – um CD da banda de rock ACHERON, que alguém havia lhe trazido de presente dos Estados Unidos.

Critiquei o volume da música e a qualidade da banda, a amiga ficou meio sem graça e me explicou: “Não posso com ela. Está cada dia mais rebelde e eu fecho os olhos às suas manias, para evitar atritos em casa”.

Ora, a neta Luísa me chama “avó terrorista”, exatamente porque não fecho os olhos aos seus pecados, mas bem que ela gosta da minha comida e vive aqui em casa. Neto que me ama, – como a Lu, que mora na Alemanha – sempre me dá razão. Lu está se doutorando em Química Industrial na Universidade de Leipzig. Quando era criança, eu a colocava no colo e falava de Jesus para ela. E até hoje, esta neta só tem me dado alegria. Seu marido é professor de Nanotecnologia na mesma universidade alemã e vejo como Deus tem sido gracioso comigo e com ela. Já a Luísa anda com garotas de péssimo comportamento, defende o homossexualismo e me considera “terrorista”. Dei-lhe uma bíblia de presente, quando tinha seis anos, mas ela nunca a leu. Prefere ler gibis e surfar nas porcarias da Internet. E haja porcarias!

Quem nasceu para ser bom, tendo sido escolhido antes da fundação do mundo, para ser santo em Cristo (Efésios 1:1-3), não precisa de uma “avó terrorista”, como eu, para andar na linha. Nasceu com a tendência a ser correto e o Espírito Santo vai cuidar do resto.

Quando eu tinha sete anos, fiz a primeira comunhão na Catedral do Crato. Era tão pudica que tomava banho de olhos fechados, a fim de não ver a minha própria nudez. Ainda hoje, só costumo usar saias midi e mangas compridas, porque aprendi a fazer isso na adolescência e nunca mudei minha maneira de vestir. Só comecei a usar calças compridas, em 1967, quando voltei da Alemanha. Isso porque a minissaia estava chegando aqui e eu não queria aderir àquela moda. Lembro-me que a primeira calça comprida era elástica, da marca “Berta”, a melhor que se vendia no Brasil, naquele tempo.

Voltando à banda ACHERON, ela foi formada em 1998, na Flórida, pelo satanista Vincent Crowley, cuja história é simplesmente tenebrosa. Ele fundou a Igreja de Satanás, junto com outro satanista – Peter Gilmore – mestre satânico, tendo começado a celebrar a Missa Negra e logo publicado um long play sobre o assunto, tentando ganhar adeptos para o satanismo. E conseguiu muitos…

Anos depois, ele e o seu comparsa publicaram um álbum de música satânica intitulado – “Rites of the Black Mass” (Ritos da Missa Negra) – usando os textos da bíblia satânica. Crowley foi “consagrado” por Anton LaVey (o mais famoso satanista do Ocidente) como “sacerdote da Igreja da Satanás” e, mais tarde, como “mestre satânico” e lançaram as trevas espirituais nos States.

Pois é nesse tipo de gente perigosa que as bandas de rock se inspiram, a fim de contaminar as mentes ocidentais, conduzindo os jovens ao álcool, às drogas, ao homossexualismo e ao satanismo.

Os pais modernos têm sido muito relaxados na educação dos filhos e vão pagar caro por esse pecado de omissão.

Quanto mais aficionada aos ritmos e letras satânicos e às exibições dos roqueiros, mais transviada vai ficando a juventude, seguindo os adeptos do satanismo, cujas almas foram negociados com “o deus deste século, em troca de fama, riqueza e poder.

Mary Schultze, 01/02/2013 – marybiblia.com

O VOCALISTA DA BANDA DE ROCK KISS

O lendário e ímpio vocalista da banda de rock-in-roll- Heavy Metal – “KISS”, Gene Simmons [cujo nome verdadeiro, de origem polaca, é Chaim Witz] vangloriou-se, em seu último livro – “Kiss and Make-UP” – de que já havia feito sexo com 4.000 mulheres, ao longo de sua carreira (???).

Leiamos o que nos ensina o autor sagrado, em Hebreus 13:4: “Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará”.

O adultério é um pecado horrível. É trágico o fato de que tantas pessoas não levem a sério este pecado, fazendo shows de TV, como o “Californication”, o “Desperate Housewives” e o “Wife Swap” [Nos States]. O casamento é santo e sagrado. O uso do sinalizador (jato de fogo) é maravilhoso de se ver. Mas, o fogo que dele procede pode queimar a casa inteira, provocando danos imprevisíveis, conforme aconteceu na Boate KISS. O mesmo acontece com a luxúria. Deus fez um sinalizador e o chamou “casamento” e espera que nós o usemos da maneira correta. Pois, se o deixarmos extravasar fora do lugar, ele poderá queimar a nossa vida.

Muitas pessoas acham que o adultério (ou seja, o sexo fora do casamento) é aceitável, caso não haja compromisso com outra pessoa. Contudo, este é um pensamento satânico. O único sexo aceitável deve se encaixar na citação supracitada de Hebreus 13:4. A fornicação é tão pecaminosa como o adultério. Vivemos numa geração incrédula e adúltera, cujos olhos estão cheios de adultério: “Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar…” (2 Pedro 2:14).

Certa vez, escutei um pregador fazer uma boa declaração: “… Os produtores adúlteros fazem filmes adúlteros, para induzir as pessoas ao adultério” . Infelizmente, esta é a pura verdade! Por isso nunca vejo filmes…

Numa entrevista seguinte à supracitada, Gene Simmons declarou que já havia feito sexo com 4.897 mulheres, durante a sua carreira. [É triste ver tantas garotas gritando, histericamente, os nomes dos roqueiros e se oferecendo, despudoradamente a eles].

Não me compete condenar pessoa alguma. É a Bíblia quem condena todos nós, como indignos e imundos pecadores, que só merecem condenação e inferno. O perdão dos pecados e a salvação dependem, exclusivamente, da justiça que nos é imputada pelo sangue que Jesus Cristo derramou, na cruz do calvário, pelos nossos pecados.

Será que Jesus perdoaria um homem como Gene Simmons? Claro que sim! Todo pecado é perdoável, quando se deposita umas legítima fé em Jesus Cristo: “A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome”. (Atos 10:43).

Por mais que um pecador se aprofunde no pecado, o amor e a misericórdia de Deus são tão ilimitados que Ele vai perdoá-lo, se esse pecador, humildemente, pedir perdão, em o Nome do Senhor Jesus Cristo, reconhecendo o seu pecado, com absoluta sinceridade.

Mary Schultze – 01/02/2013 – www.marybiblia.com

Adaptação do texto “KISS Rock Band is of the Devil” – de David J. Stewart

DIFÍCIL RECOMEÇO NA UFSM (RS) DEPOIS DA TRAGÉDIA NA BOATE KISS

“Como alunos e professores estão reagindo à tragédia que abalou o campus universitário
Na cidade que ainda enterra seus mortos, a maior ferida chama-se Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Foram 113 estudantes, quase metade das vítimas. Só no Centro de Ciências Rurais, 64 alunos. O curso de Agronomia perdeu 29. Era gente que só morava na cidade para voltar com um diploma universitário para casa.

Na sexta-feira, ocorreria a formatura da 48ª turma de agronomia. Cancelada. Não há como. Salas quase inteiras sumiram. Em algumas delas, sobraram apenas 10 graduandos. Difícil conjugar o verbo recomeçar. Uma professora lembra do aluno atencioso que sentava na primeira fila. “Só penso nisso. Como vou conseguir voltar à sala de aula? Não temos condições”, disse a coordenadora do curso de Zootecnia, Rosamélia Berleze.

Ela só pensa na próxima segunda-feira, dia em que a universidade pretende retomar as aulas. “Precisamos nos proteger e nos fortalecer. Não sei como vou receber as turmas. Muitos professores não sabem.” A situação é tão delicada que mestres e alunos serão amparados por psicólogos. “Ainda não sei como vou conduzir. Tenho recebido muitos professores dizendo que não vão conseguir. Eu liguei para alguns alunos e eles não conseguem nem falar. Só choram. Voltar para a sala é o mais complicado. Deus precisa nos ajudar”, lamentou Rosamélia.

O mesmo retorno atormenta o médico traumatologista Mário José do Canto. Ele trabalha no Hospital de Caridade de Santa Maria, onde há 36 pacientes internados. Ontem, ele voltou ao local para buscar o atestado de óbito da filha Mariana Commasseto Canto, 18 anos. Saiu desesperado. Tentava explicar, mas o choro compulsivo dificultava. “Morreu asfixiada. Ela morreu sem ar. Isso aqui é uma guerra e com um agravante. São todos jovens.” Mário lembrou que ela tinha acabado de entrar na universidade. Queria desenhar aviões. Fazia design de produtos e estava no primeiro período. Era a filha mais nova. “Tenho outros três. Vou voltar para casa e um pedaço de mim sumiu.”

Iara Guedes, moradora de Gravataí (RS), observava o choro do médico a distância. Ela chorava também. O filho, Heuri Guedes, 23 anos, está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da unidade de saúde. O caso dele é grave. “Mas meu coração diz que ele vai escapar. Ah, ele vai sim. Tenho certeza. É horrível a angústia que estou sentindo. Há sentimentos que só uma mãe sabe como é.” Heuri respira com ajuda de aparelhos e tem uma queimadura no braço. “Os médicos dizem que o estado de saúde dele é grave. Muito grave. Agora há pouco, quando eu disse para ele que o amava, vi meu filho piscando o olho. Ele sabe que estou aqui. Ele vai sobreviver.”

Iara quer encontrar a mulher que voltou para puxar o seu filho pelo braço em meio à fumaça negra que a boate Kiss cuspia lá de dentro. Ela não tem certeza se a jovem está viva. Muitos morreram ao voltarem para tentar ajudar outras pessoas. Iara ficou sabendo da história, porque amigos do filho contaram. “Quero muito encontrá-la. Ela deve estar viva. Eu preciso falar com ela. Meu filho estava caído no chão e ela o arrastou pelos braços.”

“Foi a minha sorte”

No hospital, à espera de notícias de colegas feridos, o sobrevivente Andrei Fagundes, 19 anos, perdeu 25 amigos na tragédia. Os repórteres perguntavam novamente. “Quantos? Cinco?”. Ele respondia. “Não. Perdi vinte e cinco, vinte e cinco.” Contou que estava próximo à saída quando percebeu o tumulto. “Vi sinalizadores e achei normal, mas, de uma hora para a outra, começou muita gente saindo. Achei que era briga. Foi a minha sorte. Se eu tivesse esperado, não conseguiria sair”, relatou.

Andrei afirmou que, quando chegou bem perto da porta, percebeu uma maior quantidade de fumaça. “A partir deste momento, todo mundo só pensava em sair. Já fui na boate outras vezes. Ela estava extremamente lotada. Tinha muita gente para o tamanho do ambiente. Acho que tinha 1,5 mil pessoas. Estava muito apertado”, estimou o jovem, que disse não ter visto iluminação na saída de emergência.

Entre os feridos da tragédia, os gêmeos Emanuel e Guilherme Pasti aniversariaram ontem. Completaram 19 anos. Os dois foram a Kiss no sábado para antecipar a comemoração. Eles estão em estado grave na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital da Ulbra, em Canoas, no Rio Grande do Sul. A situação é muita delicada. Os médicos informaram que a chance de eles sobreviverem é mínima. A intoxicação de Emanuel foi menor, no entanto, ele tem problema de tireoide, o que pode atrapalhar a recuperação. Guilherme cursa relações internacionais na Universidade Federal de Santa Maria. Emanuel mora em Canoas com os pais e estuda engenharia de minas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em Porto Alegre.

“Morreu asfixiada. Ela morreu sem ar. Isso aqui é uma guerra e com um agravante. São todos jovens” Mário José do Canto, pai de Mariana Commasseto, 18 anos

“Vi sinalizadores e achei normal, mas, de uma hora para a outra, começou muita gente saindo. Achei que era briga. Foi a minha sorte. Se eu tivesse esperado, não conseguiria sair” Andrei
Fagundes, sobrevivente, estudante da UFSM que perdeu 25 amigos na tragédia

“Meu coração diz que ele vai escapar. Ah, ele vai sim. Tenho certeza. É horrível a angústia que estou sentindo. Há sentimentos que só uma mãe sabe como é” Iara Guedes, mãe de Heuri Guedes, 23 anos, que está internado em estado grave na unidade de terapia intensiva

234
Total de vítimas da tragédia. Na noite de ontem, um rapaz de 21 anos sofreu morte encefálica

R$ 2,50
Valor dos sinalizadores que causaram o incêndio. Eles não eram próprios para locais fechados”

(João Valadares – Correio Braziliense)
Publicado no Jornal da Ciência (JC E-Mail) Edição 4656 – Notícias de C&T – Serviço da SBPC.

A MENTIRA DO NOME YAHUSHUA E YAOHUSHUA

“Muitos pseudo judeus messiânicos estão divulgando pela internet que o verdadeiro nome do filho de Deus é Yahushua e que o nome Jesus é um nome pagão. Confira neste vídeo a explicação do professor e Mestre em Teologia Fábio Sabino e acesse também os videos relacionados”.
http://valle-teologo.blogspot.com.br/2013/01/a-mentira-do-nome-yahushua-e-yaohushua.html
Vejam e ouçam o professor e Mestre em teologia, Fábio Sabino,

Traduzir Site »