O Batismo Verdadeiro. Conforme a Bíblia Sagrada ou conforme as Regras do Ecumenismo? 1a Parte

Clique aqui e ouça o áudio da Palestra na Rádio Cultura do Brejo, RN, 87,9 FM. Programa A Voz e A Verdade. Ouça, Medite, Compartilhe.

A Bíblia sagrada contêm belíssimos relatos de batismos feitos pelos apóstolos de Jesus, sempre, invariavelmente, em nome do Senhor Jesus, a exemplo do batismo do eunuco que veio da Etiópia, na África, uma viagem longa até Jerusalém, para conhecer o Deus verdadeiro, o Deus e Pai de Jesus e adorá-lo.

O livro de Atos, capítulo 8, versos de 26-39 fala do desencanto desse homem que veio a Israel e voltava, quem sabe, desconsolado por não ter sido bem recebido, e lia em sua carruagem o profeta Isaías, capítulo 53, sem entender de quem falava. Deus guiou seu servo Felipe, o qual lhe explicou, ele aceitou a Jesus como seu salvador e foi batizado por crer nele.

“E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou. Atos 8:36-38

No entanto, na Bíblia existe um isolado e estranho texto, o de Mateus 28:19, no formato como está na maioria das versões da Bíblia, dando conta de que Jesus após ter recebido do Pai todo o poder no céu e na terra, teria ordenado batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, enquanto existe um grande número de registros bíblicos do batismo apenas em nome do Senhor Jesus (Atos 2:38; 8:16; 10:43; 19:5; Gal. 3:27; Rom. 6:3; 1 Cor. 1:13-15), o mesmo se aplicando a todas as práticas cristãs, sempre em nome de Jesus.

O Espírito de Deus fez o apóstolo Paulo escrever: “E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” – Colossenses 3:17.

Tudo na vida cristã, além do batismo, inclui:

“Orações (João 14:13 e 14; João 15:16; João 16:24, 26 e 27; Tiago 5:14).

Advertências, admoestações e repreensões (I Coríntios 1:10; 5:4; II Tessalonicenses. 3:6).

Milagres (Mateus 7:22; Marcos 9:38-40; 16:15-18; Lucas 10:17; Atos 3:6; 4:7-12; 4:30; 16:18).

Obras de caridade (Mateus 18:5; Marcos 9:37 e 41; Lucas 9:48).

Reuniões espirituais e pregações (Mateus 18:20; Lucas 24:46 e 47; Atos 4:18; 9:27 e 29; Efésios 5:20; Tiago 5:10).

Até mesmo o Espírito é enviado em nome de Jesus conforme João 14:26.

Tudo deve ser feito em nome de Jesus, pois a nossa salvação é também em nome do nosso Senhor Jesus Cristo (Atos 4:12; João 20:31; I Coríntios 6:11)”.

Nicotra, R. Eu e o Pai somos Um, pág. 48 e 49.

No entanto, como poderia Jesus afirmar: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo? Mateus 28:19 o que se subentende, pois está implícito, que batizar em nome do Pai, no nome do filho e no nome do Espírito Santo, enquanto,

1) Pai não é nome, Filho não é nome e, Espírito Santo – essa última expressão não se trata nem de um nome, nem de uma pessoa.

Por si só, isso já mostra de antemão que o texto como está na maioria das versões, não é autêntico.

2) Outra prova intrínseca da não autenticidade do texto de Mateus 28:19 é a DESCONTINUIDADE DO PRÓPRIO CONTEXTO, anterior e posterior:

“Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra.

19Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo,

20ensinando-os a obedecer a tudo o que eu ordenei a vocês. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”.

 

Ora, Jesus afirmou que a ele foi dada (pelo seu Deus e Pai, YHWH) toda a autoridade no céu e na terra, e, em seguida, acrescentaria: vão e batizem em 3 nomes, que não são nomes; muito pior o terceiro, por não se tratar de um ser, mas de um atributo, glória, virtude e poder de YHWH e, no verso seguinte, Mat. 28:20, voltar Jesus a falar dele, que Ele estaria conosco todos os dias até à consumação dos tempos?

O fato do nome do Pai estar no do Filho – já sabedor disso (João 17:11 e 12) – é um motivo a mais para Jesus NÃO TER DADO ESSA ORDEM JÁ SABENDO QUE O NOME DO PAI ESTAVA NO SEU NOME E ACRESCENTANDO O ESPÍRITO SANTO COMO SE FOSSE OUTRO SER E, TAMBÉM DIVINO.

Logo, não se sustenta a hipótese de que Jesus teria proferido uma ordem inconsistente como essa de Mat. 28:19 (a de que se deveria batizar os novos conversos em 3 nomes que não são nomes), pior ainda, incluindo outro ser na divindade, quando ele, Jesus, tinha recebido do Seu Deus e Pai todo o Poder no Céu e na Terra e que seria Ele mesmo, e, não uma tal 3ª pessoa da divindade, que estaria com os conversos todos os dias, até à consumação dos séculos).

 

3) TODOS OS BATISMOS REALIZADOS E REGISTRADOS NO NOVO TESTAMENTO PELOS DISCÍPULOS FORAM INVARIAVELMENTE SÓ NO NOME DE JESUS – AQUELE ÚNICO QUE MORREU POR NÓS (I COR. 1:12 E 13) – POR ISSO, O BATISMO É FEITO NO NOME DAQUELE ÚNICO QUE MORREU POR NÓS. O Pai não morreu por nós, por ser o único por essência imortal do Universo (I Tim. 6:16). O Espírito Santo não é um ser, uma pessoa, muito menos igual ao Pai nem ao Filho, não sendo essa expressão um nome, mas, Ruach Hakodesh, o sopro do Todo Poderoso. Não se pode batizar em nome de um atributo de Deus.

4) JESUS NÃO IRIA DIZER O QUE SE LÊ EM MAT. 28:19 COM AS PALAVRAS  QUE ESTÃO NA MAIORIA DAS VERSÕES (AFIRMATIVA ÚNICA, ISOLADA, EM TODA A ESCRITURA, RAZÃO PORQUE NÃO PODERIA NUNCA GERAR UMA DOUTRINA, AINDA QUE FOSSE AUTÊNTICA) (e uma inverdade, pelas razões e contextos já aqui descritos) E OS DISCÍPULOS ENTENDEREM DE OUTRA FORMA, O QUE NÃO FAZ O MENOR SENTIDO.

5) Além dessas contundentes razões bíblicas, somam-se inúmeras provas em enciclopédias, livros fidedignos, versões bíblicas, etc, que depõem contra a autenticidade do texto de Mateus 28:19, na forma como aparece na maioria das versões, ainda que alguém possa mostrar cópias espúrias de manuscritos que mostrem o que o sistema religioso caído crê, sabe-se que “atualmente não temos nenhum manuscrito da última página de Mateus antes do terceiro século” (https://www.asitreads.com/blog/2018/2/22/historical-evidence-in-favour-of-matthew-chapter-2819-and-response-to-claims-of-inauthenticity) pois foi no 4º. século, no Concílio de Niceia que se fundamentou a primeira parte da “doutrina” da trindade, daí por diante surgindo muitos manuscritos “autênticos”.

“Nada mais é que o étimo grego “?????” (bapto), ao qual se acrescentou o sufixo “-ismós” para formar “????????” (baptisma), inarredavelmente significa “imersão”, posto que exatamente esta é a etimologia do verbo “?????????” (baptizein, “imergir”/”mergulhar”). https://pt.wikipedia.org/wiki/Batismo_por_imers%C3%A3o

E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Atos 2:38

Feito o batismo por imersão em água, se pede ao Deus e Pai de Jesus, que conceda ou derrame o dom do Seu Espírito Santo.

“E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilhavam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouviam falar em línguas e magnificar a Deus. Respondeu, então Pedro: Pode alguém, porventura, recusar a água, para que não sejam batizados estes que também receberam, como nós, o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor.” Atos 10:44-48.

“Enquanto que, no verso anterior os samaritanos haviam sido batizados na água em “nome de Jesus”, mas não haviam ainda sido batizado com o poder do Espírito; já no caso acima; os gentios ao ouvirem a pregação do evangelho, recebem o batismo do Espírito Santo antes mesmo de terem sido imergidos na água “em nome do Senhor”.

Como um crente fiel em Cristo pode admitir que o batismo em 3 supostos nomes seja o correto, o autorizado por Jesus, e que hoje para a crença na trindade, quando essa é a chave (crer na trindade e batizar em seu nome) para entrada no Ecumenismo, a religião do Anticristo?

Em conclusão, as Escrituras Sagradas nos ensinam que o batismo verdadeiro é imersão na água (Mateus 3:16) e não com um pouco de água na cabeça, e, em nome de Jesus, jamais em nome de uma trindade. O batismo deve ser feito em nome daquele que morreu por nós e esse é Jesus, o Cristo, o filho do Deus único e verdadeiro, o Pai (João 17:3).

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Traduzir Site »