Header
Header
Header
Header
Header

MEU CURRICULUM MORTIS

julho 4th, 2013 | Posted by Paulo Pinto in Artigos

VATICANOE sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.
Romanos 8:28

 

Ainda não me sinto preparada para morrer e como um bruxo profetizou – há mais de 50 anos – que eu iria morrer em 2013, às vezes fico temerosa de que ele tivesse acertado na data e eu esteja bem perto de chegar ao crematório. Contudo, Romanos 8:28!

Há alguns anos, quando eu escrevia na “Folha Universal”, mostrando os erros da ICAR, inclusive contando sobre as toneladas de ouro guardadas em Fátima,  recebi um documento enviado pelo Pe. Luciano Guerra,  o Reitor encarregado da Basílica de Fátima (Apartado 31 – 2496-908 – Fátima Portugal), solicitando que eu o preenchesse e devolvesse ao remetente. Escrevi uma resposta bem desaforada e devolvi o questionário em branco. Isso era dar uma “colher de sopa” (em vez de uma colher chá) aos inquisidores romanos, hem?

Vocês já viram cearense burro? É difícil! Nasci em Crato, Ceará, mas bem posso ser uma exceção à regra, pelo menos no que se refere aos dentistas, pois cada um tem me explorado mais, fazendo próteses piores, cobrando-me o valor de um anel de ouro em cada uma. Ora, os anéis vão ficar de herança para as filhas, mas… a dentadura, não!

Os dentistas que tenho consultado nesta cidade têm-se comportado com a mesma ganância do Vaticano, que é o dono absoluto de todas as multinacionais do planeta e, por isso, é  claro, tem todos os meus dados arquivados no seu computador, como os tem de todos os habitantes do planeta! Desse modo, o papismo pode agilizar o meu “curriculum mortis”, na hora em que bem desejar, logo que vier a Grande Tribulação e a “Santa Madre” estiver no comando mundial, como já esteve, na Era das Trevas. Esse papa Chico não me engana nem um pouco, mesmo porque ele é argentino e prefiro torcer pelos brasileiros! Nenhum papa católico pode deixar de governar pelos dogmas do Concílio de Trento, ainda em pleno vigor na ICAR.      

Nenhum papa é amigo de pessoa alguma. Cada um deles é um inquisidor disfarçado, que defende a elite dos desocupados parasitas da hierarquia romana. Ninguém precisa de papa algum, porque a Era das Trevas já passou e só mesmo com o retorno de um tempo mergulhado novamente em trevas religiosas é que essa horda de parasitas religiosos poderia ter o seu lugar neste mundo moderno.       

O ofício do papa  Chico, ou de outro santo padre” que possa chegar o trono de Roma,  vai continuar com as mesmas andanças e o palavreado hipócrita do papa JP2, adulando “gregos e troianos”, para depois os encerar em prisões, campos de concentração (já existem muitos preparados para isso), onde serão todos incinerados, como o fez o católico romano  Adolfo Hitler, nos anos 1940.

Jeremias 17:5 nos adverte: “Maldito o homem que confia no homem”. E se ele vivesse hoje iria acrescentar: “principalmente se esse homem for um papa católico”. 

Não consigo entender como tantos homens que viraram o mundo, pregando o Evangelho de Cristo (Billy Graham, por exemplo), possam cair aos pés de um papa da Igreja Romana, a qual durante mais de 16 séculos tem perseguido, martirizado e assassinado os cristãos bíblicos, sob a alegação de ser “a única igreja verdadeira”. Esses líderes tão importantes têm mergulhado na chamada “operação do erro”, passando a dar crédito às mentiras da “santa sé”, que de “santa” nada tem, em vez de crer simplesmente nas palavras do Senhor Jesus Cristo, pelas quais seremos todos julgados (João 12:48). Que harmonia pode existir entre Cristo e Belial, ou seja, entre o verdadeiro Evangelho de Cristo  e o da Igreja de Roma?

A inquisição de Roma continua viva e ativa ainda hoje. Quem quiser saber mais sobre o que Pio XII fez contra os sérvios ortodoxos na Iugoslávia, durante o regime católico da Croácia (na II Guerra Mundial), sob a chefia de Ante Pavelic, usando o cardeal católico Aloísio Stepinac, pode pedir o livro “O Holocausto do Vaticano”, de Avro Manhattan, por nós traduzido em 1999. A narrativa da matança de quase um milhão de inocentes, que não aceitaram o Catolicismo Romano como religião, foi surrupiada da literatura e da mídia porque o “santo padre” em ofício  é o He-Man do Vaticano. Ele tem a força! E nós outros, a burrice, quando acreditamos nas lorotas vaticanescas!

Mary Schultze, julho 2013.

Comentário nosso: Esperamos que Mary Schulze ainda viva por muito anos, prestando relevantes serviços à fé e ao planeta.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Deixe uma resposta