Header
Header
Header
Header
Header

DIAGNÓSTICO DA APOSTASIA DA IGREJA ADVENTISTA E SEU REMÉDIO

dezembro 29th, 2013 | Posted by Paulo Pinto in Artigos

Deus, o Pai, o criador dos céus e da terra, junto com seu filho Jesus Cristo, sempre tiveram um povo sobre a face da terra que lhes foi e é fiel (Gen. 1:1 e 2; Prov. 30:4; Jo. 1:1 a 3; Heb. 1:1 e 2; Apoc 14: 6 e 7).

Este povo os conhece, e adora a Deus na beleza de sua santidade e é um guardião dos seus preceitos e leis.

Conforme Alva G. Huffer A igreja é um dos três grupos dentro do qual todos os homens estão divididos. Paulo escreveu, “Não vos torneis causa de tropeço, nem a judeus, nem a gregos, nem a igreja de Deus” (I Coríntios 10:32). Segundo esta divina classificação, todo homem ou é judeu, ou gentio, ou um membro da igreja de Deus. Os judeus são o povo do pacto de Deus, o Israel literal. Os gentios são normalmente a humanidade não-judaica, as nações. A igreja de Deus é o corpo de Cristo, e consiste de ambos, judeus e gentios.

Os três grupos nem sempre existiram. Durante o tempo entre Adão e Abrão, existiu somente um grupo, as nações, ou gentios. Entre Abrão e o ministério terrestre de nosso Senhor, existiram dois grupos da humanidade, as nações e a nação, ou os gentios e os judeus. Hoje, durante os séculos entre o Pentecoste e o retorno de Cristo, existem três grupos: as nações, a nação, e a Igreja de Deus.

Cada um destes três períodos estendeu-se por aproximadamente por dois milênios. Durante o primeiro período, Deus trabalhou com a maioria da humanidade; durante o segundo período, Ele trabalhou principalmente com a nação, Israel; durante o terceiro período, Ele está trabalhando com a Igreja. Nós estamos vivendo o período chamado de dispensação da igreja. http://www.adventistas-bereanos.com.br/2005outubro/O%20novo%20povo%20de%20Deus.HTM

Algum tempo após a ascensão de Jesus aos céus lobos vorazes penetraram entre o povo de Deus e veio a apostasia.

Com a apostasia houve um distanciamento da verdade, mas, mesmo assim, Deus sempre teve um remanescente que permaneceu fiel aos seus princípios eternos, à Sua Santa Lei.

Durante a Reforma protestante Deus suscitou homens que com risco de sua própria vida promoveram um retorno à verdade que estava por terra. Entre esses lembramos de Wesley, Calvino, Wiclef, João Huss, Lutero e tantos outros servos de Deus, muitos anônimos.

Entretanto algumas verdades ainda precisavam ser restauradas. Entre elas estavam a verdade sobre 1) o santo dia do Senhor, o santo sábado da lei moral ou os 10 mandamentos (o que difere dos sábados cerimoniais, cravados na cruz de Cristo) em contraste com a guarda do domingo estabelecida pela igreja de Roma, após o decreto do imperador Constantino em 321 dC; 2) a alimentação pura, vegetariana, sem porco ou outros alimentos impróprios à saúde; 3) a verdadeira adoração ao único Deus, o Pai e ao Seu Filho Jesus Cristo, em contraste com a da Trindade que começou a ser estabelecida por Tertuliano entre os anos 195 e 220, fortalecida em 325 no Concílio de Nicéia e consumada em 381 no Concílio de Constantinopla, entre outras verdades que ainda estavam esquecidas.

Em 1844 o povo de Deus foi mais uma vez chamado a restaurar verdades esquecidas. Surge então o movimento Adventista, organizado como igreja Adventista do 7o Dia em 1863.

Entre os pioneiros descaram-se Joseph Bates, J.N. Andrews, Uriah Smith, Hiran Edson, James White, Ellen Gould Harmon, Raquel Oakes, Joseph Turner e J. N. Loughborough, dentre outros.

Cremos que estes homens e mulheres, embora humanos, falhos, receberam luz preciosa para a restauração de verdades eternas, que asseguraram o crescimento da Igreja Adventista do 7o Dia, hoje estabelecida no mundo em cerca de 210 países, contando com várias Casas publicadoras, Universidades e outras Instituições de ensino, Indústrias de excelentes alimentos, etc.

Até o ano de 1930, 15 anos após a morte da serva do Senhor EGW, os adventistas assim criam: “Cremos que existe um Deus, pessoal, um Ser espiritual, o criador de todas as coisas, onipotente, onisciente e eterno, infinito em sabedoria, santidade, justiça, bondade, verdade e misericórdia; imutável, e sempre presente em toda parte por seu representante o Espírito Santo. Salmos 139:7. Cremos que existe um Senhor Jesus Cristo, o Filho do Pai Eterno, por quem foram criadas todas as coisas, e pelo qual elas subsistem; …

Esta foi a fé dos Pioneiros do Movimento do Advento, levantado por Deus pelo cumprimento da profecia das 2300 tardes e manhãs, em 22 de outubro de 1844, desde a sua criação em 1844 até 1930. Era assim que constava em todos os Livros do Ano (Year Book) publicados pela Associação Geral.

Pioneiros como Tiago White, J.N. Lougborough, R.F. Cottrell, J.N. Andrews, escreveram que a doutrina da trindade era: vestígio do papado, tal como a natural imortalidade, batismo por aspersão e a guarda do domingo; que a mesma não é mais do que a doutrina dos persas remodelada; destrói a personalidade de Deus e de seu Filho Jesus Cristo, …

Disse a serva do Senhor: “Quando o homem vier mover um alfinete do nosso fundamento o qual Deus estabeleceu pelo seu Santo Espírito, deixem os homens de idade que foram os pioneiros no nosso trabalho falar abertamente, e os que estiverem mortos falem também, reimprimindo os seus artigos das nossas revistas. Juntemos os raios da divina luz que Deus tem dado, e como Ele guiou seu povo, passo a passo no caminho da verdade. Esta verdade permanecerá pelo teste do tempo e da experiência.” 24 de Maio de 1905 – Manuscript Release Vol. 1 pág. 55.

Nós não podemos aceitar as palavras daqueles que trazem mensagens contradizendo os principais pontos da nossa fé. Eles juntam um mundo de textos e uma pilha de provas que sustentam as suas teorias. Isso tem acontecido sempre nos últimos 50 anos. Enquanto as Escrituras são a Palavra de Deus e devem ser respeitadas, se o que eles mostram altera um pilar do fundamento que Deus tem sustentado nesses passados 50 anos é um grande engano. Os que recebem essas explicações sabem das maravilhosas demonstrações do Espírito Santo, que nos deu poder e força nas mensagens do passado, que vieram ao povo de Deus.” Ellen White, 1905, Manuscript Release No. 760: The Integrity of the Sanctuary Truth, pages 18-20.

Hoje os adventistas pregam que a verdade é progressiva e concordamos com isso. Entretanto uma verdade não derruba outra, apenas a aperfeiçoa, a fortalece. Por isso disse mais uma vez a serva do Senhor EGW.

Os pontos principais da nossa fé, tal como temos hoje, foram firmemente estabelecidos. Ponto por ponto foi claramente definido e toda a irmandade veio em harmonia. A inteira congregação de crentes está estabelecida na verdade. Há aqueles que vieram com estranhas doutrinas, mas nós não tememos encontrá-los. Nossa experiência foi maravilhosa e estabelecida pela revelação do Espírito Santo”. Ellen White – MS. 1903

“Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntei pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele”. Jer. 6:16.

“Não procure ninguém remover os alicerces de nossa fé – os alicerces lançados no princípio de nossa obra, pelo piedoso estudo da Palavra e pela revelação. Sobre estes alicerces temos estado a construir nestes cinqüenta anos passados. Poderão os homens supor que tenham achado um novo caminho, e sejam capazes de lançar um alicerce mais firme do que o já lançadoMas isto é grande engano. Homem nenhum poderá pôr outro fundamento além do que já foi posto.” (Adventist Review and Sabbath Herald, 03/03/1904) Testemunhos Seletos Vol. 3, págs. 273, 274.

Hoje, esquecendo como Deus tem guiado seu povo, a corporação Adventista afirma categoricamente que os Pioneiros estavam equivocados, face às igrejas de onde vieram, esquecendo-se que Deus estava com eles e que EGW a despeito de ter vindo do Metodismo, que adora a uma trindade, mesmo tendo escrito cerca de 100 mil páginas, NUNCA (nos originais em inglês) escreveu uma só vez esta palavra. Quando escreveu sobre o trio celestial, claramente falou do Único Deus verdadeiro, o Pai, do Seu Filho Jesus Cristo e do Anjo Gabriel, o que, antes do pecado, tratava-se de outro anjo, que caiu, Lúcifer. (ver H.R e PP primeiro e segundo capítulos; A Verdade Sobre os Anjos, p. 195).

Esta igreja que recebeu preciosas verdades de Deus, hoje:

1. Diferentemente do plano inicial de benevolência sistemática, cobra dízimos de todos os membros, independente da condição social, não permitindo que membros não dizimistas tenham cargos na igreja (Manual da IASD, p.54.) não estimulando as ofertas por estas ficarem na Igreja local em cerca de 60%, enquanto o dízimo, todo, vai para a Associação.

2. Não ensina mais que Apoc. 1:10 refere-se ao Sábado, mas ao tempo em que nosso Senhor Jesus deverá regressar a este mundo para continuar a sua obra de resgate do ser humano” (Ministério, maio/junho de 1993, p. 31-32, e março/abril de 1992, p. 22-25).

3. Participa do Conselho Mundial de Igrejas – uma organização ecumênica – nos EUA, como membro cooperador, desde a década de 1950.

4. Desde a Conferencia Geral de 2000 em Toronto, Canadá, exibiu ao mundo esculturas, as quais foram, no mês de agosto de 2000, oficialmente aceitas e dedicadas por um culto especial no salão nobre da Conferência Geral em Silver Spring, Maryland, EUA (http://www.adventistas.com/idolatria.htmhttp://mensagemfinal0.tripod.com/MonumentosIASD.htm )

5. Como os romanistas, colocam cruzes nas igrejas. Por toda parte se vê a insígnia da cruz. Por toda parte é ela exteriormente honrada e exaltada. EGW, Grande Conflito, CD ROM, p. 568.

6. Despreza advertências do Espírito de Profecia como: “Muitos que são agora só meio convertidos quanto à questão de comer carne, sairão do povo de Deus, para não mais andar com ele.” Idem, p. 382 (CD ROM).

7. Declara que o número 144.000 é simbólico, e representa todos quantos são do povo de Deus. Em outras palavras, não há limite.

8. Desprezando orientações como “O seguro de vida é um método mundano”. EGW, T. S. v. 1, p. 176 e 177, no Livro de Praxes da IASD, prevê seguros de vida para Obreiros da Divisão da ordem de US$75 a 150 mil (R$225 mil a 450 mil). Para os demais obreiros, de US$50 a 75 mil; para cônjuges dependentes de US$15 a 20 mil e filhos de dependentes de US$5 a 10 mil. LEIA TAMBÉM: http://aodeusunico.com.br/?p=3434

9. Desprezando escritos como Mat. 6:6 e 9; João 14:13 e 23 que nos ensinam a orar a Deus, o Pai, em nome de Jesus, ensinam hoje a orar ao Espírito Santo e a Jesus.

10. Sendo politiqueiros em todas as áreas, estabeleceram no Manual da Igreja, p.71, que: “Pode haver ocasiões em que seja próprio que nossas congregações ESCUTEM DISCURSOS DE FUNCIONÁRIOS DO GOVERNO OU PERSONALIDADES PÚBLICAS. TODOS OS DEMAIS DEVEM SER EXCLUÍDOS DE NOSSOS PÚLPITOS, …”.

11. A IASD assinou contrato de amizade com a Igreja Católica Apostólica Romana da Polônia em 2000, em Toronto, Canadá.

Presenteou o Papa com uma medalha de Ouro da Associação Geral da IASD. Marcos de Benedicto. Revista Adventista, fev. 2002, p. 38. Recebeu do Papa uma medalha de Ouro. Review and Herald, 30.05.1968, p.16. Na Revista Adventista de Abril de 2004, p. o Pr. José Carlos Ramos, em artigo intitulado 666, afirmou que dizer que o 666 é a besta de Apoc. 13, violenta tudo que, como igreja, cremos e ensinamos.

12. 60 anos depois do fim da II Guerra Mundial, os líderes da IASD na Alemanha e na Áustria emitiram uma declaração expressando que “lamentam profundamente” qualquer participação em atividades nazistas, ou em seu apoio, durante a guerra. “Nossos povos se tornaram associados com o fanatismo racial destruidor de vidas e liberdade de 6 milhões de judeus e representantes de minorias por toda a Europa“, e que “muitos adventistas do sétimo dia não compartilharam das necessidades e sofrimentos de seus concidadãos judaicos”. Motivo de extremo pesar, indica a declaração, foi que as congregações alemãs e austríacas adventistas “EXCLUÍRAM, alienaram e deixaram [membros da Igreja que eram]. . . de origem judaica entregues a sua própria sorte de modo que terminaram enfrentando prisão, exílio ou morte“.
http://news.adventist.org/data/2005/07/1124218053/index.html.pt ou http://news.adventist.org/data/2005/07/1124218053/index.html.en

Queremos ser fiéis a Jesus  e à Sua Palavra.

Não queremos ser fiéis a uma Corporação religiosa deixando Deus de lado.

Não cremos que a verdade progressiva anule verdades restauradas.

Manter verdades solenes, expressões do caráter do Único Deus verdadeiro e de Seu Filho Jesus Cristo, presentes entre nós e em nós por seu espírito não é “Dogmatismo engessado”, conforme acusa a IASD ao Movimento leigo.

Fazemos nossas as palavras de João Andrews: “Trocaria mil erros por uma verdade bíblica” Espiritual Gifts, v. 2, p. 117. E as palavras de Tiago White: “Mudaríamos outros pontos de nossa fé caso víssemos uma boa razão para faze-lo com base nas Escrituras”. R. and H., 7 de fev. de 1856.

Fazemos nossas as palavras dos irmãos do Ministério 4 Anjos: “A obra efetuada por Ezequias no passado é a obra que o Senhor espera dos líderes da Conferência Geral e dos membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia, para que voltem ao favor de Deus, e Ele os faça prosperar hoje como o fez no passado. Deus pode aceitar a confissão de indivíduos membros desta igreja para o perdão dos seus próprios pecados e reconciliação com Ele mediante o sangue de Jesus, mas a confissão individual nunca trará a IASD novamente ao favor de Deus. Segundo a ordem do santuário celestial, ensinada por Ele aos homens através do santuário típico, somente uma obra coletiva de reforma precedida de arrependimento genuíno, iniciada pelos líderes da Conferência Geral, cumpre as condições estabelecidas por Deus para que esta Igreja torne a obter o Seu favor”.

A menos que se arrependa e converta a igreja que agora está a levedar-se com sua apostasia, comerá do fruto de seus próprios atos, até que se aborreça a si mesma. Quando resistir ao mal e escolher o bem, quando buscar a Deus com toda a humildade e alcançar sua alta vocação em Cristo, permanecendo na plataforma da verdade eterna, e pela fé lançar mão dos dons que para ela se acham preparados, então será curada. Aparecerá então na simplicidade e pureza que Deus lhe deu, separada de embaraços terrenos, mostrando que a verdade com efeito a libertou. Então seus membros serão na verdade os escolhidos de Deus, os Seus representantes. Testemunhos Seletos, vol. 3, págs. 251, 252 e 254. “ Eventos Finais, pág. 60

“O Senhor diz para os líderes e membros desta denominação: Será isto humilhante e dolorido para vós – reconhecer o erro? Certamente não o será tanto quanto serão as amargas confissões dos servos maus, despreparados e perdidos, que enfrentarem o Senhor Jesus vindo em glória pela segunda vez à Terra, sabendo que estão condenados a sofrer a segunda morte. O Senhor é misericordioso e perdoa ao culpado. “O homem para quem olharei é este”, diz Ele, “o aflito e abatido de espírito e que treme da Minha palavra” Isaías 66:2. Ele favorece os contritos de coração e os esconde no Seu pavilhão. Deseja acolher os líderes e membros desta igreja que um dia escolheu, e trazê-los novamente ao Seu favor, fazendo deles os Seus filhos. Como diz o testemunho acima, dado por Jesus à Sua serva, quando houver esta obra de reforma precedida de arrependimento, “Então seus membros serão na verdade os escolhidos de Deus, os Seus representantes”.

(http://www.ministerio4anjos.com.br/site/index2.php?option=content&task=view&id=190&pop=1&page=0)

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, pela presença do Senhor, venham os tempos do refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus” Atos 3:19. Paulo Augusto da Costa Pinto, Adventista Bereano do 7º Dia.

PUBLICADO EM: http://www.adventistas.com/dezembro2005/diagnostico_iasd.htm

 

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Deixe uma resposta