Header
Header
Header
Header
Header

CRESCIMENTO DA IGREJA ADVENTISTA E SUA UNIÃO COM BABILÔNIA. ALGO A VER?

junho 10th, 2018 | Posted by Paulo Pinto in Artigos

Gráfico com o crescimento da IASD ao longo dos anos

FONTE. Por Dgies – Self-made using gnuplot based upon data from the Seventh-day Adventist Church’s Office of Archives & Statistics World Population and Membership–History and Projections, CC BY-SA 3.0

Jesus disse: “Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terraLucas 18:8.

Jesus previu para os últimos dias igrejas cheias ou igrejas vazias ou quase vazias????

A IASD estrá derrubando os templos velhos e construindo outros cada vez maiores e melhores, com lindas fachadas, para atrair novos e melhore$ cliente$.

Ora, se prega que a volta de Jesus está próxima (e está mesmo, por todas as profecias cumpridas ou se cumprindo. Ou eles pregam e não creem?), por que investir tanto – com o dinheiro suado, sobretudo de irmãos simples – em fazer templos cada vez mais luxuosos? Não parece ser um paradoxo?????

O número de fiéis tem crescido assustadoramente.

Teria Jesus se equivocado quando falou sobre os dias de sua volta?

Observa-se no gráfico, que desde a fundação da IASD, em 1863, ano em que foi organizada como Instituição religiosa, até o ano de 1980, ano em que pela primeira vez aprovou em uma reunião da Conferência Geral o dogma romano da trindade como parte de suas doutrinas fundamentais, nesse lapso de tempo de 117 anos, o número de membros batizados alcançou 3,6 milhões de membros no mundo.

De 1980, até 2017, no lapso de tempo de 37 anos, o número de membros subiu para mais de 20 (vinte milhões) no mundo, um aumento de 4,47 vezes mais do que tudo que conseguiu em mais de quase doze décadas, um acréscimo de 16,34 milhões em curto espaço de tempo.

Os Year books da IASD até 1914, um ano antes da morte da senhora White, preservaram a verdade sobre o Deus Único e verdadeiro, Deus e Pai de Jesus. Ver os documentos em http://arquivoxiasd.com/ybs1914.htm.

A senhora White havia advertido a igreja a não entrar em controvérsia sobre a personalidade de Deus. Ver em http://www.adventistas.com/trindade/chuva_serodia/capitulo_01.htm. “Eu sabia que o Ômega  se seguiria em pouco tempo; e eu tremi por nosso povo. Eu sabia que eu precisava avisar nossos irmãos e irmãs para não entrar em controvérsia sobre a presença e personalidade de Deus. As declarações feitas em The Living Temple a esse respeito são incorretas. A escritura usada para substanciar a doutrina ali colocada, é a escritura mal aplicada.” Manuscript Releases, vol 4 p.248.

“Ellen G. White já havia afirmado em 1903 que os pontos fundamentais da fé adventista já haviam sido “firmemente estabelecidos”. Não há qualquer dúvida que a correta compreensão do tema “Divindade” era e sempre será um dos pontos fundamentais da fé adventista. Isto porque o movimento adventista nasceu pela pregação da mensagem “temei a Deus e dai-lhe glória” (ver Apocalipse 14:7), que é a primeira mensagem angélica”. Idem.

“Infelizmente, a história nos mostra que já em 1919, apenas quatro anos após a morte de Ellen G. White, houve uma grande discussão sobre o tema “Divindade” durante um Congresso Bíblico. Enquanto muitos defendiam a manutenção da posição que permanecia desde 1903 no tocante ao tema “Divindade”, um grupo de delegados defendia o re-estudo deste tema, buscando introduzir uma nova doutrina. A esta altura, buscar defender o re-estudo deste tema visando mudar o entendimento significava estar em clara oposição ao conselho dado pela mensageira do Senhor, antes de sua morte:

Eu precisava avisar nossos irmãos e irmãs para não entrar em controvérsia sobre a presença e personalidade de Deus

Assim, aqueles que buscavam defender um novo entendimento quanto ao tema divindade estavam se opondo claramente a este conselho dado por Deus à Sua serva, e ao mesmo tempo desconsiderando o claro testemunho escrito em 1903 que afirmava que os pontos fundamentais da fé já estavam firmemente estabelecidos. A profecia escrita por Ellen G. White, de que o ômega logo surgiria, começava a ser cumprida. Qual era a posição defendida por aqueles que queriam mudar o entendimento adventista sobre o tema “Divindade”? Eles defendiam que existia um Trindade, uma unidade de três “Deuses”. O livro “Mensageira do Senhor”, de Herbert E. Douglass, descreve assim o Congresso Bíblico de 1919:

Realizaram-se em 1919 um Congresso Bíblico (de 1º a 19 de julho) e um Concílio de Professores (de 20 de julho a 1º de agosto). Cerca de sessenta e cinco pessoas participaram desses dois encontros, embora nem todas tenham estado presentes a ambos. … Muitos delegados falaram livremente, muitas vezes em intensa divergência. Alguns fazim comentários que abrandavam após as discussões. Muitos acharam que não haveria nenhum benefício em publicar as divergências entre destacados pensadores adventistas sobre variados assuntos como “a questão oriental”. Alguns criam que seria “um tanto arriscado deitar tudo isto fora”. Outros queriam que o material fosse reduzido a cinqüenta por cento e fornecido apenas para os delegados. Alguns queriam que um resumo fosse enviado a todos os membros da igreja, enquanto outros queriam que não se enviasse nada.

Depois de ouvir a discussão, o presidente da Associação Geral e presidente da mesa do Congresso Bíblico, A. G. Daniells, sugeriu: “Algumas vezes acho que seria uma boa coisa guardar este manuscrito num cofre, ao qual poderia dirigir-se quem quer que desejasse fazer estudo e pesquisa pessoal.”

Os Manuscritos Fechados à Chave

É mais do que interessante que a sugestão do presidente (que finalmente foi seguida) tenha sido feita após acalorada discussão sobre assuntos como a questão oriental e a controvérsia trindade/arianismo.” Mensageira do Senhor, pág. 434.

“Em 1930 uma comissão de apenas quatro administradores decide a mudança em nossas Crenças Fundamentais.

Eram eles: F.M.Wilcox (autor daquele artigo de 1913 e diretor de Publicações na ocasião), M.E. KernE.R. Palmer, e C.H. Watson”http://arquivoxiasd.com/fatos.htm

LeRoy E.Froom fez muitas pressões sobre o presidente Daniels para que a doutrina da trindade fosse incluída em nossas Crenças Fundamentais.

Daniels chegou a dizer que “primeiro era preciso deixar que certas feridas fossem curadas”. Talvez estivesse se referindo ao estabelecimento do Estado do Vaticano em 1929.

Numa outra ocasião, Daniels disse que “era preciso que certas pessoas estivessem fora de ação”, possivelmente querendo dizer que deveriam esperar que algumas delas morressem antes de levarem avante tais modificações.

Uma pergunta que cada membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia deveria fazer é: Como pode nossas Crenças Fundamentais, defendidas por décadas pelos nossos pioneiros, e aprovadas em 1894 por 1531 signatários na Assembléia de Battle Creek, serem modificadas por apenas quatro homens? (Em 1931 a Igreja Adventista contava com 300.000 mil membros).

e Foi desta forma que de maneira “oficiosa” a doutrina da trindade passou a fazer parte das Crenças Fundamentais dos Adventistas publicada no Year Book de 1931″http://arquivoxiasd.com/fatos.htm

No ano 2000, após 15 anos de diálogos, a IASD assinou um PACTO DE AMIZADE COM A ICAR NA POLÔNIAhttp://aodeusunico.com.br/nesse-templo-a-iasd-se-prostituiu/

Assim foi a apostasia da IASD e o crescimento de membros, sob o guarda-chuva do Vaticano tem levado a crescimento extraordinário.

Deus nos livre, não só da IASD, mas do sistema religioso como um todo, que deixou a verdade e nos conserve em Cristo – o caminho, a verdade e a vida – fiéis a ele e ao Seu Deus e Pai (Efésios 1:17, Apoc. 3:12).

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.