Header
Header
Header
Header
Header

CAOS DO CLIMA COM DATA MARCADA: 2047, SEGUNDO PESQUISA AMERICANA

outubro 10th, 2013 | Posted by Paulo Pinto in Artigos

TERMÔMETRO NO GLOBOTERMÔMETRO

JC e-mail 4831, de 10 de outubro de 2013

Neste ano, temperatura média do planeta será mais alta do que qualquer outra registrada até 2005

O mundo já tem um ano certo para testemunhar o estrago causado pelas mudanças climáticas. A partir de 2047, a maior parte do planeta terá uma temperatura média superior à registrada em qualquer outro período entre 1860 e 2005. O impacto do aquecimento global em florestas e recifes de corais reduzirá a oferta de água ealimentos, além de comprometer a biodiversidade e a sobrevivência de diversas espécies.

Os trópicos serão a primeira região do planeta a arcar com as consequências das mudanças climáticas. Rio e São Paulo, por exemplo, verão o termômetro registrar um aumento de aproximadamente 2 graus Celsius até o meio do século. O cálculo, publicado hoje na revista “Nature”, é de uma pesquisa da Universidade do Havaí.

– Pense no evento mais quente e traumático que você já experimentou. Ele, no futuro, será um fenômeno normal – explicou Camilo Mora, autor principal do estudo. – Vemos, hoje, cada vez mais notícias sobre pessoas que morrem devido a ondas de calor. Não tenho dúvidas de que este número vai crescer.

Em entrevista ao GLOBO, Mora avaliou que o aumento dos eventos extremos é “inevitável”.

– Quando deixamos um ecossistema, como a floresta tropical, exposto às mudanças climáticas, haverá uma menor oferta da comida e da água que precisamos. A redução da produção agrícola e da pesca são exemplos de como a sociedade não pode fazer vista grossa para os eventos climáticos – explicou.

O calendário do caos, porém, ainda pode ser alterado. De acordo com a pesquisa, as temperaturas recordes podem ser atrasadas em 20 ou 25 anos se houver um esforço global para controlar as emissões.

Parece pouco, mas, neste período, o homem poderia desenvolver uma tecnologia que ajudaria sua adaptação às mudanças climáticas.

– A realidade é: não importa o que façamos, vamos sofrer com os eventos extremos, como o aumento da temperatura. Mas isso não é desculpa para cruzar os braços – alertou Mora. – Teremos que passar por um teste, a adaptação a um novo ambiente. Vale a pena discutir como podemos ganhar tempo até desenvolvermos um meio para que esta transformação seja menos traumática.

A equipe de Mora usou a projeção de sete variáveis climáticas, como índices de precipitação, evaporação, transpiração e a temperatura da superfície do mar, assim como 39 modelos do sistema da Terra. A partir daí, os pesquisadores averiguaram qual seria a temperatura em mais de 10 mil regiões do planeta até o fim do século.

No Rio, atualmente, a temperatura média anual é 23,5 graus Celsius. Em 2050, será 26 graus. Em São Paulo, passará dos atuais 22 para 24,5 graus Celsius.

Na apresentação das projeções, Mora descreveu os estudos sobre o clima como uma “junção entre a ciência, o público e a economia. Por isso, não é de se estranhar que qualquer nova descoberta provoque grande interesse do público, mas também seja altamente politizada. O grau em que essas descobertas podem gerar mudanças positivas é frequentemente afetado por ataques à credibilidade da ciência”.

Outros cientistas não envolvidos com a nova pesquisa concordam que a redução das emissões teria um maior efeito a longo prazo, diminuindo o risco de que o clima alcance em breve um ponto em que o desencadeamento das mudanças climáticas torne-as catastróficas. Para eles, o estudo de Mora é uma forma mais didática de apresentar ao público algumas conclusões que já eram debatidas pela comunidade científica.

– Se continuarmos com o atual padrão de emissões de CO2, vamos empurrar os ecossistemas para condições climáticas que eles não apresentam há milhões de anos – alertou Ken Caldeira, climatologista do Instituto Carnegie para a Ciência, da Universidade de Stanford.

(Renato Grandelle/O Globo com informações do New York Times)

http://oglobo.globo.com/ciencia/caos-do-clima-com-data-marcada-2047-segundo-pesquisa-americana-10320219#ixzz2hKGSjMUF

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Deixe uma resposta