Header
Header
Header
Header
Header

A DOUTRINA DA TRINDADE À LUZ DA BÍBLIA

agosto 25th, 2012 | Posted by Paulo Pinto in Artigos

Nesta série de estudos, vamos analisar a doutrina da Trindade de acordo com a Bíblia. Para tanto, vamos saber primeiramente o que diz a doutrina da Trindade. O livro Manual da Igreja, tradução do original inglês Seventh Day Adventist Church Manual, em sua página 9, descreve a doutrina da Trindade da seguinte forma:

“Há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, uma unidade de três Pessoas co-eternas. Deus é imortal, onipotente, onisciente, acima de tudo e sempre presente. Ele é infinito e está além da compreensão humana, mas é conhecido por meio de Sua auto-revelação. É para sempre digno de culto, adoração e serviço por parte de toda a criação. (Deut. 6:4; Mat. 28:19; II Cor. 13:13; Efés. 4:4-6; I Pedro 1:2; I Tim. 1:17; Apoc 14:7.)” – Manual da Igreja Adventista do Sétimo Dia, 14º edição – 2001, pág. 9.

Analisando a descrição da doutrina da Trindade, vemos que esta apresenta as seguintes premissas:

1 – Há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, uma unidade de três Pessoas co-eternas.

Segundo esta afirmação, tanto o “Pai”, quanto o “Filho”, quanto o “Espírito Santo” são Deus, e são eternos. Assim, de acordo com esta afirmação, o Espírito Santo é uma pessoa, é um Deus e é eterno.

2 – Deus é imortal, onipotente, onisciente, acima de tudo e sempre presente.

A continuação do texto afirma que, como o “Pai” o “Filho” e o “Espírito Santo” são Deus, os três são imortais, onipotentes, oniscientes e sempre presentes. Então, segundo esta afirmação, o Espírito Santo é imortal, onipotente, onisciente e sempre presente.

3 – Ele é infinito e está além da compreensão humana, mas é conhecido por meio de Sua auto-revelação.

Aqui se está afirmando que Deus, ou seja, o “Pai”, o “Filho” e o “Espírito Santo” são infinitos e estão além da compreensão humana, mas são conhecidos por meio de sua auto-revelação. O texto não é claro em dizer como se dá esta auto-revelação.

4 – É para sempre digno de culto, adoração e serviço por parte de toda a criação.

O texto termina afirmando que Deus é para sempre digno de culto adoração e serviço por toda a criação. Assim, como a primeira afirmação desta doutrina diz que Deus é composto por três pessoas – o “Pai”, o “Filho” e o “Espírito Santo”, esta última afirmação também está colocando o seguinte raciocínio: O “Pai”, o “Filho” e o “Espírito Santo” são igualmente dignos de culto, adoração e serviço por toda a criação.

Assim, a doutrina da Trindade faz as seguintes afirmações referentes ao Espírito Santo:

A – O Espírito Santo é uma pessoa;

B – O Espírito Santo é um Deus – onipotente, onisciente e sempre presente;

C – O Espírito Santo é digno de adoração, assim como o Pai e o Filho.

Ao analisarmos estas afirmações, notamos que elas são interdependentes. Observamos também que as afirmações “B” e “C” só podem ser verdadeiras se a afirmação “A” o for, e a afirmação “A” diz que o Espírito Santo é uma pessoa. Isto significa dizer que, se o Espírito Santo não for uma pessoa, ele não pode ser um Deus, e por conseqüência não será digno de receber adoração. Isto porque Deus Pai e Deus filho são pessoas, tendo a semelhança do homem. A Bíblia afirma isso em Gênesis 1:26-27:

“Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”

O homem foi criado a imagem de Deus, e o homem é uma pessoa. Assim, Deus é também uma pessoa, tendo forma semelhante à do homem – um ser com cabeça, tronco, braços e pernas. Portanto, se o Espírito Santo for um Deus, ele deve ser uma pessoa, à semelhança do homem criado, pois Deus criou o homem à Sua imagem. Então, se não conseguirmos provar pela Bíblia que o Espírito Santo é uma pessoa, não poderemos afirmar que é um Deus.

Como a primeira premissa da doutrina da Trindade afirma que o Espírito Santo é uma pessoa, cremos que:

Se não conseguirmos provar pela Bíblia que o Espírito Santo é uma pessoa, então a doutrina da Trindade não possui base bíblica.

Ressaltamos isto porque, como vimos, a Bíblia é a nossa única regra de fé. Então, se a doutrina da Trindade não possuir base bíblica, não poderemos aceitá-la em hipótese alguma. Vamos, portanto, procurar base bíblica sólida que apóie a idéia de que o Espírito Santo é uma pessoa independente de Deus Pai e Deus Filho – Jesus Cristo.

Primeiramente, buscamos uma passagem bíblica que afirme expressamente que o Espírito Santo é uma pessoa. Fizemos uma busca de todas as passagens bíblicas que tratam do Espírito Santo, e não encontramos nenhuma que afirme categoricamente que o Espírito Santo é uma pessoa, ou mesmo que descrevesse o Espírito Santo como sendo uma pessoa.

Quando fomos procurar passagens que definissem a Deus Pai como pessoa, não tivemos dificuldade em encontrar – Daniel 7:9 menciona Deus Pai como sendo o Ancião de Dias:

“Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente.”

Esta passagem informa que Deus Pai, o “Ancião de Dias”, se assentou; tinha vestes brancas; tinha os cabelos da cabeça brancos como a lã. Esta descrição não nos deixa dúvidas de que Deus Pai é uma pessoa. Um número muito maior de textos bíblicos mostra que Jesus Cristo é uma pessoa. Entretanto, para confirmarmos que Jesus Cristo, o Deus Filho, é uma pessoa, basta lermos Apocalipse 1:13-16:

“E, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro. A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo; os pés, semelhantes ao bronze polido, como que refinado numa fornalha; a voz, como voz de muitas águas. Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força.”

O texto bíblico apresenta a Jesus com todos os característicos de uma pessoa, como cabeça, cabelos e pés, não dando margem a qualquer dúvida quanto a Cristo ser uma pessoa ou não. O mesmo não ocorre no tocante ao Espírito Santo. Não existe uma só passagem que o descreva.

Uma vez que não encontramos um texto bíblico que descreva a “pessoa” do Espírito Santo, como encontramos relativo a Deus Pai e a Deus Filho, procuremos então passagens que atribuam característicos de pessoa ao Espírito Santo, e o mencionem como alguém independente de Deus Pai e Deus Filho.

Desde que uma passagem bíblica, entendida dentro do seu contexto, sem contradizer outros textos bíblicos que tratem do mesmo assunto, atribua característicos de pessoa ao Espírito Santo e o apresente como alguém independente de Deus Pai e de Deus Filho, podemos aceitá-la como estando a provar que o Espírito Santo é uma pessoa.

Existem uma série de passagens bíblicas que atribuem característicos de pessoa ao termo “Espírito Santo”. Precisamos então analisar cada uma delas dentro do seu contexto, e compará-las com outras passagens que tratam do mesmo tema para que possamos ter seu correto entendimento. Mas antes de iniciarmos tal análise, vamos procurar compreender o que afirmam duas passagens bíblicas que trazem o termo “Espírito”:

“Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” – João 4:24

“Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” – II Coríntios 3:17,18

No evangelho de João, vimos a afirmação: Deus é Espírito. E o apóstolo Paulo, em sua segunda carta aos Coríntios afirma: O Senhor é Espírito. Qual é o Espírito ao qual estas passagens se referem? Um outro texto bíblico aclara isto:

“Todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele.” – I Coríntios 8:6

Paulo afirma expressamente que há um só Deus, o Pai e que há um só Senhor, Jesus Cristo. Sabemos que um texto da Bíblia não pode contradizer outro. Temos então que:

1 – Há um só Deus, o Pai (I Cor. 8:6), que é Espírito (João 4:24);

2 – Há um só Senhor, Jesus Cristo (I Cor. 8:6), que é Espírito (II Cor. 3:17,18).

Portanto, o termo “Espírito” nestes casos, só pode estar sendo usado para designar Deus ou Jesus Cristo. Não podemos negar que tanto DEUS (o Pai) quanto o SENHOR (Jesus Cristo) são santos. Assim, temos base bíblica para entender o termo “Espírito Santo”, como estando correto e apropriado para denominar Deus (o Pai) ou o Senhor (Jesus Cristo).

Se quisermos, portanto, afirmar pela Bíblia que o Espírito Santo é outro que não Deus (o Pai) ou o Senhor (Jesus Cristo), teremos que encontrar um verso bíblico que atribua ao termo “Espírito Santo” características de pessoa, e que claramente mostre que o termo “Espírito Santo” não está se referindo a Deus Pai ou ao Deus Filho (acabamos de ver pela Bíblia que isto é possível).

Tendo como base o que vimos acima, vamos analisar a parir de agora passagens bíblicas que atribuem característicos de pessoa aos termos “Espírito” e “Espírito Santo”.

FONTE: http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_1.htm

Índice

Apresentação
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/apresentacao.htm

Introdução
2 – A promessa do “Consolador”
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_2.htm

3 – O Espírito divide os dons como lhe apraz
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_3.htm

4 – O Espírito “geme e intercede”
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_4.htm

5 – O Espírito Santo perscruta as profundezas de Deus e ensina
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_5.htm

6 – O “Espírito” se entristece
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_6.htm

7 – O “Espírito” fala e dirige a igreja
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_7.htm

8 – Espírito dos profetas
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_8.htm

9 – A fórmula batismal
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_9.htm

10 – A comunhão (II Coríntios 13:13)
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_10.htm

11 – A “santificação do Espírito”
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_11.htm

12 – O pecado contra o Espírito Santo
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_11.htm

13 – O Espírito Santo e o ministério dos anjos
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/capitulo_13.htm

Reflexão final
http://www.adventistas.com/trindade/livro_online/conclusao.htm

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can leave a response, or trackback.

Deixe uma resposta