CINQUENTA ANOS DE SILENT SPRING

Artigo de Roberto Berlinck.
Roberto Gomes de Souza Berlinck é professor titular no Instituto de Química de São Carlos da Universidade de São Paulo. Artigo enviado ao JC Email pelo autor.
Em 1948 Rachel Carson, bióloga marinha, já sabia das consequências potencialmente devastadoras do acúmulo de defensivos agrícolas tóxicos (chamados de “biocidas” por Carson) em animais e plantas. Convencida da importância em tornar público o conhecimento sobre o perigo do acúmulo destas substâncias em plantas e animais, inclusive no homem, Carson procurou colegas para escrever um livro sobre o assunto. Mas não encontrou quem se dispusesse a fazê-lo. Buscou apoio financeiro, mas também teve dificuldade em conseguir. Decidiu, assim, assumir a responsabilidade em escrever e publicar o livro que seria considerado o marco inicial para o surgimento do movimento ambientalista: Silent Spring (“Primavera Silenciosa”), que neste ano completou 50 anos de publicação em 27 de setembro.

No seu livro Rachel Carson retrata um panorama bastante completo e complexo das consequências da utilização indiscriminada de defensivos agrícolas como o DDT, o DDD, o BHC, organofosforados e outros. Assim que foi publicado, seu livro foi também divulgado semanalmente pela revista The New Yorker, na forma de episódios. Embora a revista não tenha publicado a obra completa, nem foi preciso. O livro causou furor entre as empresas químicas e de defensivos agrícolas, como a Monstanto e a Dow Química. Muitos criticaram Carson como sendo uma histérica, que havia escrito um livro sem fundamento algum. A obra dividiu opiniões da sociedade americana, entre aqueles que acreditavam ser absolutamente necessário o uso de defensivos agrícolas tóxicos, e os que pediam a regulamentação severa, e até mesmo o abandono, do uso de vários agrotóxicos extremamente nocivos.

O livro de Carson levanta questionamentos importantes quando aparentemente tudo parecia certo sobre a necessidade em se produzir e utilizar substâncias químicas para melhorar a produção de alimentos, sem saber ou prever as consequências de se fazer uso das mesmas. A autora trabalhou durante 5 anos para escrever o livro, período em que esteve cada vez mais doente, tendo sido vítima de câncer de mama. Carson investiu toda sua energia para tentar esclarecer a sociedade sobre o problema da utilização massiva dos agrotóxicos, sendo extremamente objetiva, com uma persistência exemplar, realizando uma pesquisa extremamente detalhada buscando dar uma visão de longo alcance para sua obra. Sua pesquisa incluiu troca de correspondência diária, por carta, com pesquisadores de todo o mundo. Além de apresentar informações de forma extensa, Carson escreveu seu livro em um estilo pouco comum. Ao invés de ressaltar pontos e argumentos científicos para sustentar uma defesa contra o uso dos defensivos agrícolas tóxicos, apresentou questionamentos, inclusive sobre as evidências, levando o leitor a se envolver com o assunto. Não assumiu uma posição pelo leitor, mas amplificou as incertezas para que o público se envolva, participe e tome suas próprias decisões sobre o assunto. Mostrou, assim, ser uma questionadora extremamente honesta.

Rachel Carson praticamente previu a repercussão de sua obra, uma vez que buscou apoio, juntamente com sua editora Houghton Mifflin, de pesquisadores do assunto que estivessem dispostos a se pronunciar favoravelmente sobre o tema antes que o livro fosse publicado. Contudo, não viveu até que o uso do DDT fosse banido nos EUA em 1972. Seu livro serviu de ponto de partida para a implementação de políticas governamentais dos EUA, como a criação da Environmental Protection Agency em 1970, a publicação do Clean Water Act em 1972 e do Endangered Species Act em 1973. Além disso, em 1966 foi criado o Environmental Defense Fund por membros da sociedade civil, que serviu de ponto de partida para o surgimento do movimento ambientalista.

O livro vendeu mais de 2 milhões de cópias, graças a seu estilo didático e também pela divulgação feita pela The New Yorker. Em 1970, apenas 8 anos após a publicação do Silent Spring, os americanos elegeram a poluição como sendo o principal problema do país, à frente da Guerra do Vietnã e dos Direitos Civis. O sucesso do surgimento do movimento ambientalista se deveu, ao menos em parte, pela participação da população mais simples que vivia nos subúrbios das cidades. Perceberam que o ambiente e seus problemas estavam diretamente relacionados às suas vidas.

Algumas das principais consequências da publicação do Silent Spring:
– A Versicol, produtora do DDT, ameaçou processar tanto a editora do livro de Carson quanto a revista The New Yorker.
– Rachel Carson foi acusada de ser simpatizante do comunismo, por se presumir estar colocando em risco a alimentação do povo norte-americano.
– Carson teve o apoio público de John F. Kennedy, que estabeleceu um comitê nacional para investigar as consequências do uso excessivo de pesticidas.
– O uso do DDT foi banido nos EUA. Porém, com o consentimento que as empresas fabricantes continuassem exportando o produto.
– Carson foi acusada da morte de milhões de pessoas em todo o mundo por causa da malária, que é transmitida por picada de insetos que não podiam ser mais eliminados utilizando-se o DDT.
– Em todo o mundo foram implementadas regulamentações ambientais sobre as atividades industriais que geram resíduos tóxicos.

Após a publicação de Silent Spring o movimento ambientalista ganhou força política, e se expandiu em todo o mundo. Hoje as questões ambientais, que foram o principal tema da ECO-92 no Rio de Janeiro, parecem ter sido deixadas de lado, em decorrência do atual quadro econômico e por questões políticas de importância questionável face às necessidades urgentes da conservação da biodiversidade e das mudanças climáticas que afetam o planeta de maneira cada vez mais preocupante. Rachel Carson, dedicada e engajada como era, não iria gostar nada deste atual panorama.

* A equipe do Jornal da Ciência esclarece que o conteúdo e opiniões expressas nos artigos assinados são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Jornal da Ciência, JC e-mail 4637, de 05 de dezembro de 2012

JESUS: DE DIVINO FILHO DE DEUS A DEUS. ENTENDA O POLÊMICO DEBATE NOS PRIMÓRDIOS DA IGREJA.

Muitos, principalmente entre os que seguem as denominações religiosas, desconhecendo a Palavra de Deus e a história, defendem o dogma romano da trindade, afirmando existir um Deus Pai, um Deus Filho e um Deus Espírito Santo, que juntos formam o Deus trino ou triúno, figura inexistente nas Escrituras Sagradas, porquanto seja politeísmo deslavado.
A matéria constante na apresentação Power Point a seguir está publicada na Revista Galileu, número 173, de dezembro/2005.
Controversia Ariana3

Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR. Deuteronômio 6:4
Bendito seja o SENHOR Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas. Salmos 72:18
Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém. 1 Timóteo 1:17
Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém. Judas 1:25
Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Hebreus 10:12
A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado, e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores; 1 Timóteo 6:15
E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. João 17:3

E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Marcos 12:29

Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém. Romanos 16:27
Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus? João 5:44

Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro. Isaías 45:22.

SAIBA QUAIS SÃO OS PIORES ALIMENTOS QUE INGERIMOS!

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus”. 1 Coríntios 10:31.
Este é o desejo de Deus para cada um dos seus filhos.
Asim, devemos nos alimentar com bons alimentos, de preferência, o mais natural possível, como Deus os fez para nós.
No vídeo a seguir, Dr. Lair Ribeiro (Cardiologista e Nutrólogo), dá ma aula de como devemos alimentar e o que evitar. O médico:
– É autor de 35 livros, sendo que 15 se tornaram best sellers, 25 foram traduzidos para outros idiomas e disponíveis em mais de 40 países
– Teve 149 trabalhos científicos publicados em revistas médicas americanas indexadas
– Trabalhou em três universidades americanas: Harvard Medical School, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University
– Hoje trabalha em vários países da América do Sul, Central, do Norte e na Europa, ministrando conferências e Workshops sobre desenvolvimento pessoal e profissional
– Ministra cursos para médicos na área de antienvelhecimento e modulação hormonal bioidêntica.

NATUREZA HUMANA DE JESUS – PARTE II

NATUREZA PÓS LAPSARIANA (depois do pecado)

Logo após a entrada do pecado neste mundo, houve uma mudança drástica que afetou até mesmo o relacionamento do universo com nosso planeta. Satanás estabeleceu-se aqui mantendo a terra sob seu domínio e os seres humanos como seus reféns.

Todo o universo de Deus foi constrangido a conviver com o mal. Passou a existir duas dimensões territoriais: A LUZ – onde habita Deus, os anjos leais, e demais seres que não pecaram (supondo-se que haja habitantes em outros mundos Jó 1:6 e 2:1); AS TREVAS – constituídas por satanás os anjos desleais, e os seres humanos como reféns do mal.

Após a adesão da Terraao pecado, Deus veio explicar as consequências e responsabilidades que no futuro aguardavam a cada um dos envolvidos. Além das novas informações, havia a necessidade de algumas providencias a fim de adequá-los a nova realidade ambiental e espiritual.

A primeira das providências de Deus foi dar ao ser humanoa esperança de que através de um ato exclusivo da Divindade, traria a salvação aos pecadores e a consequente extinção do mal, deixando claro que isto somente seria possível através do sacrifício do Seu Filho Unigênito (Gênesis 3:15 RA).

Outra providência de Deus foi tornar claro que a vida neste novo contexto (convivência do bem com o mal) não poderia ser perene, pois isto seria perpetuar o sofrimento e a dor, e, em consequência inviabilizar Sua Palavra “certamente morrerás” (Gênesis 3:22-24)

É interessante como Deus lida com uma situação tão drástica com avaliações, aparentemente, tão simples (Gênesis 2:25; nos 3:10 e 3:21 RA), pois nós, seres humanos, tenderíamos a enfatizar as consequências mais marcantes como: o sofrimento, a morte etc.

Deus, em Sua Palavra, realçou a mudança no sentimento mais intimo do ser humano a sua nudez, mostrando-nos que antes do pecado isto não fazia a menor interferência no relacionamento divino-humano(Gênesis 2:25 RA), mas a desobediência produzira na personalidade humana dois terríveis sentimentos: o medo e a vergonha(Gênesis 3:21 RA).

A Palavra de Deus nos informa que sendo o homem senhor deste mundo (Gênesis 1:28)sua opção pelo mal trouxe consequências sobre a fauna e flora terrestre, isto é, o mal penetrou nas plantas fazendo com que algumas delas fossem nocivas ou causassem sofrimento, ou até morte aos seres vivos,

O mal passou a exercer influencia ao instinto animal fazendo com que alguns deles fossem predadores de outros, e perigosos aos seres humanos.O solo, também, foi afetado, de maneira que temos a presença de desertos e terras improdutivas. Ainda poderíamos mencionar que a ciência, hoje, é capaz de nos informar sobre a existência de um mundo microscópio dividido em parasitas, fungos vírus etc., alguns úteis, e outros nocivos aos seres vivo. Percebe-se, assim, que na maior ou menor escala o mal estar sempre presente e concorrendo com o bem.

De todas as maldições que a escolha pelo mal nos acarretou, a que me parece mais penetrante e danosa aos seres humanos é, sem dúvidas, a “NATUREZA PECAMINOSA”, esta natureza é capaz de extinguir nossa liberdade de escolher entre o bem e o mal, e somente em Deus é que podemestarneutralizados de seus efeitos, nos tornando livres outra vez, com capacidade de escolher seguir ao nosso criador (João 8:36).

A natureza pecaminosa faz com que cada pessoa que venha a este mundo seja, obrigatoriamente e inevitavelmente, um pecador, e como tal, já antecipadamente, esteja condenado a morte.

Esta situação manifesta-se de forma cabal no comportamento de infantes criancinhas, que ainda, mesmo sem saber discernir o certo e o errado, já manifestam, em suas atitudes, ações pecaminosas que evidenciam sentimentos malévolos tais como: egoísmo, agressividade, ciúme etc.

Podemos afirmar com segurança que todos os que nascem neste planeta, herdam de Adão um irreparável defeito em sua própria natureza, e mesmo que não houvesse tentação, assimmesmo, ainda manifestaríamos em nossa vida sentimentos e atos pecaminosos.

Para termos uma melhor compreensão desta verdade consideremos as palavras do Apostolo Paulo em Romanos 7: 18-25 “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim. Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.”

Não é difícil perceber que para a nossa situação não há saída que possamos conquistar pelos nossos esforços ou capacidade: estamos SIM PERDIDOS!Não há remédio para a raça humana em lugar nenhum, a não ser no próprio Deus.“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16 RA)

Com relação ao pecado temos que considerar que enquanto em sua natureza pré lapsariana o ser humano poderia escolher pecar, não estava constrangido ou impelido para o mal.
Hoje, em nossa condição pós lapsariano, NÃO ESCOLHEMOS PECAR, somos, por natureza, compungidos a isto. Antes do pecado éramos candidatos a VIDA ETERNA, hoje nascemos condenados a MORTE ETERNA.
Antes não necessitávamos de salvação e muito menos de um salvador. Hoje, carecemos desesperadamente de salvação e Salvador, sob pena de inevitavelmente perecermos.
Se fosse possível ao ser humano uma auto restauração, ou em outras palavras vencer o pecado ou a tendência para pecar (Natureza Pecaminosa), que necessidade ele teria de um Salvador?
Se, por outro lado, Jesus ou Deus nos desse,apenas, poder para vencermos o pecado (entenda-se como vitória sobre o pecado, a total liberdade do poder do mesmo em nossa vida, no presente e no futuro, não a simples vitória sobreuma tentação momentânea), em realidade Ele não estaria nos salvando, mas dando-nos condições para que nos salvássemos a nós próprios.

Logo a necessidade do ser humano NÃO É DE UM “SALVADOR” QUE SEJA UM MERO EXEMPLO E QUE APENAS NOS AJUDE A SALVAR-NOS A NÓS PRÓPRIOS.
A natureza pecaminosa “exige” UM SALVADOR QUE NOS SUBSTITUA E QUE SEJA CAPAZ DE NOS TRANSFERIR SEUS MERITOS EM NOSSO FAVOR. Alguém que realmente NOS SALVE! Ou seja, necessitamos de um SALVADOR IDONEO!

RESUMO DANATUREZA PÓS LAPSARIANA
1)O mal obteve sua maior vitória o sequestro de um planeta;
2)O campo de batalha do conflito entre o bem e o mal se transferiu, do céu, para o Planeta Terra;
3)O ser humano recebeu as consequências imediatas de sua escolha; dor, doença, sofrimento e a segunda morte;
4)A fauna e a flora também sofreram com a entrada do pecado neste mundo;
5)A natureza física, psíquica e espiritual do ser humano contaminou-se com o mal, de tal forma, que toda a raça humana padece debaixo da condenação e necessita desesperadamente de um SALVADOR IDONEO!
6)Todo ser humano passou a pecar, não mais por escolha, mas compungido pela “natureza pecaminosa”
7)Tendo em vista que alguns anjos criados perfeitos e o homem feito a semelhança de Deus, não foram capazes de obedecerem a Palavra de Deus,Satanás lançou uma aparente duvida no universo: “É impossível obedecer a Deus,mesmo em uma natureza pré lapsariana”

Continua no tópico: NATUREZA HUMANA DE JESUS–PARTE III
Fraternalmente,
Heráclito Fernandes da Mota.

“NASA PROMOVE ENCONTRO NA INTERNET PARA NEGAR O FIM DO MUNDO”


Imagem mostra objeto se chocando com a Terra (Foto: Reprodução/ internet)
RIO – De olho na aproximação do dia 21 de dezembro de 2012, data em que algumas pessoas acreditam que a antiga civilização maia previu o fim do mundo, e no aumento do fluxo de mensagens pedindo esclarecimentos sobre o assunto, cinco cientistas da Nasa participaram esta semana de um debate na internet para responder às dúvidas do público. Durante o encontro na rede social “Google Plus”, especialistas da agência espacial americana rechaçaram teorias apocalípticas como a de que um planeta errante chamado Nibiru, ou Planeta X, chocaria-se com a Terra e tentaram colocar um pé na realidade temores como o de uma tempestade solar de grandes proporções que poderia destruir boa parte de nossa tecnologia atual e deixar o planeta às escuras.

Leia também:
A pedra maia sobre o fim do mundo é a biografia de um guerreiro
Contagem regressiva para fim de uma era no calendário maia
– É tudo uma elaborada fantasia – afirmou David Morrison, astrobiólogo do Centro de Pesquisas Ames da Nasa. – Mas a verdade é que muitas pessoas estão verdadeiramente preocupadas e muitas delas escrevem sobre isso para a Nasa. Em particular, fico preocupado com os jovens que escrevem para mim e dizem estar apavorados, que não conseguem dormir, comer. Alguns deles contam que até consideram o suicídio. Acho uma maldade ficarem espalhando rumores pela internet para assustar crianças.
Quanto a Nibiru, um suposto planeta com órbita irregular que levaria 3,6 mil anos para completar uma volta em torno do Sol, os cientistas esclareceram que se um objeto tão grande existisse e estivesse em rota de colisão com a Terra ele já teria sido detectado.
– Não faz nenhum sentido, pois se ele estivesse lá nós o veríamos. Nós estaríamos acompanhando sua trajetória por uma década ou mais e agora ele seria o objeto mais brilhante no céu depois do Sol e da Lua. Você pode derrubar este rumor sozinho, basta sair e olha para o céu – disse Morrison.
Já com relação à atividade solar, uma pergunta feita por um dos internautas surpreendeu a heliofísica Mitzi Adams, do Centro de Voo Espacial Marshall. Segundo o boato citado pelo internauta, a Nasa teria previsto que o Sol sofreria um “apagão” entre os dias 21 e 23 de dezembro.
– Não há nada que conhecemos na física que permita que o Sol se desligue por três dias e depois ligue de novo – respondeu, sem, no entanto, afirmar que estamos totalmente livres de qualquer perigo. – A maior ameaça à Terra em 2012, no fim deste ano e no futuro vem da própria espécie humana.
Além do encontro na internet, a Nasa reeditou no último dia 13 de novembro uma página especial no seu site na internet em que responde a algumas das principais perguntas e temores sobre o fim do mundo. No ar desde 2009, a página já recebeu milhares de visitantes.
FONTE: http://br.noticias.yahoo.com/nasa-promove-encontro-internet-negar-fim-mundo-212010446.html

As Escrituras sagradas, no entanto, falam do Apocalipse, final da atual civilização como a conhecemos, quando o Messias, o Filho único do Deus único e verdadeiro, Jesus Cristo (Yeshua Hamashia), nosso Salvador e Senhor, voltará à terra para resgatar seu povo, aqueles que lhe são fiéis.
Vem buscar aqueles que refletem em sua vida os mais elevados ideais de Deus, expressos em sua santa Lei, o Decálogo (Êxodo 20).
Esses, não se envolvem com a adoração falsa em nenhuma de suas nuances.
Esses escolhidos de Deus, independente de placa religiosa, não adoram a uma trindade, não santificam um dia espúrio, pagão, o domingo, mas ao santo sábado do Senhor, não se envolvem com o Ecumenismo, porquanto nivela a verdade por baixo para obter maiorias e acumular riquezas temporais, não comemoram um Natal pagão (como o que está ai diante de nós), não se envolvem com a política porca deste mundo, pelo contrário, vivem como Cristo viveu, amando ao próximo, perdoando, ajudando aos desafortunados, proclamando Seu evangelho puro, aguardando a bendita esperança do povo de Deus em todos os tempos.
Mas, lembre-se das magistrais palavras de Cristo, quando aqui esteve em carne e osso entre nós (hoje ele se faz presente em espírito, espírito santo – Mat. 18:20):
Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai. Mateus 24:36
Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai. Marcos 13:32 (Perceba, que se houvesse mesmo uma trindade no céu, três co-iguais e co-eternos, Ele, certamente, teria falado da 3a pessoa elaborada nos Concílios de Nicéia e de Constantinopla).
Deseja você estar entre esses?
Decida-se agora mesmo.
Maranata!.

O PECADO CONTRA O ESPÍRITO SANTO CONFORME AS ESCRITURAS SAGRADAS E CONFORME OS QUE PASSARAM A ADORAR À UMA TRINDADE

Olá, “E CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ”, PALAVRAS CHEIAS DE SIGNIFICADO DITAS PELO DIVINO FILHO ÚNICO DO DEUS ÚNICO E VERDADEIRO, O PAI, EM JOÃO 8:32.

Leiamos Mateus 12:22-32:
22Trouxeram-lhe, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via.
24Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.
25Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.
26E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?
27E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam então vossos filhos? Portanto, eles mesmos serão os vossos juízes.
28Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus.
30Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.
31Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
32E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro
Mateus 12:22-32.
Os que deixaram a adoração ao Deus único e verdadeiro que sempre foi adorado pelo povo de Deus em todos os tempos, e passaram a adorar a uma trindade, fruto do politeísmo infiltrado no cristianismo nos dias de Constantino, ensinam que o pecado contra o Espírito santo, que eles chamam de 3ª pessoa da trindade, é rejeitar os apelos que Deus faz à humanidade.
Mas o texto mostra que o pecado contra o Espírito, do que Cristo foi cheio pelo Pai (Lucas 4:18) consiste em atribuir a Satanás a obra de Deus mediante Cristo, quando ele curou um endemoninhado cego e mudo, que ao ser expulso o demônio, passou a enxergar e a falar.
Nós cremos sim no Espírito Santo, pois pelas Escrituras sagradas é o precioso Espírito de Deus, mas não cremos num deus de 3 cabeças como o criaram no século IV.
Então, o que é o pecado contra o Espírito santo. Pela Bíblia é atribuir a Satanás a obra do Espírito de Deus que estava em Cristo. Pelos pastores é rejeitar a 3ª pessoa da trindade, inventada em Roma no século 4º dC.
O dilema que está diante de você e de mim é: Crer no que a Bíblia diz ou no que os pastores dizem. Amém aleluia.

ELLEN G. WHITE RECOMENDOU DEIXAR CRIANÇAS SEM COMIDA PELO MENOS POR 3 DIAS, ATÉ QUE SENTISSEM FOME

Escreveu EGW: “Nem a metade das mães sabem cozinhar ou o que pôr diante de seus filhos. Colocam perante seus filhinhos nervosos essas indigestas substâncias que ardem na garganta e por todo o caminho abaixo até às delicadas membranas do estômago, tornando-o como fogueira a arder, de modo que não reconhece a comida saudável. Os pequeninos chegam à mesa, e não podem comer isto, ou aquilo. Tomam o controle e comem justamente o que querem, seja ou não para benefício seu.
Eu recomendaria deixá-los ficar sem comida pelo menos por três dias, até que sintam fome bastante para tomar o alimento bom e saudável. Arriscaria deixá-los passar fome. Nunca pus em minha mesa comidas de que não permitisse que meus filhos participassem. Punha diante deles só aquilo de que eu própria comia. As crianças comiam isto, e nunca pensavam em pedir aquilo que não se encontrava na mesa. Não devemos condescender com o apetite das crianças, apresentando-lhes essas comidas indigestas”. Manuscrito 3, 1888. Temperança, p. 158.
Alguém conhece algum conselho desses na Bíblia sagrada, ainda que um livro antigo, escrito de cerca de 1500 antes de Cristo a cerca de 100 anos depois de Cristo?
Mas EGW também escreveu: “Eu não escrevo nenhum artigo, expressando meramente minhas próprias idéias. Eles são o que Deus me tem exposto em visão – os preciosos raios de luz brilhando do trono.” “Isto é verdade quanto aos artigos de nossas revistas e aos muitos volumes de meus livros. Tenho sido instruída em harmonia com a Palavra nos preceitos da lei de Deus.” (Testimonies, vol. 5, pág. 67, Mensagens Escolhidas, p. 29 e “Ellen G. White, Mensageira da Igreja Remanescente”, p. 35). “O Espírito Santo tem traçado verdades em meu coração e em minha mente.” (Testimonies, Vol. 5, p. 64,67; Carta 90, 1906)
Deus teria dado esse conselho a EGW?
É verdade que nos dias de EGW o mundo era outro, mas, mesmo nesses dias seria certo tratar uma criança indefesa assim? O erro das crianças comerem o que era inadequado nutricionalmente era culpa delas ou de suas mães segundo escreveu EGW? Então, por que punir tão duramente as crianças?
O certo seria reeducar as mães, a fim de que estas ensinassem às crianças a comerem certo ou infligir um castigo cruel e desumano, uma tortura, às crianças, deixando-as com fome por pelo menos 3 dias, visto que no próprio texto de EGW ela escreveu que eram as mães que não sabiam cozinhar e que colocavam diante das crianças “indigestas substâncias que ardem na garganta e por todo o caminho abaixo até às delicadas membranas do estômago, tornando-o como fogueira a arder”?
O que diz hoje no Brasil a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências?
Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
Os escritos de EGW foram, de fato, inspirados por Deus?
Ou a IASD teria criado o mito EGW como tantas outras seitas co-irmãs fazem, para vender livros, CD’s, DVD’s, e acumular grandes fortunas a partir de uma clientela ingênua e vítima de forte lavagem cerebral?

Disse Cristo: “E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente”? Lucas 11:11.

CONSELHO DE ELLEN G. WHITE: ANTES DE ORAR POR UM ENFERMO, VERIFICAR NA IGREJA SE ELE ESTÁ COM O DÍZIMO EM DIA

Por muitos anos, o irmão Ennis Meyer (no site www.adventistas.ws) tem publicado inúmeras matérias sobre fatos comprovados com os respectivos textos de livros de EGW, ou textos ainda não publicados e mantidos no Centro White, o que depõe muito mal contra sua obra e contra a igreja da qual é sua profetisa, venerada pela maioria dos membros da corporação religiosa que se afastou de Deus, ao entronizar um deus triúno (1980), oficializando o politeísmo, tudo para agradar à corporação religiosa mãe das meretrizes, com quem se associou na Polônia no ano 2000 (http://aodeusunico.com.br/?p=841), tudo para crescer em números de membros e de dólares.
O irmão Marcelo Almeida escreveu para este site, indagando: “E o que dizer do conselho de Ellen White de antes de orar por um enfermo, verificar na igreja se ele está com o dízimo em dia?

Será que Cristo orientou os discípulos a fazerem esse levantamento antes de curar algum doente?
E você, leitor, o que responderia? Os discípulos investigavam essa parte da vida financeira da pessoa enferma ou não?

O que me deixa estarrecido é que por mais absurdo que seja, sempre haverá alguém que aceitará com “bom efeito” o que Ellen White escreveu. Mas cada cabeça uma sentença.

EGW escreveu: “Nós primeiro devemos procurar saber se o doente não está retendo dízimos, ou se causou algum problema na igreja.” Ellen White – Healthful Living (1897, 1898), page 237, paragraph 4.

“We should first find out if the sick one has been withholding tithes or has made trouble in the church”

Este texto está em um capítulo que fala sobre a oração para os doentes. Cada parágrafo é um conselho sobre o assunto, e, no link abaixo, consta como “testemunho não publicado” de Ellen White.

O link que falei acima é:

http://text.egwwritings.org/publication.php?pubtype=Book&bookCode=HL&lang=en&collection=2&section=all&pagenumber=237

Para encontrá-lo siga os seguintes passos:
1. Acesse o site http://www.whiteestate.org/.
2. No menu do lado esquerdo, clique em “Search Writings of Ellen G. White”
3. Role a página até aparecer o rodapé e clique em “http://text.egwwritings.org
4. Escolha o idioma inglês (1º da lista) e pesquise pelo nome do livro – Healthful Living.
5. Procure pelo Capítulo 35 – Oração Para o Doente (Prayer for the sick) e clique nele.
6. Vá para a página 237 usando os botões de navegação no final da página.

O texto está no parágrafo de número 1021″.

O mito EGW a cada dia se desfaz.
A corporação iasd a cada dia é desmascarada em público nos quatro cantos da terra, e a sua nudez – triste nudez – é exposta.
Na BÍBLIA SAGRADA, em Apocalipse 22:18, lemos: “Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro”;
No caso em pauta, além de ser absurdo o conselho de EGW – porquanto o dízimo caducou na cruz de Cristo – além de ser absurdo para qualquer pessoa, sobre tudo para um enfermo, não o encontramos nas sagradas Escrituras.
“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Se o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. João 8:32 e 36.
PAULO COSTA PINTO.

TERRA ATINGE RECORDE NA EMISSÃO DE GASES DO AQUECIMENTO GLOBAL

Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm transgredido as leis, mudado os estatutos, e quebrado a aliança eterna.
Por isso a maldição tem consumido a terra; e os que habitam nela são desolados; por isso são queimados os moradores da terra, e poucos homens restam. Isaías 24:5-6.
Cada dia, nos aproximamos do Apocalipse e do retorno do nosso Senhor Jesus Cristo.
São muito oportunas as palavras de Cristo em Lucas 21:28, as quais devem nos alertar para viver a cada dia em sintonia com o único Deus verdadeiro, o Pai e Deus de Jesus (João 17:3), amando a Ele acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos (não entregando a nossa vida e bens às corporações religiosas que deixaram a verdade e se uniram ao Papado, inclusive a IASD, mas a Deus e ao Cordeiro, somente): “Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima”.

“Concentração de CO2 faz aumentar incidência de eventos extremos.
A emissão de gases-estufa na atmosfera atingiu um novo recorde no ano passado, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM). A liberação de CO2 atingiu 391 partes por milhão (ppm). Estima-se que, se este número chegar a 400 ppm, 90% dos recifes de corais, lar de grande parte da biodiversidade marinha, estariam comprometidos.
A relação entre os dois índices deve-se ao fato de os mares serem os maiores sorvedouros de CO2. Desde o início da era industrial, por volta de 1750, 375 bilhões de toneladas de gás carbônico foram lançadas na atmosfera. Metade ficou no globo; sendo a maior parte nos oceanos – um percentual menor foi recolhido pelas florestas do planeta.
A outra metade, no entanto, está na atmosfera, serve como um cobertor ao planeta, esquentando-o e dando margem a previsões cada vez mais pessimistas. O recorde na liberação de CO2 encontrado pela OMM corrobora um outro estudo, divulgado segunda-feira, pelo Banco Mundial. A organização alertou que, mantida a inércia atual, a Humanidade caminha para a liberação de 800 ppm em meados do século, o que aumentaria a temperatura global em 4º C.
Especialistas de ambas as entidades são descrentes em relação às decisões que podem ser tomadas na 18ª Conferência do Clima (COP), em Doha, na semana que vem (fim de Nov. de 2012). “A conferência é discussão política. Existe uma discussão global, mas ninguém abdica dos interesses nacionais”, lamenta Antônio Divino Moura, diretor do Instituto Nacional de Meteorologia e primeiro-vice-presidente da OMM. “Em cada reunião há um certo avanço, mas nunca é tanto quanto queríamos.”
É na COP que governantes decidem como vão se comprometer com metas estabelecidas pelos cientistas. Em relação à emissão de CO2, o ideal seria restringi-las a 350 ppm. Dessa forma, a temperatura global não subiria mais do que 2 graus Celsius em relação aos níveis pré-industriais. Estes objetivos, porém, já são encarados com ceticismo.
“O problema todo é que a energia mais barata e poluente vem do combustível fóssil”, salienta Divino Moura. “As energias alternativas, como a eólica e a solar, auxiliam parcialmente, mas não servem para todos. Por isso um acordo é adiado em todas as reuniões.”
Especialista em mudanças climáticas e administração da gestão de riscos de desastres do Banco Mundial, o queniano Erick Fernandes revela que o Banco Mundial, que atua apenas como observador nas COPs, ainda não sabe explicar por que a incidência de eventos extremos aumentou tão drasticamente nas últimas décadas – entre os exemplos estão o revezamento de grandes estiagens com enchentes na Amazônia desde 2005, a onda de calor na Rússia em 2010 e a tempestade Sandy, no mês passado, nos EUA.
“Por enquanto, o objetivo foi ver o que dizem as pesquisas”, ressalta. “Em até dois meses, veremos os impactos, talvez separadamente em cada parte do globo. Já se sabe que o Sandy pode ter custado até US$ 50 bi para Nova York. Queremos medir o prejuízo causado por outros extremos.”
(O Globo) Publicado no Jornal da Ciência e-mail 4627, de 21 de novembro de 2012.?

NATUREZA HUMANA DE JESUS – PARTE I

A fim de aprendermos sobre a natureza humana de Jesus é necessário compreendermos a natureza do ser humano antes e após o pecado.
NATUREZA PRÉ LAPSARIANA(antes do pecado)
a)Era o homem um ser imortal ou passível de morte?
b) A natureza humana era susceptível somente a Deus, não podendo absorver influência de outro ser, ou seriam seus próprios desígnios (vontade, escolha, decisões etc.) capazes de originarem-se independente de seu Criador?
c)Haveria a possibilidade de o homem aprender sobre o mal, sem contaminar-se?
Era o homem um ser imortal ou passível de morte?
Mesmo que as Escrituras não nos informe de forma clara e explicita sobre a condição da natureza humana antes do pecado, isto é, se era um ser passível de morte ou imortal quando saiu das mãos de seu Criador, com absoluta conclusão lógica, compreendemos que jamais poderia o ser humano ter sido criado com vida eterna inerente em si mesmo, por dois motivos básicos:

PRIMEIRO – É visível, no desenrolar do relato de Gênesis, a possibilidade de a humanidade separar-se de sua única fonte de vida: DEUS, o que consequentemente ocorreu com a entrada do pecado, materializando assim a possibilidade de morte para Adão e Eva, bem como para todos os seus descendentes, fato que evidencia ter sido o homem criado com a possibilidade de morrer.

SEGUNDO – Se Deus criasse seres livres e imortais, com todas as prerrogativas que a liberdade oferece, estaria com isto colocando em CAOS a segurança de todo o universo, uma vez que, caso a liberdade e a eternidade fossem atributos inerentes (próprios e inseparáveis) aos seres na criação, consequentemente não haveria a possibilidade de revogá-los, e existindo no atributo da liberdade a probabilidade de rebelar-se contra o seu Criador, com certeza, não haveria como Deus destruir os possíveis rebeldes, visto que eram imortais por natureza, isto é, tal situação fugiria ao controle do próprio Deus, e se eternizaria o conflito entre o bem e o mal.

Tendo em vista estas considerações haveremos de concluir que o ser humano ao sair das mãos de Seu Criador era de uma natureza perfeita, isto é, nenhuma tendência tinha para pecar, mas que dependia exclusivamente de Deus para continuar vivendo, logo não possuía em si o dom da imortalidade, e embora seu destino futuro não fosse a morte, era ele um ser passível da morte, caso se separasse da fonte da vida: DEUS
A natureza humana era susceptível somente a Deus, não podendo absorver influência de outro ser, ou seriam seus próprios desígnios (vontade, escolha, decisões etc.) capazes de originarem-se independente de seu Criador?
Em qualquer exame sobre a origem da discórdia de Satanás, a degradação do ser humano, ou a origem do pecado, inevitavelmente, encontraremos uma ligação direta e inseparável ao dom da LIBERDADE ou do livre arbítrio, atributo este proveniente da essência de Deus, O AMOR.

Avaliando-se o fato de que um Deus de amor jamais criaria seres que Lhes fossem mecanicamente submissos;
Considerando que seres livres teriam na liberdade a possibilidade de total e absoluta independência própria;
Haveremos de concordar que o homem não era perceptível somente as influências Divinas, mas também poderia ser induzido por outro ser, e, inclusive, poderia ter uma atitude própria independente do Criador ou de quaisquer influências exteriores, de forma que poderia, inclusive, ter se tornado o iniciador da rebelião, caso Satanás não houvesse pecado antes.

Diante destas observações concluiremos que ETERNIDADE e LIBERDADE, somente podem ser atribuídos concomitantemente a seres que, por experiência de fé, reconhecem sua ETERNADEPENDÊNCIA ao seu Criador.
Em outras palavras, a ETERNIDADE COM LIBERDADE somente subsistem, se submissas a SOBERANIA DIVINA.

Haveria a possibilidade de o homem aprender sobre o mal, sem contaminar-se?

Da maneira como a tentação foi apresentada a Eva escondia-se esta possibilidade com a falsa promessa de que ela seria “semelhante a Deus, conhecedora do bem e do mal”, só que estava implícito que isto somente seria possível através da desastrosa experiência da contaminação com o mal.

Uma analise superficial, isto é, sem o crivo contextual da Palavra de Deus, ou seja, argumento por argumento, parecia incontestável a afirmativa satânica de que Deus estava escondendo o mal de suas criaturas, e que se isto fosse realmente verdade, o “temor” do Criador era com a possibilidade de ter que competir com seres criados, mas que, após a experiência com o mal, haviam adquirido igualdade em sabedoria e imortalidade.

É importante lembrar que antes do homem pecar, Deus já havia tomado providências para que o ser humano fosse instruído sobre a existência do mal, vejamos o que a Palavra de Deus nos diz: “E o Senhor Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” (Gênesis 2:16-17)

Inevitavelmente, alguns hão de perguntar: Era aquela arvore de natureza híbrida, havendo uma mistura do bem e do mal incorporados nela?
Claro que não!

Deus estava, através daquela árvore, ensinando a suas criaturas sobre a existência do mal e o possível confronto, o qual exigiria o conhecimento de que o mal consiste em desobediência a Palavra Divina, e que o conhecimento do bem consiste em confiar e se submeter às orientações de nosso Criador, logo naquela arvore estavam implicitamente contidos a instrução da vida e do bem, se obedecessem, e o conhecimento teórico(ou pela fé) do mal, todavia a prática da desobediência conduziria a contaminação com o mal, e que consequentemente levaria a morte.
Levando-se em conta a lição obtida através da exposição da arvore do conhecimento do bem e do mal, além das consequências oriundas da livre escolha do homem, poderemos perceber duas coisas que nos parece fundamentais:

a) Deus não escondeu o conhecimento do mal ao ser humano, apenas não queria que o mesmo experimentasse e fosse contaminado;
b)É desejo de Deus que o nosso conhecimento do mal seja através de Suas revelações, e jamais de forma experimental.
Resumo

1)Deus fez o homem sem qualquer mancha de contaminação com o mal, com liberdade a ser exercida mediante a segurança de um relacionamento de dependência, embora com a possibilidade de seguir sua própria vontade (escolha de um caminho próprio), ou submissão à influência de outro ser

2)Sendo assim, fica claro que o exercício da liberdade redundaria em uma das seguintes possibilidades:

a)Desobedecer assumindo uma atitude diferente das orientações do Criador, por iniciativa própria ou influencia de um outro ser que não fosse Deus, tornando-se condenado à morte (certamente morrerás Gênesis 2:17), com consequências a sua própria natureza, carregando em si a maldição e transmitindo-a aos seus descendentes;
b)Obedecer, isto é, exercer a liberdade de escolha em confiança e submissão à vontade Divina, permanecendo como um ser livre, sem condenação, podendo desfrutar da eternidade concedida por Deus, tendo o privilégio de transmitir esta benção a todos os seus filhos;

3)Observando pelo prisma dos fatos ocorridos, concluímos que o pecado entrou neste mundo por duas vias

a)por escolha (caso de Adão);
b)por desconfiança na Palavra de Deus e aceitação da palavra de Satanás (caso de Eva), isto, é no ser humano não havia afeição para a prática do pecado, ou seja, não havia o desejo (concupiscência) pecaminoso na sua própria natureza, mas havia a liberdade de escolha.

4)Antes de rebelar-se o ser humano, embora não estivesse condenado ou destinado a morte, era um ser passível de morte. Hoje nós, não somente somos passiveis da morte, mas somos seres condenados a morrer.

5)Antes de ceder ao pecado o homem não tinha necessidade de um salvador, mas de um padrão, “exemplo”, ou seja, um orientador e mantenedor de sua vida, logo o exercício de sua escolha, independente das orientações Divinas, é que poderia redundar na necessidade de salvação.
Continua no tópico: NATUREZA HUMANA DE JESUS–PARTE II
Fraternalmente,
Heráclito Fernandes da Mota.

FALTA DE VERGONHA: O HOLOCAUSTO TEVE O AVAL DA IASD E DE OUTRAS CORPORAÇÕES RELIGIOSAS. AS FOTOS SÃO MUITO FORTES.

As fotos são profundamente lamentáveis, ao registrarem um dos capítulos mais tristes da história da humanidade.
Satanás teve a oportunidade de mostrar ao mundo e ao universo seu caráter e as lideranças das corporações religiosas, também.
E a história se repete, infelizmente.
Que você me diz dessa outra história constante desse e dos links relacionados
http://www.adventistas.com/agosto2005/iasd_nazista.htm ?
Defensores da iasd, embora apenas apaixonados pela seita, como eu também fui quando sob fortíssima lavagem cerebral durante 41 anos, mas sem qualquer documento afirmam que o apoio que as igrejas adventistas na Áustria, Alemanha,… deram a Hitler foi um ato apenas deles e não da corporação (ir)religiosa mediante a associação geral nos EUA.
Temos indagado: 1- Conhece algum ato da Conferência Geral à época, punindo as lideranças européias e seus liderados por terem riscado os nomes de todos os judeus adventistas (embora em plena comunhão com Cristo) do rol de membros das igrejas adventistas, apenas por serem judeus, para agradarem a Hitler – como confessaram à boca pequena 60 anos depois do holocausto – e os enviaram para os campos de concentração nazista de onde só saíam – com raras exceções – na forma de fumaça pela chaminé???????
Então, o crime é da IASD e não apenas de uns poucos na Europa!!!!
2- Não foi a mesma iasd que parrticipou do projeto whitecoat, do genocídio de Ruanda, … que aceitou o dogma da trindade oficialmente pela primeira vez em uma reunião da conferência geral em 1980, e se acha engolfada no ecumenismo satânico? http://aodeusunico.com.br/?p=407…..?
3- Não é essa mesma a iasd que ainda nos dias da sua profetisa foi considerada sem a presença de Deus e que se precisava deixar novamente a corporação por ela também ter deixado a verdade? “A igreja está na condição laodiceana. A presença de Deus não está no meio dela”. Notebook Leaflets, vol. 1, pág. 99. Eentos Finais, p. 49.
“Como reformadores, elas haviam saído das igrejas denominacionais, mas desempenham agora uma parte semelhante à que desempenharam as igrejas. Tínhamos a esperança de que não haveria necessidade de OUTRA SAÍDA”. Eventos Finais, p. 48.

Exatamente, como foi, previsto há cerca de 66 anos… o que Hitler fez…

HÁ 66 ANOS ATRAS ESSAS IMAGENS FICARAM NA HISTÓRIA

É uma questão de História lembrar que, quando o Supremo Comandante das Forças aliadas (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, etc.), General Dwight D. Eisenhower encontrou as vítimas dos campos de concentração, ordenou que fosse feito o maior número possível de fotos, e fez com que os alemães das cidades vizinhas fossem guiados até aqueles campos e até mesmo enterrassem os mortos.
E o motivo, ele assim explanou:
‘Que se tenha o máximo de documentação – façam filmes – gravem testemunhos –
porque, em algum momento ao longo da história, algum idiota se vai erguer e dirá que isto nunca aconteceu’.
“Aquele que se esquece do Passado está fadado a Repeti-lo!”
‘Tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens de bem nada façam’.
(Edmund Burke)
Os “sem luz” querem que se repita essas cenas…
Relembrando:
Ha poucos dias, o Reino Unido removeu o Holocausto dos seus currículos escolares porque
“ofendia” a população muçulmana,
que afirma que o Holocausto nunca aconteceu…
Este é um presságio assustador sobre o medo que está a atingir o mundo, e o quão facilmente cada país se está a deixar levar.
Estamos há mais de 66 anos do término da Segunda Guerra Mundial.
Esta matéria é um alerta, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos, 1900 padres católicos e muitas Testemunhas de Jeová, resumindo; (SERES HUMANOS) que foram assassinados, massacrados, violentados, queimados, mortos à fome e humilhados, enquanto Alemanha e Rússia olhavam em outras direções.
Agora, mais do que nunca, com o Irã, entre outros, sustentando que o ‘Holocausto é um mito’,
torna-se imperativo fazer com que o mundo jamais esqueça.
Talvez você possa estar pensando que são imagens forte demais para repassar aos seus amigos!
Mas elas são reais e a verdade nunca deve ser escondida, e os inocentes… jamais esquecidos!
Isso que está vendo foi apenas um pouco do que aconteceu.
Vai querer arriscar que isso tudo se repita?
Ainda não acabamos, tem mais de onde sairam essas…
http://manhaneira.blogspot.com.br/2011/11/ha-66-anos-atras.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/lhMvA+(Manhaneira,+velha+amiga+e+companheira!)

ELLEN WHITE DECLAROU QUE “É PECADO SER DOENTE”

Segundo Ellen White além de ser pecado tomar chá e café, ela também declarou que é pecado ser doente.
“É pecado ser doente, pois TODA a doença é resultado de transgressão. Muitos sofrem em consequência da transgressão de seus pais. Estes não podem ser censurados pelo pecado de seus pais; não obstante, é seu dever, indagar em que seus pais violaram as leis do seu ser, que trouxeram sobre seus descendentes tão desditosa herança; e naquilo em que os hábitos de seus pais foram errados, devem eles mudar de procedimento, e guiar-se por hábitos corretos, em melhor relação para com a saúde.” – Conselhos Sobre Saúde, página 37, escrita em 1866.
Veja que, embora o pecado tenha trazido doença e morte a nós seres humanos, a Bíblia Sagrada não confirma esta declaração de Ellen White ao escrever que “TODA a doença é resultado de transgressão”. (destaque acrescentado) Leiamos:
“Então saiu Satanás da presença do SENHOR, e feriu a Jó de úlceras malignas, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.” – Jó 2:7, 10.
“E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu:Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.” João 9:1-3.
Se for pecado estar doente porque TODA a doença resulta de transgressão, entãoEllen White pecou muito, pois durante a sua vida ela esteve muitas vezes doente. Certa vez Ellen White esteve muito doente por três semanas. Seus pais e o marido uniram-se em oração por ela, mas a angústia que ela sentia era tão grande que rogava para que eles não mais orassem por ela.
“Quando voltamos, caí muito doente, e sofri extremamente. Meus pais, marido e irmãs uniram-se em oração por mim, mas continuei a sofrer por três semanas. Freqüentemente desfalecia como morta, mas em resposta à oração me reanimava. Minha angústia era tão grande que eu rogava àqueles que me rodeavam que não orassem por mim, pois pensava que suas orações me estivessem prolongando os sofrimentos. Nossos vizinhos, já sem esperanças, abandonaram-me. Durante algum tempo, aprouve ao Senhor nos provar a fé.” – Vida e Ensinos, Página 89
Em 1911 Ellen White escreveu sobre uma luta interna que passou quando deixou o uso do vinagre, ela disse que esteve muito doente por varias semanas aponto de todos pensarem que era impossível viver.
“Houve um tempo em que me achei em alguns respeitos em situação semelhante à vossa. Condescendera com o desejo de usar vinagre. Resolvi, porém, com o auxilio de Deus vencer isto. Combati a tentação, resolvida a não ser dominada por esse hábito.
Estive muito doente por várias semanas; mas dizia repetidamente: O Senhor sabe tudo a esse respeito. Se eu morrer, morrerei; mas não cederei a esse desejo. A luta continuou, e fui duramente afligida por muitas semanas. Todos pensavam que me era impossível viver. Podeis estar certos de que buscamos mui fervorosamente ao Senhor. Foram feitas as mais fervorosas orações por meu restabelecimento. Continuei a resistir ao desejo de usar vinagre, e venci afinal. Agora não tenho inclinação para provar qualquer coisa dessa espécie. Esta experiência me tem sido, por muitas maneiras, de grande valor. Obtive inteira vitória.” – Conselhos Sobre o Regime Alimentar, página485, escrito em 1911.
Como poderia Ellen White ter ficado doente e quase morrer, só porque interrompeu o uso do vinagre, se o vinagre em si é acido acético e o mesmo não é viciante.
O ácido acético não causa dependência, porém o álcool vicia causando delírio e alucinações.
O tipo de luta que Ellen G. White descreveu que ocorreu com ela, só acontece com pessoas viciada em álcool. Pois o álcool é altamente viciante. E mais, essa luta que ela teve para deixar o uso do vinagre, é uma prova clara que a mesma era viciada em vinagre com elevado porcentagem de álcool como também essa luta indica que este vicio de vinagre com elevado porcentagem de álcool vinha de muitos anos.
O sintoma que Ellen White descreveu que sentiu ao deixar de usar vinagre são sintomas da síndrome da abstinência alcoólica. Somente um alcoólatra crônico sofre quando para de bebe.
Na época de Ellen White o vinagre usado era caseiro. No entanto, nem todo o álcool é convertido em ácido acético.
Certa quantidade permanece, e essa quantidade varia de acordo com vários fatores, incluindo o tempo a mistura que foi deixada a fermentar.
Vinagre comprado na prateleira de um supermercado de hoje contém aproximadamente 0,5% de álcool, que é bastante pequeno.
É impossível determinar exatamente quanto álcool estava presente no vinagre utilizado pela Sra. White porque ela provavelmente utilizava o vinagre caseiro. Uma vez que não sabemos todas as condições que foram usadas na produção do vinagre, é difícil dizer exatamente quanto álcool estava nele. Temos de procurar outras pistas quanto ao seu teor alcoólico.
Hoje o vinagre que compramos na loja tem um teor alcoólico mais baixo do que o vinagre caseiro de meados da década de 1800.
É evidente que o vinagre que Sra. White usava era muito mais forte e mais potente do que o vinagre vendido nos supermercados de hoje.
(Adaptado por Aristoteles Pereira de Oliveira do estudo “Swill Segredo de Ellen White” de Elaine Bowerman e Dirk Anderson). http://aodeusunico.com.br/?p=1092

A PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA BRASILEIRA E A LIBERTAÇÃO QUE CRISTO NOS TROUXE: DO PECADO, DA MORTE ETERNA E DOS LÍDERES RELIGIOSOS CORRUPTOS

Olá,
“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, palavras libertadoras de Cristo, o divino Filho único do Deus único, o Pai, em João. 8:32.
“A Proclamação da República Brasileira foi um levante político-militar ocorrido em 15 de novembro de 1889 que instaurou a forma republicana federativa presidencialista de governo no Brasil, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil e, por conseguinte, pondo fim à soberania do imperador Pedro II. Foi, então, proclamada a República dos Estados Unidos do Brasil.
A proclamação ocorreu na Praça da Aclamação (atual Praça da República), na cidade do Rio de Janeiro, então capital do Império do Brasil, quando um grupo de militares do exército brasileiro, liderados pelo marechal Deodoro da Fonseca, destituiu o imperador e assumiu o poder no país.
Foi instituído, naquele mesmo dia 15, um governo provisório republicano. Faziam parte, desse governo, organizado na noite de 15 de novembro de 1889, o marechal Deodoro da Fonseca como presidente da república e chefe do Governo Provisório; o marechal Floriano Peixoto como vice-presidente; como ministros, Benjamin Constant Botelho de Magalhães, Quintino Bocaiuva, Rui Barbosa, Campos Sales, Aristides Lobo, Demétrio Ribeiro e o almirante Eduardo Wandenkolk, todos membros regulares da maçonaria brasileira”. (Fonte: Wikipédia)
Assim, o nosso país se libertou de uma vez do jugo de Portugal.
No que se refere à fé, também damos graças a Deus por nos ter enviado seu único Filho, Jesus Cristo, para nos libertar do pecado e do jugo dos líderes religiosos que, embora separados de Cristo, impõem um jugo de dominação sobre os crentes, para assegurar o enriquecimento material de suas corporações, ainda que perdendo o céu.
Esses líderes ensinam que o que está escrito em Mateus 16:18 e 19 “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”; “tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”,se aplica a eles líderes e às suas Igrejas, denominações ou corporações religiosas, que podem colocar as pessoas no céu ou fora dele. Dessa mentira deslavada Cristo também veio nos libertar. Graças a Deus por isso.
Na realidade Cristo estava referindo-se a Ele mesmo, fato reconhecido pelo próprio Pedro em I Pedro 2:4 a 8 (favor ler e conferir. É muito importante também ler a matéria: “Dez Provas de que Pedro nunca esteve em Roma”, em:http://aodeusunico.com.br/?p=737).
Hoje as denominações religiosas mantêm seus membros cativos, vendendo-lhes suas cestas básicas, recheadas de livros de profetas modernos, livros dos doutores em divindade, meditações matinais para os jovens e até só para as mulheres, CD´s, DVd´s, pedaços de toalhinha benzidos, óleo santo, meia “ungida”, etc. Uma clientela cativa numerosa e crescente não é algo para se rejeitar jamais.
Estou certo de que Cristo diria à maioria dos líderes religiosos de hoje, aos que têm mantido os membros sob um jugo de servidão e tirando-lhes seus bens em troca de uma falsa esperança – assim como Portugal e outros países fizeram com o Brasil por muito tempo – o mesmo que ele disse aos líderes religiosos dos seus dias: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós”. Mateus 23:15.
Concluindo, leia o que diz o divino Filho do Deus único e verdadeiro, a maior autoridade do universo depois do pai, aos que desejam com sinceridade a salvação: “E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre”. Apocalipse 3:7.
A esse devemos temer; a esse devemos seguir, sem medo de ser felizes.
Em Cristo, podemos proclamar a independência do pecado, da morte eterna e dos líderes religiosos corruptos.

Esta matéria foi apresentada pela primeira vez em 15.11.2011 pelo programa A Voz e A Verdade apresentado diariamente de 2a a 6a às 6:50h, sábados e domingos às 14:00h (apenas 4 minutos de fala) pela Rádio Juazeiro, ZYH 459, 1190 Khz e pela webTV no endereço http://www.radiojuazeiro.com.br e repetida na manhã de 15.11.2012.

Traduzir Site »