Header
Header
Header
Header
Header

    COMO A IASD PREGAVA ANTIGAMENTE?

Daniel Bervedere, Seminário “As revelações do Apocalipse”, Lição 18, página 3, 1986.

O pacto de amizade entre IASD e ICAR foi assinado em 2000.

Veja agora Leandro Quadros pregando sobre isso (mais…)

adra-mutirao-de-natal-300x170     YIN-YANG

Qualquer semelhança entre os símbolos é mera coincidência?
http://adventistas.org/pt/adra/projeto/manual-do-mutirao-de-natal/

MAIS UMA EDIÇÃO.

VEJA NO SITE DO VATICANO A ORIGEM DA PARCERIA.

http://www.zenit.org/pt/articles/discurso-do-papa-a-representantes-ecumenicos-dos-bispos-da-polonia-e-de-outras-religioes
ESTE É O SITE DO VATICANO CONFIRMANDO O ACORDO DE 2000 (IASD-ICAR) E, NO FINAL DETERMINANDO O MUTIRÃO DE NATAL QUE A IASD PASSOU A FAZER (FEZ ISSO ANTES DO PACTO? É BOM LEMBRAR QUE NOS TERMOS DO PACTO SE FALA DE UM DÁLOGO IASD-ICAR DE PELO MENOS 15 ANOS, E O QUE MAIS UNIU AS DUAS EMPRESAS DA RELIGIÃO FOI A CRENÇA NA TRINDADE).

O NATAL QUE ESTÁ AÍ É PAGÃO, COMEMORA O SOL INVICTO ADORADO PELOS PAGÃOS, SEMÍRAMIS, NINRODE,… NADA TEM A VER COM O NASCIMENTO DO FILHO DE DEUS. E A IASD ENTROU NESSA TAMBÉM). CONFIRA TUDO. http://www.zenit.org/pt/articles/discurso-do-papa-a-representantes-ecumenicos-dos-bispos-da-polonia-e-de-outras-religioes

VEJA NO FINAL DO 7o. PARÁGRAFO DO FIM PARA O COMEÇO:
“Neste momento, gostaria de mencionar: a assinatura, no ano 2000, feita também neste templo pela Igreja católica romana e pelas Igrejas associadas no Conselho Ecuménico Polaco, da declaração do reconhecimento recíproco da validez do baptismo; a instituição da Comissão para o Diálogo, da Conferência Episcopal Polaca e do Conselho Ecuménico Polaco, à qual pertencem os Bispos católicos e os Chefes de outras Igrejas; a instituição das comissões bilaterais para o diálogo teológico entre católicos e ortodoxos, luteranos, membros da Igreja nacional polaca, mariavitas e adventistas; a publicação da tradução ecuménica do Novo Testamento e do Livro dos Salmos; a iniciativa chamada “Obra natalícia de ajuda às Crianças“, na qual colaboram as organizações caritativas das Igrejas: católica, ortodoxa e evangélica“.

PERCEBE A ORIGEM DO MUTIRÃO DE NATAL?

AJUDAR OS POBRES DEVE SER UM DEVER DO CRENTE O ANO TODO. OU SÓ SE TEM FOME NO NATAL PAGÃO? E AJUDA COM OS BENS DOS OUTROS? E O DÍZIMO BILIONÁRIO RECOLHIDO SOBRE TUDO DOS FIÉIS POBRES http://news.adventist.org/pt/archive/articles/2012/04/02/is-the-adventist-church-missing-12-billion? SÓ PARA O BOLSO DOS PASTORES (FALSOS LEVITAS)? SE O DÍZIMO ESTÁ EM VIGOR, POR QUE NÃO CUMPREM DEUTERONÔMIO 14:28-29 E CAPÍTULO 26:12??? SE COBRA DÍZIMO EM DINHEIRO (ALGO NUNCA VISTO NAS ESCRITURAS) POR QUE NÃO O REPARTE COM OS POBRES? REPARTE APENAS O EXTRA QUE A POPULAÇÃO DÁ????
APOC 18:4!!!

http://noticias.adventistas.org/pt/noticia/comportamento/igreja-adventista-abriga-jovens-catolicos-da-jornada-mundial-da-juventude/
Sabe-se que em 2000 a iasd e a icar assinaram na Polônia um pacto de amizade e o que mais uniu as duas organizações religiosas foi a crenã na “doutrina” da trindeade, conforme site da iasd.

Os termos do pacto de amizade podem ser vistos em http://aodeusunico.com.br/?p=841

A matéria descreve que “os jovens da Igreja Central deram aula de boa convivência e hospitalidade cristã”.
PERGUNTA-SE: COMO ELES FORAM CONTATADOS? QUEM INTERMEDIOU?
OS 170 JOVENS CATÓLICOS SÃO DA ITÁLIA – ONDE ESTÁ O TRONO DO PAPADO.
A MATÉRIA AFIRMA QUE ELES “foram chegando aos poucos, gratos e surpresos pela cordialidade. Recepção no aeroporto, com direito a translado, alimentação e barracas organizadas para a semana de peregrinação. Só pediram um teto, mas receberam muito mais”.

PORQUE A iasd E NÃO OUTRA SEITA?

ISSO TEM OU NÃO TUDO A VER COM O PACTO DE AMIZADE ASSINADO EM 2000 NA POLÔNIA? http://aodeusunico.com.br/?p=841

Em www.adventistas.ws lemos:

Nossa opinião é que qualquer católico merece a nossa hospitalidade, mas no caso específico trata-se de UM APÔIO AO CONGRESSO.
Uma coisa é atender quem precisa, seja católico ou não.

No caso houve planificação com muita antecedência.
Um caso semelhante aos 15 anos de negociação que resultaram no tratado de amizade entre Adventistas e Católicos. (15 anos de meras coincidências)

Eu acreditaria no ‘amor pelas almas’ da Igreja Central do Rio de Janeiro, se fosse algum congresso da igreja das Testemunhas de Jeová, ou dos REFORMISTAS, que os adventistas tanto “amam” !!!

Pela celeridade da notícia em orgão da Divisão, posso até imaginar que esse filme foi rodado em Silver Spring, e tem a ver com um tratado de amizade do ano 2000.

Serem jovens italianos não é mera coincidência, o filme visa ser apresentado em avantpremière” no Vaticano.

ANTES O DOMINGO PARA A iasd ERA O DIA DO DRAGÃO E O SÁBADO, CONFORME O MANDAMENTO O DIA INESQUECÍVEL. “LEMBRA-TE,…”.

AGORA, O DOMINGO É UM DIA ESPECIAL, INESQUECÍVEL.

http://www.google.com.br/search?newwindow=1&site=webhp&source=hp&q=domingos+especiais+dias+inesquec%C3%ADveis&oq=DOMINGOS+ESPECIAIS%2C+DIAS+INESQUEC%C3%8DVEIS&gs_l=hp.1.0.0i30.1269.12222.0.13799.42.36.1.3.3.2.449.5730.15j9j10j1j1.36.0….0.0..1c.1.20.hp.H-_s5YKyHk4

AGORA A iasd REALIZA MEGA DOMINGOS!

http://www.google.com.br/search?newwindow=1&site=webhp&q=MEGA+domingos+&oq=MEGA+domingos+&gs_l=serp.3..0i7i30j0i30l4j0i8i30j0i5i30.33940.37632.0.46196.6.6.0.0.0.0.328.1325.1j2j2j1.6.0….0.0..1c.1.20.serp.13zvNsPo9m0

DOMINGO AGORA É UM DIA BELO.

“Se nós abusarmos do Domingo, estamos destruindo algo belo que Deus tem dado. Sem Domingo significa sem igreja; sem igreja significa sem adoração; sem adoração significa sem sociedade; sem sociedade significa sem moralidade; sem moralidade significa sem governo; sem governo significa anarquia. Esta é a escolha que está ante nós.” TEXTO DE LIVRO DA iasd (ex-batista)

http://tempodofim3.tripod.com/Confessions.htm

O QUE ESTÁ FALTANDO?

 

 

Varsóvia, na Polónia … [ANN]

“A Igreja Adventista do Sétimo Dia não pode ser tratada como um” novo movimento religioso “, ou como uma seita”, declara um comunicado conjunto elaborado pela Igreja Católica Romana e da Igreja Adventista na Polônia.


Sede Adventista em Varsóvia Polônia
Reconhecer uns aos outros a autonomia e independência, o documento foi emitido após 15 anos de diálogo com vista a uma melhor compreensão dos ensinamentos e prática da Igreja Católica e as Igrejas Adventista, bem como melhorar as relações, sem comprometer a identidade do outro.

O documento cita o fato de que “as relações entre católicos e adventistas não ter sido melhor no passado.” A declaração foi assinada por representantes das Igrejas, incluindo Pastor Wladyslaw Polok, presidente da Igreja Adventista na Polônia, e Alfons Nossol arcebispo, presidente da Comissão do Episcopado polonês para Assuntos Ecumênicos.

“Com pesar reconhecemos casos quando a diferentes círculos religiosos e cívicos têm negado o status eclesiástico da Igreja Adventista do Sétimo Dia, mesmo se referindo a ele como uma” seita “. Tal abordagem é inaceitável e, acreditamos, é altamente prejudicial para as relações mútuas “, afirma o documento.

“Este documento afirma a liberdade religiosa. Estamos considerando-o como um desenvolvimento importante não só para a nossa Igreja na Polônia. As minorias religiosas são muitas vezes considerados como menos do que o que eles estão “, disse Pastor Polok.

A declaração reconhece que, embora as Igrejas podem se referir a semelhanças, eles também vêem diferença entre uns dos outros “doutrina prática, e as políticas da igreja.” No entanto, ambos os lados afirmam a necessidade de cultivar o respeito pelo outro e aprender a entender uns aos outros. O diálogo foi “conduzido com base na parceria, o cuidado de manter uma identidade completa de ambos os lados, bem como a sua autonomia e independência, no espírito de respeito mútuo e amor cristão, e em reconhecimento dos ideais de tolerância e liberdade religiosa . ”

“Esta é uma virada de eventos importantes para a nossa Igreja”, diz o professor Zachariasz Lyko, que por muitos anos foi responsável pelos assuntos públicos da Igreja Adventista do polaco. “Este desenvolvimento não é um resultado de críticas, ataques públicos ou confronto, mas a bondade cristã para o outro eo respeito pela dignidade da pessoa humana”.

“Muitos de nós pode lembrar de como temos sido rotulados com nomes diferentes. Temos sido mal compreendida e muitas vezes ridicularizados. Quanto a nós, que queríamos sentar junto e reconhecer que o amor cristão exige um tipo diferente de relação na sociedade nós somos uma parte. Como adventistas do sétimo dia, procuramos fazer uma abordagem positiva para outras religiões. Temos afirmado isso publicamente e este documento afirma nossa attiutude “, acrescentou.

O documento não trata de questões doutrinárias e teológicas. Durante os anos de reuniões, ambos os lados apresentaram seus pontos de vista teológicos e posições doutrinárias no interesse do melhor entendimento entre ambas as confissões. “Nossa Igreja reconhece que esse diálogo não pode ser um diálogo de compromisso, mas um espírito de cooperação e de entendimento comum”, explicou Lyko. “Nós estamos fazendo nada diferente, exceto o que os pioneiros de nossa Igreja apoiada e defendida. É sempre melhor se engajar em uma conversa respeitosa do que em um confronto que muitas vezes impede alcançar as mudanças desejadas “, disse ele.

Lyko comentou que “como Igreja, o nosso lado não estava interessado em comprometer qualquer uma de nossas crenças fundamentais.”

“Ao longo dos anos, porém, como a troca de informações entre nós aconteceu, observamos muitas semelhanças confessional, mas também diferenças. O lado católico reconhece no documento o caráter cristocêntrico de nossas crenças, e especialmente nossa crença na Trindade, assim como a identidade eclesiológica da Igreja, um status afirmado por um ato do Parlamento polaco. De nossa parte, falamos de uma necessidade de mudar atitudes em relação à nossa denominação e reconheceu a abertura da Igreja Católica, especialmente nos últimos tempos, em relação à Bíblia “, explicou Lyko. [Ray Dabrowski]

http://news.adventist.org/archive/articles/2000/02/15/adventist-church-cannot-be-treated-as-a-sect-say-adventists-and-catholics-i

VEJA AGORA O SITE DO VATICANO CONFIRMANDO O ACORDO DE 2000 E, NO FINAL DETERMINANDO O MUTIRÃO DE NATAL QUE A IASD PASSOU A FAZER (FEZ ISSO ANTES DO PACTO? O NATAL QUE ESTÁ AÍ É PAGÃO, COMEMORA O SOL INVICTO ADORADO PELOS PAGÃOS, SEMÍRAMIS, NINRODE,… NADA TEM A VER COM O NASCIMENTO DO FILHO DE DEUS. E A IASD ENTROU NESSA TAMBÉM). CONFIRA TUDO:
ZP06060912 – 09-06-2006
Permalink: http://www.zenit.org/article-11546?l=portuguese
DISCURSO DO PAPA A REPRESENTANTES ECUMÊNICOS DOS BISPOS DA POLÔNIA E DE OUTRAS RELIGIÕES

Pronunciado no dia 25 de maio em sua visita à nação de Karol Wojtyla

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 9 de junho de 2006 (ZENIT.org).- Publicamos o discurso de Bento XVI aos representantes do Conselho Ecumênico da Conferência Episcopal Polonesa e de outras religiões, pronunciado no dia 25 de maio de 2006, em Varsóvia, na Igreja Luterana da Santíssima Trindade.

* * *

Queridos irmãos e irmãs em Cristo!

“Graça e paz da parte daquele que é, que era e que há-de vir, da parte dos sete espíritos que estão diante do seu trono e da parte de Jesus Cristo, a Testemunha fiel, o Primeiro vencedor da morte e o Soberano dos reis da terra” (Ap 1, 4-5).

Com as palavras do Livro do Apocalipse, com as quais São João saúda as sete Igrejas da Ásia, desejo dirigir a minha calorosa saudação a todos os que estão aqui presentes, antes de tudo aos representantes das Igrejas e das Comunidades Eclesiais associadas no Conselho Ecuménico Polaco. Agradeço ao Arcebispo Jeremiasz da Igreja Ortodoxa Autocéfala a saudação e as palavras de união espiritual que me dirigiu há pouco. Saúdo o Arcebispo Alfons Nossol, Presidente do Conselho Ecuménico da Conferência Episcopal Polaca.

UNE-NOS HOJE AQUI o desejo de nos encontrarmos para, na oração comum, prestar honra e glória a Nosso Senhor Jesus Cristo: “Àquele que nos ama e nos purificou dos nossos pecados com o seu sangue, e fez de nós um reino, sacerdotes para Deus e Seu Pai” (Ap 1, 5-6). Estamos gratos a nosso Senhor, porque nos reúne, nos concede o seu Espírito e nos permite além do que ainda nos separa de invocar “Abbà, Pai”. Estamos convictos de que Ele intercede incessantemente em nosso favor, pedindo por nós: “para que eles cheguem à perfeição da unidade e assim o mundo reconheça que Tu me enviaste e que amaste a eles como a mim” (Jo 17, 23).

Juntamente convosco agradeço o dom deste encontro de oração comum. Vejo nele uma das etapas para realizar o firme propósito que fiz no início do meu pontificado, o de considerar uma prioridade do meu ministério a restituição da UNIDADE PLENA E VISÍVEL entre os cristãos. O meu amado Predecessor, o Servo de Deus João Paulo II, quando visitou esta igreja da Santíssima Trindade, no ano de 1991, realçou: “por muito que nos comprometamos pela unidade, ela permanece sempre um dom do Espírito Santo. Estaremos disponíveis para receber este dom na medida em que teremos as nossas mentes e os nossos corações abertos a Ele através da vida cristã e sobretudo através da oração”. De facto, não nos será possível “fazer a unidade” unicamente com as nossas forças. Como recordei durante o encontro ecuménico do ano passado em Colónia: “Só a podemos obter como dom do Espírito Santo”.

É por isto que as nossas aspirações ecuménicas devem estar permeadas da oração, do perdão recíproco e da santidade da vida de cada um de nós. Exprimo o meu regozijo pelo facto de que aqui, na Polónia, o Conselho Ecuménico Polaco e a Igreja católica romana empreendem numerosas iniciativas neste âmbito.

“Olhai: Ele vem no meio das nuvens! Todos os olhos o verão, até mesmo os que o trespassaram” (Ap 1, 7). As palavras do Apocalipse recordam que todos estamos a caminho rumo ao encontro definitivo com Cristo, quando Ele revelará diante de nós o sentido da história humana, cujo centro é a cruz do seu sacrifício salvífico. Como comunidade de discípulos, estamos dirigidos para aquele encontro com a esperança e a confiança que será para nós o dia da salvação, o dia do cumprimento de tudo aquilo que desejamos, graças à nossa disponibilidade a deixar-nos guiar pela caridade recíproca que o seu Espírito suscita em nós. Edifiquemos esta confiança não sobre os nossos merecimentos, mas sobre a oração na qual Cristo revela o sentido da sua vinda à terra e da sua morte redentora: “Pai, quero que onde Eu estiver estejam também comigo aqueles que Tu me confiaste, para que contemplem a minha glória, a glória que me deste, por me teres amado antes da criação do mundo” (Jo 17, 24).

A caminho rumo ao encontro com Cristo que “vem sobre as nuvens”, com a nossa vida anunciamos a sua morte, proclamamos a sua ressurreição, na expectativa da sua vinda. Sentimos o peso da responsabilidade que tudo isto exige; de facto, a mensagem de Cristo deve chegar a cada homem sobre a terra, graças ao compromisso daqueles que crêem n’Ele e que são chamados a testemunhar que Ele é verdadeiramente enviado pelo Pai (cf. Jo 17, 23). Portanto, é preciso que anunciemos o Evangelho, que sejamos movidos pela aspiração a cultivar relacionamentos recíprocos de caridade sincera, de modo que, à luz delas, todos saibam que o Pai enviou o seu Filho e ama a Igreja e cada um de nós, assim como amou a Ele (cf. Jo 17, 23). Tarefa dos discípulos de Cristo, tarefa de cada um de nós, é portanto tender para esta unidade, de modo a tornar-nos, como cristãos, sinal visível da sua mensagem salvífica, dirigida a cada ser humano.

Permiti que eu mencione mais uma vez O ENCONTRO ECUMÊNICO REALIZADO NESTA IGREJA com a participação do vosso grande Concidadão João Paulo II e a sua intervenção, na qual ele apresentou do seguinte modo os esforços destinados à plena unidade dos cristãos: “o desafio que se apresenta é superar pouco a pouco os obstáculos (…) e crescer juntos naquela unidade de Cristo que é uma só, aquela unidade com a qual dotou a Igreja desde o início. A seriedade da tarefa proíbe qualquer precipitação ou impaciência, mas o dever de responder à vontade de Cristo exige que permaneçamos firmes no caminho rumo à paz e à unidade entre todos os cristãos. Sabemos bem que não somos nós que curaremos as feridas da divisão e que restabeleceremos a unidade; somos simples instrumentos que Deus poderá utilizar. A unidade entre os cristãos será dom de Deus, no seu tempo de graça. Tendamos humildemente para aquele dia, crescendo no amor, no perdão e na confiança recíprocos”.

A PARTIR DAQUELE ENCONTRO MUITO MUDOU. Deus concedeu-nos fazer muitos passos rumo à compreensão e à aproximação recíprocas. Permiti que eu recorde alguns acontecimentos ecuménicos, que naquele tempo tiveram lugar no mundo: a publicação da Encíclica Ut unum sint; os acordos cristológicos com as Igrejas pré-calcedónias; a subscrição em Ausburgo da “Declaração Conjunta sobre a doutrina da justificação”; o encontro por ocasião do Grande Jubileu do Ano 2000 e a memória ecuménica das testemunhas da fé do século XX; a retomada do diálogo católico-ortodoxo a nível mundial, o funeral de João Paulo II com a participação de quase todas as Igrejas e Comunidades eclesiais. Estou ao corrente do facto de que também aqui, na Polónia, esta aspiração fraterna pela unidade pode orgulhar-se dos sucessos concretos. Neste momento, gostaria de mencionar: A ASSINATURA, no ano 2000, FEITA TAMBÉM NESTE TEMPLO pela Igreja católica romana e pelas Igrejas associadas no Conselho Ecuménico Polaco, da declaração do reconhecimento recíproco da validez do baptismo; a instituição da Comissão para o Diálogo, da Conferência Episcopal Polaca e do Conselho Ecuménico Polaco, À QUAL PERTENCEM os Bispos católicos e os CHEFES DE OUTRAS IGREJAS; a instituição das comissões bilaterais para o diálogo teológico entre católicos e ortodoxos, luteranos, membros da Igreja nacional polaca, mariavitas e ADVENTISTAS; a publicação da tradução ecuménica do Novo Testamento e do Livro dos Salmos; a iniciativa chamada “OBRA NATALÍCIA DE AJUDA ÀS CRIANÇAS”, na qual colaboram as organizações caritativas das Igrejas: católica, ortodoxa e evangélica.

Verificamos muitos progressos no campo do ecumenismo e contudo aguardamos sempre algo mais. Concedei que eu faça observar duas questões, talvez mais pormenorizadamente. A primeira refere-se ao serviço caritativo das Igrejas. São numerosos os irmãos que aguardam de nós o dom do amor, da confiança, do testemunho, de uma ajuda espiritual e material concreta. Fiz referência a este problema na minha primeira Encíclica Deus caritas est. Nela escrevi: “O amor do próximo, radicado no amor de Deus, é um dever antes de mais para cada um dos fiéis, mas é-o também para a comunidade eclesial inteira, e isto a todos os seus níveis: desde a comunidade local passando pela Igreja particular até à Igreja universal na sua globalidade.

A Igreja também enquanto comunidade deve praticar o amor” (n. 20). Não podemos esquecer a ideia fundamental que desde o início constituiu o fundamento muito forte da unidade dos discípulos: “no seio da comunidade dos crentes não deve haver uma forma de pobreza tal que sejam negados a alguém os bens necessários para uma vida condigna” (ibid.). Esta ideia é sempre actual, mesmo se ao longo dos séculos tenham mudado as formas de ajuda fraterna; aceitar os desafios caritativos contemporâneos depende em grande medida da nossa colaboração recíproca. Alegro-me porque este problema tem um grande eco no mundo sob forma de numerosas iniciativas ecuménicas. Vejo com apreço que na comunidade da Igreja Católica e nas outras Igrejas e Comunidades eclesiais se difundiram novas formas diversas de actividades caritativas e também surgiram antigas com impulso renovado. São formas que com frequência unem a evangelização com as obras de caridade (cf. ibid., 30).

Parece que, apesar de todas as diferenças que devem ser superadas no âmbito do diálogo interconfessional, seja legítimo atribuir o compromisso caritativo à comunidade ecuménica dos discípulos de Cristo na busca de uma plena unidade. Todos nos podemos inserir na colaboração a favor dos necessitados, servindo-se desta rede de relações recíprocas, fruto do diálogo entre nós e da acção comum. No espírito do mandamento evangélico devemos assumir esta atenciosa solicitude em relação aos irmãos que se encontram em necessidade, sejam eles quem for. A este propósito na minha Encíclica escrevi que: “para o progresso rumo a um mundo melhor, é necessária a voz comum dos cristãos, o seu empenho em “fazer triunfar o respeito pelos direitos e necessidades de todos, especialmente dos pobres, humilhados e desprotegidos”” (n. 30b). A quantos participam no nosso encontro desejo hoje que a prática da caritas fraterna nos aproxime cada vez mais e torne mais credível o nosso testemunho em favor de Cristo perante o mundo.

A segunda questão à qual desejo fazer referência, diz respeito à vida conjugal e à familiar. Sabemos que entre as comunidades cristãs, chamadas a testemunhar o amor, a família ocupa um lugar particular. No mundo de hoje, no qual se estão a multiplicar relações internacionais e interculturais, cada vez com mais frequência se decidem a fundar uma família jovens que são provenientes de diversas tradições, de diversas religiões, de diversas confissões cristãs. Várias vezes, para os próprios jovens e para os seus familiares, é uma decisão difícil que inclui vários perigos relativos quer à perseverança na fé quer à construção futura da ordem familiar, assim como à criação de um clima de unidade da família e de condições oportunas para o crescimento espiritual dos filhos.

Contudo, precisamente graças à difusão numa escala mais ampla do diálogo ecuménico, a decisão pode originar a formação de um laboratório prático de unidade. Por isso são necessárias as benevolências recíprocas, a compreensão e a maturidade na fé de ambas as partes, assim como das comunidades das quais provêm. Desejo expressar o meu apreço pela Comissão Bilateral do Conselho para as Questões do Ecumenismo da Conferência Episcopal Polaca e do Conselho Ecuménico Polaco que iniciaram a elaboração de um documento no qual é apresentada a comum doutrina cristã sobre o matrimónio e sobre a família e são estabelecidos princípios, aceitáveis para todos, para contrair matrimónios interconfessionais, indicando um programa comum de solicitude pastoral para esses matrimónios. Desejo a todos que nesta delicada questão, seja incrementada a confiança recíproca entre as Igrejas e a colaboração que respeita plenamente os direitos e a responsabilidade dos cônjuges para a formação na fé da própria família e para a educação dos filhos.

“Eu dei-lhes a conhecer quem Tu és e continuarei a dar-Te a conhecer, a fim de que o amor que me tiveste esteja neles e Eu esteja neles também” (Jo 17, 26). Irmãos e irmãs, pondo toda a nossa confiança em Cristo, que nos faz conhecer o seu nome, caminhamos todos os dias rumo à plenitude da reconciliação fraterna. A sua oração faça com que a comunidade dos seus discípulos na terra, no seu mistério e na sua unidade visível, se torne cada vez mais uma comunidade de amor na qual se reflecte a UNIDADE do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

[Tradução distribuída pela Santa Sé
© Copyright 2006 – Libreria Editrice Vaticana

http://www.zenit.org/article-11546?l=portuguese

ISSO TEM ALGUMA COISA A VER COM PROSTITUIÇÃO DE QUE FALA APOC. 17?
QUANTOS IRMÃOS DA IASD SABEM DISSO?
SÃO MUITO OPORTUNAS AS PALAVRAS DE APOC. 18:4.

Paulo Augusto da Costa Pinto.

Revista Adventista, fevereiro de 2002, pág. 38.

Clique nas figuras acima e leia toda a matéria da medalha de ouro que a IASD presenteou ao Papa. Aqui acima está a comprovação na Revista Adventista. Veja também ao final deste artigo o link da medalha de ouro que o Papa presenteou à IASD. Você só continua enganado (a) se quiser.

Um determinado pastor adventista que se comunica comigo anonimamente através de um irmão que não gosta de estudar as Escrituras, nem analisar os fatos históricos,  sem examinar ou mesmo comprovar a verdade apresentada pelos 2 vídeos a seguir, do Ministério Clamor Final Brasil:

OBSERVADORES ECUMÊNICOS – PARTE 1 e 

OBSERVADORES ECUMÊNICOS – PARTE 2

Passou a me atacar e chamar de mentiroso, antes de analisar os fatos.

Ouça as suas falas: O “PASTOR” ME AMEAÇOU DE LEVAR À JUSTIÇA, MESMO FERINDO AS ESCRITURAS SAGRADAS (1 Coríntios 6:6) AINDA QUE VIVENDO DE DÍZIMOS QUE NÃO SÃO DÍZIMOS BÍBLICOS, POIS ESSES NUNCA FORAM EM DINHEIRO, SEMPRE MANUFATURA DE DEUS, ALIMENTOS DO CAMPO, VEGETAIS E ANIMAIS, TENDO FINDADO COM O FIM DO SACERDÓCIO LEVÍTICO NA CRUZ DE CRISTO, MANTENDO DÍZIMOS FALSOS ENGANANDO OS IRMÃOS SIMPLES E SEM CUMPRIR NUNCA Deuteronômio 14:28,29.

“Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR”. Jeremias 23:1

“Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize aos pastores: Assim diz o Senhor DEUS: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar as ovelhas? Ezequiel 34:2

Ai do pastor inútil, que abandona o rebanho! A espada cairá sobre o seu braço e sobre o seu olho direito; e o seu braço completamente se secará, e o seu olho direito completamente se escurecerá. Zacarias 11:17

E suscitarei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor. Ezequiel 34:23

FALA 2 EXCLUÍDA ATENDENDO AO “PASTOR” QUE ME AMEAÇOU DE LEVAR À JUSTIÇA, MESMO FERINDO AS ESCRITURAS SAGRADAS (1 Coríntios 6:6)

FALA 3 EXCLUÍDA ATENDENDO AO “PASTOR” QUE ME AMEAÇOU DE LEVAR À JUSTIÇA, MESMO FERINDO AS ESCRITURAS SAGRADAS (1 Coríntios 6:6)

FALA 4 EXCLUÍDA ATENDENDO AO “PASTOR” QUE ME AMEAÇOU DE LEVAR À JUSTIÇA, MESMO FERINDO AS ESCRITURAS SAGRADAS (1 Coríntios 6:6)

TALVEZ ELE TENHA VERGONHA DO QUE DISSE A UM HOMEM HONRADO E PÓS-DOUTOR, PROFESSOR PLENO APOSENTADO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA, APÓS 43 ANOS DE MAGISTÉRIO E PESQUISAS CIENTÍFICAS.

 

O “PASTOR” ENVIOU LINKS PARA PROVAR QUE A IASD NÃO É MEMBRO DO CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS E DE FATO NÃO É. https://www.oikoumene.org/en/member-churches

https://www.oikoumene.org/pt

https://www.oikoumene.org/en/member-churches

Depois, o “pastor” apelou e intimidou: “Paulo, me prove sua argumentação. Como você consegue inventar tanta mentira Paulo? Sabe o que nos incomoda tanto? Você ser uma pessoa tida como inteligente, com uma capacidade intelectual tão grande, e consegue ser tão ridículo e medíocre, tão insignificante desse jeito. Muitos que te admiram terminam diminuindo o apreço por conta de sua arrogância e suas mentiras ofensivas”.

O irmão da iasd, interlocutor da conversa me escreveu: “Eu ficaria com vergonha de passar por isso”.

“Kkkkkk”.

Aí eu perguntei: Que me diz seu “pastor” sobre as várias assinaturas de representantes da IASD que assinaram um vergonhoso PACTO DE AMIZADE DURANTE OS 500 ANOS DA REFORMA PROTESTANTE, EM 31 DE OUTUBRO DE 2017, OS MALFADADOS (mais…)

Gráfico com o crescimento da IASD ao longo dos anos

FONTE. Por Dgies – Self-made using gnuplot based upon data from the Seventh-day Adventist Church’s Office of Archives & Statistics World Population and Membership–History and Projections, CC BY-SA 3.0

Jesus disse: “Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terraLucas 18:8.

Jesus previu para os últimos dias igrejas cheias ou igrejas vazias ou quase vazias????

A IASD estrá derrubando os templos velhos e construindo outros cada vez maiores e melhores, com lindas fachadas, para atrair novos e melhore$ cliente$.

Ora, se prega que a volta de Jesus está próxima (e está mesmo, por todas as profecias cumpridas ou se cumprindo. Ou eles pregam e não creem?), por que investir tanto – com o dinheiro suado, sobretudo de irmãos simples – em fazer templos cada vez mais luxuosos? Não parece ser um paradoxo?????

O número de fiéis tem crescido assustadoramente.

Teria Jesus se equivocado quando falou sobre os dias de sua volta?

Observa-se no gráfico, que desde a fundação da IASD, em 1863, ano em que foi organizada como Instituição religiosa, até o ano de 1980, ano em que pela primeira vez aprovou em uma reunião da Conferência Geral o dogma romano da trindade como parte de suas doutrinas fundamentais, nesse lapso de tempo de 117 anos, o número de membros batizados alcançou 3,6 milhões de membros no mundo.

De 1980, até 2017, no lapso de tempo de 37 anos, o número de membros subiu para mais de 20 (vinte milhões) no mundo, um aumento de 4,47 vezes mais do que tudo que conseguiu em mais de quase doze décadas, um acréscimo de 16,34 milhões em curto espaço de tempo.

Os Year books da IASD até 1914, um ano antes da (mais…)

Fonte da imagem no Blog e em (clicar aqui)

Está publicado no Blog de Geraldo José a criação do Fórum Regional de Liberdade Religiosa em 2018, edição de 26 de Maio de 2018 às 18:00.

Em 25 de maio de 2018, 6a. feira, muitos líderes religiosos estiveram presentes na Câmara de Vereadores de Juazeiro-BA, celebrando o Dia da Liberdade Religiosa, instituído em 2016, pelos vereadores da cidade, a partir de iniciativa de membros da Igreja Adventista do (mais…)

Veja a pregação da IASD após o pacto de amizade assinado entre o Vaticano, a IASD e demais igrejas ex-protestantes:

Clique na imagem acima e assista o vídeo.

A IASD, através de seu pastor (seu porta-voz), chama de irmãos aos católicos, aos ex-protestantes, aos espíritas e cardecistas, aos maçons,…(que rejeitam a verdade bíblica frontalmente) e chama de hereges (“que ou quem professa uma heresia; que ou quem professa doutrina contrária ao que foi estabelecido pela Igreja como dogma”) aos adventistas unitaristas (adoradores unitaristas, bereanos, remanescentes, pioneiros,… que adoram ao Deus e Pai de Jesus…). Verdade virou erro e erro em verdade. Triste assim.

Cremos que tanto o pastor Ivan Saraiva, como o professor Leandro Quadros, estão sendo sinceros ao chamar os membros da igreja Católica, Pentecostal, Espírita, Cardecista, Maçom,…de irmãos, pois, apenar de essas organizações transgredirem oficialmente aos mandamentos da eterna Lei de Deus, DE FATO, SÃO IRMÃOS DE FÉ DESDE 31 DE OUTUBRO DE 2017, quando se comemorou os 500 anos da Reforma Protestante e se finalizou o protesto oficializado por Lutero em 1517, ocasião em que se ASSINOU PACTO DE AMIZADE, reafirmando existir UMA SÓ IGREJA CATÓLICA, SANTA E DE DEUS (“That the one, holy, catholic, and apostolic church is God’s new society, the first fruit of the new creation, the whole company of the redeemed through the ages, of which Christ is Lord and head”, ou “Que a igreja una, santa, católica e apostólica é a nova sociedade de Deus, o primeiro fruto da nova criação, toda a companhia dos redimidos através dos séculos, da qual Cristo é Senhor e cabeça “).  Clique aqui e confira no site. Veja também aqui os nomes dos adventistas e de outras denominações que assinaram esse pacto imoral e traidor ao Senhor Jesus Cristo.

(mais…)

 Clique na imagem e ouça o hino.

Deus morre?

Quem é ETERNO morre?

Triste assim.

Esse foi o fruto amargo de uma igreja que nasceu para reparar as brechas feitas na verdade bíblica, mas, encantada com o brilho do vil metal e da fama na mídia, casou-se com a igreja Católica, assinando pacto de amizade com o Vaticano na Polônia no ano 2000 e deu nisso.

Oremos pelos irmãos sinceros e queridos que continuam iludidos lá.

VEJA TAMBÉM: ADULTERARAM O HINO “VINDE POVO DO SENHOR” DO HINÁRIO ADVENTISTA CANTAI AO SENHOR

Olá, Graça e Paz vos sejam multiplicadas. (CLIQUE AQUI E OUÇA O ÁUDIO E PARTILHE O LINK COM AMIGOS) 

E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo,

Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a (mais…)

Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? 2 Coríntios 6:14.

Em 31 de outubro de 2017, quando o protestantismo completaria 500 anos, mas, infelizmente acabou, quando 1392 representantes de igrejas entre elas batistas, assembleia, presbiterianos, adventistas, etc., assinaram um pacto reconhecendo a igreja “católica”, de onde haviam vindo, como a “única igreja, santa e de Deus”.

Ouçamos palavras do Pr. Hernandes Dias Lopes sobre o Ecumenismo, o canto da sereia: CLIQUE E OUÇA O ÁUDIO DO PROGRAMA A VOZ E A VERDADE, COM A PALAVRA DO PASTOR.

E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará, João 8:32.

NÃO DEIXE DE VER NO SITE CONFISSÃO CATÓLICA REFORMADA QUEM ASSINOU E O QUE: CLIQUE E LEIA NA ORIGEM, O PACTO QUE ENVERGONHA A CRISTO E A DEUS:

https://reformingcatholicconfession.com/signatures/  QUEM ASSINOU.

https://reformingcatholicconfession.com/ PACTO DE AMIZADE ECUMÊNICO ASSINADO.

 

Michelson Borges tem a coragem de criticar o Ecumenismo, quando sua igreja está envolvida com o mesmo desde que foi criado o Conselho Mundial de Igrejas (CMI; em inglês, World Council of Churches, WCC) que é a principal organização ecumênica em nível internacional, fundada em 1948, em Amsterdam, Neerlândia. Com sede em Genebra, Suíça, o CMI congrega mais de 340 igrejas e denominações em sua membresia.

O vídeo postado mostra o envolvimento camuflado e às vezes escancarado e covarde da IASD com o Vaticano e o Papado, sujando as mãos (ou já estão sujas também e não sujam mais?) (mais…)

Acesse o site https://reformingcatholicconfession.com/, clique em Signatures e veja os nomes dos pastores adventistas e demais pastores (total de 1378 até ao meio dia de 13.12.2017) que assinaram o documento ecumênico em 31.10.2017 em Lund, Suécia, DOCUMENTO DA UNIÃO DA IGREJA CATÓLICA COM OS EX-PROTESTANTES A CONFISSÃO DE FÉ DOS “EVANGÉLICOS”

James A. Ayars PastorSeventh-day AdventistUnited States

Deyvid de Souza Vilela Seventh-Day Adventist ChurchBrazil

(mais…)

COMPARE O I CAPÍTULO DO LIVRO HISTÓRIA DA REDENÇÃO COM O DO LIVRO EM BUSCA DE ESPERANÇA – O MAIOR RESGATE DE TODOS OS TEMPOS (RESUMO MODERNO DO LIVRO HISTÓRIA DA REDENÇÃO).

 

VEJA O LIVRO ANTIGO:

(mais…)

Prezado Irmão Paulo,

 

Quem defende uma tese,  sempre busca todos os argumentos possíveis para provar as ideias defendidas. Você defende a tese de que a igreja adventista se tornou parte de babilônia, então busca todos os argumentos para provar isso, até textos da sra. White (embora diz também que já não crer , o que em si é uma contradição usar textos da sra.White), enfatiza todos os prováveis erros que a liderança tenha incorrido no decorrer do tempo da existência da IASD. Não aponta e nem ressalva  nenhum dos acertos  e virtudes ensinadas pela  igreja. Chega ao ponto de utilizar afirmativas de outros acusadores, de que “ a IASD é mais perigosa do que todas as outras igrejas”. Veja que afirmativa (mais…)