Header
Header
Header
Header
Header

OUÇA O ÁUDIO DO PROGRAMA A VOZ E A VERDADE, Rádio Juazeiro, 2a a sábado, 13:50 h, ou pela web TV www.radiojuazeiro.com.br.

ACESSE E LEIA

SAL
LEIA EM AGROSOFT BRASIL CUIDEMO-NOS ENQUANTO HÁ TEMPO!

AFINAL, A QUEM PERTENCEMOS?

março 28th, 2015 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

OUÇA O ÁUDIO
“Deus tem uma Igreja, não é uma grande catedral, e nem uma Igreja oficialmente estabelecida, e nem as demais denominações; mas um povo, que ama a Deus e guarda os Seus mandamentos. Ainda que sejam poucos humildes, esta é Sua Igreja, pois só a presença de um alto e sublime pode constituir uma Igreja.” Manuscript Releases, nº 18, págs. 81-82.

O VALOR DA EXPERIÊNCIA

março 27th, 2015 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

OUÇA O ÁUDIO DO PROGRAMA AVEAV, RÁDIO JUAZEIRO, 2A SÁBADO 14:50H. www.radiojuazeiro.com.br

feiras orgânicas
Acesse Agrosoft Brasil

O VALOR DA EXPERIÊNCIA

março 27th, 2015 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

Recebi de uma querida amiga o texto a seguir:
“Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo
e em todas as circunstâncias, já tenho experiência…”
(Filipenses 4:12).

“Em um vôo para a Flórida, um psicólogo educacional estava
preparando notas para um seminário de educação de filhos que
ele iria conduzir em uma importante universidade. Uma
senhora de idade já avançada, sentada ao seu lado, tentou
iniciar uma conversa para passar o tempo. Ele estava muito
ocupado, mas, não querendo ser indelicado com ela, perguntou
o propósito de sua viagem a Boston. Ela explicou que havia
visitado seus seis filhos, dezoito netos e dez bisnetos.
Logo a seguir ela perguntou ao homem o motivo de sua viagem
a Flórida. Ele lhe contou sobre o seminário e aguardou que
ela lhe pedisse algum conselho gratuito. Em vez disso, ela
se acertou em sua poltrona, pegou o livro que estava lendo e
disse ao companheiro de viagem: “Se houver alguma coisa que
queira saber, não hesite em perguntar.”

É interessante notarmos que o homem de nossa história tinha
o preparo para dirigir as palestra sobre o assunto, porém, a
senhora tinha a experiência necessária para conhecer o
assunto, tão bem ou até melhor que ele.

Na vida cristã, precisamos — e devemos — ter o
conhecimento da Palavra de Deus e de tudo que se refere ao
Seu reino. Mas, muito mais importante que o conhecimento
puro e simples é a experiência de uma vida espiritual
colocada no altar do Senhor. Melhor que saber que Ele andou
pelos lugares bíblicos é andar ao Seu lado, em nossa casa,
nas ruas que nos conduzem ao trabalho e em todo lugar aonde
vamos. Melhor que saber que Ele curou o cego de Jericó, a
sogra de Pedro e tantos outros relatados na Palavra, é saber
que Ele nos cura hoje, física e espiritualmente. Muito mais
gratificante que saber que Ele libertou os cativos do diabo
é poder testemunhar que Ele nos libertou do mundo, dos
vícios, da incredulidade, das mentiras, do ódio e da
perdição eterna. Ter experiência é muito mais valioso que
ter apenas conhecimento”.

“Você tem tido experiências com o Senhor Jesus”?

Veja a matéria em Agrosoft Brasil

 

As ações da Monsanto caíram ontem (23/03/15), após uma agência da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmar que o glifosato, herbicida comercializado sob o nome Roundup pela empresa, tem o potencial de causar câncer em humanos. Neste fim de tarde, as ações da companhia recuavam 1,7% na Bolsa de Nova York (Nyse).

Leia mais e compartilhe…

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

março 23rd, 2015 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

ACESSE E BAIXE O ARQUIVO .ppt

Crenças Consensuais Revisado

ESTUDO BÍBLICO

ProgramacaoConcilio21Mar2015

Vídeos:

01

02

03

04

05

06

varaOUÇA O ÁUDIO DE AVEAV

“Assim diz a sabedoria do Provérbios 13.24 (Almeida Corrigida Fiel). Em http://voltemosaoevangelho.com/ lemos: “Odiar” certamente soa forte aos ouvidos modernos. Em hebraico o termo é “?ânê’”. Em Provérbios, ele é usado 25 vezes para mostrar a atitude daquele que desprezou o conhecimento (1.22, 29) e a disciplina (5.12), a atitude de desprezo e rejeição de Deus para com o pecado (6.16), a atitude do homem piedoso para com o pecado (8.13) e outros usos. Veja que em Provérbios 13.24 o termo é contrastado com amar. Ou seja, o texto diz que quem ama seu filho tem uma atitude (disciplinar fisicamente) e quem não faz isso, tem o sentimento oposto ao amor: desprezo, ódio.

Eu amo meu filho, jamais bateria nele

Mas alguém pode falar: “Odiar meu filho? Eu não bato nele porque o amo! Como eu  poderia infligir dor a ele?” John Piper, entende que essa concepção é fruto da cultura atual e que ela não considera que o próprio Deus nos disciplina através da dor (Hebreus 12).

Porém, não é só isso que Provérbios fala sobre o uso da vara. Provérbios 29:15 afirma que “A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe”; e é justamente a consequência dessa sabedoria proverbial que a Suécia está enfrentando, na prática, hoje em dia, por proibir as palmadas: uma geração de crianças mimadas.

Cabe ressaltar que a defesa da palmada não é uma defesa do abuso físico. Como John Piper coloca no vídeo, “Bater é uma aplicação controlada de um ato não danoso de dor branda que faz a criança ver a seriedade do que ela fez”. Além do mais, é importantíssimo ressaltar que a base da educação cristã de filhos não está na disciplina corretiva (vara), mas formativa (ensino e diálogo):

“Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.  Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.” (Deuteronômio 6.4-7)

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Provérbios 22.6)

FONTE: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/07/o-que-nao-faz-uso-da-vara-odeia-seu-filho/

ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS SÃO RUINS PARA AS PESSOAS E PARA O AMBIENTE”

Clique aqui e baixe o novo Guia.
I Cor. 10:31.

Leia em http://www.adventistas.com
O autor, uma das maiores autoridades da Casa Publicadora Brasileira da IASD, mostra com clareza o alto grau de intimidade que a IASD tem com a ICAR, a quem se uniu em Pacto de amizade desde o ano 2.000.
Ele, lamentavelmente deixa de dizer o que a profetisa de sua igreja tanto falou sobre esse poder apóstata.
“Em muitas das nações da Europa os poderes que governaram na Igreja e no Estado foram durante séculos dirigidos por Satanás, por intermédio do papado. Aqui, porém, se faz referência a uma nova manifestação do poder satânico”.{GC 268.3}
“Foi o papado que começara a obra que o ateísmo estava a completar: A política de Roma produzira aquelas condições sociais, políticas e religiosas, que estavam precipitando a França na ruína. Referindo-se aos horrores da Revolução, dizem escritores que esses excessos devem ser atribuídos ao trono e à igreja. Com estrita justiça devem ser atribuídos à igreja. O papado envenenara a mente dos reis contra a Reforma, como inimiga da coroa, elemento de discórdia que seria fatal à paz e harmonia da nação. Foi o gênio de Roma que por este meio inspirou a mais espantosa crueldade e mortificante opressão que procediam do trono”. {GC 276.4}
“O apóstolo Paulo advertiu a igreja a não esperar a vinda de Cristo em seu tempo. “Porque não será assim”, diz ele, “sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado.” 2 Tessalonicenses 2:3. Não poderemos esperar pelo advento de nosso Senhor senão depois da grande apostasia e do longo período do domínio do “homem do pecado.” Este “homem do pecado”, que também é denominado “mistério da injustiça”, “filho da perdição”, e “o iníquo”, representa o papado, que, conforme foi anunciado pelos profetas, deveria manter sua supremacia durante 1.260 anos. Este período terminou em 1798. A vinda de Cristo não poderia ocorrer antes daquele tempo. Paulo, com a sua advertência, abrange toda a dispensação cristã até ao ano de 1798. É depois dessa data que a mensagem da segunda vinda de Cristo deve ser proclamada”.{GC 356.1}
“No Capítulo 13:1-10, descreve-se a besta “semelhante ao leopardo”, à qual o dragão deu “o seu poder, o seu trono, e grande poderio.” Este símbolo, como a maioria dos protestantes tem crido, representa o papado, que se sucedeu no poder, trono e poderio uma vez mantidos pelo antigo Império Romano. Declara-se quanto à besta semelhante ao leopardo: “Foi-lhe dada uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmias. … E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do Seu nome, e do Seu tabernáculo, e dos que habitam no Céu. E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.” Esta profecia, que é quase idêntica à descrição da ponta pequena de Daniel 7, refere-se inquestionavelmente ao papado”.{GC 439.1}
“A besta de dois chifres “faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita ou nas suas testas; para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.” Apocalipse 13:16, 17. A advertência do terceiro anjo é: “Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também o tal beberá do vinho da ira de Deus.” “A besta” mencionada nesta mensagem, cuja adoração é imposta pela besta de dois chifres, é a primeira, ou a besta semelhante ao leopardo, do Capítulo 13 do Apocalipse — o papado. A “imagem da besta” representa a forma de protestantismo apóstata que se desenvolverá quando as igrejas protestantes buscarem o auxílio do poder civil para imposição de seus dogmas. Resta definir ainda o “sinal da besta”.{GC 445.2}
“Os defensores do papado afirmaram que a igreja foi caluniada; e o mundo protestante inclina-se a aceitar esta declaração. Muitos insistem em que é injusto julgar a igreja de hoje pelas abominações e absurdos que assinalaram seu domínio durante os séculos de ignorância e trevas. Desculpam sua horrível crueldade como sendo o resultado da barbárie dos tempos, e alegam que a influência da civilização moderna lhe mudou os sentimentos.{GC 563.2}
Olvidaram estas pessoas a pretensão de infalibilidade sustentada há oitocentos anos por esse altivo poder? Longe de ser abandonada, firmou-se esta pretensão no século XIX de modo mais positivo que nunca dantes. Visto como Roma afirma que a igreja “nunca errou nem, segundo as Escrituras, errará jamais” (História Eclesiástica de Mosheim), como poderá ela renunciar aos princípios que lhe nortearam a conduta nas eras passadas?{GC 564.1}
A igreja papal nunca abandonará a sua pretensão à infalibilidade. Tudo que tem feito em perseguição dos que lhe rejeitam os dogmas, considera ela estar direito; e não repetiria os mesmos atos se a oportunidade se lhe apresentasse? Removam-se as restrições ora impostas pelos governos seculares, reintegre-se Roma ao poderio anterior, e de pronto ressurgirá a tirania e perseguição.{GC 564.2}
Bem conhecido escritor refere-se nos seguintes termos à atitude da hierarquia papal no que respeita à liberdade de consciência, e aos perigos que ameaçam especialmente os Estados Unidos pelo êxito de sua política:{GC 564.3}
“Há muitos que se dispõem a atribuir ao fanatismo ou à infantilidade todo receio quanto ao catolicismo romano nos Estados Unidos. Tais pessoas nada vêem no caráter e atitude do romanismo que seja hostil às nossas instituições livres, ou nada encontram de mau sinal no incremento que vai tomando. Comparemos, pois, em primeiro lugar, alguns dos princípios fundamentais de nosso governo com os da Igreja Católica.{GC 564.4}
“A Constituição dos Estados Unidos garante liberdade de consciência. Nada se preza mais ou é de maior transcendência. O Papa Pio IX, na encíclica de 15 de agosto de 1854, disse: ‘As doutrinas ou extravagâncias absurdas e errôneas em defesa da liberdade de consciência, são erro dos mais perniciosos — uma peste que, dentre todas as outras, mais deve ser temida no Estado.’ O mesmo papa, na encíclica de 8 de dezembro de 1864, anatematizou ‘os que defendem a liberdade de consciência e de culto’ e também ‘todos os que afirmam que a igreja não pode empregar a força.’ {GC 564.5}
“O tom pacífico usado por Roma nos Estados Unidos não implica mudança de coração. É tolerante onde é impotente. Diz o Bispo O’Connor: ‘A liberdade religiosa é meramente suportada até que o contrário possa ser levado a efeito sem perigo para o mundo católico.’ … O arcebispo de St. Louis, Estados Unidos, disse certa vez: ‘A heresia e a incredulidade são crimes; e em países cristãos como a Itália e a Espanha, por exemplo, onde todo o povo é católico, e onde a religião católica é parte essencial da lei da nação, são elas punidas como os outros crimes.’ …{GC 565.1}
“Todo cardeal, arcebispo e bispo da Igreja Católica, presta para com o papa um juramento de fidelidade em que ocorrem as seguintes palavras: ‘Combaterei os hereges, cismáticos e rebeldes ao dito senhor nosso (o papa), ou seus sucessores, e persegui-los-ei com todo o meu poder.’” — Our Country, do Dr. Josias Strong.{GC 565.2}
“A Igreja de Roma apresenta hoje ao mundo uma fronte serena, cobrindo de justificações o registro de suas horríveis crueldades. Vestiu-se com roupagens de aspecto cristão; não mudou, porém. Todos os princípios formulados pelo papado em épocas passadas, existem ainda hoje. As doutrinas inventadas nas tenebrosas eras ainda são mantidas. Ninguém se deve iludir. O papado que os protestantes hoje se acham tão prontos para honrar é o mesmo que governou o mundo nos dias da Reforma, quando homens de Deus se levantavam, com perigo de vida, a fim de denunciar sua iniqüidade. Possui o mesmo orgulho e arrogante presunção que dele fizeram senhor sobre reis e príncipes, e reclamaram as prerrogativas de Deus. Seu espírito não é menos cruel e despótico hoje do que quando arruinou a liberdade humana e matou os santos do Altíssimo.{GC 571.1}
O papado é exatamente o que a profecia declarou que havia de ser: a apostasia dos últimos tempos. 2 Tessalonicenses 2:3, 4. Faz parte de sua política assumir o caráter que melhor cumpra o seu propósito; mas sob a aparência variável do camaleão, oculta o invariável veneno da serpente. “Não se deve manter a palavra empenhada aos hereges, nem com pessoas suspeitas de heresias”, declara Roma. — História do Concílio de Constança, de Lenfant. Deverá esta potência, cujo registro milenar se acha escrito com o sangue dos santos, ser hoje reconhecida como parte da igreja de Cristo?{GC 571.2}
Não é sem motivo que se tem feito nos países protestantes a alegação de que o catolicismo difere hoje menos do protestantismo do que nos tempos passados. Houve uma mudança; mas esta não se verificou no papado. O catolicismo na verdade em muito se assemelha ao protestantismo que hoje existe; pois o protestantismo moderno muito se distancia daquele dos dias da Reforma.{GC 571.3}
Tendo estado as igrejas protestantes à procura do favor do mundo, a falsa caridade lhes cegou os olhos. Não vêem senão que é direito julgar bem de todo o mal; e, como resultado inevitável, julgarão finalmente mal de todo o bem. Em vez de permanecerem em defesa da fé que uma vez foi entregue aos santos, estão hoje, por assim dizer, justificando Roma, por motivo de sua opinião inclemente para com ela, e rogando perdão pelo seu fanatismo. {GC 571.4}
Uma numerosa classe, mesmo dentre os que consideram o romanismo sem favor, pouco perigo percebe em seu poderio e influência. Muitos insistem em que as trevas intelectuais e morais que prevaleceram durante a Idade Média favoreceram a propagação de seus dogmas, superstições e opressão, e que a inteligência maior dos tempos modernos, a difusão geral do saber e a crescente liberalidade em matéria de religião, vedam o avivamento da intolerância e tirania. O próprio pensamento de que tal estado de coisas venha a existir nesta era esclarecida, é ridicularizado. É verdade que grande luz intelectual, moral e religiosa resplandece sobre esta geração. Das páginas abertas da santa Palavra de Deus, tem-se derramado luz do Céu sobre o mundo. Mas cumpre lembrar que quanto maior a luz concedida, maiores as trevas dos que a pervertem ou rejeitam.{GC 572.1}
Um estudo da Escritura Sagrada, feito com oração, mostraria aos protestantes o verdadeiro caráter do papado, e os faria aborrecê-lo e evitá-lo; mas muitos são tão sábios em seu próprio conceito que não sentem necessidade de humildemente buscar a Deus para que possam ser levados à verdade. Posto que se orgulhando de sua ilustração, são ignorantes tanto sobre as Escrituras como a respeito do poder de Deus. Precisam de algum meio de acalmar a consciência; e buscam o que menos espiritual e humilhante é. O que desejam é um modo de esquecer a Deus, que passe por um modo de lembrar-se dEle. O papado está bem adaptado a satisfazer às necessidades de todos estes. Está preparado para as duas classes da humanidade, abrangendo o mundo quase todo: os que desejam salvar-se pelos próprios méritos, e os que desejam ser salvos em seus pecados. Eis aqui o segredo de seu poder.{GC 572.2}
Uma época de grandes trevas intelectuais demonstrou-se favorável ao êxito do papado. Provar-se-á ainda que um tempo de grande luz intelectual é igualmente favorável a seu triunfo. Nos séculos antigos, quando os homens estavam sem a Palavra de Deus e sem conhecimento da verdade, seus olhos estavam vendados, e milhares se enredavam, não vendo a cilada que lhes era armada sob os pés. Nesta geração muitos há cujos olhos se tornam ofuscados pelo resplendor das especulações humanas — da “falsamente chamada ciência”; não percebem a rede e nela caem tão facilmente como se estivessem de olhos vendados. É o intuito de Deus que as faculdades intelectuais do homem sejam tidas na conta de um dom proveniente de seu Criador, e empregadas no serviço da verdade e da justiça; mas, quando são acariciados o orgulho e a ambição, e os homens exaltam as suas próprias teorias acima da Palavra de Deus, pode então a inteligência causar maior dano que a ignorância. Assim a falsa ciência da atualidade que mina a fé nas Escrituras Sagradas, mostrar-se-á tão bem-sucedida no preparar o caminho para a aceitação do papado com seu formalismo aprazível, como o fez a retenção do saber ao abrir o caminho para o seu engrandecimento na Idade Média”. {GC 572.3}
E muito mais.
link do poster publicado na Revista da IASD
Na realidade, crê-se que o atual Papa, ainda faz parte do 7o. Rei de Apocalipse 17, visto que o Papa licenciado, Bento XVI, está vivo e em atividade.

O Redator Chefe associado da CPB, escrevendo primordialmente para os membros da nova igreja IASD, mostra a cara dessa nova organização, que no ano 2.000 assinou pacto de amizade com a igreja de Roma.
Veja também:

Veja em