Header
Header
Header
Header
Header

IGREJA DA SANTÍSSIMA TRINDADE EM VARSÓVIA   O templo fica localizado na praça Stanislawa Malachowskiego, 1, 01-001, Varsóvia, Polônia. Ver mais fotos do seu interior. Trata-se do templo Luterano da Santíssima Trindade, que foi a mais alto e ao mesmo tempo um dos maiores edifícios do século 18 em Varsóvia.  O templo caiu em ruínas, quando bombardearam e foi queimado pelos alemães em 16 de setembro de 1939. Foi reconstruído depois da guerra. No interior, os visitantes ficam impressionados com sua galeria de duplo circundando o interior. Por causa de suas melhorias acústicas e um órgão esplêndido, a Ópera de Câmara de Varsóvia (Warszawska Opera Kameralna) organiza regularmente concertos de música clássica no mesmo. Na foto que tiramos ao lado do templo no dia 30.10.2014, vê-se escrito na língua polonesa, “Universidade ecumênica da terceira idade”, mostrando a vocação da igreja, o ECUMENISMO, que envolve todas as denominações, firmando-as em Babilônia. Esse templo tem se revestido de uma importância muito grande para o movimento Ecumênico, de modo que o papa Bento XVI quando esteve no mesmo em 2006, num encontro de oração, afirmou “Vejo nele uma das etapas para realizar o firme propósito que fiz no início do meu pontificado, o de considerar uma prioridade do meu ministério a restituição da unidade plena e visível entre os cristãos. O meu amado Predecessor, o Servo de Deus João Paulo II, quando visitou esta igreja da Santíssima Trindade, no ano de 1991, realçou: “por muito que nos comprometamos pela unidade, ela permanece sempre um dom do Espírito Santo”. … (A iasd escreveu que os diálogos entre ela e a icar duraram 15 anos até este acordo de amizade do ano 2.000. Quando foi que a iasd, deixando a verdade, aprovou pela 1a. vez numa reunião mundial da Conferência Geral o dogma romano da trindade como sua principal doutrina – 2a, 3a, 4a e 5a doutrinas, todas para reafirmar o deus trino, pagão? Resposta: 1980. Se os diálogos duraram 15 anos e o que mais uniu as duas denominações para esse acordo de amizade – firmado 20 anos depois da aceitação do dogma – foi a crença no dogma pagão, não parece que o quebra-cabeça para os desavisados começa a ser resolvido? Bento XVI também relatou: “Estou ao corrente do facto de que também aqui, na Polónia, esta aspiração fraterna pela unidade pode orgulhar-se dos sucessos concretos. Neste momento, gostaria de mencionar: a assinatura, no ano 2000, feita também neste templo pela Igreja católica romana e pelas Igrejas associadas no Conselho Ecuménico Polaco, da declaração do reconhecimento recíproco da validez do baptismo; a instituição da Comissão para o Diálogo, da Conferência Episcopal Polaca e do Conselho Ecuménico Polaco, à qual pertencem os Bispos católicos e os Chefes de outras Igrejas; a instituição das comissões bilaterais para o diálogo teológico entre católicos e ortodoxos, luteranos, membros da Igreja nacional polaca, mariavitas e adventistas; a publicação da tradução ecuménica do Novo Testamento e do Livro dos Salmos; a iniciativa chamada “Obra natalícia de ajuda às Crianças“,(lembra dos Mutirões de natal que a iasd realiza? alguma relação com o acordo de amizade ecumênico aqui relatado? Quem é antigo na iasd, lembra de a igreja realizar esses mutirões no passado?) na qual colaboram as organizações caritativas das Igrejas: católica, ortodoxa e evangélicahttp://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2006/may/documents/hf_ben-xvi_spe_20060525_incontro-ecumenico_po.html O povo de Deus embora respeite as demais denominações não pode associar-se me pactos de amizade com aqueles que pisam a Lei de Deus (especialmente o primeiro, o segundo, o quarto mandamentos) e menosprezam ao Deus Verdadeiro. Assim, é necessário que aqueles que desejam ter suas vidas alvejadas pelo sangue de Cristo, se separem de qualquer sistema religioso que se prostituiu por amor ao poder, à mídia, à riqueza,… e viva – em comunidades pequenas ou em família – os princípios da fé ensinados por Cristo e seus discípulos como estão escritos na Palavra de Deus.

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.
E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,
Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar”. Atos 2:42-47

Maranata!

Referências

LEIA: g1.globo.comhttp://www1.folha.uol.com.br/http://zh.clicrbs.com.br/

NO ENTANTO, A TEORIA DA EVOLUÇÃO É REFUTADA PELAS LEIS DA TERMODINÂMICA E DA BIOGÊNESE, NÃO HAVENDO UM SÓ REGISTRO FÓSSIL MOSTRANDO O ELO PERDIDO.

AS ESCRITURAS SAGRADAS, POR OUTRO LADO, AFIRMAM: “NO PRINCÍPIO, DEUS CRIOU OS CÉUS E A TERRA….”GEN. 1:1.

ACREDITAMOS NISTO.

Conforme a Reuters, o Vaticano em 16 de setembro de 2008 afirmou que a teoria da evolução é compatível com a Bíblia.

O arcebispo Gianfranco Ravasi, na época ministro da Cultura do Vaticano, deu a declaração durante o anúncio de uma conferência de cientistas, teólogos e filósofos que aconteceria em Roma em março de 2009, marcando os 150 anos da publicação da obra “A Origem das Espécies” de Darwin.

O papa Pio 12 descreveu a evolução como uma abordagem válida do desenvolvimento humano em 1950 e o papa João Paulo segundo reiterou o fato em 1996. Mas Ravasi disse que o Vaticano não tinha a intenção de se desculpar por sua visão negativa anterior.

No entanto, a Palavra de Deus permanece para sempre.

“Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:8.

Tudo que vemos à nossa volta tem uma origem inteligente e o acaso não é inteligente.

Embora ensinem sem qualquer base bíblica que uma trindade criou os céus e a terra, a Palavra de Deus fala apenas do Pai e do Filho na criação:

“Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas numa roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome? E qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?” Provérbios 30:4-5.

Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome sobre toda a terra! Salmos 8:9.

 

 

 

O CONCÍLIO VATICANO II E OS ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA – TANTO EM COMUM

POR NEIL C. LIVINGSTON

O CONCÍLIO VATICANO II O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS E A IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA

Se a unidade pudesse ser assegurada apenas pelo compromisso da verdade e da justiça, então vamos lá ser diferença e até mesmo a guerra. CG, p. 45.

Em 1958, um ano após a publicação do livro “Adventistas do Sétimo Dia responder” Questions on Doctrine, o Papa João XXIII convocou um grande Concílio Ecumênico da Igreja Católica Romana. Este Conselho histórico incluiria protestantes “observadores”. denominacionais. Depois de quatro anos de preparação, o Concílio Vaticano II convocado em Roma, em 11 de outubro de 1962.

“Os participantes com pleno direito de voto foram todos os bispos da Igreja Católica Romana, de ambos os ritos orientais e ocidentais, os superiores gerais de ordens religiosas isentas, e prelados com as suas próprias esferas de competência especiais”, escreveu Richard McBrien. “As igrejas cristãs não-católicas e alianças e leigos católicos organizações foram convidados a enviar observadores. Estes observadores, no entanto, não tinham nem voz nem voto nas deliberações do conselho.” (Richard P. McBrien, “Bibliografia”, Abbott, WA, ed., Os documentos do Concílio Vaticano II, 1966, grifo nosso).

“No início de 1965, o Conselho Mundial de Igrejas nomeou um grupo de trabalho para entrar em diálogo formal sobre assuntos de interesse mútuo e preocupação, com um grupo semelhante ao ser nomeado pelo [Vaticano] Secretariado para a Promoção da Unidade dos Cristãos.” (Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada de 1995, Art. “Ecumenismo”).

“Quando as principais igrejas dos Estados Unidos, ligando-se em pontos de doutrina que são realizadas por eles em comum, influenciarem o Estado para que imponha seus decretos e lhes apóie as instituições”, alertou Ellen White “, então a América Protestante terá formado uma imagem da hierarquia romana, e a aplicação de penas civis aos dissidentes será o resultado inevitável “. (O Grande Conflito, página 445, grifo nosso).

Posição da Igreja Adventista do Sétimo Dia sobre o Ecumenismo:

“O Comitê da Conferência Geral nunca votou uma declaração oficial a respeito do relacionamento adventista do sétimo dia para o movimento ecumênico, como tal,” assim afirma a Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia. “Um livro foi escrito lidar longamente com o assunto (BB Beach, Ecumenismo, benção ou maldição? Review and Herald, 1974).. ..” (Ibid., Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada de 1995, Art . “Ecumenismo”, ênfase acrescentada).

Em 1973, o mesmo B. B Beach foi co-autor de um livro com Lukas Vischer, Secretário do Conselho Mundial de Igrejas. O título do livro era, TANTO EM COMUM, “Entre o Conselho Mundial de Igrejas e a Igreja Adventista do Sétimo Dia”. (Veja abaixo, “muito em comum”). Esta também foi o mesmo B. B. Beach que em 1977 presenteou pela Igreja Adventista do Sétimo Dia co uma medalha de ouro ao Papa Paulo VI; Veja abaixo, o capítulo # 18, “Os Invasores”). No entanto, tendo em vista esses dois fatos, a liderança SDA contemporânea deixa Beach apresentar a posição da denominação sobre o tema do ecumenismo remetendo o estudante de história com o livro, Ecumenism-Boon ou Bane.

“Assim, enquanto não é exatamente uma posição oficial, há indicações claras sobre o ponto de vista adventista do sétimo dia”, afirma o SDA Encyclopedia, “a atitude de uma pessoa para o ecumenismo será determinada pelo conceito do indivíduo sobre a natureza da igreja. “(ibid., Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada de 1995, Art “Ecumenismo”. grifo nosso).

E o que são essas “indicações claras sobre o ponto de vista adventista do sétimo dia” sobre o ecumenismo? A liderança da Igreja diz de um lado de sua boca que, “a atitude de uma pessoa para o ecumenismo será determinada pelo conceito do indivíduo sobre a natureza da igreja.” Mas, enquanto o indivíduo tem uma opinião sobre o “ecumenismo” e “a natureza da Igreja,” o que é o conceito de liderança da IASD sobre Ecumenismo? A Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia nos dá uma resposta clara a esta questão:

“Adventistas do Sétimo Dia acreditam que todos os cristãos sinceros, de qualquer comunhão, constituem o povo de Deus…”, Afirma a liderança. “Eles lamentam que o seu sentido de missão mundial torna membro no Conselho Nacional e o Conselho Mundial impraticável.” (ibid., Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada de 1995, Art “Ecumenismo”. grifo nosso).

Quando os estados de liderança da Igreja “adventistas do sétimo dia crêem” o que eles realmente querem dizer é que a “liderança sadia” da Igreja Adventista do Sétimo Dia acredita; “Para eles, isso pode ser apenas a posição do grupo majoritário da liderança sã que está determinado a colocar os freios em qualquer membro que procuram têr opiniões divergentes daquela da liderança responsável da denominação.” (Donald G. Barnhouse, Eternidade, 10/56, grifo nosso). Desde as Conferências Evangélicas de 1955-1956, a liderança da Igreja Adventista do Sétimo Dia tem ansiosamente dito ao mundo o que os adventistas do sétimo dia crêem. De fato, a Igreja publicou, e ofereceu a todos a um custo muito baixo, um livro intitulado, “Crenças fundamentais dos adventistas do sétimo dia”, hoje, 28 Declarações de Crenças Fundamentais.” Mas a divisão – corrente teológica no adventismo – atesta que muitos adventistas não acreditam que a mesma “nova” teologia esteja sendo promovido pela liderança da Igreja.

“Eles [os adventistas do sétimo dia] lamentam que o seu sentido de missão mundial torna membro do Conselho Nacional e do Conselho Mundial impraticável.” (ibid., Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada de 1995, Art “Ecumenismo”. grifo nosso).

Está a liderança da IASD “lamentando” que não pode unir as mãos com Babilônia no “Conselho Nacional e no Conselho Mundial” de Igrejas. Isso, no entanto, não é o “arrependimento” de leigos adventistas fiéis.

“No entanto, [liderança] da SDA procura trabalhar em comunhão com outros cristãos em todos os sentidos que não envolve um compromisso de que eles entendem ser a sua missão como povo.” (ibid.)

Voltando a 1926, muito antes de o ecumenismo estar em voga, o Comitê Executivo da Conferência Geral adotou uma declaração importante que é agora uma parte da Política Geral de Trabalho da Conferencia (075). Esta declaração tem implicações ecumênicas significativas. A preocupação da declaração foi para o campo e as relações com outras sociedades missionárias “missão”. No entanto, a declaração foi agora ampliada para lidar com “organizações religiosas” em geral. Ela afirma que adventistas do sétimo dia “Reconhecemos aquelas agências que exaltam a Cristo diante dos homens, como parte do plano divino para a evangelização do mundo, e.. .Mantenham em homens e mulheres cristãs alta estima em outras comunidades que estão engajados em ganhar almas para Cristo. “Nas relações da Igreja com outras igrejas, “cortesia cristã, franqueza e justiça” devem prevalecer. . ..(ibid., Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada de 1995, Art “Ecumenismo”. grifo nosso).

“De volta a 1926, muito antes de ecumenismo estar em voga, o Comitê Executivo da Conferência Geral adotou uma declaração importante que é agora uma parte integrante da Política de Trabalho da Conferência Geral.” Esta primeira declaração prova que o ecumenismo era a posição da liderança da IASD, não a posição de leigos adventistas. Na verdade, a liderança da Igreja tem inclinado para trás para garantir aos leigos adventistas que a Igreja nunca foi um membro “oficial” do Conselho Mundial de Igrejas Nacional – mas que a Igreja é apenas um “observador” para estes conselhos de Babilônia. Observe que SDA Encyclopedia afirma que, “Esta declaração tem implicações ecumênicas significativas.”

Embora que o que a política Conferência Geral votou em 1926 foi uma declaração de lidar com “outras missões,” liderança contemporânea admite que, “a declaração agora foi ampliada para lidar com` organizações religiosas “em geral”. Grandes avanços ecumênicos foram feitos desde 1955.

“Hoje, o Conselho Mundial de Igrejas tem como objetivo não tanto união organizacional como” reconhecimento mútuo “, os compiladores da SDA Encyclopedia.” O que isto significa é que as diferentes igrejas e denominações dão a reconhecer o batismo de cada um, Comunhão serviço (Eucaristia), e do ministério ordenado. Durante a última década do século XX, um termo-chave é ecumênica Koinonia, ou seja, a comunhão, a comunhão, a cooperação e a parceria solidária. “(Ibid., Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Art.” Ecumenismo “, ênfase acrescentada).

As igrejas e denominações de Babilonia “dão a reconhecer o batismo de cada um, serviço de comunhão (Eucaristia).” Então essa é a razão pela qual um cardeal da Igreja Católica Romana presidindo um fim de semana Ecumênico intitulado “Batismo, Comunhão e Eucaristia” no Union College, Nebraska, da igreja Adventista do Sétimo Dia.

Batismo será o tema das raízes e ramos de Convocação, de quinta a domingo em [Adventista do Sétimo Dia] Union College [Nebraska], patrocinado pelo Inter Ministérios de Nebraska.

Entre os palestrantes estão o cardeal William Keeler, arcebispo de Baltimore e presidente da Conferência Nacional dos Bispos Católicos; o reverendo Michael Kinnamon, reitor do Seminário Teológico de Lexington, em Kentucky; o Rev. Gayle Felton da Duke University Divinity School; e Brigalia Bam, secretário-geral do Conselho Sul-Africano de Igrejas.

 

O evento é o primeiro na série de convocações anuais para leigos e clero de três anos, disse Daniel Davis, secretário-executivo do Ministério Intereclesiástica de Nebraska.

 

Mais de 200 pessoas de todo Nebraska e em todo o país são esperadas para participar das Convocações em 1996 e 1997 que vai se concentrar em comunhão e ministério. “Junto com o batismo, eles representam as três questões ecumênicas chave que enfrentam os esforços de cooperação e unidade da igreja em todo o mundo”, disse Davis.

 

A convocação é uma oportunidade para as pessoas “para se unirem e comemorarem juntos, adorarem juntos, conversarem, desfrutarem juntos”, disse ele. “Tanto quanto sabemos esta é a primeira vez em qualquer lugar esse tipo de coisa tem sido feita.. ..”

 

Edward Cardeal Cassidy, presidente do Conselho Pontifício do Vaticano para a Unidade dos Cristãos, estava programado para participar, mas no último minuto foi enviado pelo papa para a Roménia. Monsenhor John Radano, um membro da equipe do Pontifício Conselho, vai participar como seu representante.

 

Um culto às 7 horas, no Colégio Vista da Igreja Adventista do Sétimo Dia, 3015 S. 49 St., com [o Cardeal] Keeler falando em “Batismo ea Comunidade” é aberto ao público. . ..

 

Lincoln Journal Star, Sábado, 21 de outubro de 1995. (grifo nosso).

 

“Comunhão e ministério,` Junto com o batismo, eles representam as três questões ecumênicas chave enfrentam os esforços de cooperação e unidade da igreja em todo o mundo “, o Lincoln Journal Star relatou.

 

“A convocação é uma oportunidade para as pessoas` para se reunir e comemorar juntos, adorar juntos, conversar, desfrutar juntos. “” O que os pioneiros Adventistas dizer sobre adorando juntos, conversando, curtindo juntos, e, oh, sim, “celebrando” juntos [há essa palavra de novo] com as Igrejas caídas de Babilônia?

 

Aqui está um homem, por exemplo, que não concorda com a gente sobre o assunto da segunda vinda de Cristo. Ele acredita que somos totalmente equivocados em relação a esta grande verdade. Podemos sentir a união com um homem, e levá-lo para o nosso companheirismo e comunhão? Não podemos. Nós podemos, mas sinto que ele fecha os olhos a algumas das mais claras luzes das Escrituras, e se recusa parecer favorável a seu testemunho mais inequívoco. Não podemos, portanto, estender-lhe a mão da comunhão cristã. Só para com o sábado. Podemos ter comunhão com o homem que o viola? Não podemos. Em um ponto vital relacionada com o ensino da palavra de Deus, que estão em causa; e a união que de outra forma existe entre nós, é claro destruída. Assim, com os temas de batismo, o sono dos mortos, a destruição dos ímpios, etc. Onde não houver acordo em teoria, pode haver, no sentido cristão, não há uma verdadeira comunhão de coração e de comunhão de sentimentos.

 

James White, “Cinquenta argumentos irrespondíveis”, Review and Herald, 14 de janeiro de 1861. (grifo nosso).

 

Observe que James White informa que, “Nós podemos, mas sinto que ele [cristãos de outras igrejas] fecha os olhos a algumas das mais claras luzes das Escrituras, e se recusa parecer favorável a seu testemunho mais inequívoco.” James White afirmou ainda que: “Onde não há acordo em teoria, pode haver, no sentido cristão, não há uma verdadeira comunhão de coração e de comunhão de sentimentos.” Será que os pioneiros Adventistas acreditavam em ecumenismo? Eles definitivamente não!

 

“Tanto quanto sabemos esta é a primeira vez em qualquer lugar que esse tipo de coisa tem sido feito”, relatou o Lincoln Journal Star. É triste dizer que a liderança adventista do sétimo dia apóstata que desculpado “pela primeira vez em qualquer lugar esse tipo de coisa tem sido feito.”

 

Igreja Adventista  do Sétimo Dia – Resposta ao Concílio Vaticano II

 

Arthur S. Maxwell, então editor da revista Signs of the Times, deu um testemunho ocular sobre o Concílio Vaticano II em um sermão dado na Igreja da Universidade de Loma Linda, Califórnia. O título de seu sermão, “A mão estendida”, revela o tom de sua mensagem. Em seu discurso Maxwell divulgou os nomes dos principais adventistas do sétimo dia que tinham participado do Concílio Vaticano II. Este relatório oral é tão estranho para a posição pioneira adventista do sétimo dia sobre o papado e Ecumenismo que as declarações surpreendentes de Maxwell devem ser apresentadas com comentários.

 

Primeiro parágrafo do relatório de Maxwell sobre o Concílio Vaticano II

 

Primeiro, o uso de bem-vindas. Você vê, eu estive lá várias vezes, ou seja, a Roma. Sempre uma espécie de frieza lá, mas não mais, não mais! E era evidente em muitas maneiras. Por exemplo, na doação dessa imprensa passa, irmão Loewen estava lá desde a liberdade religiosa, o irmão Cottrell da Review and Herald, irmão Beach estava lá, do norte da Europa, e eu estava lá da Signs, e desde que você tinha uma boa razão para pedir um passe, você conseguiu. Se você fosse um editor ou um correspondente de um jornal real, eles deram o passe, e deram-nos a pessoas de todas as fés. Aqui, quatro adventistas têm esses passes. Achei que você gostaria de ver o meu. É o único documento que eu tenho que tem as chaves cruzadas e da tríplice coroa sobre ele. Eu tenho que ter cuidado quando eu mostrar isso. Eu não quero que ninguém pense que eu estou indo para a Igreja de Roma. Mas é muito pouco agradável a passagem, e foi muito valioso. Esta pequena passagem me leva em qualquer lugar que eu queria ir na hora do conselho.

Arthur S. Maxwell, Editor, Signs of the Times, “A mão estendida,” Um sermão.

Relatório, apresentadado na Universidade de Loma Linda da Igreja Adventista do sétimo dia, Loma Linda, Califórnia. (grifo nosso).

Comentários sobre o primeiro parágrafo do relatório de Maxwell

Incrível! Esta declaração é preenchida com tantos detalhes surpreendentes que é quase impossível decidir por onde começar o comentário. Por um lado, um pioneiro adventista do sétimo dia seria chocado com a informação divulgada só neste um parágrafo. Por exemplo, na primeira frase Maxwell afirmou que eles receberam “a simpatia do acolhimento.” E na segunda frase, ele admitiu: “Eu estive lá várias vezes, isto é, em Roma.” Por quê? Por que o editor do The Signs of the Times foi a Roma “várias vezes?” O Vaticano é a sede do Anticristo, a Besta do Apocalipse 13! Em seguida, Maxwell afirmou que Roma os tinha sempre recebido com frieza. Palavras de Maxwell “, uma espécie de frieza.” Em seguida, ele acrescenta com prazer “, mas não mais, não mais!” Caso não os adventistas “observadores” do sétimo dia foram alarmados com a mudança em sua recepção pelo papado? Não o próprio Espírito de Profecia adverte que, “Houve uma mudança, mas a mudança não é no papado.” (O Grande Conflito, página 571, grifo nosso).

 

“O catolicismo na verdade se assemelha muito ao protestantismo que hoje existe”, escreveu Ellen White, “porque o protestantismo tem tão grandemente degenerado desde os dias dos reformadores”. (ibid., GC, p. 571, grifo nosso). Já nos adventistas do sétimo dia também “degeneraram”, a ponto de nós também estarmos se tornando como a Igreja de Roma? Hoje pode-se reformular a declaração de Ellen White para ler, “O catolicismo na verdade se assemelha muito ao adventismo que agora existe, pois o adventismo tem tão grandemente degenerado desde os dias dos pioneiros.”

A Igreja de Roma apresenta hoje uma frente justa para o mundo, cobrindo de justificações o registro de suas horríveis crueldades. Ela se revestiu de vestes semelhantes às de Cristo; mas ela não é alterada. Cada princípio do papado que existia em épocas passadas existe hoje. As doutrinas inventadas nas tenebrosas eras ainda são mantidas. Que ninguém se engane. O papado que os protestantes hoje se acham tão prontos para honrar é o mesmo que governou o mundo nos dias da Reforma, quando homens de Deus se levantavam, com perigo de suas vidas, para expor a sua iniquidade. Possui o mesmo orgulho e arrogante pressuposto com que dominavam sobre reis e príncipes, e reclamaram as prerrogativas de Deus. Seu espírito não menos cruel e despótico é hoje do que quando arruinou a liberdade humana e matou os santos do Altíssimo.

 

ibid., Ellen G. White, O Grande Conflito, página 571. (grifo nosso).

 

Então Maxwell divulgou os nomes dos adventistas que participaram do Concílio Vaticano II e admitiu que ele participou como representante do Signs of the Times, a primeira revista ministerial Adventista do 7º. Dia  de divulgação. Como editor, lhe foi dado um passe oficial ao Concílio Vaticano II, mas admitiu que “os deram a pessoas de todas as crenças.” Este fato por si só deveria ter alarmado Maxwell. Obviamente isso não aconteceu.

Maxwell, em seguida, descreveu a insignia no passe, que deveria ter imediatamente alarmado até mesmo a ressonância de Laodicéia. A insígnia no passe “tem as chaves cruzadas e a tríplice coroa sobre ele.” As chaves, os católicos romanos acreditam, representam as “chaves do reino” proferidas pelo apóstolo Pedro para a sucessão de papas como chefe da Igreja. E todos nós sabemos que a tríplice coroa representa – que o Papa é o rei do céu, da terra e das regiões inferiores.

 

“Que ninguém vos engane, por qualquer meio, para esse dia [o dia do Senhor] não virá, sem que antes venha a apostasia, e que o homem do pecado será revelado”, o apóstolo Paulo alertou. “Que se opõe e se exalta acima de tudo que se chama Deus ou é objeto de adoração, de modo que ele, como Deus se assenta no santuário de Deus, ostentando-se ser ele Deus.” (2 Tessalonicenses 2: 3, 4, grifo nosso).

 

“Eu tenho que ter cuidado quando eu mostrar isso”, Maxwell, brincando, admitiu. “Eu não quero que ninguém pense que eu estou indo para a Igreja de Roma.”

 

Note-se que Maxwell admitiu que as contradições eram tão fortes que alguém poderia pensar que ele e os outros “observadores” adventistas estavam “indo para a Igreja de Roma.” Isto é como Samuele Bacchiocchi, em suas palestras anteriores, vestindo a capa escarlate e um vestido da Ordem dos Jesuítas e, brincando, perguntando a sua audiência, “Você já viu um Adventista do Sétimo Dia jesuíta?” E, em seguida, cerca de dez anos mais tarde, lamentando: “Você sabe, eu fui acusado de ser um jesuíta! ”

 

Parágrafo Segundo do Relatório de Maxwell sobre o Concílio Vaticano II

 

Em seguida, um outro aspecto da simpatia, da maneira que eles organizaram para a imprensa do mundo a ter os melhores lugares na cerimônia de abertura. Sentei-me para mais perto do Papa do que qualquer um dos cardeais. Eu tinha apenas 40 pés longe dele por três ou quatro horas, e eu tive a visão mais nítida, tão claro como alguns de vocês a 40 pés de distância. A razão que eu sei que ele estava com quarenta pés de distância, eu pisei fora após o culto terminar, porque eu pensei: “Ninguém nunca vai acreditar em mim, que eu me sentei tão perto de Sua Santidade.” Mas eu tinha uma vista maravilhosa, e eu tive algumas vistas em close-up mais fascinantes que eu não vou te dizer agora, mas eu gostaria de dizer que alguns de vocês de modo privado de alguns muito, muito interessantes pequenos detalhes humanos, o que você vê somente quando você está muito próximo de.

 

ibid., Arthur S. Maxwell, Editor, Signs of the Times, “A mão estendida,” Um Relatório Sermão, dada no sétimo dia da Universidade de Loma Linda Igreja Adventista, Loma Linda, Califórnia. (grifo nosso).

 

Comentários sobre o Parágrafo Segundo do relatório do Maxwell

 

“Sentei-me mais perto do Papa do que qualquer um dos cardeais”, Maxwell se vangloriou. Alguém poderia pensar a partir dessa declaração que Maxwell estava olhando sobre o Papa, como ele é visto com reverência por membros da Igreja Romana.

 

“O Papa não é um mero homem, mas como se fosse Deus e vigário de Deus.”

 

“O Papa não é apenas o vigário de Cristo, ele é Jesus Cristo, oculto sob o véu de carne.”

 

“Ninguém nunca vai acreditar em mim”, afirmou Maxwell, no temor do Anticristo sentado em seu trono a não mais de 40 pés de distância, “que eu me sentei tão longo, tão perto de Sua Santidade.”

 

Como no mundo poderia um alto funcionário da Igreja Adventista do Sétimo Dia chamar o homem do pecado, “Sua Santidade?” Pioneiros adventistas do sétimo dia ficariam espantados se soubessem que um adventista refere-se ao Anticristo como “Sua Santidade”. É surpreendente descobrir que Maxwell e outros adventistas “observadores” do sétimo dia foram enganados, assim como, na verdade, assim como outros “observadores” protestantes pela bajulação e astúcia da Igreja Católica Romana. Qual seria a resposta de Ellen White e de outros pioneiros Adventistas se ouvisse, “Sentei-me mais perto do Papa do que qualquer um dos cardeais.”

 

O papado é exatamente o que a profecia declarou que ele seria, a apostasia dos últimos tempos. [2 Tessalonicenses 2: 3, 4]. É uma parte de sua política assumir o caráter que melhor cumpra o seu propósito; mas sob a aparência variável do camaleão ela esconde o invariável veneno da serpente. “A fé não deve ser mantida com os hereges, nem com pessoas suspeitas de heresia.” (Lenfant, o volume 1, página 516). Ela [sobre o Papado] declara. Deve esse poder, cujo registro por mil anos é escrito com o sangue dos santos, ser hoje reconhecido como parte da igreja de Cristo?

 

Ellen G. White, O Grande Conflito, página 571. (grifo nosso).

 

Parágrafo Terceiro do Relatório de Maxwell sobre o Vaticano II

 

Em seguida, um outro aspecto desse novo uso, foi o discurso de abertura do papa. Eu tenho-o comigo. Eu não vou lê-lo, pois levou um longo tempo, mas foi um belo discurso. Este foi na abertura da última sessão. Você sabe o que seu tema era? Amor. Cito um parágrafo:. . ..

 

ibid., Arthur S. Maxwell, Editor, Signs of the Times, “A mão estendida,” Um Relatório do Sermão, apresentado na Universidade de Loma Linda da Igreja Adventista no sétimo dia de Loma Linda, Califórnia. (grifo nosso) ..

 

Comentários sobre o terceiro parágrafo do Relatório de Maxwell

 

Maxwell não só estava hipnotizado pelo grande show de esplendor no Concílio Vaticano II, sentado tão perto de “Sua Santidade”, mas ele também foi enganado pelas palavras do Anticristo! “E proferirá palavras contra o Altíssimo.” (Daniel 7:25). Falando do discurso do Papa na abertura da sessão final, Maxwell, comentou que “foi um belo discurso.” Então Maxwell perguntou e respondeu à sua própria pergunta: “Você sabe o que seu tema era? Amor.”

 

“Seu espírito não é menos cruel e despótico hoje do que quando arruinou a liberdade humana e matou os santos do Altíssimo”, Ellen White responde. (GC, p. 571).

 

Amor e bonito, ou, cruel e despótico? Quem está certo, amigo, o Papa, os “observadores” adventistas ou Ellen White, que escreveu sob a inspiração do Espírito Santo? Quem é que vai acreditar? Que a liderança ASD, até o ano de 1962, assim degeneraria em sua atitude para com Roma é tão incompreensível, tão incompreensível, tão incoerente, tão desconcertante e confuso, de modo incompreensível, que é impossível encontrar palavras no idioma Inglês para descrever o espanto de qualquer adventista do sétimo dia bem acordado que ama as mensagens dos três anjos.

 

Tanto em comum

 

Devido à influência Ecumênica no Concílio Vaticano II, o contemporâneo da Igreja Adventista do Sétimo Dia tem se envolvido com o Conselho Mundial de Igrejas, e mais tarde à Igreja Católica Romana. Se não houvessem outras provas para apresentar do que a narrativa documentada abaixo, a Igreja Adventista do Sétimo Dia contemporânea estaria condenada nos tribunais do céu. No entanto, infelizmente, há muitos, muitos mais documentos de registro.

 

Beach Revelando Relatório Eyewitness

 

Embora ele não fosse um editor de um jornal ou revista, de acordo com Maxwell, Bert Beverly Beach participou do Concílio Vaticano II como um “observador”. “Irmão Beach, do norte da Europa, estava lá” (ibid.) Naquela época Beach foi o Presidente da Divisão Européia dos Adventistas do Sétimo Dia. Em 1980, B. B. Beach foi nomeado Secretário de Relações Públicas e Liberdade Religiosa (PARL), e do Departamento de Conferência Geral dos adventistas do sétimo dia, Depto. recém-formado.

 

Em 1973, Bert Beach foi co-autor de um livro com Lukas Vischer, Secretário do Conselho Mundial de Igrejas. O título do livro era, tanto em comum, o subtítulo, “Entre o Conselho Mundial de Igrejas e a Igreja Adventista do Sétimo Dia”. O livro foi publicado pelo Conselho Mundial de Igrejas, em Genebra, na Suíça, em 1973. (Nota: – Uma cópia muito em comum pode ser obtido a partir de: Adventista Fundação de Leigos, PO Box 69, Ozone, AR 72854). O título do livro só conta a história “, tanto em comum, entre o a IASD e o Conselho Mundial de Igrejas.” O que adventistas do sétimo dia têm em comum com o Conselho Mundial de Igrejas? Como adventistas nunca vieram ao lugar onde eles achavam que tinham algo em comum com a grande assembléia das igrejas de Babilônia, as filhas prostitutas de Roma? Em seu livro Beach divulgou que a cooperação entre o a IASD e o Conselho Mundial de Igrejas realmente começou no Concílio Vaticano II.

 

“Em vista do fato de que as conversas informais entre o Conselho Mundial de Igrejas e a Igreja Adventista do Sétimo Dia têm sido realizadas de forma regular há mais de quatro anos”, escreveu Bert B. Beach, em 1973, “não é apropriado considerar a importância destes contatos e fazer um balanço do que foi feito até agora. “(Bert B. Beach, tanto em comum, página 98).

 

Por mais estranho que possa parecer, essas consultas anuais são subproduto do Concílio Vaticano II uma indireta. De fato, enquanto em Roma, em conexão com o Concílio Vaticano um membro da equipe do CMI e um representante adventista chegaram à conclusão de que uma reunião informal de um pequeno grupo de adventistas do sétimo dia com um número igual de representantes do Conselho Mundial de Igrejas faria cumprir um propósito útil – adventistas sendo insuficientemente informados sobre o Conselho Mundial de Igrejas, e os funcionários da igreja e líderes do CMI fazendo igualmente na necessidade de conhecimentos adicionais e mais abrangente a respeito da IASD.

 

Bert B. Beach, Tanto em comum, página 98. (grifo nosso).

 

Vamos tomar nota dos três pontos mais importantes desta declaração reveladora de Bert B. Beach.

 

(1) A admissão de Beach de que o evento era estranho. “Por mais estranho que possa parecer”, escreve ele. Era estranho que quatro Adventistas do Sétimo Dia “representantes” que se dirigem ao grande Concílio Ecumênico Vaticano II, à Igreja Católica Romana.

 

(2) Os dois homens, o representante oficial adventista do sétimo dia, e o do Conselho Mundial de Igrejas membros da equipe, decidiram que “iriam cumprir um propósito útil” para os adventistas do sétimo dia e o Conselho Mundial de Igrejas para atender.

 

(3) “Estes Consultas anuais [entre a Igreja Adventista do Sétimo Dia e do CMI] são subproduto do Concílio Vaticano II uma indireta. As consultas foram trazidas pelo espírito do grande Concílio Vaticano II da Igreja Católica Romana!

 

A primeira reunião foi realizada em 1965, os participantes sendo selecionados pelos dois organizadores. Assim, as conversas tiveram início em uma base completamente informal e foram realizadas sob a responsabilidade exclusiva dos participantes. As reuniões subsequentes tornaram-se um pouco mais formais, no sentido de que os organismos que empregam dos participantes da IASD terem autorizado e financiado a sua presença e os comitês executivos das três Divisões adventistas envolvidos deram a sua bênção, facilitando a seleção dos representantes; Conselho Mundial de Igrejas tem custeado as despesas do seu grupo. A Conferência Geral dos adventistas do sétimo dia foi mantida informada sobre as reuniões, embora não tomou parte ativa direto nas consultas, exceto por meio de suas três filiais da divisão da Europa. De 24-26 de novembro de 1969, Consulta foi a quinta na série.

 

Bert B. Beach, tanto em comum, página 98. (grifo nosso).

 

Há sete pontos mais importantes revelados neste comunicado escrito por Bert Beach. Vamos examinar cuidadosamente cada uma delas.

 

(1) Os participantes foram “selecionados pelos dois organizadores”. O representante oficial adventista do sétimo dia, e o Conselho Mundial de Igrejas membros da equipe “selecionados” os homens que iriam participar nas primeiras consultas quem foi o primeiro representante adventista “selecionado” pelos dois organizadores? Ninguém sabe.

 

(2) “As reuniões subsequentes tornaram-se um pouco mais formais.” Isso só pode significar que a liderança da Igreja Adventista do Sétimo Dia foi se tornando mais envolvida nas “consultas”.

 

(3) “Os corpos que empregam dos participantes da IASD ter autorizado e financiado a sua presença.” A IASD “autorizou e financiou a sua presença.” Será que a liderança da IASD usou dízimo ou do livre-arbítrio, oferecendo recursos para financiar as reuniões com as igrejas de Babilônia? Para usar qualquer um dos recursos que foram contribuídos para a pregação da mensagem do terceiro anjo, para consultar as igrejas caídas de Babilônia é realmente uma grave traição da confiança.

 

(4) “E os comitês executivos das três divisões adventistas envolvidos deram a sua bênção, facilitando a seleção dos representantes da IASD.” Após as consultas entre a IASD e WCC “tornou-se um pouco mais formal,” o homem que foi escolhido como o representante da IASD foi o Dr. Earle Hilgert, Professor de Teologia na Universidade Andrews. Desde que o Dr. Hilgert deixou a Igreja Adventista do Sétimo Dia para se tornar um presbiteriano, e tomou uma posição em uma Faculdade Presbiteriana em Chicago, Illinois, Dr. Raoul Dederen, Professor de Teologia na Universidade Andrews foi escolhido para suceder Dr. Hilgert como representante da IASD.

 

(5) “A Conferência Geral dos adventistas do sétimo dia foi mantida informada sobre as reuniões.” A Conferência Geral sabia sobre as reuniões e as aceitou sem protestar. Por não protestar as consultas com o Conselho Mundial de Igrejas, a Conferência Geral foi e está a colocar a sua aprovação sobre as consultas.

 

(6) “A Conferência Geral.. .Não tem tomado nenhuma parte ativa direta nas consultas, exceto por meio de suas três filiais de Divisão da Europa.” Um dos ramos da Divisão europeia “oficiais” não era outro senão Bert B. O próprio Beach. Por que tanto envolvimento das Conferências da Divisão Europeia em consultas entre IASD e o CMI? Porque, a partir de sua própria admissão, Bert B. Beach como Presidente da Divisão Europa do Norte participaram do Concílio Vaticano II como um “observador / representante”. Para verificar essa acusação, Beach, mais tarde co-autor, com o Secretário do WCC, o livro tanto em comum, “Entre a IASD e o Conselho Mundial de Igrejas.” Beach também serviria mais tarde como o secretário das Famílias Mundiais Confessionais, o ramo teológico do Conselho Mundial de Igrejas. Enquanto servia como secretário do WCF, Beach representaria a Igreja Adventista do Sétimo Dia em símbolo em um medalhão de ouro ao Papa Paulo VI. (Veja, WD Eva, Adventist Review, “Book, Medalhão Apresentado ao Papa”, 11 de agosto de 1977, (847), página 23).

 

(7) “24-26 de novembro de 1969, Consulta foi o quinto na série.” Quantas “consultas” tem havido entre a IASD e o CMI desde 1969 é uma pergunta interessante?

 

A Nova Face do ecumenismo

 

“Parece que o movimento ecumênico organizado chegou a um auge de entusiasmo e de influência no final dos anos sessenta, no rescaldo do Concílio Vaticano II”, diz Encyclopedia da IASD. “Desde então, o CMI tem ido para um período de marasmo ecumênico e até mesmo diminuir.” (Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada, Art. “Ecumenismo”, ênfase acrescentada).

 

“Muito da atividade ecumênica agora ocorre fora do CMI em nível local, na forma da juventude interdenominacional desestruturada e leigos de grupos de estudos bíblicos e de oração, bolsas de estudo e esforços de serviço à comunidade.” (ibid., Enciclopédia Adventista do Sétimo Dia, Segunda Edição Revisada Art. “O ecumenismo.” (grifo nosso).

 

Vemos essa nova face do movimento ecumênico predominante no adventismo contemporâneo em cada uma dessas fases de compromisso. Vemos isso nas mais vibrantes “Celebration” cultos de adoração, voltados para a juventude. Vemos isso na literatura de divulgação no evangelismo aguado da denominação contemporânea. Vemos o ecumenismo em “empreendimentos de serviços à comunidade.” Esta foi a razão dada para a fusão dos hospitais adventistas em Colorado com o sistema católico romano “procedências”. (Veja, Judith Graham, equipe escritor do negócio “, procedências-adventistas, podem se tornar Partners,” The Denver Post, 13 de janeiro de 1995,

 

Vemos o novo rosto do ecumenismo em intereclesiais “bolsas de estudo”. Em algumas igrejas, ainda realizadas “interdenominacionalmente” festas do Super “Bowl”. Vemos o ecumenismo em “Estudo bíblico de leigos e oração em grupos.” Novamente citando James White:

“Em um ponto vital relacionado com o ensino da palavra de Deus, que está em causa;… E da união que, caso contrário existe entre nós, é claro está destruída, …” escreveu James White em relação ao nosso relacionamento com outras denominações. “Onde não há acordo em teoria, pode haver, no sentido cristão, não há uma verdadeira comunhão de coração e de comunhão de sentimentos.” (James White, “Cinquenta argumentos irrespondíveis”, Review and Herald, 14 de janeiro de 1861, ênfase acrescentada). (Veja acima a declaração completa no contexto).

 

As Casas Ecumênicas de Esperança

 

Garrie Williams, quando Secretário da Conferência Ministerial de Oregon, desenvolveu um sistema de estudos bíblicos domiciliares intitulado Esperança nos larees. O “ecumênico” Serendipity Novo Testamento para Grupos de Trabalho (NIV) foi o livro didático para as aulas. Basta examinar a ajuda marginal desta publicação para ver que ele é uma das ferramentas heréticas mais sutis da “nova” teologia, tão prevalente em todo o adventismo contemporâneo. A liderança da Conferência Oregon considerou as lições de um grande sucesso. A divisão norte-americana da IASD convidou Garrie Williams para ensinar este método de  estudo bíblico “Casas da Esperança” em toda a Divisão Norte-Americana. (Ver “As pessoas em Transição,” North Union Pacific Gleaner, 04 de março de 1991, página 21).

 

Traição da Mensagem do Segundo Anjo

 

Podemos concluir em nosso estudo da história do Ecumenismo na IASD que a Igreja ainda está ensinando a mensagem do segundo anjo? Não, não podemos. Está o fiel da Igreja cumprindo sua comissão de chamar as pessoas para fora de Babilônia, para fora das igrejas que guardam o domingo? Mais uma vez temos de responder, infelizmente, não. O contemporâneo da IASD agora reconhece as igrejas da Babilônia moderna como irmãs cristãs e, como tal, “Reconhecemos todas as agências que exaltam a Cristo antes que o homem, como parte do plano divino para a evangelização do mundo, e temos em alta estima os homens e mulheres cristãos de outras comunidades que estão engajados em ganhar almas para Cristo. “(General Comitê Executivo da Conferência, 1926, grifo nosso) .. (Veja acima,

 

A liderança adventista contemporânea já aceitou a tradução errada da Bíblia, do Conselho Nacional de Igrejas e aprovada pelo Papado. (“Nova” Versão Internacional). Eles aceitaram o falso Cristo da Babilônia moderna – o falso ensino de que Cristo possuía a natureza humana que Adão possuía no Jardim do Éden antes da queda. A liderança ASD rejeitou a “expiação final” no céu e substituiu-o com a expiação concluída e final sobre a cruz. Sim, a IASD está agora ensinando a maioria das falsas doutrinas de Babilônia moderna. Com uma falsa Bíblia na mão, inspirada pelos jesuítas de Roma, a “nova” teologia de um falso Cristo e uma falsa expiação é imposta como Creed, na forma de um manual oficial da Igreja.

 

“Não pode haver unidade entre a verdade e o erro”, alertou Ellen White. “Podemos nos unir com aqueles que foram levados para o engano somente quando eles são convertidos.” (Olhando para o alto, página 88, grifo nosso).

 

Convertidos para a Verdade

 

Chegou o momento em que as coisas devem ser chamadas pelos seus nomes corretos. A verdade vai triunfar gloriosamente, e aqueles que têm sido levados entre dois pensamentos devem tomar sua posição decididamente a favor ou contra a lei de Deus. Alguns vão estar com teorias que interpretam mal a Palavra de Deus, e minar o fundamento da verdade que tem sido firmemente estabelecida, ponto por ponto, e selada pelo poder do Espírito Santo. As antigas verdades são para ser revividas, a fim de que as falsas teorias que foram trazidos pelo inimigo possam ser inteligentemente rejeitadas. Não pode haver unidade entre a verdade e o erro. Podemos nos unir com aqueles que foram levados para o engano somente quando eles são convertidos.

 

ibid., Ellen G. White, Olhando para o alto, página 88. (grifo nosso).

 

Se Ellen White estivesse viva hoje, o que ela teria a dizer sobre quatro “Representantes adventistas” participarem do Concílio Ecumênico Vaticano II, em Roma, dirigido pelo Papa João XXIII e Paulo VI? O que ela disse sobre o fato de que a liderança adventista foi influenciada “, como resultado direto do Concílio Vaticano II” para estabelecer consultas com o Conselho Mundial de Igrejas?

“Agora e sempre devemos permanecer como um povo distinto e peculiar,” Ellen White responde: “livre de  toda a política mundana, desembaraçados da confederação com aqueles que não têm sabedoria e discernir as reivindicações de Deus, tão claramente definidas na sua lei. ”

 

(Battle Creek Letters, página 52, grifo nosso).

FONTE: http://omega77.tripod.com/NeilChap15.htm

IMG_20141026_144748

A verdade em nenhum tempo da história esteve nas mãos de uma maioria.
Lembre-se dos dias de Noé, de Elias, de Jesus (quantos estavam ao pé da cruz quando Jesus estava morrendo).
Pense: nem todo pequeno grupo de crentes é povo de Deus; mas, o povo de Deus em todo tempo foi um pequeno grupo.

Que diz Apoc. 14:12? “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.”
Apocalipse 14:12-13.
Essas duas características, simples assim, não condizem com ecumenismo – jamais. Nem com santificação do domingo nem com o atendimento à regras do ecumenismo realizando domingos especiais, dias inesquecíveis, nem com crença na trindade ou realização de batismo em nome dessa, nem cobrando dízimos – pois os mesmos se extinguiram na cruz ao findar o sacerdócio levítico,….
Conheça um pouco da história dos Valdenses – heróis da fé – mártires da inquisição – parte 1

A IASD tem enganado os membros informando que é apenas observadora do ECUMENISMO.

Veja essa matéria:
Tradução do Google: “Vi isso no informativo diário da Região Lake Conference. Eles parecem ser muito orgulhosos do fato de que esse cara do Conselho Nacional de Igrejas vai falar com os alunos do seminário. O Conselho Nacional de Igrejas é um dos grupos por trás do impulso para uma religião mundial. É claro que ele vai falar sobre a “unidade” na igreja. Não é na igreja, mas “a unidade de todas as igrejas”. A IASD não deve ter nada a ver com o movimento ecumênico. Ele inclui todas as religiões, se eles afirmam crer no Deus da Bíblia ou em entidades pagãs. POR FAVOR, ver como as crenças fundamentais da Igreja Adventista do Sétimo Dia ENDOSSAM, promover, esta atividade ecumênica”.

“12. A Igreja
A Igreja é a comunidade de crentes que confessam Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Em continuidade com o povo de Deus nos tempos do Velho Testamento, somos chamados para fora do mundo; e nos unimos para prestar culto, para comunhão, para instrução na Palavra, para a celebração da Ceia do Senhor, para o serviço a toda a humanidade e para a proclamação mundial do evangelho. A igreja recebe sua autoridade de Cristo, que é a Palavra encarnada, e das Escrituras, que são a Palavra escrita. A Igreja é a família de Deus; adotados por Ele como filhos, seus membros vivem com base no novo concerto. A igreja é o corpo de Cristo, uma comunidade de fé, da qual o próprio Cristo é a Cabeça. A igreja é a noiva pela qual Cristo morreu para que pudesse santificá-la e purificá. Em Sua volta triunfal, Ele a apresentará a Si mesmo Igreja gloriosa, os fiéis de todos os séculos, a aquisição de Seu sangue, sem mácula, nem ruga, porém santa e sem defeito.
 
Esta definição significa que “A Igreja” inclui todos os “comunidade de fé” – a cada “cristão” denominação igreja. OBSERVE que a igreja também é definido como “o corpo de Cristo.” Isto significa que a Gen. Conf. SDA e todos os seus membros as igrejas têm-se definido como PARTE DE BABILÔNIA”.
MUITO LAMENTÁVEL, NÃO ACHA?
FOI POR ISSO QUE A IASD CONVIDOU O CATOLICISMO, O ESPIRITISMO E A MACUMBA E O PROTESTANTISMO APOSTATADO PARA OS HOMENAGEAR EM PÚBLICO! TRISTE, NÃO É MESMO? E A FALSIDADE É O PIOR. PARA GANHAR ALMA$$$$$$$$$$ DIZEM PARA ELAS – ÀS ESCONDIDAS DOS LÍDERES DESSAS CORPORAÇÕES DIVORCIADAS DA VERDADE) QUE ESSE TIPO DE GENTE É DO DEMÔNIO (E É MESMO, A MENOS QUE DEIXEM OS ERROS DE SATANÁS) E EM SUA FRENTE E EM FRENTE DAS CÂMERAS DO PLANETA, OS ABRAÇA, OS HOMENAGEIA, ASSUMINDO A POSTURA DO CAMALEÃO.
CONFIRA NO VÍDEO:

Vinte e seis professores catedráticos de diversas áreas da Ciência, que lecionam ou trabalham em 14 universidades espanholas, publicaram um livro para rebater a suposta incompatibilidade entre a Religião e a Ciência, espalhada por alguns “cientistas materialistas”, informou a agência Infocatólica.

O livro veio à luz uma semana após o cientista Stephen Hawking defender que não acredita em Deus, nem na sua existência, e nem mesmo numa necessidade matemática de um Deus criador do universo, como afirmava outrora.

A declaração de Hawking teve certa repercussão, pois ele ganhou notoriedade sustentando uma espécie de necessidade da existência de Deus derivada das equações do Universo.

A hipótese de Hawking era digna de consideração. E foi muito bem recebida nos ambientes mais científicos, menos defensores da fé e do catolicismo. Agora, porém, Hawking decepcionou a todos eles.

Entre os autores do novo livro que põem as coisas em seu lugar, encontra-se o Prof. David Jou, catedrático de Física da Matéria Condensada na Universidade de Barcelona.

Aliás, ele é tradutor para o espanhol da obra de Hawking, tendo prefaciado todas as obras publicadas até hoje pelo cientista que agora adotou o ateísmo.

O livro “60 preguntas sobre ciencia y fe respondidas por 26 profesores de universidad” (“60 perguntas sobre ciência e fé respondidas por 26 professores universitários”) foi editado pela Editorial Stella Maris. 

Os especialistas espanhóis sustentam que o conhecimento científico atual fornece dados que “analisados sem interpretações materialistas e ateias”, não são “de maneira alguma incompatíveis com a doutrina cristã”.

Para estes cientistas, “foram construídas com a ciência ideologias que vão muito além do que o dado empírico permite”.

 

“No transcurso da segunda metade do século XX e até o dia de hoje, temos podido comprovar em diversos campos – sobretudo nos relacionados com a cosmologia, e particularmente com as peculiaridades das leis da natureza – que o aumento da compreensão da estrutura do mundo, e não seu desconhecimento, fornece fundamento a linhas de pensamento que fazem uma ponte que vai da ciência até a teologia”, escrevem.

Segundo os autores, “pode-se afirmar que o cenário positivista que proclama a morte da religião como fruto da ciência não se cumpriu, e nem tem aparências de vir a se cumprir. Isto não é por uma casualidade, nem porque os cientistas ainda não perceberam como é que devem pensar”, mas porque “é errado supor que os pontos de partida do pensamento religioso radicam no desconhecimento da ciência”.

Em mais de 400 páginas, o livro refuta as principais dúvidas que o ateísmo montou contra a religião a partir de uma pretensa evidência científica.

Neurociências, biologia, cosmologia, estatísticas ou física quântica, entre outras, são matérias que especialistas analisam ponto por ponto para defender uma posição legítima.

FONTE: http://infocatolica.com/?t=noticia&cod=22070

PASSADAS AS ELEIÇÕES, ATÉ PORQUE NÃO FAZEMOS CAMPANHA POR QUALQUER CANDIDATO – NOSSO CANDIDATO É CRISTO – EMBORA A FAVOR DE QUE TODA CORRUPÇÃO SEJA TIRADA DO GOVERNO ATUAL, REELEITO, TEM-SE QUE RECONHECER SEUS MÉRITOS.
17 MEGA OBRAS DESSE GOVERNO QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA OUVIU FALAR.
AGORA, É HORA DE AS MÚMIAS POLÍTICAS QUE QUANDO EM VIDA ARRASARAM O PAÍS DURANTE SÉCULOS – FAMINTAS PARA COLOCAREM A MÃO NA BOTIJA DE DINHEIRO – VOLTAREM AOS SEUS RESPECTIVOS SARCÓFAGOS, LUGAR DE ONDE NUNCA DEVERIAM TER SAÍDO.
Entretanto, o recado das urnas exige do Governo medidas sérias de combate aos desmandos escancarados, sob pena de vermos voltarem ao poder as múmias que desgraçaram o país desde o seu descobrimento e que estão famintas para colocarem a mão na botija ($$$$$$$) e fazerem o que se deleitam em fazer.
Conforta-nos saber que a resolução final do problema da desonestidade, da falta de pudor dos governantes bem como o problema do pecado neste planeta, tão longe da verdade, só virá quando O Deus único e verdadeiro, YHWH, Deus e Pai de Jesus, intervir outra vez no planeta como preveem as Escrituras Sagradas.
O recado de Deus pelo apóstolo, é:
“Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir.
As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça.
O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.
Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos.
Deliciosamente vivestes sobre a terra, e vos deleitastes; cevastes os vossos corações, como num dia de matança.
Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu.
Sede pois, irmãos, pacientes até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia”.
Tiago 5:1-8
Achegue-mo-nos a Deus e a Seu divino Filho, nosso Salvador enquanto há tempo.
Abraço fraterno.

https://drive.google.com/file/d/0B6DRRLZ2ZXJOX2tKdkpBTjRSY2s/view?usp=sharing OUÇA O ÁUDIO E AVALIE

https://drive.google.com/file/d/0B6DRRLZ2ZXJOWjJHekg4QTRuazA/view?usp=sharing

MAMA

outubro 25th, 2014 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

5 ALIMENTOS PARA NUNCA COMER.

outubro 25th, 2014 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

Uma aula que nunca tive, a qual partilho com você.

HOMENAGEM DE UM DOS TRÊS FILHOS QUERIDOS

Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. 1 Timóteo 2:5

Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é umGálatas 3:20

Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.Efésios 4:6

Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecemTiago 2:19

Visto que Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão. Romanos 3:30

Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele. 1 Coríntios 8:6

E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é DeusMarcos 10:18

Para que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus CristoRomanos 15:6

Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é DeusLucas 18:19

 

https://drive.google.com/file/d/0B6DRRLZ2ZXJONzVNc0V1cXR1VVE/edit?usp=sharing

VEJA O VÍDEO, ONDE O PASTOR LUIS GONÇALVES PREGA COM ÊNFASE SOBRE AS RELIGIÕES FALSAS DE QUE FALA APOCALIPSE 16:13, CATOLICISMO, ESPIRITISMO E PROTESTANTISMO APOSTATADO.

HOJE, A IGREJA À QUAL O PASTOR FREQUENTAVA HÁ ALGUNS ANOS ATRÁS, HOMENAGEIA EM PÚBLICO ESSES TRÊS PODERES, DE CUJAS BOCAS SAEM 3 ESPÍRITOS IMUNDOS SEMELHANTES A RÃS E, POR TRÁS DOS BASTIDORES ASSINA PACTO DE AMIZADE COM A MAIS NUMEROSA DESSAS INSTITUIÇÕES, A IGREJA CATÓLICA.

 

BATISMO2https://drive.google.com/file/d/0B6DRRLZ2ZXJOOWNoZ0VRRjN1ZVU/view?usp=sharing

POUCO A POUCO OS SINCEROS FILHOS DE DEUS ESTÃO SENDO DESPERTADOS PARA DEIXAREM AS CORPORAÇÕES RELIGIOSAS QUE DEIXARAM A VERDADE, E DEDICAREM COM SUAS FAMÍLIAS E DEMAIS IRMÃOS DA MESMA FÉ À VERDADEIRA ADORAÇÃO, DEIXANDO A SERVIDÃO AO SISTEMA RELIGIOSO ECUMÊNICO DIVORCIADO DA VERDADE E A ADORAÇÃO FALSA.

DESTA FEITA FOI A VEZ DO AMADO IRMÃO FRANCISCO LINDEILSON FREITAS DE PETROLINA PERNAMBUCO, ONDE ATUAVA COMO ANCIÃO DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA.

SEU BATISMO FOI EFETUADO NAS ÁGUAS DO RIO SÃO FRANCISCO NA TARDE DE SÁBADO, 18 DE OUTUBRO DE 2014, NA ILHA DO MAROTO, DURANTE ABENÇOADO ACAMPAMENTO DOS JOVENS ADVENTISTAS BEREANOS DAS COMUNIDADES DO ALTO DO ALENCAR E DO QUIDÉ.

AGORA O IRMÃO CONGREGA COM SEUS QUERIDOS IRMÃOS DA COMUNIDADE ADVENTISTA BEREANA DO 7o. DIA DO ALTO DO ALENCAR EM JUAZEIRO, BA.

DEUS O ABENÇOE RICAMENTE E A TODA A SUA FAMÍLIA.

MARANATA

“Em Nome de Quem os Discípulos Batizaram?

(FONTE: BÍBLIA SAGRADA E LIVRO EU E O PAI SOMOS UM, PÁG. 39-47)

O livro de Atos relata vários batismos, mas nenhum deles foi realizado em nome da trindade. Os exemplos que temos da era apostólica demonstram claramente que os batismos foram realizados em nome de Jesus. Vejamos alguns exemplos começando com o apelo de Pedro aos judeus na festa do Pentecostes:

“Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom o Espírito Santo.” – Atos 2:38.

Estaria Pedro, por acaso, desobedecendo a ordem clara do Mestre que o batismo deveria ser realizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo? Por que Pedro recomendou um batismo em nome de Jesus apenas? Vejamos como haviam sido batizados os crentes de Samaria:

“Porquanto não havia ainda descido sobre nenhum deles, mas somente haviam sido batizados em o nome do Senhor Jesus.” – Atos 8:16.

O livro dos Atos também relata que gentios foram batizados em nome de Jesus e não em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo:

“E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então lhe pediram que permanecesse com eles por alguns dias.” – Atos 10:48.

O livro dos Atos relata até mesmo casos de rebatismo em Éfeso:

“Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus.” – Atos 19:5.

Por que os discípulos batizaram em nome de Jesus e não em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo? Por que os batismos hoje são em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (baseando-se em apenas um verso e ignorando todos os demais que ensinam que o batismo deve ser em nome de Jesus)?

Em Romanos 6:3 Paulo afirma que “fomos batizados em Cristo Jesus”. Ele nunca afirmou que fomos batizados na trindade.

Exortando sobre a necessidade de unidade em Cristo, Paulo pergunta aos Coríntios:

“Acaso Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós, ou fostes porventura, batizados em nome de Paulo?” – I Coríntios 1:13.

Embora este verso não diga tão claramente quanto os anteriores que o batismo é em nome de Jesus, há uma evidência clara da intenção do apóstolo. Cristo não está dividido. Jesus Cristo foi crucificado em favor dos crentes e estes foram batizados em nome dEle, sugere o verso.

Escrevendo aos Gálatas, Paulo reafirma o que foi dito até o momento:

“Porque todos quantos fostes batizados em Cristo, de Cristo vos revestistes.” – Gálatas 3:28.

Não apenas os batismos foram realizados em nome de Cristo, mas todas as palavras e obras dos cristãos devem ser em nome de Jesus Cristo (não em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo).

Tudo em Nome de Jesus Cristo

“E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” – Colossenses 3:17.

Paulo recomenda que tudo deve ser feito em nome de Jesus. O que está incluído nesta expressão “tudo”? Todas as coisas estão incluídas aqui (inclusive batismos). É hora de você pegar sua Bíblia e conferir os versos abaixo.

ð As orações devem ser feitas em nome de Jesus, não em nome de uma trindade. Veja vários exemplos: João 14:13 e 14; João 15:16; João 16:24, 26 e 27; Tiago 5:14.

ð Advertências, admoestações e repreensões foram feitas em nome de Jesus, nunca em nome da trindade.  Confira: I Cor. 1:10; 5:4; II Tess. 3:6.

ð Nenhum milagre foi feito em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas em nome de Jesus. Abra sua Bíblia e leia os seguintes versos: Mat. 7:22; Mar. 9:38-40; Mar. 16:15-18; Luc. 10:17; Atos 3:6; 4:7-12; 4:30; 16:18.

ð Obras de caridade também foram realizadas em nome de Jesus. Veja: Mat 18:5; Mar. 9:37 e 41; Luc. 9:48.

ð Até mesmo reuniões espirituais e pregações devem ser realizadas em nome de Jesus, não em nome da trindade. Leia estes exemplos: Mat. 18:20; Luc. 24:46 e 47; Atos 4:18; 9:27 e 29; Efés. 5:20; Tiago 5:10.

ð O mais impressionante é que até mesmo o Espírito é enviado em nome de Jesus conforme João 14:26.

ð Enfim, como diz Paulo, tudo deve ser feito em nome de Jesus, pois nossa salvação é também em nome do nosso Senhor Jesus Cristo. Veja Atos 4:12; João 20:31; I Cor. 6:11.

Autenticidade de Mateus 28:19

Diante de tantas inconsistências e incompatibilidades com o restante dos escritos sagrados, Mateus 28:19 tem sua autenticidade questionada. A história demonstra que na era apostólica batizava-se apenas em nome de Jesus, sendo que batismos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo só foram realizados muitos anos após a morte dos apóstolos. Vejamos o que as enciclopédias dizem a respeito da origem da trindade e do batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo:

Enciclopédia Britânica: “A fórmula batismal foi mudada do nome de Jesus Cristo para as palavras Pai, Filho e Espírito Santo pela Igreja Católica no 2º Século.” – 11a Edição, Vol.3 – págs. 365-366. (em inglês)… “Sempre nas fontes antigas menciona que o batismo era em nome de Jesus Cristo.” – Volume 3 pág.82.

Enciclopédia da Religião – Canney: “A religião primitiva sempre batizava em nome do Senhor Jesus até o desenvolvimento de doutrina da trindade no 2° Século.” – pág. 53 (em inglês).

Nova Enciclopédia Internacional: “O termo “trindade” se originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica Romana.” – Vol. 22 pág. 477 (em inglês).

Enciclopédia Da Religião – Hastings: “O batismo cristão era administrado usando o nome de Jesus. O uso da fórmula trinitariana de nenhuma forma foi sugerida pela história da igreja primitiva; o batismo foi sempre em nome do Senhor Jesus até o tempo do mártir Justino quando a fórmula da trindade foi usada.” – Vol.2 pg 377-378-389 (em inglês)

O Pastor Adventista do Sétimo Dia Alejandro Bullón, no livro “O Terceiro Milênio” fala de alguns conflitos internos enfrentados pela igreja da idade média por causa de doutrinas estranhas:

“Naquele período, a Igreja cristã passou a ter conflitos internos por causa de doutrinas estranhas que pretendiam misturar-se às verdades bíblicas. Entre as doutrinas em conflito, podemos mencionar: o pecado original, a trindade, a natureza de Cristo, o papel da virgem Maria, o celibato e a autoridade da Igreja.” – O Terceiro Milênio e as Profecias do Apocalipse – Alejandro Bullón – págs. 41 e 42.

A Bíblia de Jerusalém incluiu o seguinte comentário de rodapé a respeito de Mateus 28:19:

“É possível que, em sua forma precisa, essa fórmula reflita influência do uso litúrgico posteriormente fixado na comunidade primitiva. Sabe-se que o livro dos Atos fala em batizar “no nome de Jesus”. Mais tarde deve ter-se estabelecido a associação do batizado ás três pessoas da trindade.”

Mateus 28:19 Original e a Crítica Textual

Crítica textual é o método utilizado por estudiosos para se conhecer o texto original, ou, pelo menos, chegar próximo do original. Metodologias foram desenvolvidas neste sentido pois sabe-se que as versões que chegam até nós, após várias cópias e traduções, raramente vem com 100% de precisão. Hoje existem, espalhados por museus e bibliotecas no mundo inteiro, aproximadamente 5500 manuscritos que vão desde fragmentos de papiro até Bíblias completas produzidas após a invenção da imprensa.

É fato comprovado que há muitas diferenças entre estes manuscritos e como não temos acesso ao original, surgem as questões: Qual destes manuscritos é o mais confiável? Qual está mais próximo da versão original?

Muitos cristãos acreditam que Deus preservou cada ponto e cada vírgula das Escrituras, mas os 5500 manuscritos e as fontes históricas de que dispomos mostram que houve mudanças nas Escrituras e que há necessidade de buscas, comparações e estudos para se chegar à versão mais próxima do original. Temos absoluta confiança de que Deus inspirou a versão original e preservou a essência da mensagem bíblica, mas a diversidade de manuscritos demonstra que houve erros de copistas e possíveis adulterações. É por esta razão que existe a crítica textual, uma forma de buscar as versões mais fiéis e que mantêm uma coerência interna.

O ideal seria termos à nossa disposição os documentos originais do Novo Testamento escritos pelos próprios apóstolos ou, pelo menos, cópias do primeiro ou segundo séculos. Mas infelizmente devido à grande perseguição que a igreja sofreu nos primeiros séculos da era cristã, muitos documentos sagrados foram destruídos neste período. Portanto, não temos à nossa disposição os originais do Novo Testamento nem manuscritos dos três primeiros séculos. Em 303 a.d. Diocleciano, o imperador romano, ordenou que as propriedades dos cristãos fossem confiscadas e que seus escritos sagrados fossem destruídos. Só alguns anos depois outro imperador, Constantino, “converteu-se” ao cristianismo, cessou as perseguições e promoveu a difusão dos escritos sagrados.

O problema da crítica textual não é a falta de manuscritos, mas o excesso. Diante de tantos manuscritos diferentes, como a crítica textual decide qual é a melhor versão? A primeira fonte de estudos para a crítica textual são os manuscritos antigos. As fontes históricas idôneas também servem como subsídio para os estudiosos e críticos textuais. Uma fonte utilizada pela crítica textual são as citações bíblicas feitas pelos escritores e historiadores religiosos dos primeiros séculos. Neste período a produção literária sacra foi muito grande e a citação da Bíblia era muito comum. Estes escritores dos primeiros séculos baseavam-se em cópias manuscritas do Novo Testamento mais antigas e confiáveis do que as que dispomos hoje. Por esta razão estas citações de versos bíblicos feitas por autores antigos são de grande valor para a crítica literária. Há quem afirme que a quantidade de citações bíblicas nas obras destes escritores sacros é tão grande que seria possível, mesmo sem os manuscritos bíblicos, reconstituir praticamente toda a Bíblia baseado-se apenas nas citações destes autores. Exagero ou não, vale a pena levar em conta tais citações se estas podem nos auxiliar numa conclusão sobre qual seria o texto mais próximo do original no caso de Mateus 28:19.

Veremos na parte final deste livro um pouco da história da doutrina da Santíssima Trindade. Falaremos um pouco sobre o Concílio de Nicéia realizado no quarto século e sobre o estabelecimento da doutrina da Santíssima Trindade pela Igreja Católica. Infelizmente os manuscritos mais antigos do Novo Testamento de que dispomos hoje e nos quais nossas Bíblias são baseadas são posteriores ao Concílio de Nicéia e contém a fórmula batismal “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, mas as citações bíblicas de historiadores baseados em manuscritos anteriores a este Concílio nos mostram algo muito interessante!

Eusébio de Cesaréia (270-340 a.d.), conhecido como o pai da história da igreja, foi provavelmente o maior historiador da igreja dos primeiros séculos. Sua obra é vasta e ele é considerado um dos preservadores da literatura sacra em sua época. Embora não tenha se destacado pela criatividade e originalidade, Eusébio goza de boa reputação no tocante à sua precisão. Não temos espaço suficiente para discorrer com detalhes acerca da obra e influência de Eusébio de Cesaréia, mas sabemos que ele baseou seus escritos em manuscritos anteriores e mais fidedignos do que os que temos hoje. No início do quarto século, Eusébio citou Mateus 28:19 diversas vezes em comentários sobre Salmos, Isaías, e em obras como Demonstratio Evangelica e Teofania. Também citou este verso em  História da Igreja. Na maioria das vezes suas citações de Mateus 28:19 eram muito semelhantes a esta:

“Ide e fazei discípulos de todas as nações em meu nome, ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho ordenado.”

É importante ressaltar que toda a doutrina deve ser obtida da pura Palavra de Deus, não de escritos de homens, por mais fidedignos que eles sejam. Estes historiadores viveram em tempos de grande escuridão espiritual quando o paganismo sutilmente penetrava na igreja. Por esta razão, nosso objetivo ao mencionar as citações de Eusébio é apenas usar o testemunho dos escritores dos primeiros séculos como evidência histórica de que a versão original muito provavelmente tenha sido adulterada. Ao fazer tais citações de Mateus 28:19, Eusébio usou manuscritos mais antigos e mais fidedignos do que os que temos hoje.

A. Ploughman, um estudioso inglês, se interessou em pesquisar a fundo as citações de Mateus 28:19 na obra de Eusébio. A. Ploughman contou 18 citações de Eusébio contendo o batismo em nome de Jesus. Segundo a Enciclopédia de Religião e Ética, Eusébio citou 21 vezes a comissão de Mateus 28, ou omitindo tudo entre “nações” e “ensinando-os” ou, na forma mais frequente, “fazei discípulos de todas as nações em meu nome”.

É interessante notar que no final de sua vida, após o Concílio de Nicéia, Eusébio incluiu em obras como “Contra Marcelo de Ancira” e “Sobre a Teologia da Igreja” citações de Mateus 28:19 incluindo o batismo em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. Isto revela a influência poderosíssima exercida pelo Concílio de Nicéia em favor da trindade, afetando a produção da literatura sacra no quarto século.

Fica claro, não apenas pelas evidências provenientes da crítica textual, bem como da análise do contexto de Mateus 28:19 e por outras passagens bíblicas, que a autenticidade do verso em questão é bastante questionável e, portanto, não deve ser utilizado para provar qualquer doutrina. Ademais, é sempre conveniente lembrar que nenhuma doutrina bíblica pode ser estabelecida com base em apenas um verso. Essa regra é um consenso entre os teólogos e estudiosos da Bíblia. Por isso, batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo é quebrar este princípio e, mais do que isso, desprezar as abundantes evidências bíblicas de que o batismo deve ser realizado em nome de Jesus.

Outras versões de Mateus 28:19

Qual é a melhor versão para Mateus 28:19? Como dissemos, a escolha da melhor versão depende dos critérios de crítica textual adotados pelos responsáveis pela edição de cada versão bíblica.

Em 1960, a Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira publicaram um Novo Testamento em Grego e a alternativa apresentada para Mateus 28:19 foi “en to onomati mou” (“em meu nome”). Eusébio foi citado como autoridade em favor desta versão.

Algumas Bíblias que provavelmente utilizam-se de outros critérios na crítica textual adotam outras versões para estes textos controversos. O Evangelho de Mateus em Hebraico de George Howard[1] é um exemplo que não contem a fórmula batismal em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.

(Hebrew Gospel of Matthew-George Howard – 1995 – ISBN 0-86554-470-0)

A tradução em inglês que consta no mesmo volume é a seguinte:

Uma possível tradução de Mateus 28:19 para o português é a seguinte:

“Jesus, aproximando-se deles, disse-lhes: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide e ensinai-os a observar todas as coisas que vos ordenei para sempre.” – Mateus 28:18-20 (Na Tradução do Evangelho de Mateus em Hebraico)”



[1] George Howard é Professor Emérito e Chefe do Departamento de Religião e Professor de Religião da Universidade da Georgia. Ele realiza pesquisas sobre o Novo Testamento e Judaismo Intertestamental. Seu Ph.D. foi concluído no Hebrew Union College/Instituto Judaico de Religião (1964). Ele também estudou em Vanderbuilt e na Universidade Hebraica de Jerusalém.

DÉBY E F

“Al programa d’avui hem exposat un cas d’emprenedoria, el de Fernando Madrid i Débora Coimbra, fundadors de Chök Barcelona. …” http://www.8tv.cat/8aldia/videos/chock-barcelona-emprenedoria-de-cap-a-peus/

http://www.8tv.cat/8aldia/videos/informatiu-9-doctubre-del-2014/

 

NA CONTRAMÃO DO MUNDO

outubro 8th, 2014 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

Estimados irmãos,
Graça e Paz vos sejam multiplicadas.
Temos, com muito esforço, buscado pregar o que está na Palavra de Deus, em pureza de fé, diante de um mundo que jaz em pecado flagrante contra o Único Deus, Deus e Pai de Jesus, nosso Salvador, os quais derramam Seu espírito sobre nós, dando-nos o discernimento espiritual, ou colírio de Deus (Apoc. 3:18).
Assim, podemos discernir que o Sistema religioso caiu, se divorciou da verdade, tornando-se uma grande empresa com muitas cores, um grande negócio financeiro, longe de Deus, longe da essência da verdade de Sua Palavra.
Que disse Jesus sobre os seguidores de Seu Caminho em espírito e em verdade?

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vosão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Mateus 24:9
E de todos sereis odiados por causa do meu nome. Lucas 21:17
E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. Mateus 10:22
E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo. Marcos 13:13
A despeito das dificuldades, Deus nos ilumine sempre e nos faça como os bereanos de Atos 17:11.
Abraço fraterno
Paulo A, da C. Pinto


VEJA TAMBÉM?
http://aodeusunico.com.br/?p=1408 JESUS FOI ADORADO? 1A. PARTE

http://aodeusunico.com.br/?p=1430 JESUS FOI ADORADO? 2A. PARTE

  • “Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém”. 1 Timóteo 6:16. Esse é o Deus único e verdadeiro do povo de Deus. YHWH, ÚNICO, DEUS E PAI DE JESUS! Para que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Romanos 15:6
    Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; 2 Coríntios 1:3
    Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; Efésios 1:3
    Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, 1 Pedro 1:3
    O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que é eternamente bendito, sabe que não minto. 2 Coríntios 11:31.
    O DEUS E PAI DE JESUS É O NOSSO DEUS!
    QUAL É O SEU DEUS? YHWH OU A TRINDADE?
    ISSO É BÍBLICO OU ROMANO?
    PENSE NISSO.

“Não é aos homens que devemos exaltar e adorar; é a Deus, o único Deus verdadeiro e vivo, a quem são devidos nosso culto e reverência. … Unicamente o Pai e o Filho devem ser exaltados.”
The Youth’s Instructor, 7 de julho de 1898. — Filhos e Filhas de Deus, MM 1956, 21 de fevereiro, pág. 58.

Mediante o ministério dos anjos é o Espírito Santo habilitado a atuar na mente e coração do instrumento humano, e atraí-lo a Cristo. … O Espírito de Deus, porém, não interfere com a liberdade do agente humano. O Espírito Santo é dado para ser ajudador, de modo que o homem coopere com o Divino, e Lhe é dado atrair o pecador, mas nunca forçá-lo à obediência.
Cristo está pronto a comunicar todas as influências celestes. Conhece toda tentação que sobrevém ao homem, e as condições de cada um. Pesa sua resistência. Vê o presente e o futuro, e apresenta à mente as obrigações que devem ser atendidas, e insiste em que as coisas comuns, terrenas, não tenham permissão de absorverem a ponto de o que é eterno não ser aquilatado. O Senhor tem plenitude de graça para conceder a todo aquele que receber o dom celeste. O Espírito Santo levará as habilidades confiadas por Deus ao serviço de Cristo, e moldará e afeiçoará o instrumento humano segundo o Modelo divino. Carta 71, 1893.
O Espírito Santo é nossa eficiência na obra da formação do caráter segundo a semelhança divina. Quando nos julgamos capazes de moldar nossa vida, cometemos grande erro. Nunca poderemos obter por nós mesmos a vitória sobre a tentação. Mas os que possuem genuína fé em Cristo serão trabalhados pelo Espírito Santo. A pessoa em cujo coração habita a fé se desenvolverá em um belo templo para o Senhor. Ela é dirigida pela graça de Cristo. Ela crescerá na proporção em que confiar no ensino do Espírito Santo. Manuscrito 8, 1900.
A influência do Espírito Santo é a vida de Cristo no homem. Não vemos Cristo agora, nem falamos com Ele, mas Seu Espírito Santo está tão perto de nós em um lugar como em outro qualquer. Ele atua em todo aquele e por meio de todo aquele que recebe a Cristo. Os que conhecem a permanência do Espírito em si revelam os frutos do Espírito – amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé. Manuscrito 41, 1896. — Para Conhecê-Lo, MM 1965, 20 de Fevereiro, pág. 57.

CONFIRA

http://adventistas.com/outubro2002/iasd%20_medalha_1968.htm
Não parece tudo isso muito estranho?
Entretanto, a maior parte dos membros no mundo todo não sabe disso.
Ora, se a Bíblia informa que o papado é inimigo de Deus e ensina às pessoas uma forma de adoração idólatra, pagã, o mesmo escrito pela profetisa adventista, como pode se conceber essa troca de amabilidades da IASD e do Vaticano por trás dos bastidores?
Em razão desse conhecimento, milhares, ao redor do mundo tem voltado a examinar as Escrituras e a deixar o Sistema religioso apostatado, para se dedicar a Cristo e aos Seu Pai e Seu Deus.
Um dia, a própria EGW teve que tomar essa decisão.
Acaso a irmã White removeu sua presença de nossa professa, mas falsa, igreja?

“. . . Tenho pouca confiança de que o Senhor está concedendo a estes homens em posições de responsa­bilidade, visão espiritual e discernimento celestial. Sou lançada em perplexidade quanto a seu curso de ação, e desejo agora dedicar-me a minha obra especial. Não ter parte em qualquer de seus concílios, nem participar de nenhuma reunião campal, nem de perto, nem de longe. Minha mente não será arrastada para a confusão pela ten­dência que eles manifestam em trabalhar diretamente contrário à luz que Deus me deu. Estou decidida. Preserva­rei a inteligência que Deus me deu. Minha voz tem sido ouvida nas diferentes conferências e campais. Devo agora fazer uma mudança. . . . Eu os deixarei, pois, para receber palavra da Bíblia. . . .

Esta é a luz que me foi dada, e não me desviarei dela”. Letter W-186, 2 de dezembro de 1902. Para Edson e Wi­llie White, pp. 4-5″.
Leia mais em http://www.adventistas.com/biz/robert_sessler/apendice2.htm

Depois de ter sido enganado pela IASD por 41 anos, há 10 anos, Deus me libertou e à minha família, do jugo pesado dessa organização, que ilude os fiéis para lhes tirar do catolicismo e receber seus dízimos e seu tempo gratuito de serviço, dizendo-lhes que o papado é a besta do Apocalipse (o que é uma verdade) e, por trás dos bastidores, assina pacto de amizade, lhe dá medalha de ouro e dele recebe medalha de ouro.
Não é esse o “comportamento” do camaleão?
Merece credibilidade uma corporação dessa?

medalha do papa1
Já vimos que a IASD deu uma medalha de ouro ao Papa e também recebeu dele uma medalha de ouro.
No caso do falecido pastor Samuele Bacchiocche, já falecido em anos recentes, esse também recebeu uma medalha de ouro do Papa Paulo VI ao terminar o seu doutorado pala Pontifical Gregorian University em Roma.
Confira no site ASD http://admteste.paulistasul.org.br/eventos/?cod_destaque=1497
Não é tudo isso muito estranho?
Um inimigo presenteia ao outro?
Fala-se à boca pequena que o falecido pastor teria sido um dos Jesuítas infiltrados na IASD.

O que EGW escreveu?
“inspirando os homens a unir-se numa confederação do mal, para perturbarem e atormentarem o povo de Deus, causando-lhe grande aflição. O mundo todo há de ser instigado à inimizade contra os adventistas do sétimo dia, porque ELES NÃO RENDEM HOMENAGEM AO PAPADO, honrando o domingo, instituição desse poder anticristão. É desígnio de Satanás fazer com que eles sejam exterminados da Terra, a fim de que não seja contestada sua supremacia no mundo”. A Igreja Remanescente, p. 34.
Se a IASD que está aí homenageia publicamente ao papado e, até ao espiritismo e macumbeiros (pois no decorrer de sua apostasia só o fazia às escondidas) e recebia por trás dos bastidores honras do papado, logo, não são os adventistas do 7o. dia nominais que estão aí, aqueles de quem escreveu EGW em seus dias!
Logo, quem deve ser os ASD verdadeiros hoje?
Certamente aqueles que guardam os mandamentos de Deus (e isso inclui não adorar a uma trindade inventada nos porões de Roma, não fazer imagens de escultura, não realizar Domingos especiais, dias inesquecíveis nem participar do Ecumenismo) e têm a Fé DE Jesus (Apoc. 14:12). Esses, não honram ao papado como EGW escreveu.

QUE ESCREVEU ELLEN G. WHITE?

inspirando os homens a unir-se numa confederação do mal, para perturbarem e atormentarem o povo de Deus, causando-lhe grande aflição. O mundo todo há de ser instigado à inimizade contra os adventistas do sétimo dia, porque ELES NÃO RENDEM HOMENAGEM AO PAPADO, honrando o domingo, instituição desse poder anticristão. É desígnio de Satanás fazer com que eles sejam exterminados da Terra, a fim de que não seja contestada sua supremacia no mundo”. A Igreja Remanescente, p. 34.

 

O que os líderes adventistas estão fazendo?

Veja o vídeo e tire suas conclusões. http://aodeusunico.com.br/?p=4954

O Sábado vai continuar sempre sendo o dia de repouso, até porque nenhum ser humano pode mudar a suprema Lei de Deus.

Mas, o que os ASD estão fazendo? Eles mantêm o Sábado como dia de guarda, já estão dizendo na Rádio Novo Tempo que o Sábado é o dia da Família – afirmativa não existente nas Escrituras Sagradas (quer afirmam que o Sábado é o dia do Senhor, adoração ao Deus único e verdadeiro, solenemente, não apenas descanso,….), até porque o diferencial do Sábado é um marketing para ganhar alma$$$$$$$$.

Mas, o domingo deixou de ser o dia do DRAGÃO, dia pagão,…. para ser “DOMINGOS ESPECIAIS, DIAS INESQUECÍVEIS” no processo de lavagem cerebral aos fiéis e FAZENDO MÉDIA COM O MOVIMENTO ECUMÊNICO, COM O PAPADO.

Quanto ao domingo e os ASD. leia:

http://aodeusunico.com.br/?s=domingo

Leia mais:

A Igreja Remanescente (Português)

Foram encontrados 3 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 25   1   os movimentos dos anjos. Ele estuda e faz esforços para levar os cristãos professos o mais longe possível da disposição ordenada por Deus; portanto, engana até o povo professo de Deus, e faz-lhes crer que a ordem e a disciplina são inimigas da espiritualidade; que a única segurança para eles consiste em seguir cada qual seu rumo e de maneira especial permanecer separado das corporações de cristãos que andam unidos, e trabalham para estabelecer a disciplina e harmonia de ação. Todos os esforços feitos para se estabelecer a ordem são considerados perigosos, tidos como uma restrição da legítima liberdade e, por isso, são temidos como se fossem um arremedo do papado. Estas dedicadas almas consideram virtude o jactar-se de sua liberdade de pensar e agir independentemente. Não atendem a nenhum parecer de outros. Não se deixam ensinar por quem quer que seja. Foi-me mostrado que a obra especial de Satanás é introduzir os homens a crer que Deus lhes ordena agirem por si mesmos, e escolherem seu caminho, independentemente de seus irmãos. 
 34   1   inspirando os homens a unir-se numa confederação do mal, para perturbarem e atormentarem o povo de Deus, causando-lhe grande aflição. O mundo todo há de ser instigado à inimizade contra os adventistas do sétimo dia, porque eles não rendem homenagem ao papado, honrando o domingo, instituição desse poder anticristão. É desígnio de Satanás fazer com que eles sejam exterminados da Terra, a fim de que não seja contestada sua supremacia no mundo. 
 65   3   Não podemos adotar outro nome mais apropriado do que esse que concorda com a nossa profissão, exprime a nossa fé e nos caracteriza como povo peculiar. O nome Adventista do Sétimo Dia é uma contínua repreensão ao mundo protestante. É aqui que está a linha divisória entre os que adoram a Deus e os que adoram a besta e recebem seu sinal. O grande conflito é entre os mandamentos de Deus e as exigências da besta. E porque os santos guardam todos os mandamentos de Deus, que o dragão lhes move guerra. Se rebaixassem seu padrão e cedessem nas particularidades de sua fé, o dragão estaria satisfeito; mas provocam sua ira por ousarem exaltar o padrão e promover o estandarte de oposição ao mundo protestante que reverencia uma instituição do papado

 

 


A Verdade Sobre os Anjos

Foram encontrados 2 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 243   5   No século treze foi estabelecida a mais terrível de todas as armadilhas do papado – a inquisição. O príncipe das trevas 
 245   4   A Palavra de Deus brilhou ainda mais clara em sua mente, dando-lhe uma vívida percepção dos erros, corrupções e hipocrisia do papado. Seus inimigos buscaram intimidá-lo e lhe exigiram que renunciasse à fé, mas ele manteve-se firme em defesa da verdade. Estava disposto a morrer pela fé, se Deus assim o requeresse. Abandoná-la, porém… nunca! Deus lhe preservou a vida. Enviou anjos para lhe prestarem 

 

 


Conselhos Sobre Educação (Português)

Foram encontrados 2 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 179   3   As igrejas protestantes aceitaram o sábado falso, o filho do papado, e exaltaram-no acima do santo e santificado dia de Deus. Cumpre-nos tornar claro a nossos filhos que o primeiro dia da semana não é o verdadeiro sábado e que sua observância, depois de nos haver sido enviada a luz quanto ao dia verdadeiro de descanso, está em plena contradição com a lei de Deus. Acaso recebem nossas crianças dos professores da escola pública idéias em harmonia com a Palavra de Deus? É o pecado apresentado como uma ofensa contra o Senhor? É a desobediência a todos os Seus mandamentos ensinada como sendo o princípio de toda a sabedoria? Mandamos nossos filhos à Escola Sabatina para que sejam instruídos acerca da verdade, e depois, ao irem eles à escola diária, são-lhes ministradas lições cheias de falsidade. Tais coisas confundem a mente, e não devia ser assim; pois se os jovens 
 218   3   Por todo o tempo em que a mensagem de misericórdia tiver de ser dada ao mundo, haverá um chamado para esforço em favor de outras instituições e empreendimentos similares a este em favor de nossas escolas. E enquanto durar o tempo de graça, haverá oportunidade para que o colportor trabalhe. Quando as denominações religiosas se unirem com o papado para oprimirem o povo de Deus, lugares onde houver liberdade religiosa abrir-se-ão para a colportagem evangelística. Se em algum lugar a perseguição se tornar severa, façam os obreiros como Cristo ordenou: “Quando pois vos perseguirem numa cidade, fugi para outra.” Se ali vier a perseguição, procurai outro lugar ainda. Deus guiará o Seu povo, fazendo que seja uma bênção em muitos lugares. Não fora a perseguição, e não seriam tão vastamente espalhados para proclamar a verdade. E Cristo declara: “Não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem.” Mat. 10:23. Até que no Céu seja dito: “Está consumado”, haverá sempre lugares para trabalhar e corações para receber a mensagem. 

E Recebereis Poder – Meditação Matinal (Português)

Foi encontrado 1 texto com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 344   4   Vi que Deus preservará Seu povo, de maneira maravilhosa, durante o tempo de angústia. Como Jesus derramou Sua alma em agonia, no jardim, eles hão de clamar e angustiar-se fervorosamente dia e noite, pedindo libertação. Sairá o decreto para que eles rejeitem o sábado do quarto mandamento e honrem o primeiro dia, ou morram; eles não cederão, porém, para pisar a pés o sábado do Senhor e honrar uma instituição do papado. As hostes de Satanás e homens ímpios os rodearão, e exultarão sobre eles, pois parecerá não haver escape para eles. Em meio, porém, de sua orgia e triunfo, ouve-se ribombo após ribombo dos mais estrondosos trovões. Os céus se enegrecem, sendo iluminados apenas pela brilhante luz e a terrível glória do céu ao fazer Deus soar Sua voz desde Sua santa habitação. 

Evangelismo (Português)

Foram encontrados 4 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 225   5   O Senhor tem uma mensagem especial que Seus embaixadores devem apresentar. Devem eles transmitir ao público a advertência que os convida para reparar a brecha feita pelo papado na lei de Deus. O sábado foi transformado em coisa sem importância, em requisito dispensável, que a autoridade humana pode anular. O santo dia do Senhor foi convertido em dia útil comum. Os homens derrubaram o memorial divino, colocando em seu lugar um falso dia de repouso. Manuscrito 35, 1900. 
 234   1   que não tem maior autoridade que a de Roma, honrará desta maneira ao papado mais do que a Deus. Prestará homenagem a Roma, e ao poder que impõe a instituição que Roma ordenou. Adorará a besta e a sua imagem. Ao rejeitarem os homens a instituição que Deus declarou ser o sinal de Sua autoridade, e honrarem em seu lugar a que Roma escolheu como sinal de sua supremacia, aceitarão, de fato, o sinal de fidelidade para com Roma “o sinal da besta”. E somente depois que esta situação esteja assim plenamente exposta perante o povo, e este seja levado a optar entre os mandamentos de Deus e os dos homens é que, então, aqueles que continuam a transgredir hão de receber “o sinal da besta”. O Grande Conflito, pág. 449. 
 235   8   Não devemos provocar os que aceitaram esse falso dia de repouso, que é instituição do papado, em substituição ao santo sábado de Deus. Por não terem argumentos bíblicos 
 577   3   Há necessidade de um estudo mais aprimorado da Palavra de Deus; especialmente Daniel e Apocalipse devem merecer atenção, como nunca antes na história de nossa obra. Talvez tenhamos menos a dizer em certos aspectos, quanto ao poder romano e ao papado, mas devemos chamar atenção ao que os profetas e apóstolos escreveram pela inspiração do Espírito de Deus. O Espírito Santo tem moldado os assuntos, tanto no dar a profecia, como nos acontecimentos descritos, de forma a ensinar que o instrumento deve ser mantido fora de vistas, oculto em Cristo, e o Senhor Deus do Céu e Sua lei devem ser exaltados. Counsels to Writers and Editors, págs. 45 e 46. 

Eventos Finais (Português)

Foram encontrados 19 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Busca Extensa! Exibindo somente as 15 primeiras ocorrências neste livro!
(Dica: Entre no livro e faça uma pesquisa por palavras neste livro.)

Página Parágrafo Texto
 123   4   Deus fez o mundo em seis dias e descansou no sétimo, santificando este dia e separando-o de todos os outros como sagrado a Sua própria Pessoa, para que fosse observado por Seu povo durante todas as suas gerações. Mas o homem do pecado, exaltando-se acima de Deus, assentando-se no templo de Deus e ostentando-se como se fosse o próprio Deus, cuidou em mudar os tempos e as leis. Este poder, tencionando provar que não somente era igual a Deus, mas estava acima de Deus, mudou o dia de repouso, colocando o primeiro dia da semana onde deveria estar o sétimo. E o mundo protestante tem admitido que este filho do papado seja considerado sagrado. Na Palavra de Deus, isto é chamado de sua fornicação. (Apoc. 14:8.) The Seventh-day Adventist Bible Commentary, vol. 7, pág. 979. 
 128   4   Quando nossa nação renunciar os princípios de seu governo de tal forma que vote uma lei dominical, nesse próprio ato o protestantismo dará a mão ao papado. Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 318. 
 128   5   Os protestantes lançarão toda a sua influência e poder ao lado do papado. Por um ato nacional impondo o falso sábado, eles darão vida e vigor à corrompida fé de Roma, avivando sua tirania e opressão da consciência. Maranata (Meditações Matinais, 1977), pág. 179. 
 129   2   A profecia do capítulo 13 do Apocalipse declara que o poder representado pela besta de cornos semelhantes aos do cordeiro fará com que a “Terra e os que nela habitam” adorem o papado, ali simbolizado pela besta “semelhante ao leopardo”. … Esta profecia se cumprirá quando aquela nação impuser a observância do domingo, que Roma alega ser um reconhecimento especial de sua supremacia. … 
 131   3   A imposição da guarda do domingo pelos protestantes é uma obrigatoriedade do culto ao papado. … 
 131   5   Quando o protestantismo estender os braços através do abismo, a fim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo, quando por influência dessa tríplice aliança a América do Norte for induzida a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram dela um governo protestante e republicano, e adotar medidas para a propagação dos erros e falsidades do papado, podemos saber que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que o fim está próximo. Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 151. 
 132   2   Leis impondo a observância do domingo como o sábado ocasionarão uma apostasia nacional dos princípios do republicanismo em que se baseia o governo. A religião do papado será aceita pelos governantes, e será invalidada a lei de Deus. Manuscript Releases, vol. 7, pág. 192. 
 132   3   É evidente que uma época de grandes trevas intelectuais tem sido favorável ao êxito do papado. Ainda será demonstrado que uma época de grande luz intelectual também é favorável ao seu êxito. Spirit of Prophecy, vol. 4, pág. 390. 
 132   4   No movimento ora em ação nos Estados Unidos a fim de conseguir para as instituições e usos da igreja o apoio do Estado, os protestantes estão a seguir as pegadas dos romanistas. Na verdade, mais que isto, estão abrindo a porta para o papado a fim de adquirir na América protestante a supremacia que perdeu no Velho Mundo. O Grande Conflito, pág. 573. 
 133   5   O povo dos Estados Unidos tem sido um povo favorecido, mas quando eles restringirem a liberdade religiosa, renunciarem ao protestantismo e apoiarem o papado, a medida de sua culpa estará cheia, e nos livros do Céu será escrito: “apostasia nacional”. Review and Herald, 2 de maio de 1893. 
 134   5   Quando o Estado usar seu poder para impor os decretos e amparar as instituições da Igreja – então a América Protestante terá formado uma imagem do papado e haverá uma apostasia nacional que só terminará em ruína nacional. The Seventh-day Adventist Bible Commentary, vol. 7, pág. 976. 
 135   2   Quando a América, o país da liberdade religiosa, se aliar com o papado, a fim de dominar as consciências e impelir os homens a reverenciar o falso sábado, os povos de todos os demais países do mundo hão de ser induzidos a imitar-lhe o exemplo. Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 373. 
 136   5   O mundo todo há de ser instigado à inimizade contra os adventistas do sétimo dia, porque eles não rendem homenagem ao papado, honrando o domingo, instituição desse poder anticristão. Testemunhos Para Ministros, pág. 37. 
 137   1   promulgarão leis para controlar a consciência, segundo o exemplo do papado. Babilônia fará que todas as nações bebam do vinho da ira de sua prostituição. Toda nação será envolvida. João, o Revelador, declara o seguinte sobre esse tempo: … “Têm estes um só pensamento.” (Apoc. 18:3-7; 17:13 e 14.) Haverá um laço de união universal, uma grande harmonia, uma confederação de forças satânicas. “E oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem.” Assim é manifestado o mesmo poder arbitrário e opressor contra a liberdade religiosa, contra a liberdade de adorar a Deus de acordo com os ditames da consciência, que foi manifestado pelo papado, quando no passado ele perseguiu os que ousaram recusar conformar-se aos ritos e cerimônias religiosas dos romanistas. Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 392. 
 145   2   Todos quantos não se curvarem ao decreto dos concílios nacionais e obedecerem às leis nacionais para exaltar o sábado instituído pelo homem do pecado, para menosprezar o santo dia de Deus, sentirão, não somente o poder opressivo do papado, mas do mundo protestante, a imagem da besta. Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 380. 

Fundamentos da Educação Cristã

Foi encontrado 1 texto com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 288   2   Os protestantes aceitaram o falso sábado, o filho do papado, e o têm exaltado acima do sagrado e santificado dia de Deus; e nossas instituições de ensino foram estabelecidas com a explícita finalidade de neutralizar a influência dos que não seguem a Palavra de Deus. Estas razões são suficientes para mostrar a necessidade de possuirmos nossas próprias instituições educacionais; pois devemos ensinar a verdade, e não ficções e falsidades. A escola deve completar a educação do lar; e, tanto no lar como na escola, precisa ser mantida a simplicidade da alimentação, do vestuário e das diversões. Deve ser criada uma atmosfera que não seja deletéria à natureza moral. Regra sobre regra, preceito sobre preceito, nossos filhos e nossas famílias devem ser educados para seguirem o caminho do Senhor, para colocarem-se firmemente ao lado da verdade e da justiça. Devemos manter uma posição contrária a toda espécie de enganos que confundem as pessoas neste século degenerado, em que o erro está encoberto e tão mesclado com a verdade que quase é impossível, para os que não se acham familiarizados com as distinções que as Escrituras fazem entre as tradições dos homens e a Palavra de Deus, distinguir a verdade do erro. Foi afirmado claramente que neste século “apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios”. I Tim. 4:1. 

História da Redenção (Português)

Foram encontrados 14 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 326   2   O apóstolo Paulo, em sua segunda carta aos tessalonicenses, predisse a grande apostasia que resultaria no estabelecimento do poder papal. Declarou que o dia de Cristo não viria “sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição; o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer”. II Tess. 2:3 e 4. E, ainda mais, o apóstolo adverte os irmãos de que “o mistério da injustiça opera.” II Tess. 2: 7. Mesmo naqueles primeiros tempos viu ele, insinuando-se na igreja, erros que preparariam o caminho para o desenvolvimento do papado
 328   3   Suprimido o revelador do erro, agiu Satanás de acordo com sua vontade. A profecia declarara que opapado havia de cuidar “em mudar os tempos, e a lei”. Dan. 7:25. Para cumprir essa obra, não foi vagaroso. A fim de proporcionar aos conversos do paganismo uma substituição à adoração de ídolos, e promover, assim, sua aceitação nominal do cristianismo, foi gradualmente introduzida no culto cristão a adoração de imagens e relíquias. O decreto de um concílio geral estabeleceu, por fim, este sistema de idolatria papista. Para completar a obra sacrílega, Roma pretendeu eliminar da lei de Deus o segundo mandamento, que proíbe o culto das imagens, e dividir o décimo mandamento a fim de conservar o número deles. 
 330   3   Os protestantes hoje insistem em que a ressurreição de Cristo no domingo fê-lo o sábado cristão. Não existe, porém, evidência escriturística para isto. Nenhum honra semelhante foi conferida ao dia por Cristo ou Seus apóstolos. A observância do domingo como instituição cristã teve origem no “mistério da injustiça” (II Tess. 2:7) que, já no tempo de Paulo, começara a sua obra. Onde e quando adotou o Senhor este filho do papado? Que razão poderosa se poderá dar para uma mudança que as Escrituras não sancionam? 
 330   4   No sexto século tornou-se o papado firmemente estabelecido. Fixou-se a sede de seu poderio na cidade imperial 
 331   1   e declarou-se ser o bispo de Roma a cabeça de toda a igreja. O paganismo cedera lugar ao papado. O dragão dera à besta “o seu poder, e o seu trono e grande poderio”. Apoc. 13:2. E começaram então os 1260 anos de opressão papal preditos nas profecias de Daniel (Dan. 7:25) e João (Apoc. 13:5-7). Os cristãos foram obrigados a optar entre renunciar a sua integridade e aceitar as cerimônias e culto papais, ou passar a vida nas masmorras, sofrer a morte pelo instrumento de tortura, pela fogueira, ou pela machadinha do verdugo. Cumpriram-se as palavras de Jesus: “E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós. E de todos sereis odiados por causa do Meu nome.” Luc. 21:16 e 17. Desencadeou-se a perseguição sobre os fiéis com maior fúria do que nunca, e o mundo se tornou um vasto campo de batalha. Durante séculos, a igreja de Cristo encontrou refúgio no isolamento e obscuridade. Assim diz o profeta: “A mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.” Apoc. 12:6. 
 333   1   Mesmo antes do estabelecimento do papado, os ensinos dos filósofos pagãos haviam recebido atenção e exercido influência na igreja. Muitos que se diziam conversos ainda se apegavam aos dogmas de sua filosofia pagã, e não somente continuaram no estudo desta, mas encareciam-no a outros, como meio de estenderem sua influência entre os pagãos. Erros graves foram assim introduzidos na fé cristã. Destaca-se entre outros o da crença na imortalidade natural do homem e sua consciência na morte. Esta doutrina lançou o fundamento sobre o qual Roma estabeleceu a invocação dos santos e a adoração da Virgem Maria. Disto também proveio a heresia do tormento eterno para os que morrem impenitentes, a qual logo de início se incorporara à fé papal. 
 334   3   O meio-dia do papado foi a meia-noite moral do mundo. As Sagradas Escrituras eram quase desconhecidas, não somente pelo povo, mas pelos sacerdotes. Como os fariseus de outrora, os dirigentes papais odiavam a luz que revelaria os seus pecados. Removida a lei de Deus – a norma de justiça – exerciam eles poder sem limites e praticavam os vícios sem restrições. Prevaleciam a fraude, a avareza, a libertinagem. Os homens não recuavam de crime algum pelo qual pudessem adquirir riqueza ou posição. Os palácios dos papas e prelados eram cenários da mais vil devassidão. Alguns dos pontífices reinantes eram culpados de crimes tão revoltantes que os governadores seculares se esforçavam por depor esses dignitários da igreja como monstros demasiado vis para serem tolerados no trono. Durante séculos não houve progresso no saber, nas artes ou na civilização. Uma paralisia moral e intelectual caíra sobre a cristandade. 
 338   4   Esforços extremos foram realizados para fortalecer e estender o poder do papado. Porém, enquanto os papas afirmavam ser representantes de Cristo, suas vidas eram tão corrompidas que desgostavam o povo. Pela ajuda da invenção da imprensa, as Escrituras tiveram maior circulação, e muitos foram levados a ver que as doutrinas papais não eram apoiadas pela Palavra de Deus. 
 340   2   Preeminente entre os que foram chamados para dirigir a igreja das trevas do papado à luz de uma fé mais pura, acha-se Martinho Lutero. Zeloso, ardente e dedicado, não conhecendo outro temor senão o de Deus, e não reconhecendo outro fundamento para a fé religiosa além das Escrituras Sagradas, Lutero foi o homem para o seu tempo; por meio dele, Deus efetuou uma grande obra para a reforma da igreja e esclarecimento do mundo. 
 342   1   do papado. Quando ele deu as costas a Roma, também dela volveu o coração, e desde aquele tempo o afastamento se tornou cada vez maior, até romper todo contato com a igreja papal. 
 349   2   O eleitor Frederico aguardara ansiosamente o comparecimento de Lutero perante a Dieta, e com profunda emoção ouviu seu discurso. Com alegria e orgulho testemunhou a coragem, firmeza e domínio próprio do doutor, e orgulhou-se de ser o seu protetor. Ele contrastava as facções em contenda, e via que a sabedoria dos papas, reis e prelados fora, pelo poder da verdade, reduzida a nada. O papado sofrera uma derrota que seria sentida entre todas as nações e em todos os tempos. 
 351   5   Barnes e Frith, fiéis amigos de Tyndale, levantaram-se em defesa da verdade. Seguiram-se os Ridleys e Cranmer. Estes dirigentes da Reforma inglesa eram homens de saber, e a maioria deles tinha sido muito estimada pelo zelo e piedade na comunhão romana. Sua oposição ao papado resultou 
 381   4   Pela primeira besta é representada a Igreja de Roma, uma organização eclesiástica revestida de poder civil, tendo autoridade para punir todos os dissidentes. A imagem da besta representa outra corporação religiosa revestida de poder semelhante. A formação dessa imagem é obra dessa besta cujo calmo surgimento e suave profissão de fé traduzem um notável símbolo dos Estados Unidos. Aqui pode ser encontrada uma imagem do papado. Quando as igrejas do nosso país, ligando-se em pontos de doutrinas que lhes são comuns, 
 382   2   A besta de dois chifres como de cordeiro ordena que “a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas; para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome”. Apoc. 13:16 e 17. Essa é a marca a respeito da qual o terceiro anjo profere a sua advertência. É a marca da primeira besta, ou o papado, e, portanto, deve ser procurada entre as características distintas desse poder. O profeta Daniel declarou que a Igreja de Roma, simbolizada pela ponta pequena, pensaria em mudar os tempos e a lei (Dan. 7:25), enquanto Paulo a intitulou de homem do pecado (II Tess. 2:3 e 4), que se exaltaria acima de Deus. Unicamente mudando a lei de Deus poderia o papado exaltar-se acima dEle; todo aquele que, com conhecimento, observasse a lei assim mudada, estaria tributando suprema honra ao poder, mediante o qual esta mudança foi realizada. 

Maranata! – Meditação Matinal (Português)

Foram encontrados 19 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Busca Extensa! Exibindo somente as 15 primeiras ocorrências neste livro!
(Dica: Entre no livro e faça uma pesquisa por palavras neste livro.)

Página Parágrafo Texto
 129   5   Muitos existem que jamais compreenderam as reivindicações do sábado bíblico e o falso fundamento sobre o qual repousa a instituição do domingo. Qualquer movimento em favor da legislação religiosa é realmente um ato de concessão ao papa- do, que por tantos séculos tem constantemente guerreado contra a liberdade de consciência. A observância do domingo deve sua existência como assim chamada instituição cristã, ao “mistério da iniqüidade”; e sua imposição será o virtual reconhecimento dos princípios que são a pedra angular do romanismo. Quando nossa nação abjurar os princípios de seu governo de tal forma que vote uma lei dominical, nesse próprio ato o protestantismo dará a mão ao papado; isso não será outra coisa senão dar vida à tirania que há muito aguarda ansiosa sua oportunidade de saltar de novo para o despotismo ativo. 
 129   6   se o papado ou seus princípios forem de novo guindados ao poder pela lei, os fogos da perseguição de novo se acenderão contra os que não quiserem sacrificar a consciência e a verdade em deferência a erros populares. Este mal está prestes a realizar-se. 
 163   3   Quando se corrompeu a primitiva igreja,- afastando-se da simplicidade do evangelho e aceitando ritos e costumes pagãos, perdeu o Espírito te o poder de Deus; e, para que pudesse governar a consciência do povo, procurou o apoio do poder secular. Disso resultou o papado, uma igreja que dirigia o poder do Estado e o empregava para favorecer aos seus próprios fins, especialmente na punição da “heresia”. 
 163   5   Foi a apostasia que levou a igreja primitiva a procurar o auxílio do governo civil, e isto preparou o caminho para o desenvolvimento do papado – a besta. Disse S. Paulo que havia de vir “a apostasia”, e manifestar-se “o homem do pecado”. II Tessalonicenses 2:3. Assim a apostaria na igreja preparará o caminho para a imagem à besta. – GC, 441 e 442. 
 167   5   Quando … a observância do domingo for imposta por lei, e o mundo for esclarecido relativamente à obrigação do verdadeiro sábado, quem então transgredir o mandamento de Deus para obedecer a um preceito que não tem maior autoridade que a de Roma, honrará desta maneira ao papado mais do que a Deus. Prestará homenagem a Roma, e ao poder que impõe a instituição que Roma ordenou. Adorará a besta e a sua imagem. Ao rejeitarem os homens a instituição que Deus declarou ser o sinal de Sua autoridade, e honrarem em seu lugar a que Roma escolheu como sinal de sua supremacia, aceitarão, de fato, o sinal de fidelidade para com Roma – “o sinal da besta”. E somente depois que esta situação esteja assim plenamente exposta perante o povo, e este seja levado a optar entre os mandamentos de Deus e os dos homens, é que, então, aqueles que continuam a transgredir hão de receber “o sinal da besta”. … 
 176   6   A lei da observância do primeiro dia da semana é produto de uma cristandade apóstata. O domingo é filho do papado, exaltado pelo mundo cristão acima do sagrado dia de repouso de Deus. Em caso algum lhe deve o povo de Deus prestar homenagem. mas desejo que empreendam que, se provocam oposição quando Deus deseja que a evitem, 112:0 estão cumprindo a Sua vontade. – 3TS, 395-397. 
 177   4   Quando a terra que o Senhor proveu como asilo para Seu povo, a fim de que possam adorá-lo segundo os ditames de sua própria consciência; a terra sobre a qual, por muitos anos, tem sido estendido o escudo da Onipotência; a terra que Deus favoreceu, tornando-a depositária da religião pura de Cristo – quando essa terra, por meio de seus legisladores, renunciar aos princípios do protestantismo e der apoio à apostasia papal, falsificando a lei de Deus – então é que será revelada a obra final do homem do pecado. Os protestantes lançarão toda a sua influência e poder ao lado dopapado, por um ato nacional impondo o falso sábado, eles darão vida e vigor à, corrompida fé de Roma, avivando sua tirania e opressão da consciência. Então – será o tempo para Deus operar poderosamente em favor da vindicação de Sua verdade 
 185   1   O Protestantismo Une-se ao Papado 
 185   5   “Têm estes um só pensamento”. Haverá um laço de união universal, uma grande harmonia, uma confederação das forças de Satanás. “E oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem”. Assim é manifestado o mesmo poder arbitrário e opressivo contra a liberdade religiosa, liberdade de adorar a Deus segundo os ditames da consciência, que foi manifestado pelo papado, quando no passado ele perseguiu os que ousaram recusar conformar-se com os ritos e cerimônias. religiosas do romanismo. 
 186   3   Na homenagem ao papado, os Estados Unidos não estarão sozinhos. A influência de Roma nos países que uma vez reconheceram seu domínio ainda está longe de ser destruída- ST, 15-02-1910. 
 186   5   O chamado mundo cristão será a palco de grandes e decisivos atos. Homens de autoridade promulgarão leis que reprimam a consciência, segundo x) exemplo do papado. Babilônia dará a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. Serão envolvidas todas as nações. – MS 24, 1891. 
 192   7   As Escrituras ensinam que o papado deverá readquirir sua supremacia perdida, e que os fogos da Perseguição serão reatados por meio das concessões oportunistas do chamado mundo protestante. Neste tempo de perigo só podemos subsistir na proporção em que temos a verdade e o poder de Deus. … A perspectiva de ser levado a perigo pessoal e aflição, não deve causar acabrunhamento, mas avivar o vigor e as esperanças do povo de Deus; pois o, tempo de seu perigo é a ocasião para Deus lhes conceder mais claras manifestações de Seu poder. – 2ME, 367-370. 
 202   4   A igreja apóstata unir-se-á com os poder da Terra e do inferno, para colocar o sinal da besta sobre a fronte ou sobre a mão, e persuadir os filhos de Deus a adorar a besta e sua imagem. Eles procurarão compeli-los a renunciarem sua lealdade à lei de Deus e a prestarem homenagem ao papado. Então virão os tempos que provarão a alma dos homens; pois a confederação da apostasia e dirá que os leais súditos de Deus renunciem à lei de Jeová e repudiem a verdade de Sua Palavra. O ouro será então separado da escória, e tornar-se-á patente quem são os piedosos, que são leais e sinceros, e quem são os desleais, a escória e o ouropel. Que nuvens de palha serão então arrebatadas pelo abanador de Deus! Onde agora nossas olhos só conseguem discernir ricos montões de trigo, a palha será expelida pelo sopro do abanador de Deus. Todos os que não estão centralizados em Cristo deixarão de resistir à prova e ao transe daquele dia. Enquanto os que se acham revestidos da justiça de Crista permanecerão firmes à verdade e ao dever, os que confiaram em sua própria justiça arregimentar-se-ão sob o negro estandarte do príncipe das trevas. Ver-se-á então se a preferência é por Cristo ou por Belial. Os que têm duvidado de si mesmos, tendo sido colocados em tais circunstâncias que não se atreveram a enfrentar o estigma e o opróbrio, pronunciar-se-ão afinal abertamente em favor de Cristo e Sua lei; ao passo que muitos que pareciam ser árvores viçosas, mas não têm produzido fruto, acompanha multidão para praticar o mal, e receberão o sinal da apostasia na fronte ou na mão. RH, 08-11-1892. 
 212   5   Quando a América, o país da liberdade religiosa, se aliar com o papado, a fim de dominar as consciências e impelir os homens a reverenciar o falso sábado, os povos de todos os demais países do mundo hão de ser induzidos a imitar-lhe o exemplo. – 2TS, 373. 
 212   7   Nações serão agitadas até ao centro. Retirar-se-á o apoio aos que proclamam a única norma de justiça divina, o único seguro teste do caráter. E todos quanto não se curvarem ao decreto dos concílios nacionais e obedecerem às leis nacionais para exaltar o sábado instituído pelo homem do pecado, para menosprezar o. santo dia de Deus, sentirão, não somente o poder opressivo do papado, mas do mundo protestante, a imagem da besta. – 2ME, 380. 

Mensagens Escolhidas – Volume 2 (Português)

Foram encontrados 4 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 106   2   Na mensagem do primeiro anjo os homens são chamados a adorar a Deus, nosso Criador, que fez o mundo e tudo quanto nele há. Eles têm rendido homenagem a uma instituição do Papado, anulando a lei de Jeová, mas deve haver um aumento do conhecimento nesse assunto. 
 359   6   Sempre que o poder de que os reis estão investidos se alia à bondade, é porque aquele que está em responsabilidade está sob as ordens divinas. Quando o poder se alia à impiedade, alia-se a instrumentos satânicos, e trabalhará para destruir os que são a propriedade do Senhor. O mundo protestante criou um sábado idólatra no lugar em que devia estar o sábado do Senhor, e está andando nas pisadas do Papado. Por essa razão, vejo a necessidade de o povo de Deus se mudar das cidades para regiões retiradas [lugares], onde possam cultivar a terra e produzir sua própria provisão. Assim poderão criar os filhos com hábitos simples e salutares. Vejo a necessidade de se apressarem para terem todas as coisas prontas para a crise. Carta 90, 1897. 
 367   5   Eis que a grande crise vem sobre o mundo. As Escrituras ensinam que o papado deverá readquirir sua supremacia perdida, e que os fogos da perseguição serão reatados por meio das concessões oportunistas do chamado mundo protestante. Neste tempo de perigo só podemos subsistir na proporção em que temos a verdade e o poder de Deus. Os homens só podem 
 380   2   Devemos estar prontos e aguardando as ordens de Deus. Nações serão agitadas até ao centro. Retirar-se-á o apoio aos que proclamam a única norma de justiça divina, o único seguro teste do caráter. E todos quantos não se curvarem ao decreto dos concílios nacionais e obedecerem às leis nacionais para exaltar o sábado instituído pelo homem do pecado, para menosprezar o santo dia de Deus, sentirão, não somente o poder opressivo do papado, mas do mundo protestante, a imagem da besta. 

Mensagens Escolhidas – Volume 3 (Português)

Foram encontrados 11 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 342   4   Devem os homens a quem Deus escolheu para efetuar a reforma contra o papado e a idolatria ser apresentados sob um aspecto objetável? O estandarte do dirigente da sinagoga de Satanás foi erguido bem alto, e o erro parece ter marchado em triunfo, e os reformadores, pela graça que lhes foi dada por Deus, travaram uma 
 384   3   Não devemos provocar os que aceitaram o sábado falso, uma instituição do papado, em lugar do santo sábado de Deus. O fato de não terem argumentos bíblicos em seu favor, torna-os mais irados e resolvidos a preencher o lugar dos argumentos que faltam na Palavra de Deus com o poder de sua força. A intensidade da perseguição segue os passos do dragão. Portanto, deve-se ter grande cuidado para não causar provocação. E também, como um povo, na medida do possível, purifiquemos o arraial da poluição moral e de pecados agravantes. … 
 385   5   Devemos estar preparados e aguardando as ordens de Deus. Nações serão revolvidas até seu próprio centro. Será retirado o apoio dos que proclamam o único padrão de justiça de Deus, a única e segura prova do caráter. E todos os que não se submeterem ao decreto dos concílios nacionais, obedecendo às leis nacionais para exaltar o sábado instituído pelo homem do pecado em desconsideração ao santo dia de Deus, sentirão não somente o poder opressivo do papado, mas também do mundo protestante, a imagem da besta. … 
 386   2   Essa disputa decidirá se o evangelho genuíno terá a preponderância em nossa nação, ou se o papadodos séculos passados receberá a destra da comunhão do protestantismo, e se esse poder prevalecerá para restringir a liberdade religiosa. … A mensagem precisa ser difundida por toda a parte, para que aqueles que brincaram imperceptivelmente com o papado, não sabendo o que estavam fazendo, possam ouvir. Eles estão fraternizando com o papado por meio de compromissos e concessões que surpreendem os adeptos do papado. … 
 387   3   Um sábado falso é apresentado para ser legislado com poder, compelindo a observância de um sábado que Deus não impôs ao homem. As perseguições dos protestantes pelo romanismo, por cujo intermédio a religião de Jesus Cristo quase foi aniquilada, serão mais que igualadas quando o protestantismo e o papado se unirem. … 
 392   3   O chamado mundo cristão será o palco de grandes ações decisivas. Homens em autoridade promulgarão leis para controlar a consciência, segundo o exemplo do papado. Babilônia fará que todas as nações bebam do vinho da ira de sua prostituição. Toda nação será envolvida. João, o Revelador, declara o seguinte sobre esse tempo: 
 392   7   “Têm estes um só pensamento.” Haverá um laço de união universal, uma grande harmonia, uma confederação de forças satânicas. “E oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem.” Assim é manifestado o mesmo poder arbitrário e opressor contra a liberdade religiosa, contra a liberdade de adorar a Deus de acordo com os ditames da consciência, que foi manifestado pelo papado, quando no passado ele perseguiu os que ousaram recusar conformar-se aos ritos e cerimônias religiosas dos romanistas. 
 406   2   Assim como Deus chamou os filhos de Israel para fora do Egito, para que pudessem guardar Seu sábado, Ele também chama Seu povo para fora de Babilônia, para que não adorem a besta e sua imagem. O homem do pecado, que pensou em mudar os tempos e as leis, se exaltou acima de Deus ao apresentar ao mundo esse sábado falso; o mundo cristão aceitou este filho do papado, embalando-o e acalentando-o, desafiando assim a Deus ao remover o Seu monumento comemorativo e estabelecendo um sábado rival. 
 436   3   Na nova edição, a elevação do papado em 538 e sua queda em 1798 são denominados sua “supremacia” e “decadência”, em vez de seu “estabelecimento” e “abolição”, segundo consta na edição antiga. 
 436   5   As págs. 50, 563, 564, 580 e 581, e em alguns outros lugares em que havia declarações concernentes ao papado, as quais são vigorosamente disputadas pelos católicos romanos, e que são difíceis de provar por histórias acessíveis, as expressões foram mudadas na edição atual para que a declaração esteja facilmente dentro do âmbito das provas de fácil acesso. 
 436   6   Quanto a estas e outras passagens idênticas, que poderiam suscitar cruéis e inúteis debates, Mamãe disse muitas vezes: O que escrevi a respeito da arrogância e das pretensões do papado, é verdade. Muitas provas históricas acerca desses assuntos foram propositadamente destruídas; entretanto, para que o livro seja do máximo proveito para os católicos e para outros, e a fim de evitar desnecessários conflitos, é melhor que todas as declarações referentes às pretensões do papa e às falsas reivindicações do papado sejam feitas com tanta moderação que com facilidade e clareza possam ser demonstradas pelas histórias aceitas que se acham ao alcance de nossos pastores e alunos. 

O Colportor Evangelista (Português)

Foi encontrado 1 texto com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 11   5   Enquanto durar o tempo da graça, haverá oportunidade de o colportor trabalhar. Quando as denominações religiosas se unirem com o papado para oprimir o povo de Deus, lugares onde houver liberdade religiosa abrir-se-ão para a colportagem evangelística. Se em algum lugar a perseguição se tornar severa, façam os obreiros como Cristo ordenou. “Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra.” Se ali vier a perseguição, procurai outro lugar ainda. Deus guiará Seu povo, tornando-o uma bênção em muitos lugares. Não fora a perseguição, e não seriam tão extensamente espalhados para proclamar a verdade. E Cristo declara: “Não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem.” Mat. 10:23. Até que no Céu seja dito: “Está consumado”, haverá sempre lugares para trabalhar e corações para receber a mensagem. Conselhos Sobre Educação, pág. 218. 

O Desejado de Todas as Nações (Português)

Nenhum texto encontrado!


O Grande Conflito (Português)

Foram encontrados 68 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Busca Extensa! Exibindo somente as 15 primeiras ocorrências neste livro!
(Dica: Entre no livro e faça uma pesquisa por palavras neste livro.)

Página Parágrafo Texto
 49   2   O apóstolo Paulo, em sua segunda carta aos tessalonicenses, predisse a grande apostasia que teria como resultado o estabelecimento do poder papal. Declarou que o dia de Cristo não viria “sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição; o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus”. II Tess. 2:3 e 4. E, ainda mais, o apóstolo adverte os irmãos de que “já o mistério da injustiça opera”. II Tess. 2:7. Mesmo naqueles primeiros tempos viu ele, insinuando-se na igreja, erros que preparariam o caminho para o desenvolvimento do papado
 51   4   Suprimido o revelador do erro, agiu Satanás à vontade. A profecia declarara que o papado havia de cuidar “em mudar os tempos e a lei”. Dan. 7:25. Para cumprir esta obra 
 54   2   Os protestantes hoje insistem em que a ressurreição de Cristo no domingo fê-lo o sábado cristão. Não existe, porém, evidência escriturística para isto. Nenhuma honra semelhante foi conferida ao dia por Cristo ou Seus apóstolos. A observância do domingo como instituição cristã teve origem no “mistério da injustiça” (II Tess. 2:7) que, já no tempo de Paulo, começara a sua obra. Onde e quando adotou o Senhor este filho do papado? Que razão poderosa se poderá dar para uma mudança que as Escrituras não sancionam? 
 54   3   No século VI tornou-se o papado firmemente estabelecido. Fixou-se a sede de seu poderio na cidade imperial e declarou-se ser o bispo de Roma a cabeça de toda a igreja. O paganismo cedera lugar aopapado. O dragão dera à besta “o seu poder, e o seu trono, e grande poderio”. Apoc. 13:2. E começaram então os 1.260 anos da opressão papal preditos nas profecias de Daniel e Apocalipse (Dan. 7:25; Apoc. 13:5-7). Os cristãos foram obrigados a optar entre renunciar sua integridade e aceitar as cerimônias e culto papais, ou passar a vida nas masmorras, sofrer a morte pelo instrumento de tortura, pela fogueira, ou pela machadinha do verdugo. Cumpriam-se as palavras de Jesus: “E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues, e matarão alguns de vós. E de todos sereis odiados por causa de Meu nome.” Luc. 21:16 e 17. 
 58   3   Os séculos que se seguiram testemunharam aumento constante de erros nas doutrinas emanadas de Roma. Mesmo antes do estabelecimento do papado, os ensinos dos filósofos pagãos haviam recebido atenção e exercido influência na igreja. Muitos que se diziam conversos ainda se apegavam aos dogmas de sua filosofia pagã, e não somente continuaram no estudo desta, mas encareciam-no a outros como meio de estenderem sua influência entre os pagãos. Erros graves foram assim introduzidos na fé cristã. Destaca-se entre outros o da crença na imortalidade natural do homem e sua consciência na morte. Esta doutrina lançou o fundamento sobre o qual Roma estabeleceu a invocação dos santos e a adoração da Virgem Maria. Disto também proveio a heresia do tormento eterno para os que morrem impenitentes, a qual logo de início se incorporara à fé papal. 
 59   4   No século XIII foi estabelecido a mais terrível de todas as armadilhas do papado – a inquisição. O príncipe das trevas trabalhava com os dirigentes da hierarquia papal. Em seus concílios secretos, Satanás e seus anjos dirigiam a mente de homens maus, enquanto, invisível entre eles, estava um anjo de Deus, fazendo o tremendo relatório de seus iníquos decretos e escrevendo a história de ações por demais horrorosas para serem desvendadas ao olhar humano. “A grande Babilônia” estava “embriagada do sangue dos santos.” Os corpos mutilados de 
 60   2   O papado se tornou o déspota do mundo. Reis e imperadores curvavam-se aos decretos do pontífice romano. O destino dos homens, tanto temporal como eterno, parecia estar sob seu domínio. Durante séculos as doutrinas de Roma tinham sido extensa e implicitamente recebidas, seus ritos reverentemente praticados, suas festas geralmente observadas. Seu clero era honrado e liberalmente mantido. Nunca a Igreja de Roma atingiu maior dignidade, magnificência ou poder. 
 60   3   Mas “o meio-dia do papado foi a meia-noite do mundo”. – História do Protestantismo, de Wylie. As Sagradas Escrituras eram quase desconhecidas, não somente pelo povo mas pelos sacerdotes. Como os fariseus de outrora, os dirigentes papais odiavam a luz que revelaria os seus pecados. Removida a lei de Deus – a norma de justiça – exerciam eles poder sem limites e praticavam os vícios sem restrições. Prevaleciam a fraude, a avareza, a libertinagem. Os homens não recuavam de crime algum pelo qual pudessem adquirir riqueza ou posição. Os palácios dos papas e prelados eram cenários da mais vil devassidão. Alguns dos pontífices reinantes eram acusados de crimes tão revoltantes que os governadores seculares se esforçavam por depor esses dignitários da igreja como monstros demasiado vis para serem tolerados. Durante séculos a Europa não fez progresso no saber, nas artes ou na civilização. Uma paralisia moral e intelectual caíra sobre a cristandade. 
 62   2   Nenhuma igreja dentro dos limites da jurisdição romana ficou muito tempo sem ser perturbada no gozo da liberdade de consciência. Mal o papado obtivera poder, estendeu os braços para esmagar a todos os que se recusassem a reconhecer-lhe o domínio; e, uma após outra, submeteram-se as igrejas ao seu governo. 
 63   1   a conversão dos pagãos saxões. Foram recebidos com favor pelos orgulhosos bárbaros, e induziram muitos milhares a professar a fé romana. O trabalho progredia e os dirigentes papais e seus conversos encontraram os cristãos primitivos. Eloqüente contraste se apresentou. Os últimos eram simples, humildes e de caráter, doutrina e maneiras segundo as Escrituras, ao passo que os primeiros manifestavam a superstição, a pompa e a arrogância do papado. O emissário de Roma exigiu que estas igrejas cristãs reconhecessem a supremacia do soberano pontífice. Os bretões mansamente replicaram que desejavam amar a todos os homens, mas que o papa não tinha direito à supremacia na igreja, e que eles poderiam prestar-lhe somente a submissão devida a todo seguidor de Cristo. Repetidas tentativas foram feitas para se conseguir sua adesão a Roma; mas esses humildes cristãos, espantados com o orgulho ostentado por seus emissários, firmemente replicavam que não conheciam outro mestre senão a Cristo. Revelou-se, então, o verdadeiro espírito do papado. Disse o chefe romano: “Se não receberdes irmãos que vos trazem paz, recebereis inimigos que vos trarão guerra. Se vos não unirdes conosco para mostrar aos saxões o caminho da vida, recebereis deles o golpe de morte.” – História da Reforma do Século XVI, D”Aubigné. Não era isto simples ameaça. Guerra, intriga e engano foram empregados contra as testemunhas de uma fé bíblica, até que as igrejas da Bretanha foram destruídas ou obrigadas a submeter-se à autoridade do papa. 
 65   1   Entre as principais causas que levaram a igreja verdadeira a separar-se da de Roma, estava o ódio desta ao sábado bíblico. Conforme fora predito pela profecia, o poder papal lançou a verdade por terra. A lei de Deus foi lançada ao pó, enquanto se exaltavam as tradições e costumes dos homens. As igrejas que estavam sob o governo do papado, foram logo compelidas a honrar o domingo como dia santo. No meio do erro e superstição que prevaleciam, muitos, mesmo dentre o verdadeiro povo de Deus, ficaram tão desorientados que ao mesmo tempo em que observavam o sábado, abstinham-se do trabalho também no domingo. Isto, porém, não satisfazia aos chefes papais. Exigiam não somente que fosse santificado o domingo, mas que o sábado fosse profanado; e com a mais violenta linguagem denunciavam os que ousavam honrá-lo. Era unicamente fugindo ao poder de Roma que alguém poderia em paz obedecer à lei de Deus. 
 81   3   Semelhante aos reformadores posteriores, Wycliffe não previu, ao iniciar a sua obra, até onde ela o levaria. Não se opôs deliberadamente a Roma. A dedicação à verdade, porém, não poderia senão levá-lo a conflito com a falsidade. Quanto mais claramente discernia os erros do papado, mais fervorosamente apresentava os ensinos da Escritura Sagrada. Via que Roma abandonara a Palavra de Deus pela tradição humana; destemidamente acusava o sacerdócio de haver banido as Escrituras, e exigia que a Bíblia fosse devolvida ao povo e de novo estabelecida sua autoridade na igreja. Wycliffe era ensinador hábil e ardoroso, eloqüente pregador, e sua vida diária era uma demonstração das verdades que pregava. O conhecimento das Escrituras, a força de seu raciocínio, a pureza de sua vida e sua coragem e integridade inflexíveis conquistaram-lhe geral estima e confiança. Muitas pessoas se tinham tornado descontentes com sua fé anterior, ao verem a iniqüidade que prevalecia na Igreja de Roma, e saudaram com incontida alegria as verdades expostas por Wycliffe; mas os dirigentes papais encheram-se de raiva quando perceberam que este reformador conquistava maior influência que a deles mesmos. 
 86   3   A providência de Deus encaminhou ainda mais os acontecimentos para dar oportunidade ao desenvolvimento da Reforma. A morte de Gregório foi seguida da eleição de dois papas rivais. Dois poderes em conflito, cada um se dizendo infalível, exigiam agora obediência. Cada qual apelava para os fiéis a fim de o ajudarem a fazer guerra contra o outro, encarecendo suas exigências com terríveis anátemas contra os adversários e promessas de recompensas no Céu aos que o apoiavam. Esta ocorrência enfraqueceu grandemente o poderio do papado. As facções rivais fizeram tudo que podiam para atacar uma a outra, e durante algum tempo Wycliffe teve repouso. Anátemas e recriminações voavam de um papa a outro, e derramavam-se torrentes de sangue para sustentar suas pretensões em conflito. Crimes e escândalos inundavam a igreja. Nesse ínterim, o reformador, no silencioso retiro de sua paróquia de Lutterworth, estava trabalhando diligentemente para, dos papas contendores, dirigir os homens a Jesus, o Príncipe da paz. 
 86   4   O cisma, com toda a contenda e corrupção que produziu, preparou o caminho para a Reforma, habilitando o povo a ver o que o papado realmente era. Num folheto que publicou – Sobre o 
 100   2   Ali estava um sermão que prendeu a atenção de todas as classes. Multidões vieram contemplar os desenhos. Ninguém deixara de compreender a moral, e muitos ficaram profundamente impressionados pelo contraste entre a mansidão e humildade de Cristo, o Mestre, e o orgulho e arrogância do papa, Seu servo professo. Houve grande comoção em Praga, e os estrangeiros, depois de algum tempo, acharam necessário partir, para sua própria segurança. Mas a lição que haviam ensinado não ficou esquecida. Os quadros causaram profunda impressão no espírito de Huss, levando-o a um estudo mais acurado da Bíblia e dos escritos de Wycliffe. Embora ainda não estivesse preparado para aceitar todas as reformas defendidas por Wycliffe, via mais claramente o verdadeiro caráter do papado, e com maior zelo denunciava o orgulho, a ambição e corrupção da hierarquia. 

O Lar Adventista (Português)

Nenhum texto encontrado!


O Maior Discurso de Cristo (Português)

Nenhum texto encontrado!


Orientação da Criança (Português)

Foi encontrado 1 texto com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 312   7   As igrejas protestantes aceitaram o sábado espúrio, o filho do papado, e exaltaram-no acima do santo e santificado dia de Deus. Cumpre-nos tornar claro a nossos filhos que o primeiro dia da semana não é o verdadeiro sábado e que sua observância, depois de nos haver sido enviada a luz quanto ao dia verdadeiro de descanso, está em plena contradição com a lei de Deus. Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 452. 

Serviço Cristão (Português)

Foram encontrados 2 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 160   6   Quando nossa nação renunciar os princípios de seu governo de tal forma que vote uma lei dominical, nesse próprio ato o protestantismo dará a mão ao papado; isso não será outra coisa senão dar vida à tirania que há muito aguarda ansiosa sua oportunidade de saltar de novo para o despotismo ativo. Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 318 e 319. 
 161   1   uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo, quando por influência dessa tríplice aliança os Estados Unidos for induzido a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram dele um governo protestante e republicano, e adotar medidas para a propagação dos erros e falsidades dopapado, podemos saber que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que o fim está próximo. Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 150 e 151. 

Testem. Ministros e Obreiros Evangélicos (Português)

Foram encontrados 4 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 29   1   Satanás bem sabe que o sucesso apenas pode acompanhar a ação ordenada e harmoniosa. Bem sabe que tudo que se relaciona com o Céu se acha em perfeita ordem, e sujeição e disciplina perfeita caracterizam os movimentos dos anjos. Ele estuda e faz esforços para levar os cristãos professos o mais longe possível da disposição ordenada por Deus; portanto, engana até o povo professo de Deus, e faz-lhes crer que a ordem e a disciplina são inimigas da espiritualidade; que a única segurança para eles consiste em seguir cada qual seu rumo e de maneira especial permanecer separado das corporações de cristãos que andam unidos, e trabalham para estabelecer a disciplina e harmonia de ação. Todos os esforços feitos para se estabelecer a ordem são considerados perigosos, tidos como uma restrição da legítima liberdade e, por isso, são temidos como se fossem um arremedo do papado. Estas dedicadas almas consideram virtude o jactar-se de sua liberdade de pensar e agir independentemente. Não atendem a nenhum parecer de outrem. Não se deixam ensinar por quem quer que seja. Foi-me mostrado que a obra especial de Satanás é introduzir os homens a crer que Deus lhes ordena agirem por si mesmos, e escolherem seu caminho, independentemente de seus irmãos. 
 37   1   cooperação com Cristo. Aqueles que afirmam que as igrejas adventistas do sétimo dia constituem Babilônia, ou qualquer parte de Babilônia, deveriam antes ficar em casa. Que eles se detenham e considerem qual é a mensagem que deve ser pregada presentemente. Em vez de trabalhar com meios divinos para preparar um povo que subsista no dia do Senhor, eles se puseram ao lado daquele que é um acusador dos irmãos, que os acusa dia e noite perante Deus. Agentes satânicos têm vindo das profundezas, inspirando os homens a unir-se numa confederação do mal, para perturbarem e atormentarem o povo de Deus, causando-lhe grande aflição. O mundo todo há de ser instigado à inimizade contra os adventistas do sétimo dia, porque eles não rendem homenagem ao papado, honrando o domingo, instituição desse poder anticristão. É desígnio de Satanás fazer com que eles sejam exterminados da Terra, a fim de que não seja contestada sua supremacia no mundo. 
 112   3   Há necessidade de mais íntimo estudo da Palavra de Deus; especialmente devem Daniel e Apocalipse merecer a atenção como nunca antes na história de nossa obra. Podemos ter menos a dizer em alguns sentidos quanto ao poder romano e ao papado, mas devemos chamar atenção para o que os profetas e apóstolos têm escrito sob a inspiração do Santo Espírito de Deus; de tal modo tem o Espírito Santo moldado as questões tanto no dar a profecia como nos acontecimentos descritos, que ensina que o agente humano deve ser conservado fora de vista, escondido em Cristo, e que o Senhor Deus dos Céus e Sua lei devem ser exaltados. Lede o livro de Daniel. Recapitulai ponto por ponto a história dos reinos ali representados. Contemplai os estadistas, concílios, poderosos exércitos, e vede como Deus atuou para abater o orgulho dos homens e lançar por terra a glória humana. …  
 140   1   poder papal, o homem do pecado, afirma que a igreja católica romana mudou a lei de Deus. Em lugar do sétimo dia, batizaram e apresentaram ao mundo um filho do papado, o primeiro dia da semana para ser observado como o santo dia de descanso. O mundo protestante tem recebido esse filho dopapado, tem-no embalado e a ele tem dado a honra que Deus colocou no sétimo dia. 

Testemunhos Seletos – Volume 1 (Português)

Foram encontrados 2 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 80   1   cedessem nas particularidades de sua fé, o dragão estaria satisfeito; mas suscitam sua ira por ousarem exaltar o padrão e levantar o estandarte de oposição ao mundo protestante que reverencia uma instituição do papado
 131   3   Vi que Deus preservará Seu povo, de maneira maravilhosa, durante o tempo de angústia. Como Jesus derramou Sua alma em agonia, no jardim, eles hão de clamar e angustiar-se fervorosamente dia e noite, pedindo libertação. Sairá o decreto para que eles rejeitem o sábado do quarto mandamento e honrem o primeiro dia, ou morram; eles não cederão, porém, para pisar a pés o sábado do Senhor e honrar uma instituição do papado. As hostes de Satanás e homens ímpios os rodearão, e exultarão sobre eles, pois parecerá não haver escape para eles. Em meio, porém, de sua orgia e triunfo, ouve-se ribombo após ribombo dos mais estrondosos trovões. Os céus se enegrecem, sendo iluminados apenas pela brilhante luz e a terrível glória do céu ao fazer Deus soar Sua voz desde Sua santa habitação. 

Testemunhos Seletos – Volume 2 (Português)

Foram encontrados 7 textos com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 31   4   A prova virá por certo. Trinta e seis anos atrás foi-me mostrado que o que agora se desenrola haveria de suceder, que seria imposta ao povo a observância de uma instituição do papado por meio de uma lei dominical, enquanto se pisaria a pés o santificado dia de repouso de Jeová. 
 151   1   por completo dos princípios da justiça. Quando o protestantismo estender os braços através do abismo, a fim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo, quando por influência dessa tríplice aliança os Estados Unidos forem induzidos a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram deles um governo protestante e republicano, e adotar medidas para a propagação dos erros e falsidades do papado, podemos saber que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que o fim está próximo. 
 318   3   Muitos há, mesmo entre os que se empenham neste movimento em favor da imposição do domingo, que se acham cegos aos resultados que seguirão a essa ação. Não vêem que golpeiam diretamente a liberdade religiosa. Muitos existem que jamais compreenderam as reivindicações do sábado bíblico e o falso fundamento sobre o qual repousa a instituição do domingo. Qualquer movimento em favor da legislação religiosa é realmente um ato de concessão ao papado, que por tantos séculos tem constantemente guerreado contra a liberdade de consciência. A observância do domingo deve sua existência como assim chamada instituição cristã, ao “mistério da iniqüidade”; e sua imposição será o virtual reconhecimento dos princípios que são a pedra angular do romanismo. Quando nossa nação renunciar os princípios de seu governo de tal forma que vote uma lei dominical, nesse próprio ato o protestantismo dará a mão ao papado; isso não será outra coisa senão dar vida à 
 319   3   O movimento da Reforma Nacional, exercendo o poder da legislação religiosa manifestará, quando plenamente desenvolvido, a mesma intolerância e opressão que prevaleceram nos séculos passados. Concílios humanos assumiam então as prerrogativas da Divindade, esfacelando, sob seu poder despótico, a liberdade de consciência; e a prisão, o exílio e a morte seguiam aos que se opunham aos seus ditames. Se o papado ou seus princípios forem de novo conduzidos ao poder pela lei, os fogos da perseguição de novo se acenderão contra os que não quiserem sacrificar a consciência e a verdade em deferência a erros populares. Este mal está prestes a realizar-se. 
 320   3   Os que procuram obrigar os homens a observarem uma instituição do papado, e pisam a autoridade de Deus, estão fazendo uma obra semelhante à dos guias judeus nos dias dos apóstolos. Quando as leis dos governadores terrestres são postas em oposição às leis do Governador Supremo do Universo, então os que são leais súditos de Deus ser-Lhe-ão fiéis. 
 373   2   Irmãos e irmãs, meu ardente desejo é por estas palavras chamar vossa atenção para a gravidade do tempo e a significação dos acontecimentos que agora estão ocorrendo. Eu vos aponto para os movimentos intensos que atualmente se estão fazendo para a restrição da liberdade religiosa. O santificado monumento divino foi calcado a pés, e erguido em seu lugar diante do mundo o falso sábado, que não tem santidade alguma. E enquanto as potências das trevas instigam os elementos terrenos, o Senhor do Céu envia Seu poder do alto a fim de fazer face ao Seu movimento, despertando instrumentos para exaltarem a lei do Céu. Agora, precisamente agora, é o tempo de trabalharmos em países estrangeiros. Quando os Estados Unidos, o país da liberdade religiosa, se aliar com o papado, a fim de dominar as consciências e impelir os homens a reverenciar o falso sábado, os povos de todos os demais países do mundo hão de ser induzidos a imitar-lhe o exemplo. O nosso povo está longe de fazer quanto lhe permitem os recursos que tem ao seu dispor, a fim de estender a mensagem de advertência. 
 452   3   As igrejas protestantes aceitaram o sábado espúrio, o filho do papado, e exaltaram-no acima do santo e santificado dia de Deus. Cumpre-nos tornar claro a nossos filhos que o primeiro dia da semana não é o verdadeiro sábado e que sua observância, depois de nos haver sido enviada a luz quanto ao dia verdadeiro de descanso, está em plena contradição com a lei de Deus. Acaso recebem nossas crianças dos professores da escola pública idéias em harmonia com a Palavra de Deus? É o pecado apresentado como uma ofensa contra o Senhor? É a desobediência a todos os Seus mandamentos ensinada como sendo o princípio de toda a sabedoria? Mandamos nossos filhos à Escola Sabatina para que sejam instruídos acerca da verdade, e depois, ao irem eles à escola diária, são-lhes ministradas lições cheias de falsidade. Tais coisas confundem a mente, e não 

Testemunhos Seletos – Volume 3 (Português)

Foi encontrado 1 texto com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 397   4   A lei da observância do primeiro dia da semana é produto de uma cristandade apóstata. O domingo é filho do papado, exaltado pelo mundo cristão acima do sagrado dia de repouso de Deus. Em caso algum lhe deve o povo de Deus prestar homenagem. Mas desejo que compreendam que, se provocam oposição quando Deus deseja que a evitem, não estão cumprindo a Sua vontade. Deste modo criam preconceito tão implacável que é impossível proclamar-se a verdade. Não façais, no 

Vida de Jesus (Português)

Nenhum texto encontrado!


Vida e Ensinos (Português)

Foi encontrado 1 texto com a(s) palavra(s) “papado“.

Página Parágrafo Texto
 201   2   Satanás bem sabe que o sucesso apenas pode acompanhar a ação ordenada e harmoniosa. Bem sabe que tudo que se relaciona com o Céu se acha em perfeita ordem, e sujeição e disciplina perfeita caracterizam os movimentos do exército angelical. Ele estuda e faz esforços para levar os cristãos professos o mais longe possível da disposição ordenada por Deus; portanto, engana até o povo professo de Deus, e faz-lhes crer que a ordem e a disciplina são inimigas da espiritualidade; que a única segurança para eles consiste em seguir cada qual seu próprio rumo e de maneira especial permanecer separado das corporações de cristãos que andam unidos, e trabalham para estabelecer a disciplina e harmonia de ação. Todos os esforços feitos para se estabelecer a ordem são considerados perigosos, tidos como a restrição da legítima liberdade e, por isso, são temidos como se fossem um arremedo do papado. Essas dedicadas pessoas consideram virtude a exibição de sua liberdade de pensar e agir independentemente. Não atendem a nenhum parecer de outrem. Não se deixam ensinar por quem quer que seja. Foi-me mostrado que a obra especial de Satanás é introduzir os homens a crer que Deus lhes ordena agirem por si mesmos, e escolherem seu próprio caminho, independentemente de seus irmãos. 

 

 

Leia um pouco da história
Como a Bíblia ensina sobre o Deus verdadeiro?
Como criam os Pioneiros Adventistas do 7o. Dia?
O que pode estar por trás do abandono da verdade pela iasd?

De fato, a fé em minha vida tem sido uma mola propulsora para tudo, pois creio que não estamos aqui por acaso e que nossa origem é proveniente de Deus, um ser único no Universo, todo sabedoria, onipotência, onisciência, Eterno, Deus e Pai de Jesus, a quem encheu com seu espírito (glória, graça, verdade, poder,…) e esse, Cristo, derramou sobre nós seu espírito, jamais se tratando de 3 deuses, 3 seres que compõem uma trindade – dogma pagão.
À guisa de introdução, informo ter sido batizado na iasd quando tinha 9 anos, precisamente em 28 de dezembro de 1963, tendo levado muito a sério essa decisão por 41 anos, atuando como membro regular, oficial da Corporação religiosa como professor do departamento de Juvenis, da classe de visitas, da classe de adultos, Diretor de Jovens, Diretor de Mordomia, Ancião, …até, em 16 de março de 2004 ter sido, junto com minha esposa – apesar de em plena comunhão com Deus e com os irmãos – desligado, desfraternizado, quase sem direito de defesa (senão após ter ameaçado levar o caso à justiça, por estar sendo tolhido de um direito inalienável do ser humano, à luz da Constituição Federal, do Manual da Igreja iasd,  da Declaração Universal dos Direitos Humanos,…..) dispondo de apenas e somente meia hora, para falar a uma restrita Comissão de membros presidida por dois pastores, sendo solicitado a me retirar do recinto  do templo com minha esposa, a fim de a Comissão julgar meu caso – Apostasia por não crer mais na trindade – após o que foi marcado o dia 4 de março de 2004 para a votação final pela comunidade de crentes do bairro do Quidé, bairro periférico e perigoso de Juazeiro – BA (fundada pelo trabalho meu e de minha família com poucos irmãos, tendo também, com muitos esforços construído o templo e evangelizado gratuitamente por mais de 20 anos) resultando na remoção dos nomes do rol de membros da Corporação (algo semelhante ocorreu com os judeus adventistas na 2a. guerra mundial quando a iasd aderiu ao nazismo e entregou os judeus a Hittler para morrerem nos campos de Concentração). 
Daí por diante fomos tidos pela Corporação como apóstatas, demônios, monstros,….rejeitados como leprosos pelos ex-irmãos.
……
 
Veja algo do processo como a iasd deixou a verdade defendida pela Bíblia sagrada e pelos Pioneiros do movimento adventista em:
Cremos que por trás da mudança está a adesão ao Ecumenismo, movimento sob o guarda-chuva do Vaticano, que busca abranger todos os corpos religiosos oficialmente estabelecidos, dando-lhes poder temporal, espaço na mídia, especialmente a televisiva (Rede Novo Tempo de Comunicação – Rádio e TV,…..), Universidades, Colégios,  Hospitais, Casas Publicadoras (com uma clientela cativa no mundo todo),…. muito dinheiro, ainda que perdendo a aprovação dos céus.
Veja como a iasd, diferente de sua aliada (ainda que por trás dos bastidores) o Vaticano, diferente desse que tem cerca de dois milênios, em menos de duzentos anos, conseguiu ser o 2a. igreja mais rica do mundo: http://aodeusunico.com.br/?p=3434
 
Sobre meu desligamento:

Dez anos após o doloroso (naquele momento, após caminhada de 41 anos servindo a uma multinacional travestida de única igreja verdadeira de Deus) processo de desligamento, mas, logo depois, muitíssimo feliz por Cristo e Seu Pai e Seu Deus, nos terem dado o discernimento de poder viver desligado do Sistema Religioso que deixou a verdade, vivo muito feliz buscando servir a Deus e a Jesus com alegria, pedindo-lhes sempre que derramem seu espírito santo sobre mim e família.
Abraço fraterno.
Maranata!