- Ao Deus Único - https://aodeusunico.com.br -

Crise Familiar. Divórcio é uma Solução?

Clique no link a seguir e ouça a palestra completa–>   https://drive.google.com/file/d/1mWS5uuLFy7fYEGKJsAPeXbBZwHN8ipDm/view?usp=sharing

Clique a seguir e ouça a 2a parte da mensagem, mostrando como Lúcifer se transformou em Satanás:

Crise familiar

Em seu livro Guerras de Identidade, o Caminho à Liberdade, Adrian Ebens escreveu sobre a crise familiar.

“Pude perceber pela expressão em seu rosto que ele havia sofrido algum tipo de trauma. Perguntei-lhe: “Está tudo bem?”

“Minha esposa e eu estamos separados”, disse ele dolorosamente. “Eu simplesmente não vi isso acontecer”, disse ele, imerso emarrependimento. Conversamos sobre os desafios que ele estava enfrentando e, em seguida, ele declarou: “Eu não aguento ficar sem ver as crianças – isso simplesmente me mata.” Eu podia ver que ele estava lutando por manter sua compostura, e pude sentir sua dor, e sinceramente desejei poder ajudá-lo. Seu comentário final foi: “Eu simplesmente não sei mais para onde vou ou que caminho tomar.

 

Somente aqueles que estiveram na terra tortuosa da separação e do divórcio entenderão a emoção por trás dessas palavras. O choque, a raiva e a dor sentidos pela parte relutante costumam ser comparados com a morte de um parceiro[1]. As realidades devastadoras do divórcio significam mais do que simplesmente uma divisão de ativos, significa redefinir toda a sua identidade[2].

 

As maiores vítimas, é claro, são as crianças. A gama de emoções destrutivas que passam pelo coração de uma criança não apenas no momento do evento, mas pelo resto de suas vidas, nunca pode ser totalmente calculada.

 

Jim Conway pesquisou centenas de adultos que eram filhos do divórcio, e a gama de emoções que eles sentiram foi descrita da seguinte maneira:

 

Sentiram infeliz                                                          72%

Sentiram-se impotentes                                            65%

Sentiram-se solitários                                                 61%

Tinham medo                                                             52%

Ficaram com raiva                                                     50%

Sentiram-se abandonados                                          48%

Sentiram-se rejeitados pessoalmente                       40%

Sentiram-se inúteis                                                     30%

 

Estar sujeito ao divórcio quando crianças, deixou a estes quando adultos, os seguintes problemas:

 

Buscam constantemente aprovação                          58%

Bloqueiam parte de seu passado                               54%

Julgam-se muito rigorosamente                                 53%

Levam-se a sério demais                                            47%

Não têm controle                                                      42%

Ainda têm problemas com relacionamentos             40%

 

Não é portanto de se admirar que Deus diga: “Eu odeio o divórcio!” Malaquias 2:16. Independentemente de como isso ocorra ou de quem abandona quem, a perda dos relacionamentos familiares é devastadora para ambas as partes. Não há vencedores quando as relações familiares desmoronam”.

Deus guarde a você, a mim, a todos os casados, de  modo que cultivemos o amor, o perdão, a abnegação, o espírito de sacrificio, de modo que nosso lar nunca seja atingido pelo divórcio e se isso já aconteceu com alguém que nos ouve agora, que Deus perdoe, fortaleça, guarde e dê sabedoria do alto.