- Ao Deus Único - https://aodeusunico.com.br -

A Ponta Pequena e o Juízo (Daniel 7)

Cremos que o julgamento é um processo iniciado na vida de cada pessoa ao nascer e que se conclui quando a mesma morre ou quando Apoc 22:11 é proclamado. A Norma do juízo é a Santa Lei de Deus.

Um dia, todos estaremos diante do tribunal de Cristo: “Porque é necessário que todos nós sejamos manifestos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal“. II Cor. 5:10.

As Revelações Proféticas trazem estudos sobre as Profecias de Daniel e Apocalipse; principalmente dando ênfase sobre a Divindade. Textos Comprobatórios ”Vimos já, antes, que depois de arrancadas as três pontas arianas em 538 A.D. pelos generais de Justiniano, este passou a instituição definitiva ao 
papismo.
Contados do ano 538 A.D., os 1260 anos iriam terminar em 1798 A.D. Porventura sucedeu nesse ano algo notável com o papismo? Os franceses republicanos tomaram em 1798 Roma e a proclamaram uma república, o papa Pio VI, porém, foi conservado preso até sua morte em 1799. Muitos já pensavam então que o papismo havia acabado para sempre.” Guilherme Stein Júnior – Sucessos Preditos da História Universal, pg. 78 ”Que os juízes e o povo das cidades, bem como os comerciantes, repousem no venerável dia do Sol…” – Edito de 7 de Março de 321, A.D, Corpus Juris Civilis Cord., Liv. 3, Tit. 12, 3.
A observância do domingo pelos protestantes é uma homenagem que tributam , mau grado seu, à autoridade da igreja [católica].” – Plain Talk About the Protestantism of Today, pág. 213 “Naquele período, a Igreja cristã passou a ter conflito internos por causa de doutrinas estranhas que pretendiam misturar-se às verdades bíblicas. Entre as doutrinas em conflito, podemos mencionar: o pecado original, a Trindade, a natureza de Cristo,o papel da virgem Maria, o celibato e a autoridade da Igreja.” – O Terceiro Milênio e as Profecias do Apocalipse. CPB.
“Em 1872 a editora adventista de Batlle Creek, Michigan, publicou uma “sinópse de nossa fé” em 25 proposições. Esse documento tendo sofrido rápidas revisões e sido ampliado para 28 seções, apareceu no Yearbook denominacional de 1889. O texto não constou de edições sucessivas da publicação, mas foi novamente inserido no exemplar de 1905, e continuou a sê-lo até 1914.” Nisto Cremos, pg. 6.
“A formulação dos princípios doutrinários da Igreja Adventista do Sétimo Dia aqui apresentado foi construída antes da data indicada da publicação na Signs. Embora não existam indícios de que Tiago White era o único autor, ele, sem dúvidas, teve grande contribuição nessa redação.” The Living Witness, págs. 1 e 2. Pacific Press em 1959. “A Voz do Adventismo Fala em 1894. – Então a questão do dia da expiação… De fato, não foi registrado até que muitos anos se passaram após a Conferência de 1888 de Minneápolis até a posição tomada por 1521 membros em Battle Creek em 1894. (Membros da igreja Adventista entre oficiais, comitês, delegados, procuradores, reuniões regulares, p. 12).” – Leroy E. Froom. Movement of Destiny. [Neste ano oficializaram os 28 Princípios Fundamentais da denominação; constado nos Years Books até 1914 (anuários da IASD).
“Em 1930, respondendo a um pedido da Divisão Africana por “uma declaração daquilo que os adventistas crêem”, a qual pudesse “ajudar os oficiais do governo e outros a compreender melhor o nosso trabalho”, a Comissão da Associação Geral indicou uma subcomissão (M.E. Kern, secretário associado da AG; F. M. Wilcox, editor da Review; E. R. Palmer, administrador da Review and Herald; e C.H. Watson, presidente da AG) para preparar uma declaração de crenças adventistas. Wilcox, sendo o escritor principal entre o grupo, esboçou uma declaração de 22 pontos, posteriormente publicada na Yearbook (Anuário) adventista de 1931 (Froom, MOD, págs. 410-414)”. Livro A Trindade, pág. 227.
“A denominação publicou pela primeira vez uma declaração de crenças fundamentais em seu Yearbook (anuário) de 1931. Ela era explicitamente trinitariana. Embora tecnicamente se tratasse de uma declaração não oficial, ela mostrou de maneira definitiva os rumos que a liderança da igreja estava tomando.” – George Knight – Em Busca de Identidade, pg. 158
“Embora o arianismo e o antitrinitarianismo fossem muito fortes entre os líderes adventistas pioneiros, a visão trinitariana da Divindade veio a tornar-se o ponto de vista padrão pelo menos a partir da década de 1940, se não antes. De fato, essa visão é agora a posição formalmente votada e expressa nas Crenças Fundamentais dos Adventistas do Sétimo Dia. O voto mais recente ocorreu na sessão da Associação Geral realizada em Dallas, Texas, em 1980.” A Trindade, pg. 10 – CPB.
Link de Estudo Anterior – A Ponta Pequena e as Sete Igrejas: https://youtu.be/-dlOy-PoF6o Próximo Estudo: A Ponta Pequena e a Adoração Dúvidas, sugestões ou demais informações, e-mail: [email protected]
Se você já é inscrito, dê o seu like; se não, inscreva-se, dê o seu like (gostei) e compartilhe esta mensagem. Este ministério conta com nossos amigos e simpatizantes a manter este propósito vivo, com uma oferta. Segue: Caixa Econômica Federal / Agência 3561 / Conta Corrente 21659-0 / Operação 001 – Favorecido: Alexandre Bastos Botelho