- Ao Deus Único - https://aodeusunico.com.br -

A CARTA DE THOMAS EDISON E O DIA DAS MÃES

Olá, graça e paz vos sejam multiplicadas.
Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti. Isaías 49:15.
Aqui vemos como é sublime o amor de uma mãe verdadeira, ao ponto de ser – guardando-se as devidas proporções – comparado ao amor de Deus.
Conta-se que “certo dia, Thomas Edison chegou em casa com um bilhete para sua mãe. Ele disse:     (CLIQUE AQUI , ouça o áudio e o partilhe com seus amigos)
“Meu professor me deu este papel para entregar apenas a você. ”
Os olhos da mãe lacrimejavam ao ler a carta e resolveu ler em voz alta para seu filho:
“Seu filho é um gênio. Esta escola é muito pequena para ele e não tem suficiente professores ao seu nível para treiná-lo. Por favor, ensine-o você mesmo!!”
Depois de muitos anos, Edison veio a se tornar um dos maiores inventores do século. Após o falecimento de sua mãe, resolveu arrumar a casa quando viu um papel dobrado no canto de uma gaveta. Ele pegou e abriu. Para sua surpresa era a antiga carta que seu professor havia mandado a sua mãe, porém o conteúdo era outro que sua mãe leu anos atrás.
“Seu filho é confuso e tem problemas mentais. Não vamos deixá-lo vir mais à escola!!”
Edison chorou durante horas e então escreveu em seu diário:
“Thomas Edison era uma criança confusa, mas graças a uma mãe heroína e dedicada, tornou-se o gênio do século”
Existem certos momentos da vida onde é necessário mudar o “conteúdo da carta” para que o objetivo seja alcançado…” Autor Desconhecido.

As mães merecem todas as homenagens dos seus filhos e da sociedade, não só num determinado dia, mas em todos os dias. Talvez você não saiba que o dia das mães conforme se comemora no Brasil no 2º. domingo de maio não tem a ver só com as mamães, mas com a mitologia e também com a suposta mãe de Deus. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos deuses. Adorava-se a mãe, com cerimônias para Cibele ou Rhea, a Grande Mãe dos deuses, nos idos de março, em toda a Ásia Menor.
Nos Estados Unidos, essa comemoração começou com a metodista Anna Jarvis, que em 12 de maio de 1907, dois anos após a morte de sua mãe, criou um memorial à sua mãe e a festejou ano após ano.
Honremos e homenageemos nossa querida mãe todos os dias, mas não sigamos mais a festa que nada tem a ver com o cristianismo puro, mas sim com o paganismo e o espiritualismo.