- Ao Deus Único - http://aodeusunico.com.br -

O Batismo Verdadeiro. Conforme a Bíblia Sagrada ou conforme as Regras do Ecumenismo?

Clique aqui e ouça o áudio da Palestra na Rádio Cultura do Brejo, RN, 87,9 FM. Programa A Voz e A Verdade. Ouça, Medite, Compartilhe.

A Bíblia sagrada contêm belíssimos relatos de batismos feitos pelos apóstolos de Jesus, sempre, invariavelmente, em nome do Senhor Jesus, a exemplo do batismo do eunuco que veio da Etiópia, na África, uma viagem longa até Jerusalém, para conhecer o Deus verdadeiro, o Deus e Pai de Jesus e adorá-lo.

O livro de Atos, capítulo 8, versos de 26-39 fala do desencanto desse homem que veio a Israel e voltava, quem sabe, desconsolado por não ter sido bem recebido, e lia em sua carruagem o profeta Isaías, capítulo 53, sem entender de quem falava. Deus guiou seu servo Felipe, o qual lhe explicou, ele aceitou a Jesus como seu salvador e foi batizado por crer nele.

“E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou. Atos 8:36-38

No entanto, na Bíblia existe um isolado e estranho texto, o de Mateus 28:19, no formato como está na maioria das versões da Bíblia, dando conta de que Jesus após ter recebido do Pai todo o poder no céu e na terra, teria ordenado batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, enquanto existe um grande número de registros bíblicos do batismo apenas em nome do Senhor Jesus (Atos 2:38; 8:16; 10:43; 19:5; Gal. 3:27; Rom. 6:3; 1 Cor. 1:13-15), o mesmo se aplicando a todas as práticas cristãs, sempre em nome de Jesus.

O Espírito de Deus fez o apóstolo Paulo escrever: “E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” – Colossenses 3:17.

Tudo na vida cristã, além do batismo, inclui:

“Orações (João 14:13 e 14; João 15:16; João 16:24, 26 e 27; Tiago 5:14).

Advertências, admoestações e repreensões (I Coríntios 1:10; 5:4; II Tessalonicenses. 3:6).

Milagres (Mateus 7:22; Marcos 9:38-40; 16:15-18; Lucas 10:17; Atos 3:6; 4:7-12; 4:30; 16:18).

Obras de caridade (Mateus 18:5; Marcos 9:37 e 41; Lucas 9:48).

Reuniões espirituais e pregações (Mateus 18:20; Lucas 24:46 e 47; Atos 4:18; 9:27 e 29; Efésios 5:20; Tiago 5:10).

Até mesmo o Espírito é enviado em nome de Jesus conforme João 14:26.

Tudo deve ser feito em nome de Jesus, pois a nossa salvação é também em nome do nosso Senhor Jesus Cristo (Atos 4:12; João 20:31; I Coríntios 6:11)”.

Nicotra, R. Eu e o Pai somos Um, pág. 48 e 49.

No entanto, como poderia Jesus afirmar: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo? Mateus 28:19 o que se subentende, pois está implícito, que batizar em nome do Pai, no nome do filho e no nome do Espírito Santo, enquanto,

1) Pai não é nome, Filho não é nome e, Espírito Santo – essa última expressão não se trata nem de um nome, nem de uma pessoa.

Por si só, isso já mostra de antemão que o texto como está na maioria das versões, não é autêntico.

2) Outra prova intrínseca da não autenticidade do texto de Mateus 28:19 é a DESCONTINUIDADE DO PRÓPRIO CONTEXTO, anterior e posterior:

“Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra.

19Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo,

20ensinando-os a obedecer a tudo o que eu ordenei a vocês. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”.

 

Ora, Jesus afirmou que a ele foi dada (pelo seu Deus e Pai, YHWH) toda a autoridade no céu e na terra, e, em seguida, acrescentaria: vão e batizem em 3 nomes, que não são nomes; muito pior o terceiro, por não se tratar de um ser, mas de um atributo, glória, virtude e poder de YHWH e, no verso seguinte, Mat. 28:20, voltar Jesus a falar dele, que Ele estaria conosco todos os dias até à consumação dos tempos?

O fato do nome do Pai estar no do Filho – já sabedor disso (João 17:11 e 12) – é um motivo a mais para Jesus NÃO TER DADO ESSA ORDEM JÁ SABENDO QUE O NOME DO PAI ESTAVA NO SEU NOME E ACRESCENTANDO O ESPÍRITO SANTO COMO SE FOSSE OUTRO SER E, TAMBÉM DIVINO.

Logo, não se sustenta a hipótese de que Jesus teria proferido uma ordem inconsistente como essa de Mat. 28:19 (a de que se deveria batizar os novos conversos em 3 nomes que não são nomes), pior ainda, incluindo outro ser na divindade, quando ele, Jesus, tinha recebido do Seu Deus e Pai todo o Poder no Céu e na Terra e que seria Ele mesmo, e, não uma tal 3ª pessoa da divindade, que estaria com os conversos todos os dias, até à consumação dos séculos).

 

3) TODOS OS BATISMOS REALIZADOS E REGISTRADOS NO NOVO TESTAMENTO PELOS DISCÍPULOS FORAM INVARIAVELMENTE SÓ NO NOME DE JESUS – AQUELE ÚNICO QUE MORREU POR NÓS (I COR. 1:12 E 13) – POR ISSO, O BATISMO É FEITO NO NOME DAQUELE ÚNICO QUE MORREU POR NÓS. O Pai não morreu por nós, por ser o único por essência imortal do Universo (I Tim. 6:16). O Espírito Santo não é um ser, uma pessoa, muito menos igual ao Pai nem ao Filho, não sendo essa expressão um nome, mas, Ruach Hakodesh, o sopro do Todo Poderoso. Não se pode batizar em nome de um atributo de Deus.

4) JESUS NÃO IRIA DIZER O QUE SE LÊ EM MAT. 28:19 COM AS PALAVRAS  QUE ESTÃO NA MAIORIA DAS VERSÕES (AFIRMATIVA ÚNICA, ISOLADA, EM TODA A ESCRITURA, RAZÃO PORQUE NÃO PODERIA NUNCA GERAR UMA DOUTRINA, AINDA QUE FOSSE AUTÊNTICA) (e uma inverdade, pelas razões e contextos já aqui descritos) E OS DISCÍPULOS ENTENDEREM DE OUTRA FORMA, O QUE NÃO FAZ O MENOR SENTIDO.

5) Além dessas contundentes razões bíblicas, somam-se inúmeras provas em enciclopédias, livros fidedignos, versões bíblicas, etc, que depõem contra a autenticidade do texto de Mateus 28:19, na forma como aparece na maioria das versões, ainda que alguém possa mostrar cópias espúrias de manuscritos que mostrem o que o sistema religioso caído crê, sabe-se que “atualmente não temos nenhum manuscrito da última página de Mateus antes do terceiro século” (https://www.asitreads.com/blog/2018/2/22/historical-evidence-in-favour-of-matthew-chapter-2819-and-response-to-claims-of-inauthenticity) pois foi no 4º. século, no Concílio de Niceia que se fundamentou a primeira parte da “doutrina” da trindade, daí por diante surgindo muitos manuscritos “autênticos”.

“Nada mais é que o étimo grego “?????” (bapto), ao qual se acrescentou o sufixo “-ismós” para formar “????????” (baptisma), inarredavelmente significa “imersão”, posto que exatamente esta é a etimologia do verbo “?????????” (baptizein, “imergir”/”mergulhar”). https://pt.wikipedia.org/wiki/Batismo_por_imers%C3%A3o

E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Atos 2:38

Feito o batismo por imersão em água, se pede ao Deus e Pai de Jesus, que conceda ou derrame o dom do Seu Espírito Santo.

“E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilhavam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouviam falar em línguas e magnificar a Deus. Respondeu, então Pedro: Pode alguém, porventura, recusar a água, para que não sejam batizados estes que também receberam, como nós, o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor.” Atos 10:44-48.

“Enquanto que, no verso anterior os samaritanos haviam sido batizados na água em “nome de Jesus”, mas não haviam ainda sido batizado com o poder do Espírito; já no caso acima; os gentios ao ouvirem a pregação do evangelho, recebem o batismo do Espírito Santo antes mesmo de terem sido imergidos na água “em nome do Senhor”.

Como um crente fiel em Cristo pode admitir que o batismo em 3 supostos nomes seja o correto, o autorizado por Jesus, e que hoje para a crença na trindade, quando essa é a chave (crer na trindade e batizar em seu nome) para entrada no Ecumenismo, a religião do Anticristo?

Em conclusão, as Escrituras Sagradas nos ensinam que o batismo verdadeiro é imersão na água (Mateus 3:16) e não com um pouco de água na cabeça, e, em nome de Jesus, jamais em nome de uma trindade. O batismo deve ser feito em nome daquele que morreu por nós e esse é Jesus, o Cristo, o filho do Deus único e verdadeiro, o Pai (João 17:3).

 

II PARTE O Batismo Verdadeiro. Conforme a Bíblia Sagrada ou conforme as Regras do Ecumenismo? 

“E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou. Atos 8:36-38

Como crer na genuinidade do texto isolado de Mateus 28:19, rodeado de centenas de provas em contrário?

– Livro Eu e o Pai somos um de Ricardo Nicotra, páginas 49 a 55. Várias provas do BATISMO EM NOME DO SENHOR JESUS. (http://www.igrejacrista.com/wp-content/uploads/docs/epsu3ed.pdf)

– 80 (Oitenta versões bíblicas, trazendo em Mat. 28:19, “EM MEU NOME”. http://www.trinitytruth.org/matthew28_19bible-translations.pdf  (“80 versões com o final mais curto”). Antes desta pesquisa eu dispunha da versão Bíblia Israelita. Agora dispomos de mais 80 versões.

– Inúmeras outras provas da falsidade de Mateus 28:19, como está em muitas versões bíblicas, publicadas por Homero de Almeida Araújo Neto em http://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/2013/04/a-incongruente-doutrina-da-santissima.html, a saber:

ENCICLOPÉDIA DA RELIGIÃO, M. A.Canney, pg 53.

“A religião primitiva sempre batizava em nome do Senhor Jesus até o desenvolvimento de doutrina da Trindade no 2° Século.”

ENCICLOPÉDIA DA RELIGIÃO, J. Hastings, Vol 2 pg 377-378-389.

“O batismo cristão era administrado usando o nome de Jesus. O uso da fórmula trinitariana de nenhuma forma foi sugerida pela história da igreja primitiva; o batismo foi sempre em nome do Senhor Jesus até o tempo do mártir Justino quando a fórmula da Trindade passou a ser usada”.

ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA, pg. 384. “Não existe evidência na história da Igreja Primitiva do uso dos três nomes.”

ENCICLOPÉDIA BARSA, 1998, vol. 15, pág. 214

“A palavra Trindade não aparece no Novo Testamento, nem Jesus e seus seguidores pensaram em contradizer o Velho Testamento que diz: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor (Dt 6: 4)”. (Confirmado por Jesus em Marcos 12:29: “Esclareceu Jesus: “O mais importante de todos os mandamentos é este: ‘Ouve, ó Israel, o Senhor, o nosso Deus é o único Senhor”. “Bíblia King James Atualizada)

ENCICLOPÉDIA BRITÂNICA,11ª edição, Volume 3, pág. 82

“Sempre nas fontes antigas menciona que o batismo era em nome de Jesus Cristo. A fórmula batismal foi mudada do nome de Jesus Cristo para as palavras Pai, Filho e Espírito Santo pela Igreja Católica no 2º Século.”

NOVA ENCICLOPÉDIA INTERNACIONAL, Vol. 22 pg 477

“O termo ‘trindade’ se originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica Romana”.

ENCICLOPÉDIA CATÓLICA, 1913, Vol. 2, pg 365.

Mt 28,19 “Aqui o católico reconhece que o batismo foi mudado pela Igreja Católica”

NEW CATHOLIC ENCYCLOPAEDIA, 1967, vol. XIII, pg. 575.

“A maioria dos textos do Novo Testamento revela o espírito de Deus como sendo algo, não alguém; isto se vê especialmente no Paralelismo entre o espírito e o poder de Deus.”

NEW CATHOLIC ENCYCLOPAEDIA, 1967, Vol XIV, pg 299.

“A formulação de um só Deus em três pessoas” não foi solidamente estabelecida, decerto não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do 4o século. Mas é precisamente esta formulação que tem a primeira reivindicação ao título de dogma da Trindade. Entre os Pais Apostólicos, não havia nada, nem mesmo remotamente, que se aproximasse de tal mentalidade ou perspectiva”.

NOUVEAU DICTIONNAIRE UNIVERSEL, M. Lachâtre, vol. II, pg. 1467

“La trinité platonicienne, même un simple réaménagement des anciennes trinités datant de peuples antérieurs, semble être la trinité philosophique rationnelle des attributs qui a donné naissance à l’hypostase trois ou personnes divines enseignées par les églises chrétiennes.” (“A trindade platônica, que em si é meramente um rearranjo de trindades mais antigas, que remontam aos povos anteriores, parece ser a trindade filosófica racional de atributos que deram origem às três hypostasis ou pessoas divinas ensinadas pelas igrejas cristãs”).

ENCICLOPÉDIA AMERICANA, Vol XXVII, pg 294

“O Cristianismo derivou-se do Judaísmo, e o Judaísmo era estritamente unitário. O caminho que levou de jerusalém a Nicéia dificilmente foi em linha reta. O trinitarismo do quarto século de nenhuma forma refletiu o primitivo ensino cristão sobre a natureza de Deus; foi ao contrário, um desvio desse ensinamento”.

DICTIONARY OF THE BIBLE, John Mac Kenzie, 1965, pg. 899

“A Trindade de pessoas dentro da unidade de natureza é definida em termos de ‘pessoa’ e de ‘natureza’, que são termos filosóficos gregos; na realidade esses termos não aparecem na Bíblia. As definições trinitárias surgiram em resultado de longas controvérsias, em que esses termos e outros, como ‘essência’ e ‘substância’, foram erroneamente aplicados a Deus”.

BÍBLIA DE JERUSALÉM, 10a edição, 2001, pg 1896

Nota de rodapé: Mt 28,19 “Sabe-se que o livro de Atos fala em batizar “no nome de Jesus”(cf. At 1,5 +; 2,38+). Mais tarde deve ter-se estabelecido a associação do batizado às três pessoas da Trindade”.

TRUE CHISTIANITY – Rev. Steve Winter

ATOS 4:12 “Batismo em nome de Jesus. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”

NA AURORA DO CRISTIANISMO – APÓS O NASCIMENTOS DOGMAS, 1998, Claude (Marie-Émile) Boismard

“A declaração de que há três pessoas em um só Deus não pode ser encontrada em lugar nenhum do Novo Testamento”.

JESUS E JAVÉ, Harold Bloom (Yale University), pg 119

“Pretendo aqui expor o mistério da Trindade, o melhor que posso fazê-lo. Ao mesmo tempo que de um lado deixo clara a minha admiração pelo brilhantismo do conceito, afirmo a minha perplexidade diante do atrevimento e do escândalo inerentes a esse mesmo dogma”.

ORIGEM E EVOLUÇÃO DA RELIGIÃO, E. W. Hopkins

“A definição ortodoxa final da “trindade” era em grande parte uma questão de política eclesial”!

HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO, Will Durant, 2002, Ed. Record

“O Cristianismo não destruiu o paganismo; ele o adotou. Do Egito vieram as idéias de uma trindade divina, o Juízo final, a recompensa e castigo”.

Quando ainda não era papa, ele escreveu isso:

INTRODUÇÃO AO CRISTIANISMO, Cardeal Joseph Ratzinger, 1ª Edição, 1968, pgs. 82-83.

“A forma básica da nossa profissão de fé trinitariana (Mateus 28,19) tomou forma durante o curso dos séculos segundo e terceiro em conexão com a cerimônia de batismo. Medida em que seu lugar de origem está em causa, o texto (Mateus 28,19) veio da cidade de Roma.

O batismo da Trindade e texto de Mateus 28,19, portanto, não se originou a partir da Igreja original, que começou em Jerusalém por volta do ano 33. Era um pouco como demonstra a evidência uma invenção posterior do catolicismo romano. Bem poucos sabem sobre esses fatos históricos”.

BÍBLIA DE JERUSALÉM, pgs.2291 e 2292

“O texto dos v v. 7-8 está acrescido na Vulgata de um inciso (aqui abaixo está entre parênteses) ausente nos antigos manuscritos gregos, nas antigas versões e nos melhores manuscritos da Vulgata, e que parece ser uma glosa marginal introduzida posteriormente no texto: ‘Porque há três que testemunham (no Céu: o Pai, o Verbo e o Espírito Santo, e esses três são um só; e há três que testemunham na terra): o Espírito, a água e o sangue, e esses três são um só’.”

THE ORTODOX CORRUPTION OF THE SCRIPTURES, Bart Ehrman, pg 45

“(O Comma Johanneum) representa a ocorrência mais óbvia de corrupção motivada por teologia em toda a tradição manuscrita do Novo Testamento”.

Os Pioneiros adventistas batizaram em nome de 3 “pessoas”. Onde estava a assim chamada “profetisa”? Embora a mesma não se considerasse como tal, o que, em muito diminui a sua culpa pelos inúmeros erros e previsões falhas, ainda que não a isente de culpa e grave, o que a descaracterizariam plenamente como tal, caso arrogasse para si tal designação.

Nos links a seguir são mostrados muitos atos do Pioneiros adventistas, inclusive Ellen G. White, sobre o batismo em nome do Pai, do Filho e do espírito santo:

http://www.institutoadvento.com.br/pdf/trindade/Estudo-01-batismo-na-IASD.pdf

https://pt.slideshare.net/EDDUSOUSA/mateus-28-falso-ou-verdadeiro

A Igreja Adventista tem proclamado a amplos pulmões, enganando milhões de fiéis, que Ellen G. White fez mais de 160 citações de que os discípulos saíram batizando em nome do Pai, do Filho e do espírito santo, ainda que sem nenhum único batismo bíblico relatado pela fórmula adulterada de Mateus 28:19 contida em muitas versões. https://pt.slideshare.net/EDDUSOUSA/mateus-28-falso-ou-verdadeiro slide 24.

Sabe-se, que o requisito básico do papado e do Ecumenismo que ele coordena (e a IASD é sua assessora através da ISLA, camufladamente https://aodeusunico.com.br/a-iasd-e-ou-nao-membro-do-conselho-mundial-de-igrejas-orgao-maximo-do-ecumenismo-no-mundo-entao-ela-e-o-queigrejas-orgao-maximo-do-ecumenismo-ok/ ) é crer na trindade e batizar em seu nome (admitindo-se que Jesus é Deus, 1ª. Pessoa da santíssima trindade e que o espírito de Deus é um ser, e Deus igual ao Pai, 3ª. Pessoa da santíssima trindade, e que se deve batizar também em seu nome), conduzindo ao preenchimento do requisito básico da grande apostasia.

Ora, se os testemunhos de EGW reivindicam a integridade de Mateus 28:19 em sua forma adulterada, conclui-se que seus testemunhos são falsos.

Impressionante: essa é mais uma das mais de 160 declarações da Sra. Ellen White, ratificando o texto adulterado de Mateus 28:19 e fingindo dizer que “O nome de Cristo devia ser a senha, a insígnia, o laço de união,…” quando o BATISMO ESPÚRIO, MARCA DA APOSTASIA é estimulado a ser praticado sob o disfarce de que é em nome de Jesus Cristo, que não aparece na fórmula pagã, quando se enaltece uma fórmula mentirosa (mais de 160 citações enganosas), em nome do Pai, do Filho e do espírito santo, nenhuma das 3 palavras trata de nomes e a 3ª. sequer indica uma pessoa, senão um atributo do único Deus verdadeiro, Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo.

Adventistas trinitarianos se baseiam nos mais de 160 “testemunhos” da Sra. White, a quem tem como profetisa, ratificando a fórmula adulterada de Mateus 28:19, por exemplo: “Foi feita indagação a Deus com respeito a esses, e então, em harmonia com a mente da igreja e o Espírito Santo, foram separados pela imposição das mãos. Havendo recebido sua comissão da parte de Deus e tendo a aprovação da igreja, saíram batizando no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e administrando as ordenanças da casa do Senhor, …” PE – Pag. 101 http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/27/97/103/a-ordem-evangelica (Destaque acrescentado)

As Escrituras Sagradas nos ensinam que o batismo verdadeiro é por imersão na água (Mateus 3:16) e não com um pouco de água na cabeça, e, em nome de Jesus, jamais em nome de uma trindade. O batismo deve ser feito em nome daquele que morreu por nós e esse é Jesus, o Cristo, o filho do Deus único e verdadeiro, o Pai (João 17:3).

Vosso irmão em Cristo,

Paulo Augusto da Costa Pinto

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?metodo=apresentar&id=K4783064D7

http://aoDeusunico.com.br