Header
Header
Header
Header
Header

Olá, “E CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ”, PALAVRAS CHEIAS DE SIGNIFICADO DITAS PELO DIVINO FILHO ÚNICO DO DEUS ÚNICO E VERDADEIRO, O PAI, EM JOÃO 8:32.

Leiamos Mateus 12:22-32:
22Trouxeram-lhe, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via.
24Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.
25Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.
26E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?
27E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam então vossos filhos? Portanto, eles mesmos serão os vossos juízes.
28Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus.
30Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.
31Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
32E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro
Mateus 12:22-32.
Os que deixaram a adoração ao Deus único e verdadeiro que sempre foi adorado pelo povo de Deus em todos os tempos, e passaram a adorar a uma trindade, fruto do politeísmo infiltrado no cristianismo nos dias de Constantino, ensinam que o pecado contra o Espírito santo, que eles chamam de 3ª pessoa da trindade, é rejeitar os apelos que Deus faz à humanidade.
Mas o texto mostra que o pecado contra o Espírito, do que Cristo foi cheio pelo Pai (Lucas 4:18) consiste em atribuir a Satanás a obra de Deus mediante Cristo, quando ele curou um endemoninhado cego e mudo, que ao ser expulso o demônio, passou a enxergar e a falar.
Nós cremos sim no Espírito Santo, pois pelas Escrituras sagradas é o precioso Espírito de Deus, mas não cremos num deus de 3 cabeças como o criaram no século IV.
Então, o que é o pecado contra o Espírito santo. Pela Bíblia é atribuir a Satanás a obra do Espírito de Deus que estava em Cristo. Pelos pastores é rejeitar a 3ª pessoa da trindade, inventada em Roma no século 4º dC.
O dilema que está diante de você e de mim é: Crer no que a Bíblia diz ou no que os pastores dizem. Amém aleluia.

Escreveu EGW: “Nem a metade das mães sabem cozinhar ou o que pôr diante de seus filhos. Colocam perante seus filhinhos nervosos essas indigestas substâncias que ardem na garganta e por todo o caminho abaixo até às delicadas membranas do estômago, tornando-o como fogueira a arder, de modo que não reconhece a comida saudável. Os pequeninos chegam à mesa, e não podem comer isto, ou aquilo. Tomam o controle e comem justamente o que querem, seja ou não para benefício seu.
Eu recomendaria deixá-los ficar sem comida pelo menos por três dias, até que sintam fome bastante para tomar o alimento bom e saudável. Arriscaria deixá-los passar fome. Nunca pus em minha mesa comidas de que não permitisse que meus filhos participassem. Punha diante deles só aquilo de que eu própria comia. As crianças comiam isto, e nunca pensavam em pedir aquilo que não se encontrava na mesa. Não devemos condescender com o apetite das crianças, apresentando-lhes essas comidas indigestas”. Manuscrito 3, 1888. Temperança, p. 158.
Alguém conhece algum conselho desses na Bíblia sagrada, ainda que um livro antigo, escrito de cerca de 1500 antes de Cristo a cerca de 100 anos depois de Cristo?
Mas EGW também escreveu: “Eu não escrevo nenhum artigo, expressando meramente minhas próprias idéias. Eles são o que Deus me tem exposto em visão – os preciosos raios de luz brilhando do trono.” “Isto é verdade quanto aos artigos de nossas revistas e aos muitos volumes de meus livros. Tenho sido instruída em harmonia com a Palavra nos preceitos da lei de Deus.” (Testimonies, vol. 5, pág. 67, Mensagens Escolhidas, p. 29 e “Ellen G. White, Mensageira da Igreja Remanescente”, p. 35). “O Espírito Santo tem traçado verdades em meu coração e em minha mente.” (Testimonies, Vol. 5, p. 64,67; Carta 90, 1906)
Deus teria dado esse conselho a EGW?
É verdade que nos dias de EGW o mundo era outro, mas, mesmo nesses dias seria certo tratar uma criança indefesa assim? O erro das crianças comerem o que era inadequado nutricionalmente era culpa delas ou de suas mães segundo escreveu EGW? Então, por que punir tão duramente as crianças?
O certo seria reeducar as mães, a fim de que estas ensinassem às crianças a comerem certo ou infligir um castigo cruel e desumano, uma tortura, às crianças, deixando-as com fome por pelo menos 3 dias, visto que no próprio texto de EGW ela escreveu que eram as mães que não sabiam cozinhar e que colocavam diante das crianças “indigestas substâncias que ardem na garganta e por todo o caminho abaixo até às delicadas membranas do estômago, tornando-o como fogueira a arder”?
O que diz hoje no Brasil a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências?
Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
Os escritos de EGW foram, de fato, inspirados por Deus?
Ou a IASD teria criado o mito EGW como tantas outras seitas co-irmãs fazem, para vender livros, CD’s, DVD’s, e acumular grandes fortunas a partir de uma clientela ingênua e vítima de forte lavagem cerebral?

Disse Cristo: “E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente”? Lucas 11:11.

Por muitos anos, o irmão Ennis Meyer (no site www.adventistas.ws) tem publicado inúmeras matérias sobre fatos comprovados com os respectivos textos de livros de EGW, ou textos ainda não publicados e mantidos no Centro White, o que depõe muito mal contra sua obra e contra a igreja da qual é sua profetisa, venerada pela maioria dos membros da corporação religiosa que se afastou de Deus, ao entronizar um deus triúno (1980), oficializando o politeísmo, tudo para agradar à corporação religiosa mãe das meretrizes, com quem se associou na Polônia no ano 2000 (http://aodeusunico.com.br/?p=841), tudo para crescer em números de membros e de dólares.
O irmão Marcelo Almeida escreveu para este site, indagando: “E o que dizer do conselho de Ellen White de antes de orar por um enfermo, verificar na igreja se ele está com o dízimo em dia?

Será que Cristo orientou os discípulos a fazerem esse levantamento antes de curar algum doente?
E você, leitor, o que responderia? Os discípulos investigavam essa parte da vida financeira da pessoa enferma ou não?

O que me deixa estarrecido é que por mais absurdo que seja, sempre haverá alguém que aceitará com “bom efeito” o que Ellen White escreveu. Mas cada cabeça uma sentença.

EGW escreveu: “Nós primeiro devemos procurar saber se o doente não está retendo dízimos, ou se causou algum problema na igreja.” Ellen White – Healthful Living (1897, 1898), page 237, paragraph 4.

“We should first find out if the sick one has been withholding tithes or has made trouble in the church”

Este texto está em um capítulo que fala sobre a oração para os doentes. Cada parágrafo é um conselho sobre o assunto, e, no link abaixo, consta como “testemunho não publicado” de Ellen White.

O link que falei acima é:

http://text.egwwritings.org/publication.php?pubtype=Book&bookCode=HL&lang=en&collection=2&section=all&pagenumber=237

Para encontrá-lo siga os seguintes passos:
1. Acesse o site http://www.whiteestate.org/.
2. No menu do lado esquerdo, clique em “Search Writings of Ellen G. White”
3. Role a página até aparecer o rodapé e clique em “http://text.egwwritings.org
4. Escolha o idioma inglês (1º da lista) e pesquise pelo nome do livro – Healthful Living.
5. Procure pelo Capítulo 35 – Oração Para o Doente (Prayer for the sick) e clique nele.
6. Vá para a página 237 usando os botões de navegação no final da página.

O texto está no parágrafo de número 1021″.

O mito EGW a cada dia se desfaz.
A corporação iasd a cada dia é desmascarada em público nos quatro cantos da terra, e a sua nudez – triste nudez – é exposta.
Na BÍBLIA SAGRADA, em Apocalipse 22:18, lemos: “Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro”;
No caso em pauta, além de ser absurdo o conselho de EGW – porquanto o dízimo caducou na cruz de Cristo – além de ser absurdo para qualquer pessoa, sobre tudo para um enfermo, não o encontramos nas sagradas Escrituras.
“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Se o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. João 8:32 e 36.
PAULO COSTA PINTO.

Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm transgredido as leis, mudado os estatutos, e quebrado a aliança eterna.
Por isso a maldição tem consumido a terra; e os que habitam nela são desolados; por isso são queimados os moradores da terra, e poucos homens restam. Isaías 24:5-6.
Cada dia, nos aproximamos do Apocalipse e do retorno do nosso Senhor Jesus Cristo.
São muito oportunas as palavras de Cristo em Lucas 21:28, as quais devem nos alertar para viver a cada dia em sintonia com o único Deus verdadeiro, o Pai e Deus de Jesus (João 17:3), amando a Ele acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos (não entregando a nossa vida e bens às corporações religiosas que deixaram a verdade e se uniram ao Papado, inclusive a IASD, mas a Deus e ao Cordeiro, somente): “Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima”.

“Concentração de CO2 faz aumentar incidência de eventos extremos.
A emissão de gases-estufa na atmosfera atingiu um novo recorde no ano passado, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM). A liberação de CO2 atingiu 391 partes por milhão (ppm). Estima-se que, se este número chegar a 400 ppm, 90% dos recifes de corais, lar de grande parte da biodiversidade marinha, estariam comprometidos.
A relação entre os dois índices deve-se ao fato de os mares serem os maiores sorvedouros de CO2. Desde o início da era industrial, por volta de 1750, 375 bilhões de toneladas de gás carbônico foram lançadas na atmosfera. Metade ficou no globo; sendo a maior parte nos oceanos – um percentual menor foi recolhido pelas florestas do planeta.
A outra metade, no entanto, está na atmosfera, serve como um cobertor ao planeta, esquentando-o e dando margem a previsões cada vez mais pessimistas. O recorde na liberação de CO2 encontrado pela OMM corrobora um outro estudo, divulgado segunda-feira, pelo Banco Mundial. A organização alertou que, mantida a inércia atual, a Humanidade caminha para a liberação de 800 ppm em meados do século, o que aumentaria a temperatura global em 4º C.
Especialistas de ambas as entidades são descrentes em relação às decisões que podem ser tomadas na 18ª Conferência do Clima (COP), em Doha, na semana que vem (fim de Nov. de 2012). “A conferência é discussão política. Existe uma discussão global, mas ninguém abdica dos interesses nacionais”, lamenta Antônio Divino Moura, diretor do Instituto Nacional de Meteorologia e primeiro-vice-presidente da OMM. “Em cada reunião há um certo avanço, mas nunca é tanto quanto queríamos.”
É na COP que governantes decidem como vão se comprometer com metas estabelecidas pelos cientistas. Em relação à emissão de CO2, o ideal seria restringi-las a 350 ppm. Dessa forma, a temperatura global não subiria mais do que 2 graus Celsius em relação aos níveis pré-industriais. Estes objetivos, porém, já são encarados com ceticismo.
“O problema todo é que a energia mais barata e poluente vem do combustível fóssil”, salienta Divino Moura. “As energias alternativas, como a eólica e a solar, auxiliam parcialmente, mas não servem para todos. Por isso um acordo é adiado em todas as reuniões.”
Especialista em mudanças climáticas e administração da gestão de riscos de desastres do Banco Mundial, o queniano Erick Fernandes revela que o Banco Mundial, que atua apenas como observador nas COPs, ainda não sabe explicar por que a incidência de eventos extremos aumentou tão drasticamente nas últimas décadas – entre os exemplos estão o revezamento de grandes estiagens com enchentes na Amazônia desde 2005, a onda de calor na Rússia em 2010 e a tempestade Sandy, no mês passado, nos EUA.
“Por enquanto, o objetivo foi ver o que dizem as pesquisas”, ressalta. “Em até dois meses, veremos os impactos, talvez separadamente em cada parte do globo. Já se sabe que o Sandy pode ter custado até US$ 50 bi para Nova York. Queremos medir o prejuízo causado por outros extremos.”
(O Globo) Publicado no Jornal da Ciência e-mail 4627, de 21 de novembro de 2012.?

NATUREZA HUMANA DE JESUS – PARTE I

novembro 19th, 2012 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

A fim de aprendermos sobre a natureza humana de Jesus é necessário compreendermos a natureza do ser humano antes e após o pecado.
NATUREZA PRÉ LAPSARIANA(antes do pecado)
a)Era o homem um ser imortal ou passível de morte?
b) A natureza humana era susceptível somente a Deus, não podendo absorver influência de outro ser, ou seriam seus próprios desígnios (vontade, escolha, decisões etc.) capazes de originarem-se independente de seu Criador?
c)Haveria a possibilidade de o homem aprender sobre o mal, sem contaminar-se?
Era o homem um ser imortal ou passível de morte?
Mesmo que as Escrituras não nos informe de forma clara e explicita sobre a condição da natureza humana antes do pecado, isto é, se era um ser passível de morte ou imortal quando saiu das mãos de seu Criador, com absoluta conclusão lógica, compreendemos que jamais poderia o ser humano ter sido criado com vida eterna inerente em si mesmo, por dois motivos básicos:

PRIMEIRO – É visível, no desenrolar do relato de Gênesis, a possibilidade de a humanidade separar-se de sua única fonte de vida: DEUS, o que consequentemente ocorreu com a entrada do pecado, materializando assim a possibilidade de morte para Adão e Eva, bem como para todos os seus descendentes, fato que evidencia ter sido o homem criado com a possibilidade de morrer.

SEGUNDO – Se Deus criasse seres livres e imortais, com todas as prerrogativas que a liberdade oferece, estaria com isto colocando em CAOS a segurança de todo o universo, uma vez que, caso a liberdade e a eternidade fossem atributos inerentes (próprios e inseparáveis) aos seres na criação, consequentemente não haveria a possibilidade de revogá-los, e existindo no atributo da liberdade a probabilidade de rebelar-se contra o seu Criador, com certeza, não haveria como Deus destruir os possíveis rebeldes, visto que eram imortais por natureza, isto é, tal situação fugiria ao controle do próprio Deus, e se eternizaria o conflito entre o bem e o mal.

Tendo em vista estas considerações haveremos de concluir que o ser humano ao sair das mãos de Seu Criador era de uma natureza perfeita, isto é, nenhuma tendência tinha para pecar, mas que dependia exclusivamente de Deus para continuar vivendo, logo não possuía em si o dom da imortalidade, e embora seu destino futuro não fosse a morte, era ele um ser passível da morte, caso se separasse da fonte da vida: DEUS
A natureza humana era susceptível somente a Deus, não podendo absorver influência de outro ser, ou seriam seus próprios desígnios (vontade, escolha, decisões etc.) capazes de originarem-se independente de seu Criador?
Em qualquer exame sobre a origem da discórdia de Satanás, a degradação do ser humano, ou a origem do pecado, inevitavelmente, encontraremos uma ligação direta e inseparável ao dom da LIBERDADE ou do livre arbítrio, atributo este proveniente da essência de Deus, O AMOR.

Avaliando-se o fato de que um Deus de amor jamais criaria seres que Lhes fossem mecanicamente submissos;
Considerando que seres livres teriam na liberdade a possibilidade de total e absoluta independência própria;
Haveremos de concordar que o homem não era perceptível somente as influências Divinas, mas também poderia ser induzido por outro ser, e, inclusive, poderia ter uma atitude própria independente do Criador ou de quaisquer influências exteriores, de forma que poderia, inclusive, ter se tornado o iniciador da rebelião, caso Satanás não houvesse pecado antes.

Diante destas observações concluiremos que ETERNIDADE e LIBERDADE, somente podem ser atribuídos concomitantemente a seres que, por experiência de fé, reconhecem sua ETERNADEPENDÊNCIA ao seu Criador.
Em outras palavras, a ETERNIDADE COM LIBERDADE somente subsistem, se submissas a SOBERANIA DIVINA.

Haveria a possibilidade de o homem aprender sobre o mal, sem contaminar-se?

Da maneira como a tentação foi apresentada a Eva escondia-se esta possibilidade com a falsa promessa de que ela seria “semelhante a Deus, conhecedora do bem e do mal”, só que estava implícito que isto somente seria possível através da desastrosa experiência da contaminação com o mal.

Uma analise superficial, isto é, sem o crivo contextual da Palavra de Deus, ou seja, argumento por argumento, parecia incontestável a afirmativa satânica de que Deus estava escondendo o mal de suas criaturas, e que se isto fosse realmente verdade, o “temor” do Criador era com a possibilidade de ter que competir com seres criados, mas que, após a experiência com o mal, haviam adquirido igualdade em sabedoria e imortalidade.

É importante lembrar que antes do homem pecar, Deus já havia tomado providências para que o ser humano fosse instruído sobre a existência do mal, vejamos o que a Palavra de Deus nos diz: “E o Senhor Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” (Gênesis 2:16-17)

Inevitavelmente, alguns hão de perguntar: Era aquela arvore de natureza híbrida, havendo uma mistura do bem e do mal incorporados nela?
Claro que não!

Deus estava, através daquela árvore, ensinando a suas criaturas sobre a existência do mal e o possível confronto, o qual exigiria o conhecimento de que o mal consiste em desobediência a Palavra Divina, e que o conhecimento do bem consiste em confiar e se submeter às orientações de nosso Criador, logo naquela arvore estavam implicitamente contidos a instrução da vida e do bem, se obedecessem, e o conhecimento teórico(ou pela fé) do mal, todavia a prática da desobediência conduziria a contaminação com o mal, e que consequentemente levaria a morte.
Levando-se em conta a lição obtida através da exposição da arvore do conhecimento do bem e do mal, além das consequências oriundas da livre escolha do homem, poderemos perceber duas coisas que nos parece fundamentais:

a) Deus não escondeu o conhecimento do mal ao ser humano, apenas não queria que o mesmo experimentasse e fosse contaminado;
b)É desejo de Deus que o nosso conhecimento do mal seja através de Suas revelações, e jamais de forma experimental.
Resumo

1)Deus fez o homem sem qualquer mancha de contaminação com o mal, com liberdade a ser exercida mediante a segurança de um relacionamento de dependência, embora com a possibilidade de seguir sua própria vontade (escolha de um caminho próprio), ou submissão à influência de outro ser

2)Sendo assim, fica claro que o exercício da liberdade redundaria em uma das seguintes possibilidades:

a)Desobedecer assumindo uma atitude diferente das orientações do Criador, por iniciativa própria ou influencia de um outro ser que não fosse Deus, tornando-se condenado à morte (certamente morrerás Gênesis 2:17), com consequências a sua própria natureza, carregando em si a maldição e transmitindo-a aos seus descendentes;
b)Obedecer, isto é, exercer a liberdade de escolha em confiança e submissão à vontade Divina, permanecendo como um ser livre, sem condenação, podendo desfrutar da eternidade concedida por Deus, tendo o privilégio de transmitir esta benção a todos os seus filhos;

3)Observando pelo prisma dos fatos ocorridos, concluímos que o pecado entrou neste mundo por duas vias

a)por escolha (caso de Adão);
b)por desconfiança na Palavra de Deus e aceitação da palavra de Satanás (caso de Eva), isto, é no ser humano não havia afeição para a prática do pecado, ou seja, não havia o desejo (concupiscência) pecaminoso na sua própria natureza, mas havia a liberdade de escolha.

4)Antes de rebelar-se o ser humano, embora não estivesse condenado ou destinado a morte, era um ser passível de morte. Hoje nós, não somente somos passiveis da morte, mas somos seres condenados a morrer.

5)Antes de ceder ao pecado o homem não tinha necessidade de um salvador, mas de um padrão, “exemplo”, ou seja, um orientador e mantenedor de sua vida, logo o exercício de sua escolha, independente das orientações Divinas, é que poderia redundar na necessidade de salvação.
Continua no tópico: NATUREZA HUMANA DE JESUS–PARTE II
Fraternalmente,
Heráclito Fernandes da Mota.

As fotos são profundamente lamentáveis, ao registrarem um dos capítulos mais tristes da história da humanidade.
Satanás teve a oportunidade de mostrar ao mundo e ao universo seu caráter e as lideranças das corporações religiosas, também.
E a história se repete, infelizmente.
Que você me diz dessa outra história constante desse e dos links relacionados
http://www.adventistas.com/agosto2005/iasd_nazista.htm ?
Defensores da iasd, embora apenas apaixonados pela seita, como eu também fui quando sob fortíssima lavagem cerebral durante 41 anos, mas sem qualquer documento afirmam que o apoio que as igrejas adventistas na Áustria, Alemanha,… deram a Hitler foi um ato apenas deles e não da corporação (ir)religiosa mediante a associação geral nos EUA.
Temos indagado: 1- Conhece algum ato da Conferência Geral à época, punindo as lideranças européias e seus liderados por terem riscado os nomes de todos os judeus adventistas (embora em plena comunhão com Cristo) do rol de membros das igrejas adventistas, apenas por serem judeus, para agradarem a Hitler – como confessaram à boca pequena 60 anos depois do holocausto – e os enviaram para os campos de concentração nazista de onde só saíam – com raras exceções – na forma de fumaça pela chaminé???????
Então, o crime é da IASD e não apenas de uns poucos na Europa!!!!
2- Não foi a mesma iasd que parrticipou do projeto whitecoat, do genocídio de Ruanda, … que aceitou o dogma da trindade oficialmente pela primeira vez em uma reunião da conferência geral em 1980, e se acha engolfada no ecumenismo satânico? http://aodeusunico.com.br/?p=407…..?
3- Não é essa mesma a iasd que ainda nos dias da sua profetisa foi considerada sem a presença de Deus e que se precisava deixar novamente a corporação por ela também ter deixado a verdade? “A igreja está na condição laodiceana. A presença de Deus não está no meio dela”. Notebook Leaflets, vol. 1, pág. 99. Eentos Finais, p. 49.
“Como reformadores, elas haviam saído das igrejas denominacionais, mas desempenham agora uma parte semelhante à que desempenharam as igrejas. Tínhamos a esperança de que não haveria necessidade de OUTRA SAÍDA”. Eventos Finais, p. 48.

Exatamente, como foi, previsto há cerca de 66 anos… o que Hitler fez…

HÁ 66 ANOS ATRAS ESSAS IMAGENS FICARAM NA HISTÓRIA

É uma questão de História lembrar que, quando o Supremo Comandante das Forças aliadas (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, etc.), General Dwight D. Eisenhower encontrou as vítimas dos campos de concentração, ordenou que fosse feito o maior número possível de fotos, e fez com que os alemães das cidades vizinhas fossem guiados até aqueles campos e até mesmo enterrassem os mortos.
E o motivo, ele assim explanou:
‘Que se tenha o máximo de documentação – façam filmes – gravem testemunhos –
porque, em algum momento ao longo da história, algum idiota se vai erguer e dirá que isto nunca aconteceu’.
“Aquele que se esquece do Passado está fadado a Repeti-lo!”
‘Tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens de bem nada façam’.
(Edmund Burke)
Os “sem luz” querem que se repita essas cenas…
Relembrando:
Ha poucos dias, o Reino Unido removeu o Holocausto dos seus currículos escolares porque
“ofendia” a população muçulmana,
que afirma que o Holocausto nunca aconteceu…
Este é um presságio assustador sobre o medo que está a atingir o mundo, e o quão facilmente cada país se está a deixar levar.
Estamos há mais de 66 anos do término da Segunda Guerra Mundial.
Esta matéria é um alerta, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos, 1900 padres católicos e muitas Testemunhas de Jeová, resumindo; (SERES HUMANOS) que foram assassinados, massacrados, violentados, queimados, mortos à fome e humilhados, enquanto Alemanha e Rússia olhavam em outras direções.
Agora, mais do que nunca, com o Irã, entre outros, sustentando que o ‘Holocausto é um mito’,
torna-se imperativo fazer com que o mundo jamais esqueça.
Talvez você possa estar pensando que são imagens forte demais para repassar aos seus amigos!
Mas elas são reais e a verdade nunca deve ser escondida, e os inocentes… jamais esquecidos!
Isso que está vendo foi apenas um pouco do que aconteceu.
Vai querer arriscar que isso tudo se repita?
Ainda não acabamos, tem mais de onde sairam essas…
http://manhaneira.blogspot.com.br/2011/11/ha-66-anos-atras.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/lhMvA+(Manhaneira,+velha+amiga+e+companheira!)

Segundo Ellen White além de ser pecado tomar chá e café, ela também declarou que é pecado ser doente.
“É pecado ser doente, pois TODA a doença é resultado de transgressão. Muitos sofrem em consequência da transgressão de seus pais. Estes não podem ser censurados pelo pecado de seus pais; não obstante, é seu dever, indagar em que seus pais violaram as leis do seu ser, que trouxeram sobre seus descendentes tão desditosa herança; e naquilo em que os hábitos de seus pais foram errados, devem eles mudar de procedimento, e guiar-se por hábitos corretos, em melhor relação para com a saúde.” – Conselhos Sobre Saúde, página 37, escrita em 1866.
Veja que, embora o pecado tenha trazido doença e morte a nós seres humanos, a Bíblia Sagrada não confirma esta declaração de Ellen White ao escrever que “TODA a doença é resultado de transgressão”. (destaque acrescentado) Leiamos:
“Então saiu Satanás da presença do SENHOR, e feriu a Jó de úlceras malignas, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.” – Jó 2:7, 10.
“E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu:Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.” João 9:1-3.
Se for pecado estar doente porque TODA a doença resulta de transgressão, entãoEllen White pecou muito, pois durante a sua vida ela esteve muitas vezes doente. Certa vez Ellen White esteve muito doente por três semanas. Seus pais e o marido uniram-se em oração por ela, mas a angústia que ela sentia era tão grande que rogava para que eles não mais orassem por ela.
“Quando voltamos, caí muito doente, e sofri extremamente. Meus pais, marido e irmãs uniram-se em oração por mim, mas continuei a sofrer por três semanas. Freqüentemente desfalecia como morta, mas em resposta à oração me reanimava. Minha angústia era tão grande que eu rogava àqueles que me rodeavam que não orassem por mim, pois pensava que suas orações me estivessem prolongando os sofrimentos. Nossos vizinhos, já sem esperanças, abandonaram-me. Durante algum tempo, aprouve ao Senhor nos provar a fé.” – Vida e Ensinos, Página 89
Em 1911 Ellen White escreveu sobre uma luta interna que passou quando deixou o uso do vinagre, ela disse que esteve muito doente por varias semanas aponto de todos pensarem que era impossível viver.
“Houve um tempo em que me achei em alguns respeitos em situação semelhante à vossa. Condescendera com o desejo de usar vinagre. Resolvi, porém, com o auxilio de Deus vencer isto. Combati a tentação, resolvida a não ser dominada por esse hábito.
Estive muito doente por várias semanas; mas dizia repetidamente: O Senhor sabe tudo a esse respeito. Se eu morrer, morrerei; mas não cederei a esse desejo. A luta continuou, e fui duramente afligida por muitas semanas. Todos pensavam que me era impossível viver. Podeis estar certos de que buscamos mui fervorosamente ao Senhor. Foram feitas as mais fervorosas orações por meu restabelecimento. Continuei a resistir ao desejo de usar vinagre, e venci afinal. Agora não tenho inclinação para provar qualquer coisa dessa espécie. Esta experiência me tem sido, por muitas maneiras, de grande valor. Obtive inteira vitória.” – Conselhos Sobre o Regime Alimentar, página485, escrito em 1911.
Como poderia Ellen White ter ficado doente e quase morrer, só porque interrompeu o uso do vinagre, se o vinagre em si é acido acético e o mesmo não é viciante.
O ácido acético não causa dependência, porém o álcool vicia causando delírio e alucinações.
O tipo de luta que Ellen G. White descreveu que ocorreu com ela, só acontece com pessoas viciada em álcool. Pois o álcool é altamente viciante. E mais, essa luta que ela teve para deixar o uso do vinagre, é uma prova clara que a mesma era viciada em vinagre com elevado porcentagem de álcool como também essa luta indica que este vicio de vinagre com elevado porcentagem de álcool vinha de muitos anos.
O sintoma que Ellen White descreveu que sentiu ao deixar de usar vinagre são sintomas da síndrome da abstinência alcoólica. Somente um alcoólatra crônico sofre quando para de bebe.
Na época de Ellen White o vinagre usado era caseiro. No entanto, nem todo o álcool é convertido em ácido acético.
Certa quantidade permanece, e essa quantidade varia de acordo com vários fatores, incluindo o tempo a mistura que foi deixada a fermentar.
Vinagre comprado na prateleira de um supermercado de hoje contém aproximadamente 0,5% de álcool, que é bastante pequeno.
É impossível determinar exatamente quanto álcool estava presente no vinagre utilizado pela Sra. White porque ela provavelmente utilizava o vinagre caseiro. Uma vez que não sabemos todas as condições que foram usadas na produção do vinagre, é difícil dizer exatamente quanto álcool estava nele. Temos de procurar outras pistas quanto ao seu teor alcoólico.
Hoje o vinagre que compramos na loja tem um teor alcoólico mais baixo do que o vinagre caseiro de meados da década de 1800.
É evidente que o vinagre que Sra. White usava era muito mais forte e mais potente do que o vinagre vendido nos supermercados de hoje.
(Adaptado por Aristoteles Pereira de Oliveira do estudo “Swill Segredo de Ellen White” de Elaine Bowerman e Dirk Anderson). http://aodeusunico.com.br/?p=1092

http://www.slideshare.net/paulomoraes/romanizao-do-adventismo

Olá,
“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, palavras libertadoras de Cristo, o divino Filho único do Deus único, o Pai, em João. 8:32.
“A Proclamação da República Brasileira foi um levante político-militar ocorrido em 15 de novembro de 1889 que instaurou a forma republicana federativa presidencialista de governo no Brasil, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil e, por conseguinte, pondo fim à soberania do imperador Pedro II. Foi, então, proclamada a República dos Estados Unidos do Brasil.
A proclamação ocorreu na Praça da Aclamação (atual Praça da República), na cidade do Rio de Janeiro, então capital do Império do Brasil, quando um grupo de militares do exército brasileiro, liderados pelo marechal Deodoro da Fonseca, destituiu o imperador e assumiu o poder no país.
Foi instituído, naquele mesmo dia 15, um governo provisório republicano. Faziam parte, desse governo, organizado na noite de 15 de novembro de 1889, o marechal Deodoro da Fonseca como presidente da república e chefe do Governo Provisório; o marechal Floriano Peixoto como vice-presidente; como ministros, Benjamin Constant Botelho de Magalhães, Quintino Bocaiuva, Rui Barbosa, Campos Sales, Aristides Lobo, Demétrio Ribeiro e o almirante Eduardo Wandenkolk, todos membros regulares da maçonaria brasileira”. (Fonte: Wikipédia)
Assim, o nosso país se libertou de uma vez do jugo de Portugal.
No que se refere à fé, também damos graças a Deus por nos ter enviado seu único Filho, Jesus Cristo, para nos libertar do pecado e do jugo dos líderes religiosos que, embora separados de Cristo, impõem um jugo de dominação sobre os crentes, para assegurar o enriquecimento material de suas corporações, ainda que perdendo o céu.
Esses líderes ensinam que o que está escrito em Mateus 16:18 e 19 “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”; “tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”,se aplica a eles líderes e às suas Igrejas, denominações ou corporações religiosas, que podem colocar as pessoas no céu ou fora dele. Dessa mentira deslavada Cristo também veio nos libertar. Graças a Deus por isso.
Na realidade Cristo estava referindo-se a Ele mesmo, fato reconhecido pelo próprio Pedro em I Pedro 2:4 a 8 (favor ler e conferir. É muito importante também ler a matéria: “Dez Provas de que Pedro nunca esteve em Roma”, em:http://aodeusunico.com.br/?p=737).
Hoje as denominações religiosas mantêm seus membros cativos, vendendo-lhes suas cestas básicas, recheadas de livros de profetas modernos, livros dos doutores em divindade, meditações matinais para os jovens e até só para as mulheres, CD´s, DVd´s, pedaços de toalhinha benzidos, óleo santo, meia “ungida”, etc. Uma clientela cativa numerosa e crescente não é algo para se rejeitar jamais.
Estou certo de que Cristo diria à maioria dos líderes religiosos de hoje, aos que têm mantido os membros sob um jugo de servidão e tirando-lhes seus bens em troca de uma falsa esperança – assim como Portugal e outros países fizeram com o Brasil por muito tempo – o mesmo que ele disse aos líderes religiosos dos seus dias: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós”. Mateus 23:15.
Concluindo, leia o que diz o divino Filho do Deus único e verdadeiro, a maior autoridade do universo depois do pai, aos que desejam com sinceridade a salvação: “E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre”. Apocalipse 3:7.
A esse devemos temer; a esse devemos seguir, sem medo de ser felizes.
Em Cristo, podemos proclamar a independência do pecado, da morte eterna e dos líderes religiosos corruptos.

Esta matéria foi apresentada pela primeira vez em 15.11.2011 pelo programa A Voz e A Verdade apresentado diariamente de 2a a 6a às 6:50h, sábados e domingos às 14:00h (apenas 4 minutos de fala) pela Rádio Juazeiro, ZYH 459, 1190 Khz e pela webTV no endereço http://www.radiojuazeiro.com.br e repetida na manhã de 15.11.2012.

Era só o que faltava.
A incredulidade das pessoas aumenta a cada dia.
Cristo, falando sobre os dias finais Ele disse: “Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra”? Lucas 18:8.
Estamos cientes de que a cada dia se aproxima o dia da volta do Nosso Senhor. Preparemo-nos!

“A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em São Paulo ajuizou nesta segunda-feira (12) ação civil pública, com pedido de liminar, em que pede que as novas cédulas de real sejam impressas sem a frase “Deus seja louvado”. De acordo com a ação, a existência da frase nas notas fere os princípios de laicidade do Estado (deve se manter neutro em relação às diferentes concepções religiosas) e de liberdade religiosa.

No pedido feito à Justiça Federal, a procuradoria argumenta que a frase “Deus seja louvado” privilegia uma religião em detrimento das outras.

“Imaginemos a cédula de real com as seguintes expressões: ?Alá seja louvado?, ?Buda seja louvado?, ?Salve Oxóssi?, ?Salve Lord Ganesha?, ?Deus não existe? – afirma trecho da ação, assinada pelo procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias. “Com certeza cristalina haveria agitação na sociedade brasileira em razão do constrangimento sofrido pelos cidadãos crentes em Deus”, ressalta.

Parecer jurídico do Banco Central argumenta que na cédula não há referência a uma religião específica e, portanto, é perfeitamente lícito manter a expressão na nota. O BC informou ainda que o fundamento legal para a colocação da frase nas cédulas é o preâmbulo da Constituição brasileira, na qual consta que ela foi promulgada “sob a proteção de Deus”.

A ação foi instaurada sob força de representação do procurador regional Osório Barbosa, que o fez como cidadão”.
http://www.dgabc.com.br/News/5993772/mp-quer-real-sem-a-frase-deus-seja-louvado-.aspx

EMBORA NÃO GOSTE DO SENSACIONALISMO DE RUBENS, DE MUITAS PALAVRAS NÃO APROPRIADAS PARA DEUS (AINDA QUE SAIBAMOS ESTAR ELE NESTE VÍDEO SE DIRIGINDO A UM deus FALSO, NÃO AO DEUS ÚNICO E VERDADEIRO, DEUS E PAI DE JESUS CRISTO, MAS QUE PODE CRIAR CONFUSÃO NA MENTE DE MUITOS), ÀS VEZES MISTURANDO A VERDADE COM O ERRO, NESSE VÍDEO ELE DIZ A “ILUSTRES” REPRESENTANTES DO SISTEMA RELIGIOSO CAÍDO ALGO QUE ELES PRECISAM OUVIR A BEM DA VERDADE E PARA QUE SEJAM ALERTADOS INCAUTOS, AOS QUE NÃO ESTUDAM A BÍBLIA POR SI MESMOS, BUSCANDO A ORIENTAÇÃO DE DEUS POR SEU ESPÍRITO, PARA QUE NÃO SEJAM MAIS ENGANADOS.
ASSISTA O VÍDEO E TIRE AS CONCLUSÕES PERTINENTES.

Recebemos o link de uma amiga que visitou com sua filha, minha esposa, eu e um bom grupo de pessoas de várias partes do Brasil, no mês de março de 2012, o Egito e a denominada TERRA SANTA.
Tivemos o grande privilégio, de, nas águas do rio Jordão, no mesmo rio em que Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo foi batizado, oficiar o batismo de sua filha em nome do Senhor Jesus, Yeshua Hamashia, e participar da renovação de sua fé na pessoa amada do Salvador.

Visitem a terra santa sem sair de casa.
Não precisa tocar no mouse. Rolagem automática. Você se sente nos locais santos, passeando, vendo em terceira dimensão e num ângulo de 360 graus, todos estes locais santos. Abra o écran de seu computador como “tela inteira”, ok? Uma beleza mesmo! Clic no link (rosa) abaixo, e deixe rolar, ok?

www.360tr.com/kudus/kiyamet_eng/index.html

PARA NÓS, QUE VISITAMOS ESSE TÚMULO E O OUTRO IGUALMENTE CONSIDERADO, TEMOS A IMPRESSÃO DE QUE O QUE VISITAMOS NA ROCHA, PARECE SER O REAL.
NO ENTANTO, NÃO IMPORTA ONDE SEPULTARAM O NOSSO SENHOR.
A TUMBA ESTÁ VAZIA.
ELE JÁ RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS E É A GARANTIA DA NOSSA RESSURREIÇÃO.

Rubem M. Scheffel escreveu que um irmão lhe escreveu uma carta queixosa, explicando que a comissão da igreja onde congrega havia recomendado injustamente a exclusão de sua filha e de seu genro da comunhão da igreja. Temia, segundo entendia, que a filha e o genro tivessem sido excluídos do rol da igreja e também do livro da vida no Céu.
Milhares têm a idéia de que a exclusão de um nome do livro da igreja conduz à exclusão desse nome do Livro da Vida. Se baseiam nas palavras de Cristo a Pedro, em Mateus 16:19, e repetidas aos discípulos em Mateus 18:18: E tudo o que ligares na Terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na Terra será desligado nos céus.
As igrejas interpretam mal esses versos bíblicos para “supervalorizarem sua autoridade, tendo-a usado inclusive como instrumento de intimidação contra os dissidentes, ao afirmar que Cristo, com essas palavras, está conferindo a Pedro e seus sucessores o poder de abrir ou fechar o acesso ao Reino dos Céus, por meio da Igreja.
Em 1864, o Papa Pio IX promulgou um documento, no qual negava acesso à salvação a todas as pessoas que não estivessem em comunhão com o Trono de São Pedro”.
Scheffel recomenda ver Review and Herald, February 16, 1984: pág. 13 e acrescenta:
“A Igreja Adventista, porém, crê que os seus atos na Terra só são ratificados no Céu se forem observadas as instruções contidas na Palavra de Deus. Comentando Mateus 18:18, a Sra. White afirma: “Assim, até a autoridade celeste ratifica a disciplina da igreja, com relação a seus membros, uma vez que tenha sido seguida a regra bíblica. – Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 390.
Se Moisés, Abraão e Davi tives¬sem vivido em nossos dias, e fos¬sem membros da igreja, teriam si-do, sem sombra de dúvida, excluí¬dos – o primeiro por homicídio, o segundo por adultério, e o terceiro por homicídio e adultério.
E o que fez Deus? Riscou-os do Livro da Vida? Não. Deu-lhes antes oportunidade de arrependimento. Eles se arrependeram, e foram reintegrados ao favor divino. En¬quanto Abraão e Davi aguardam no pó da terra o cumprimento das promessas (ver Hebreus 11), Moi¬sés já se acha fruindo vida eterna”. http://www.advir.com.br/sermoes/pergunta18_34.htm
Apesar de tudo que Rubem Scheffel e a Igreja Adventista escreveram sobre a interpretação correta de Mateus 16:19 e 18:18, no dia 20 de outubro de 2012, por volta do meio dia, o local de culto do Ministério Adventista Bereano no bairro Alto do Alencar, localizado na Av. Miguel Silva número 10, Juazeiro – BA, foi invadido por um pastor aposentado da igreja adventista, que inclusive foi nosso amigo de infância e a quem sempre consideramos e mantivemos boa amizade, insultou aos nossos irmãos dizendo com o dedo em riste pressionando-o com força sobe o peito de alguns irmãos, que os mesmos estão todos perdidos, pois “fora da ARCA, ou seja, a corporação IASD não há salvação”. (O mesmo que afirma a igreja atualmente mãe da IASD, a ICAR – http://aodeusunico.com.br/?p=89 ver arquivo .doc, item 8).
Assim vemos que o espírito reinante na Idade Média persiste na IASD e em outras corporações religiosas hoje.
Não se cumpre com a IASD e seu pastor jubilado o escrito de R. Scheffel quando, na prática, usam mal os textos de Mateus “como instrumento de intimidação contra os dissidentes”???
E qual foi o erro dos nossos irmãos bereanos? Apenas rejeitar o dogma romano da trindade, por não ser bíblico, mas, romano, e discordar do pagamento do dízimo (que para ser como quando estava em vigor, só em alimentos do campo, nunca em dinheiro), quando estamos sob a Nova Aliança assinada com o sangue de Cristo, embora concordando em ser ofertantes conforme faziam os membros a Igreja primitiva fundada por Jesus e seus discípulos. Agora, nós bereanos, seguimos a Cristo e às suas orientações na Palavra de Deus. Nunca mais a sistemas religiosos que deixaram a verdade e seguiram a tradição que leva à perdição.
Deus nos ilumine a todos.
Paulo Augusto da Costa Pinto
pacostapinto.com.br

UM “HELP” DE SÃO JORGE?

novembro 3rd, 2012 | Posted by Paulo Pinto in Artigos - (0 Comments)

“A novela “Salve Jorge” me trouxe à lembrança um episódio da juventude, que poderia ter-me levado a sofrer a infelicidade das meninas iludidas, que vão para a Europa, imaginando que se tornarão estrelas, quando, no final, tornam-se escravas da exploração sexual.

Hoje faz 60 anos (1952) que publiquei meu primeiro artigo no “Jornal do Commércio” do Recife, onde comecei a carreira de cronista. O assunto era uma reunião de famosos poetas brasileiros já falecidos, que voltavam a este mundo e começavam a discutir sobre poesia e literatura. Não sei onde guardei o recorte do jornal, mas sei que ele ainda existe, perdido em alguma pasta, no meio da minha enorme papelada. Continuei escrevendo nesse jornal por algum tempo e mesmo quando vim morar no RJ, em 1954, recebia os recortes e até algum dinheiro, que foi de ajuda em meu início de vida, como secretária no RJ.

Anos mais tarde, escrevi um artigo que faria parte do meu primeiro livro – “Cubos de Gelo” – o qual vou transcrever abaixo:

Em 1953, quando trabalhava na SINGER do Recife, como Secretária do Superintendente, Mr. Denchfield, aconteceu-me um fato interessante. Eu tinha um metro e sessenta e cinco centímetros de altura, cabelos louros, manequim 42, um corpo bem torneado e me vestia com simplicidade e bom gosto. Falava Inglês fluentemente, escrevia semanalmente no Suplemento Feminino do JORNAL DO COMMÉRCIO, e isso me dava um certo prestígio entre os amigos e colegas de trabalho.

Um dia, fui procurada por um casal de boa aparência, que dizia estar recrutando moças brasileiras com Inglês fluente para trabalhar no Departamento Latino da BBC de Londres. Conversamos em Inglês durante alguns minutos e combinamos encontro no restaurante LEITE, o melhor da cidade. Lá iríamos acertar a minha ida a Londres, com um salário três vezes maior do que o da SINGER.

Quando saí do escritório naquela tarde, meu coração estava agitado como um pernambucano dançando frevo. Durante muitos anos havia acalentado o sonho de conhecer a Inglaterra. Visitar a Baker Street, de Sherlock Holmes, ver de perto a Rainha Elizabeth II recém coroada! Era bom demais para ser verdade! Chegando em casa contei a novidade às colegas do apartamento onde morávamos e todas vibraram com a notícia, passando imediatamente a colaborar em minha toalete. Enrolaram-me os cabelos, pintaram-me as unhas, maquilaram-me com esmero e fiquei linda, num vestido de tafetá preto, tomara-que-caia! Disseram que eu estava a cara da Grace Kelly, a atriz da moda.

Sentia-me tão importante que, chegando ao LEITE, sentei na melhor mesa e pedi um drinque de Martini com uma cereja no palito, como via as artistas de cinema fazerem. Tornei o drinque… vagarosamente. 0 tempo foi passando e, vendo a impaciência do garçom, pedi também uma lagosta grelhada com purê de batatas. Duas horas depois o casal não havia aparecido, paguei o jantar e fui para o apartamento onde morava com as três amigas. Felizmente, o dito ficava a uma quadra dali. Eu estava completamente arrasada e foi essa a maior decepção da minha vida (Ainda não conhecia aquele que seria o meu versículo chave de vida: Rom. 8:28).

Meses depois, apareceu num jornal do Rio o retrato de um casal que fazia o tráfico de escravas brancas para as boates europeias. Fiquei tão envergonhada, que não tive coragem de mostrar aquela foto às colegas de apartamento. Deus, em sua infinita misericórdia, tinha me livrado de uma cilada. “… (Ele) nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor” (Efésios 1:4) e não havia permitido que eu me tornasse uma garota de programa, no exterior, isto é, uma prostituta importada.

Anos mais tarde, fui a Londres, em companhia do marido e da filha Margarete. O diário desta viagem à Europa está em meu livrinho CUBOS DE GELO. Ali estava diante de mim a misteriosa cidade. Velha, feia, brumosa e bolorenta, não me agradou de modo algum. Seus habitantes tinham uma cara de poucos amigos e pareciam estar nos mandando embora a toda pressa. Davam informações de má vontade e o tempo todo ficavam dizendo: Thank you! Os únicos sorrisos que lá encontramos foram o da Rainha Elizabeth II para a nossa filha Margarete e o do Mr. Scarles, Gerente da Mappin & Webb, na Queen Victoria Street, o qual havia sido meu chefe na Loja M.W. do Rio. Ficou muito feliz ao ver-nos, matando, assim, a saudade da língua portuguesa.

Devia ser duro para um inglês bem humorado como o Mr. Scarles morar tantos anos no Brasil e em seguida voltar para Londres! Graças a Deus aquele emprego na BBC fora de mentirinha e eu não tinha ido morar naquela cidade tão sinistra. Sempre que sonhava com Londres era em forma de pesadelo, perdida num daqueles abismos do Metrô e acordava gritando: Help! Help! Help!”

Mas, foi um help de São Jorge? Não; foi do anjo da guarda a quem o Senhor me havia confiado”.

Mary Schultze, 02/11/2012 – marybiblia.com

LEIA MAIS SOBE ASSUNTO EM: http://www.averdadesobreofim.com.br/estudos/igreja-de-pergamo-surgimento-da-apostasia-cristianismo/